A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Avaliando a tuberculose infecção e a necessidade de quimioprofilaxia III Encontro Nacional de Tuberculose Salvador - BA 18 a 21 junho de 2008 Bahia Othon.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Avaliando a tuberculose infecção e a necessidade de quimioprofilaxia III Encontro Nacional de Tuberculose Salvador - BA 18 a 21 junho de 2008 Bahia Othon."— Transcrição da apresentação:

1 Avaliando a tuberculose infecção e a necessidade de quimioprofilaxia III Encontro Nacional de Tuberculose Salvador - BA 18 a 21 junho de 2008 Bahia Othon Palace

2 Infecção Tuberculosa Latente (ITL) ITL é a infecção pelo of M. tuberculosis na ausência de sintomas ou evidência radiográfica de tuberculose ativa AJRCCM Definição

3 ITL vs. Tuberculose Doença ITL PPD ou QFT geralmente positivos Rx tórax normal ou cicatrizes Sem sintomas ou sinais de TB Tuberculose ativa PPD ou QFT geralmente positivos RX tórax geralmente anormal Sintomas: febre, tosse, calafrios noturnos, emagrecimento, fadiga, hemoptise, anorexia Escarro ou cultura positivos

4 Diagnóstico da ITL Detectar pessoas que podem se beneficiar com o tratamento Não testar indivíduos sob baixo risco de ITL Prevenir gastos inapropriados, e tratamentos desnecessários Metas

5 Diagnóstico da ITL Teste cutâneo da tuberculina Mantoux é o método preferencial de aplicação (2 UT PPD RT 23 intradérmico) Leitura da induração em milímetros 48 a 72 horas após aplicação Reações positivas podem ser lidas até 7 dias após, as negativas não

6 Interpretação: – 10 mm = positivo –5-10 mm = Reator fraco (MNT? BCG?) Positivo em: HIV +, imunossupressão Falso-negativo: –Imunodepressão –Infecção tuberculosa recente, 2-10 semanas –Neonatos –Vacinação recente por vírus vivos –Tuberculose grave –Técnica inapropriada Diagnóstico da ITL

7 QuantiFERON ® -Gold Test Mensura o IFN-γ no sangue total após horas de incubação com antígenos específicos do M. tuberculosis (ESAT-6, CFP-10, TB 7.7) Resultado em 24 horas, não influenciado por BCG ou MNT, não necessita retorno do paciente Boa concordância com o PPD Diagnóstico da ITL

8 Measurement of INF- γ Lancet Infect Dis, (12): p

9 QFT-G vs. PPD QFT-G In vitro Antígenos específicos com controles Uma vista apenas Mínima variação interobservador Resultado em um dia PPD In vivo Antígenos inespecíficos sem controle Duas visitas Variação interobservador nnn Resultado em horas Fenômeno boosting

10 Lost TST reading n=40 (15.3%) Machado Jr. et al, 2008 Discordance of two diagnostic tests for the diagnosis of latent tuberculosis infection

11 Infecção tuberculosa latente. Brasil. Machado Jr. et al, 2008 Agreement = 0.76 ( = 0.53; 95% CI, ) Discordance of two diagnostic tests for the diagnosis of latent tuberculosis infection

12 ATS propõe Tratamento da infecção tuberculosa latente substituindo a designação terapia preventiva e quimioprofilaxia SBPT permanece quimioprofilaxia Tratamento da ITL AJRCCM. 2000Jornal Brasileiro de Pneumologia, 30(supl. 1). Junho, 2004 Definições

13 Tratamento da ITL - Histórico 1965: ATS- tratar ITL aqueles com tuberculose prévia não tratada, conversores recentes ao PPD e crianças 1967: Extensão para tratar todos os TST 10 mm 1974:CDC e ATS recomendam avaliação clínica e laboratorial pretratamento para evitar risco hepatite –Tratamento recomendado para pessoas 35 anos 1983: CDC recomenda monitorização clínica e laboratorial de pessoas 35 anos 1998: CDC recommenda 2 meses de rifampicina+pirazinamida como opção para pacientes infectados pelo HIV 2000:CDC and ATS: Isoniazida 9 meses é preferível 2ª opção: Rifampicina + Isoniazida 2 meses ou Rifampicina 4 meses 2001/ 2003: Desencorajam RMP+PZA, devido a casos de lesão hepática e morte MMWR June 9, 2000; 49(No. RR-6), MMWR August 31, 2001; 50(34): , MMWR August 8, 2003; 52(31):

14 Tratamento da ITL MMWR 2005 / Vol. 54 / No. RR-15 Riscos de exposição

15 Tratamento da ITL MMWR 2005 / Vol. 54 / No. RR-15 Riscos de exposição

16 Tratamento da ITL MMWR 2005 / Vol. 54 / No. RR-15 Recomendações para estudo dos comunicantes

17 Indivíduo sob risco PPD Negativo Normal RX tórax Positivo Não tratar Canditato a tratamento para LTBI Anormal Avaliar tuberculose ativa Fluxograma do tratamento da ITL Avaliação dos sintomas RX tórax

18 Manual Técnico para o Controle da Tuberculose. Brasília. DF. 2002

19 Fatores de risco para o desenvolvimento de tuberculose doença –Infecção tuberculosa recente –Condições clínicas subjacentes que aumentam o risco de progressão da ITL para tuberculose doença Tratamento da ITL AJRCCM. 2000

20 Infecção tuberculosa recente –Contatos próximos de tuberculose infecciosa –Conversão recente do PPD (<2anos) risco de 4-5% de TB ativa –Crianças < 5 anos, risco dobrado 40% de progressão em crianças < 12 meses –Residentes ou empregados de estabelecimento de alto risco (presídios, abrigos, etc…) –Imigração < 5anos de áreas de áreas endêmicas (CDC) Tratamento da ITL AJRCCM. 2000

21 Condições clínicas subjacentes que aumento o risco de progressão da ITL para tuberculose doença –Indivíduos infectados pelo HIV (7-10% por ano) –História de tuberculose prévia não tratada, ou lesões fibróticas na radiografia do tórax –Desnutrição –Usuários de drogas venosas –Indivíduos em tratamento com antagonistas de TNF-α para artrite reumatóide ou doença de Crohn –Algumas condições clínicas: silicose, diabetes mellitus, IRC, transplantes, tumor de cabeça e pescoço, gastrectomia, bypass ileojejunal Tratamento da ITL AJRCCM. 2000

22 Tratamento da ITL AJRCCM. 2000

23 Tratamento da ITL AJRCCM Redução do risco de TB ativa

24 Comstock Int J Tuberc Lung Dis. 1999;10:847 Cases per 100 Tratamento da ITL Redução do risco de TB ativa

25 3612 Custo total, USD Casos evitados 3,2810,5411,99 Custo por caso evitado, USD Preventive therapy with isoniazid. Cost-effectiveness of different durations of therapy Snider JAMA 1986; 255:1579 Duração do tratamento em meses Tratamento da ITL Custo

26 II Consenso Brasileiro de Tuberculose. Diretrizes brasileiras para tuberculose 2004 Tratar –INH 5-10 mg/Kg/dia/6 meses –< 15 anos, contatos de TB bacilífera, não vacinados, PPD 10 mm, assintomáticos –Indígenas, contato de TB bacilífera, PPD 10 mm –Em condições que aumentam o risco de retivação Jornal Brasileiro de Pneumologia, 30(supl. 1). Junho, 2004 Tratamento da ITL

27 Antes de iniciar o tratamento! –Afastar tuberculose ativa –Avaliar risco/benefício –Avaliar comorbidades Tratamento da ITL

28 Orientar o paciente a reportar sintomas ou sinais de reações adversas ao tratamento –Reação cutânea –Anorexia, náuseas, vômitos, dor abdominal –Fadiga ou fraqueza –Escurecimento da urina –Dormência nos membros Tratamento da ITL AJRCCM. 2000

29 Visitas mensais –Avaliar aderência ao tratamento –Sinais e sintomas de reações adversas –Estimular manutenção do tratamento Não e necessária avaliação hepática laboratorial exceto em –HIV + –História de doença hepática –Alcoolismo –Gestação ou puerpério Tratamento da ITL AJRCCM. 2000

30 Incidência de hepatite relacionada a INH é baixa (0,1- 0,15%) O risco de hepatite aumenta com a idade –Raro em menores de 20 anos –2% em pacientes de anos Risco é maior em alcoólatras e doenças hepáticas Tratamento da ITL Toxicidade AJRCCM. 2000

31 Pode ocorrer elevação das enzimas hepáticas em 10-20%, retornam ao normal após a suspensão Avaliar suspensão do tratamento se enzimas ultrapassarem 3X o normal com sintomas, e 5X se não houver sintoma MMWR June 9, 2000; 49(No. RR-6): 39 Tratamento da ITL Toxicidade

32 Esquemas com INH –CDC: 9 meses (270 doses) de tratamento, preferível 6 meses (180 doses), alternativo Intermitente 2X/semana (DOT) –9 meses (180 doses) –6 meses (52 doses) Tratamento da ITL Duração

33 Esquemas com RMP –4 meses (120 doses) HIV em uso de inibidor de protease, Rifabutina Evitar RMP+PZA Tratamento da ITL Duração

34 Tratamento da ITL Duração AJRCCM. 2000

35 Machado Jr. et al, 2008 LTBI treatment, Brazil Aderência

36 Tratamento da ITL em situações especiais Contatos de tuberculose resistente a INH Rifampicina 4-6 meses (prolongar em ctianças e em imunocomprometidos) Utilizar Rifabutina em HIV + em uso de inibidor de protease Intolerância à INH: utilizar RMP 4 meses Tratamento da ITL

37 Conclusões No nosso meio, o PPD ainda é um método dignóstico eficiente para ITL, o QFT-G poderá ser utilizado em algumas situações. Indivíduos recentemente infectados e/ou sob risco elevado de progressão de ITL para TB ativa devem ser tratados para ITL O tratamento com INH por 6 meses tem boa relação custo/benefício, é seguro e eficiente Tratamento da ITL


Carregar ppt "Avaliando a tuberculose infecção e a necessidade de quimioprofilaxia III Encontro Nacional de Tuberculose Salvador - BA 18 a 21 junho de 2008 Bahia Othon."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google