A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

I - INTRODUÇÃO Os dados e comentários a seguir descritos referem-se a atividade Bovinos de Corte. O rebanho bovino no Rio Grande do Sul segundo dados da.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "I - INTRODUÇÃO Os dados e comentários a seguir descritos referem-se a atividade Bovinos de Corte. O rebanho bovino no Rio Grande do Sul segundo dados da."— Transcrição da apresentação:

1 I - INTRODUÇÃO Os dados e comentários a seguir descritos referem-se a atividade Bovinos de Corte. O rebanho bovino no Rio Grande do Sul segundo dados da FNP no ano de 2002 foi de cabeças que representa 8,07% do rebanho brasileiro. O rebanho bovino gaúcho está estabilizado em número de cabeças nos últimos dez anos, enquanto o rebanho brasileiro no mesmo período cresceu 8,16%. Segundo a mesma fonte FNP o abate de bovinos no Rio Grande do Sul no ano de 2002 foi de cabeças, o que representa 8,52% do abate nacional. A relação no Rio Grande do Sul entre o abate de 1993 que foi de cabeças e de 2002 de cabeças, mostra um crescimento de cabeças o que representa 20,71% a mais. A quantidade de toneladas de equivalente carcaça no Rio Grande do Sul em 1993 era de ,00 toneladas, enquanto no ano 2002 (FNP) foi de ,00 toneladas o que demonstra um crescimento no período de 19,59%. Pelos dados podemos ver que o produtor gaúcho de bovinos de corte no período de 1993 a 2002 tornou-se mais eficiente, já que o rebanho está estabilizado no período e a produção de carne cresceu 19,59%, acima da média nacional que foi de 18,71%. A seguir serão apresentados evoluções da bovinocultura de corte, conceitos e valores da indicadores técnicos e econômicos sobre a atividade.

2 II - CONCEITOS RECEITA OU VALOR BRUTO DA PRODUÇÃO : É o somatório das vendas obtidas na atividade com cotação de preço a vista mais o valor do produto que é destinado ao consumo e ou doação. CUSTO DESEMBOLSADO, DESPESAS OU CUSTO DIRETO : É o somatório de todas as despesas desembolsadas no custeio da atividade, tais como insumos e serviços. Não leva em consideração investimentos, pagamento do valor principal dos financiamentos e retiradas particulares. CUSTO OPERACIONAL : É o somatório do Custo Desembolsado mais o custo da Depreciação dos bens envolvidos na atividade. CUSTO DE OPORTUNIDADE DA TERRA : É a remuneração do fator de produção terra pelo seu uso na atividade. Normalmente é usado o valor que o produtor receberia pelo arrendamento da mesma. CUSTO DE OPORTUNIDADE DO CAPITAL : É a remuneração do capital próprio envolvido na atividade ( animais, benfeitorias e máquinas).

3 CUSTO DE PRODUÇÃO : É a soma de todos os custos envolvidos na atividade (Desembolsado + Depreciação + Oportunidade de Capital + Oportunidade da Terra). RESULTADO : É a diferença entre a receita da atividade e o custo que considerarmos envolvido com a mesma. MARGEM LÍQUIDA : É a diferença entre a receita de atividade e o somatório de todos os custos envolvidos com a mesma ( Custo de Produção). A Margem Líquida indica o lucro que se tem com a atividade econômica. DESFRUTE : Quando tratamos de Desfrute é importante separar o que representa somente vendas, daquele que representa produtividade. Produtividade é o Desfrute que considera os Kg vivo produzido por hectare por ano, que são as vendas menos as compras mais ou menos a variação do estoque. É portanto o que a atividade produz sem se descapitalizar por hectare de superfície pastoril. CARGA ANIMAL : É a quantidade de kg vivo sobre a superfície pastoril utilizada pela atividade econômica (ex.bovinos de corte). ANO AGRÍCOLA OU SAFRA AGRÍCOLA : É o período de doze meses em que a atividade é explorada, podendo coincidir

4 Fonte : SAFRAS & CIFRAS Os custos médios acima são provenientes dos ,00 hectares de superfície pastoril utilizados pelos bovinos de corte dos clientes da SAFRAS & CIFRAS no ano de 2001/02.

5 PRODUTIVIDADE KG VIVO/ha/ANO NECESSÁRIA PARA COBRIR CUSTOS (R$) NO ANO AGRÍCOLA 2001/2002 Fonte : SAFRAS & CIFRAS Produtividade necessária em Kg vivo/ha/ano para cobrir o Custo Desembolsado anual em terra própria por hectare. Produtividade necessária em Kg vivo/ha/ano para cobrir o Custo Operacional anual (Desembolso + Depreciação) em terra própria por hectare. Produtividade necessário em Kg vivo/ha/ano para cobrir o Custo Desembolsado mais o Custo da Terra. Produtividade necessária em Kg vivo/ha/ano para cobrir o Custo de Produção anual da atividade Bovinos de Corte.

6 BOVINOS DE CORTE EVOLUÇÃO DO CUSTO DESEMBOLSADO R$/ha EM TERRA PRÓPRIA APÓS A ENTRADA DO PLANO REAL EM 1994 Fonte : SAFRAS & CIFRASO crescimento do Custo Desembolsado em R$/ha no período 94/95 a 01/02 foi de 71,72%.

7 BOVINOS DE CORTE Comparativo do Custo Desembolsado em terra própria utilizada pelos clientes da SAFRAS & CIFRAS na atividade Bovinos de Corte de julho a janeiro dos anos agrícolas 01/02 e 02/03.

8 BOVINOS DE CORTE COMPARATIVO DO CUSTO DESEMBOLSADO US$/HA/ANO DE SUPERFÍCIE PASTORIL X PREÇO US$/KG VIVO Fonte : SAFRAS & CIFRAS Média das Safras 91/92, 92/93, 93/94.

9 BOVINOS DE CORTE (RS) SISTEMA CICLO COMPLETO INDICADORES TÉCNICOS E ECONÔMICOS O resultado é a diferença entre a Receita Bruta e o Custo Desembolsado por hectare ano em terra própria. O patrimônio em terra, máquinas e animais envolvidos na atividade é de R$ ,00 o que dá um valor por hectare de R$ 1.708,00. A remuneração do capital é de 2,32% a.a.

10 BOVINOS DE CORTE (MS) SISTEMA CICLO COMPLETO INDICADORES TÉCNICOS E ECONÔMICOS O resultado é a diferença entre a Receita Bruta e o Custo Desembolsado por hectare ano em terra própria. O patrimônio envolvido em terras, máquinas e animais envolvido na atividade é de R$ ,00 o que dá um valor por hectare de R$ 1.406,00. A remuneração do capital é de 3,12% a.a.

11

12


Carregar ppt "I - INTRODUÇÃO Os dados e comentários a seguir descritos referem-se a atividade Bovinos de Corte. O rebanho bovino no Rio Grande do Sul segundo dados da."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google