A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Prof. Cláudio Boechat Porto Alegre 05 de julho de 2011 Competitividade Responsável 12º Congresso Internacional da Gestão do PGQP 16ª edição do Prêmio Qualidade.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Prof. Cláudio Boechat Porto Alegre 05 de julho de 2011 Competitividade Responsável 12º Congresso Internacional da Gestão do PGQP 16ª edição do Prêmio Qualidade."— Transcrição da apresentação:

1 Prof. Cláudio Boechat Porto Alegre 05 de julho de 2011 Competitividade Responsável 12º Congresso Internacional da Gestão do PGQP 16ª edição do Prêmio Qualidade RS Desenvolver em situações inusitadas é também uma questão de aperfeiçoamento, tanto na Natureza quanto nas organizações. Núcleo Petrobras de Sustentabilidade

2 Onde estamos e como chegamos aqui?

3 Evolução da População Mundial Material preparado e de responsabilidade do prof. Cláudio Boechat

4 Limites Planetários Entre os limites, os três que já foram ultrapassados se destacam: Taxa de Perda de Biodiversidade – Espécies estão entrando em extinção em um nível só visto na última extinção em massa global. Até 30% das espécies de mamíferos, pássaros e anfíbios estarão ameaçadas neste século. Ciclo do Nitrogênio e do Fósforo – Em uma escala planetária, a quantidade de nitrogênio e de fósforo ativada pelo homem é tão alta que os ciclos globais dos dois elementos encontram-se significativamente perturbados. Mudanças Climáticas – As conversas sobre o tema vêm se intensificando, sendo as mais recentes a de COP 15 em Copenhagen e a COP 16 em Cancun. Material preparado e de responsabilidade do prof. Cláudio Boechat

5

6 A pirâmide de rendimentos globais: 2,6 bilhões de pessoas vivem com menos de US$ 2 por dia. A pobreza permanece bastante difundida Material preparado e de responsabilidade do prof. Cláudio Boechat

7 A pobreza permanece bastante difundida Fonte: BLACK, Lucas. Desenvolvendo Mercados Inclusivos, UNDP. Bilhões de pessoas não têm acesso a bens e serviços essenciais Sem água limpa: 1 bilhão Sem saneamento adequado: 2,6 bilhões Sem eletricidade: 1,6 bilhão Sem internet: 5,4 bilhões A pobreza é melhor definida como a ausência de oportunidades para levar a vida almejada. Material preparado e de responsabilidade do prof. Cláudio Boechat

8 Pobreza e Distribuição de Renda Material preparado e de responsabilidade do prof. Cláudio Boechat

9 Uma visão dos continentes Fonte WWF Material preparado e de responsabilidade do prof. Cláudio Boechat

10 IDH e Sustentabilidade Fonte WWF Material preparado e de responsabilidade do prof. Cláudio Boechat

11 Demanda Humana e Capacidade do Ecossistema Tempo Capacidade do Ecossistema Demanda Humana Recursos Naturais Margem para ação Fonte: ANIMA MUNDI Beatriz Pacheco Material preparado e de responsabilidade do prof. Cláudio Boechat

12 Fonte: Boechat e Paro, FDC, 2010 Competitividades

13 Competitividade para o Crescimento Econômico A competitividade das nações está relacionada à capacidade nacional em dar suporte às companhias a competirem, nacional e internacionalmente, enquanto incrementam os níveis de emprego e renda do país. Sendo o governo e as empresas seus principais players, por hipótese, essas últimas somente serão competitivas se a nação lhes fornecer as devidas condições. OCDE, 1996 A competitividade é a habilidade ou talento resultantes de conhecimentos adquiridos capazes de criar e sustentar um desempenho superior ao desenvolvido pela concorrência. Sendo assim o conceito mais adequado para competitividade é a produtividade. Michael Porter,1993 Material preparado e de responsabilidade do prof. Cláudio Boechat

14 Fonte: Fórum Econômico Mundial, 2010 Competitividade Mundial conforme o Global Competitiveness Report Material preparado e de responsabilidade do prof. Cláudio Boechat

15 Desenvolvimento Sustentável É aquele que atende às necessidades do presente sem comprometer a possibilidade de as gerações futuras atenderem às suas próprias necessidades. Comissão Mundial sobre o Meio Ambiente, 1987 Material preparado e de responsabilidade do prof. Cláudio Boechat

16 Competitividade Responsável A competitividade responsável trata de fazer valer o desenvolvimento sustentável nos mercados globais. São os mercados que recompensam práticas de negócios que geram melhores resultados sociais, ambientais e econômicos; e implicam sucesso econômico para nações que encorajam essas práticas comerciais através de políticas públicas, normas sociais e ações de cidadania. Zadek e MacGillivray, 2007 Material preparado e de responsabilidade do prof. Cláudio Boechat

17 Competitividade Responsável A Competitividade Responsável é um ingrediente essencial para mercados globais eficazes. Ela une estratégias corporativas avançadas, políticas públicas inovadoras e uma sociedade civil vibrante e engajada. Trata-se da criação de uma nova geração de produtos e processos comerciais lucrativos calcados em regras que apóiam de forma abrangente os objetivos sociais, ambientais e econômicos da sociedade. O Estado da Competitividade Responsável demonstra o potencial prático das estratégias de competitividade responsável para disseminar negócios e investimentos, e ao mesmo tempo alcançar um equilíbrio entre os interesses nacionais e globais, entre o benefício público e o privado. Pascal Lamy, Diretor Geral, Organização Mundial do Comércio, 2007 Material preparado e de responsabilidade do prof. Cláudio Boechat

18 O Índice da Competitividade Responsável O que é??? É um índice que relaciona o estado da responsabilidade corporativa com a competitividade das nações. O Índice revela quais países estão atingindo crescimento econômico sustentável baseado em práticas de responsabilidade social. Índice de Competitividade Responsável Direcionadores Políticos Ação Empresarial Habilitadores Sociais Material preparado e de responsabilidade do prof. Cláudio Boechat

19 Índice de Competitividade Responsável Direcionadores Políticos 1. Assinatura e Ratificação de Tratados Ambientais 2. Ratificação de Direitos Básicos dos Trabalhadores 3. Rigidez do Índice de Emprego. 4. Rigidez das Normas Ambientais 5. Emissões de CO2 por bilhão de dólares 6. Mulheres empregadas no setor privado 7. Sistema Tributário Responsável Ação das empresas 8. Eficácia das Direções Corporativas 9. Comportamento Ético das Companhias 10. Igualdade Salarial para Atividades Assemelhadas 11. Força dos Padrões de Auditoria e Contabilidade 12. Grau de Treinamento de Funcionários 13. Taxa de Certificação ISO 14. Acidentes Ocupacionais Habilitadores sociais 15. Índice de Percepção de Corrupção 16. Orientação a Consumidores 17. Liberdade de Imprensa 18. Transparência das Transações 19. Filiação a ONGs 20. Liberdades Civis 21. Impacto da Poluição nas Operações Empresariais Material preparado e de responsabilidade do prof. Cláudio Boechat

20 Principais constatações, em 2007 Países nórdicos encabeçam a lista, com a Suécia em primeiro lugar e Dinamarca, Finlândia, Islândia e Noruega ocupando as primeiras seis posições, ao lado do Reino Unido. Treze dos top 20 da lista são países europeus. A eles se unem Hong Kong, Japão e Singapura, na Ásia; Canadá e Estados Unidos, e Austrália e Nova Zelândia. A África do Sul lidera os assim chamados BRICS, na 28ª posição, com o Brasil, a Índia, a Rússia e a China a seguir, nesta ordem. Economias emergentes como o Chile, Malásia e a República da Coréia estão entre o primeiro quartil e, de certa forma, com desempenhos melhores que vários países que recentemente se juntaram à União Européia. Entre os países de baixa renda, Zâmbia e Uganda têm melhor desempenho que outros países com níveis de desenvolvimento comparáveis, enquanto no Camboja, Marrocos e em Bangladesh as iniciativas de competitividade responsável no nível setoriais ainda estão por produzir resultados tangíveis no nível nacional. Material preparado e de responsabilidade do prof. Cláudio Boechat

21 O Estado da Competitividade Responsável (2007) Fonte: FDC e Accountability, 2007 Material preparado e de responsabilidade do prof. Cláudio Boechat

22 Clusters! Fonte: FDC e Accountability, 2007

23 Divisão dos Países conforme o Índice (ICR) Fonte: FDC e Accountability, 2007 IniciantesCumpridoresAssertivosInovadores Angola Bangladesh Benin Bolívia Burquina Faso Camarões Camboja Chade China Equador Etiópia Gâmbia Madagascar Malawi Mali Marrocos Mauritânia Moçambique Mongólia Nepal Nigéria Paquistão Paraguai Quênia Quirguistão Rússia Tanzânia Ucrânia Uganda Zâmbia Zimbábue Albânia Argentina Brasil Bulgária Cazaquistão Colômbia Croácia Egito El Salvador Filipinas Geórgia Guatemala Honduras Índia Indonésia Jordânia Lesoto Macedônia México Moldávia Namíbia Nicarágua Panamá Peru Polônia República Dominicana Romênia Sri Lanka Trinidad e Tobago Tunísia Turquia Uruguai Venezuela África do Sul Botsuana Chile Costa Rica Emirados Árabes Unidos Eslováquia Eslovênia Espanha Estônia Grécia Hungria Israel Itália Jamaica Kuwait Letônia Lituânia Malásia Maurício Portugal Rep. Coréia Rep. Tcheca Tailândia Taiwan, China Austrália Alemanha Áustria Bélgica Canadá Dinamarca Estados Unidos Finlândia França Hong Kong, China Irlanda Islândia Japão Noruega Nova Zelândia Países Baixos Reino Unido Singapura Suécia Suíça Material preparado e de responsabilidade do prof. Cláudio Boechat

24 A Importância dos Fatores Fonte: FDC e Accountability, 2007

25 ICC versus INCR Material preparado e de responsabilidade do prof. Cláudio Boechat Fonte: FDC e Accountability, 2007

26 Global Competitiveness Index Índice da Competitividade Responsável 2007 País/ EconomiaPosiçãoPontuaçãoPosiçãoPontuação Suíça Suécia Singapura Estados Unidos Alemanha Japão Finlândia Holanda Dinamarca Canadá Reino Unido Taiwan, China Áustria China Índia África do Sul Brasil Rússia COMPETITIVIDADE RESPONSÁVEL COMPARAÇÃO COM COMPETITIVIDADE GLOBAL Material preparado e de responsabilidade do prof. Cláudio Boechat

27 Questões-Chave da Competitividade Responsável Reconstrução do Comércio Mundial e das regras econômicas Na configuração atual do sistema mundial, há impedimentos para a formulação de políticas internacionais coerentes, para o fortalecimento da cooperação interinstitucional e para a instituição de sinergias entre a implementação de políticas e a boa governança. Fonte: FDC e Accountability, 2007 Material preparado e de responsabilidade do prof. Cláudio Boechat

28 Transparência e Responsabilidade como vetores do Crescimento A corrupção é a antítese das práticas empresariais responsáveis e do crescimento econômico. Algumas iniciativas no movimento global no combate à corrupção... Questões-Chave da Competitividade Responsável Material preparado e de responsabilidade do prof. Cláudio Boechat Fonte: FDC e Accountability, 2007

29 Igualdade de Gênero A determinante mais importante da competitividade de um país é o talento humano e a mulher é responsável por metade do potencial da base de talento no mundo. Para aumentar sua competitividade e o potencial de desenvolvimento, cada país deveria lutar, portanto, pela igualdade de gêneros – ou seja, dar às mulheres os mesmos direitos, responsabilidades e oportunidades que os homens. Fonte: FDC e Accountability, 2007 Questões-Chave da Competitividade Responsável Material preparado e de responsabilidade do prof. Cláudio Boechat

30 O papel da Sociedade Civil O sucesso da responsabilidade corporativa depende não só da capacidade da sociedade civil de interagir com as empresas e desenvolver alguma forma de conexão com atores do setor privado que pensem da mesma forma, mas também com os recursos e habilidades da sociedade civil. Fonte: FDC e Accountability, 2007 Questões-Chave da Competitividade Responsável Material preparado e de responsabilidade do prof. Cláudio Boechat

31 O papel da Sociedade Civil Fonte: FDC e Accountability, 2007 * Países selecionados classificados* A pontuação varia de 0 (as grandes empresas não demonstram preocupação com seus impactos sociais e ambientais) a 3 (as grandes empresas tomam medidas efetivas em relação a seus impactos sociais e ambientais) Questões-Chave da Competitividade Responsável Material preparado e de responsabilidade do prof. Cláudio Boechat

32 Algumas Conclusões A responsabilidade pode e deve reforçar a competitividade, para países em todos os níveis de desenvolvimento. Competitividade irresponsável tem conseqüências catastróficas. A necessidade da competitividade responsável é urgente e irrefutável. O debate político atual é sobre como torná-la uma realidade. Material preparado e de responsabilidade do prof. Cláudio Boechat Fonte: FDC e Accountability, 2007

33 Conclusões dos principais autores do estudo O potencial prático da competitividade responsável ainda não é suficientemente apreciado por líderes empresariais e políticos. Essa deficiência nociva é em grande parte enraizada em convenções retrógradas, conselhos ultrapassados, estatísticas medíocres e falta de competência: Empresas retardatárias, freqüentemente com aversão a riscos e provenientes de setores decadentes ou de associações empresariais cautelosas demais, efetivamente atravancam mudanças impulsionadas por políticas ou pelos negócios, de modo a continuar obtendo ganhos provenientes de práticas que desnecessariamente prejudicam as pessoas e o meio ambiente. Muitos governos ainda não se convenceram de que a competitividade pode ser fundamentada em inovações que criem valor, associadas a novas formas de responsabilidade. Esses governos estão contaminados por práticas empresariais atrasadas e pelo foco de seus assessores de competitividade no cumprimento legal ao trato de questões sociais e ambientais, e na abordagem da ação voluntária a partir de um marco exclusivamente empresarial. A sociedade civil e as organizações trabalhistas dão importância demais a campanhas que visam à conformidade, e não compreendem a necessidade de alavancar oportunidades de criação de valor para as empresas, para os consumidores e para as comunidades locais. E também não sabem como fazê-lo. Essa deficiência não se restringe a mercados emergentes; empresas em muitos países da Europa enfrentam dificuldades no engajamento de ONGs em prol da inovação responsável. São necessárias políticas que superem a inércia institucional e impulsionem perspectivas e comportamentos mais criativos e produtivos. Material preparado e de responsabilidade do prof. Cláudio Boechat Fonte: Zadek e MacGillivray, 2007

34 Fonte: Boechat e Paro, FDC, 2010 As empresas estão (se) cuidando?

35 Resultados Comparados 93%: os desafios da sustentabilidade serão críticos para o futuro sucesso dos negócios. 72%: marca, confiança e reputação estão entre três fatores mais determinantes da ação frente aos desafios da sustentabilidade. Crescimento de faturamento e redução de custos estão em segundo lugar, com 44%. 91%: suas empresas vão empregar novas tecnologias (energia renovável, eficiência energética, tecnologias de informação e comunicação) nos próximos 5 anos. 92%: companhia envolvida de alguma forma com sustentabilidade. Maiores estímulos: legislação governamental, preocupações do consumidor e interesse dos funcionários. 96%: desafios da sustentabilidade deveriam estar completamente integrados às estratégias e operações de uma empresa (contra 72% em 2007). 49%: complexidade da implementação transversalmente às funções é a barreira mais significativa para implementar uma abordagem integrada em toda a empresa. Prioridades estratégicas competitivas são a segunda, com 48%. 86%: valoração acurada da sustentabilidade pelos investidores em investimentos de longo prazo é importante para alcançar um ponto crítico de mudança. Material preparado e de responsabilidade do prof. Cláudio Boechat

36 Qual a Importância dos Desafios da Sustentabilidade para o Sucesso em seu Negócio? Very Important Important Overall Asia Pacific Latin America Africa Europe North America Middle East & North Africa Source: United Nations Global Compact CEO Survey 2010 (based on 766 completed responses) 93% 98% 97% 93% 90% 79% 54% 39% 57% 41% 78% 19% 60% 37% 48% 45% 59% 31% 22% 57% Material preparado e de responsabilidade do prof. Cláudio Boechat

37 Qual a Importância dos Desafios da Sustentabilidade para o Futuro Sucesso de seu Negócio? Overall Automotive Consumer goods & services Banking Metails & mining Energy Professional services Utilities Health & life sciences Electronics & high-tech Media & entertainment Communications 54% 39% 62% 38% 63% 35% 68% 29% 62% 34% 68% 26% 51% 42% 68% 24% 50% 42% 31% 56% 67% 17% 22% 59% 93% 100% 98% 97% 96% 94% 93% 92% 87% 84% 81% Very Important Important Source: United Nations Global Compact CEO Survey 2010 (based on 766 completed responses) Material preparado e de responsabilidade do prof. Cláudio Boechat

38 Quais dos Seguintes Desafios para o Desenvolvimento Global são os mais Críticos para o Futuro de seus Negócios? Education Climate Poverty Diversity and gender equality Access to clean water and sanitation Food security and hunger HIV/AIDS and other diseases Child mortality and maternal health Source: United Nations Global Compact CEO Survey 2010 (based on 766 completed responses) Respondents identifying each factor in their top three choices 72% 66% 51% 32% 26% 22% 6% Material preparado e de responsabilidade do prof. Cláudio Boechat

39 Desafios Brasileiros

40 Estágio de desenvolvimento da competitividade brasileira Fonte: Fórum Econômico Mundial, 2010 Material preparado e de responsabilidade do prof. Cláudio Boechat

41 Fatores que dificultam fazer negócios com o Brasil Fonte: Fórum Econômico Mundial, 2010 Material preparado e de responsabilidade do prof. Cláudio Boechat

42 Algumas nações latino-americanas no Global Competitiveness Report Material preparado e de responsabilidade do prof. Cláudio Boechat

43 O Brasil e os BRICs no Global Competitiveness Report Material preparado e de responsabilidade do prof. Cláudio Boechat

44 Uma Relatividade – América Latina Chile24 Costa Rica36 Jamaica38 Peru45 Trinidad e Tobago 46 El Salvador49 Uruguai52 Colômbia 55 BRASIL 56 México57 Panamá62 Argentina66 República Dominicana69 Guatemala72 Honduras75 Venezuela76 Nicarágua77 Equador79 Bolívia84 Paraguai86 RCIPolíticasEmpresasSociedade Chile2464,080,365,467,9 Costa Rica3660,278,864,254,8 Peru4556,870,360,752,8 Colômbia5555,177,456,049,9 BRASIL5655,072,356,452,3 México5754,870,557,650,1 Argentina6653,169,852,154,0 Venezuela7649,864,153,541,1 Bolívia8447,563,147,942,6 Fonte: FDC e Accountability, 2007 Material preparado e de responsabilidade do prof. Cláudio Boechat Fonte: FDC e Accountability, 2007

45 Outra Relatividade – BRIC Brasil 56 Índia70 Rússia83 China87 RCIPolíticasEmpresasSociedade BRASIL5655,072,356,452,3 Índia7052,267,464,052,5 Rússia8348,061,757,938,0 China8757,264,250,435,9 Fonte: FDC e Accountability, 2007 China: Secas, desertificação, inclusão social, liberdades políticas Índia: Doenças, Inundações, Inserção social Rússia: degelo do solo siberiando, organização do estado, corrupção Material preparado e de responsabilidade do prof. Cláudio Boechat Fonte: FDC e Accountability, 2007

46 Desafios brasileiros da sustentabilidade Pobreza e distribuição de renda Fonte: IBGE, 2010 Evolução do índice de Gini no Brasil

47 Desafios brasileiros da sustentabilidade Educação básica Fonte: IBGE, 2010 Pessoas analfabetas com 15 anos ou mais Evolução do analfabetismo no Brasil

48 Desafios brasileiros ENVELHECIMENTO DA POPULAÇÃO Fonte: IBGE/Censo Demográfico de 1980, 1991 e 2000; Ministério da Saúde/SIM. Homens 2000 Homens 2040 Mulheres 2000 Mulheres Distribuição etária da população por sexo - Brasil 2000 e 2040

49 Desafios brasileiros DISCRIMINAÇÃO RACIAL Fonte: IPEA. As diferenças raciais de renda caíram, mas ainda Faltam muitos anos para a igualdade racial

50 DESAFIOS BRASILEIROS PARA A SUSTENTABILIDADE Fonte: Boechat e Paro, 2009 Material preparado e de responsabilidade do prof. Cláudio Boechat

51 IMPORTÂNCIA Desafios Brasileiros 2009 INCORPORAÇÃO AO PE X IMPORTÂNCIA ALTAALTA ALTAALTA Material preparado e de responsabilidade do prof. Cláudio Boechat Fonte: Boechat e Paro, 2009

52 Nós e nossos nós Material preparado e de responsabilidade do prof. Cláudio Boechat

53 Estágios Razão de Ser da Empresa Liderança e éticaEstadismo corporativo Elementar Usa lógica essencialmente financeira. Atende às normativas legais. Protege os interesses da empresa em uma ideologia de mercado. Cuida dos impactos diretos nos stakeholders, levando em conta a presença da empresa no mercado. Comprometido Compromete-se com a competitividade na cadeia de valor para melhorar seu posicionamento no mercado. Reconhece a empresa como corpo social interdependente, gerando valor no presente. Cuida dos impactos diretos e indiretos, levando em conta os agentes de mercado e a sociedade. Transformador Compromete-se com uma visão global do processo social e do desenvolvimento sustentável. Suporta ações e estratégias proativas em um sistema de valores que reconhece a interdependência social e o desenvolvimento empresarial no longo prazo. Projeta novas realidades para o futuro. Contribui ativamente para o bem-estar social. Debate abertamente e tem vontade política para mudar a regulação social e a governança em nível local global. Estágios Evolutivos da Liderança Responsável Material preparado e de responsabilidade do prof. Cláudio Boechat

54 Liderança empresarial responsável REFLEXÃO I II III EM QUE ESTÁGIO EU ME ENCONTRO? QUANTO EU CREIO QUE DEVO AVANÇAR EM DIREÇÃO A UMA POSTURA MAIS TRANSFORMADORA? O QUE NOS FALTA? Material preparado e de responsabilidade do prof. Cláudio Boechat

55 Penso que tem de haver, no fundo de tudo, não uma equação, mas uma idéia extremamente simples. E para mim essa idéia, quando por fim a descobrirmos, será tão convincente, tão inevitável, que diremos uns aos outros: Que maravilha! Como poderia ter sido de outra maneira? John Archibald Wheler Material preparado e de responsabilidade do prof. Cláudio Boechat

56 OBRIGADO! Cláudio Bruzzi Boechat (31)


Carregar ppt "Prof. Cláudio Boechat Porto Alegre 05 de julho de 2011 Competitividade Responsável 12º Congresso Internacional da Gestão do PGQP 16ª edição do Prêmio Qualidade."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google