A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

INTERMODAL E MARKETING. Demanda, Oferta e Equilíbrio de Mercado.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "INTERMODAL E MARKETING. Demanda, Oferta e Equilíbrio de Mercado."— Transcrição da apresentação:

1 INTERMODAL E MARKETING

2 Demanda, Oferta e Equilíbrio de Mercado

3 Introdução No início da evolução do estudo da teoria microeconômica foi com a análise da demanda de bens e serviços. Utilidade: grau de satisfação do consumidor com os bens e serviços que podem ser adquiridos no mercado. Teoria do valor-utilidade: contrapõe-se à teoria do valor-trabalho, pressupondo que o valor de um bem se forma por sua demanda, sendo portanto subjetiva e leva em conta que o valor nasce da relação do homem com os objetos. Visão utilitarista: prepondera a soberania do consumidor. Valor de uso: utilidade que o produto representa o consumidor. Valor de troca: se forma pelo preço do mercado.

4 Utilidade total e utilidade marginal Utilidade total: tende a aumentar quanto maior a quantidade consumida do bem ou serviço. Utilidade marginal: é a satisfação adicional obtida pelo consumo de mais uma unidade do bem, é decrescente, pois o consumidor vai perdendo a capacidade de percepção da utilidade. Ex: Paradoxo da água e do diamante. Demanda de mercado Conceito: quantidade de certo bem ou serviço que os consumidores desejam adquirir em determinado período de tempo.

5 Relação entre quantidade procurada e preço do bem: a lei geral da demanda Lei geral da demanda: relação inversamente proporcional entre quantidade procurada e o preço do bem, que pode ser expressa pela curva ou escala de procura, revelando as preferências dos consumidores. Qd=f(P) Qd= quantidade procurada de determinado bem ou serviço, num dado período de tempo P= preço do bem ou serviço. Efeitos que causam a queda da quantidade demandada: efeito substituição; efeito renda.

6 Outras variáveis que afetam a demanda de um bem renda dos consumidores: bem normal, bens inferiores, bens superiores e bens de consumo saciado. preços de outros bens e serviços: bens substitutos ou concorrentes e bens complementares. hábitos e preferências dos consumidores. outros fatores específicos: efeitos sazonais, localização, condições de crédito, etc. Demanda do bem X = f (preço X, preços dos bens substitutos do bem X, preço dos bens complementares do bem X, renda dos consumidores, preferências dos consumidores)

7 Distinção entre demanda e quantidade demandada Demanda: escala ou curva que relaciona os possíveis preços a determinadas quantidades. Quantidade demandada: ponto específico da curva relacionando um preço a uma quantidade. Oferta de mercado: várias quantidades que os produtores desejam oferecer ao mercado em determinado período de tempo, dependendo de inúmeros fatores (preço, custo, fatores de produção, etc.). Oferta do bem ou serviço= f (preço de X, custos dos fatores de produção, nível de conhecimento tecnológico, número de empresas no mercado)

8 Oferta e quantidade ofertada Oferta: escala. Quantidade ofertada: ponto específico da curva da oferta. O aumento no preço do bem provoca um aumento da quantidade ofertada, enquanto uma alteração nas outras variáveis desloca a oferta. Equilíbrio de mercado A lei da oferta e da procura: tendência ao equilíbrio A interação das curvas da demanda e de oferta determina o preço e a quantidade de equilíbrio de um bem ou serviço em um dado mercado.

9 Se a quantidade ofertada se encontrar abaixo daquela de equilíbrio teremos uma situação de escassez do produto. Se quantidade ofertada se encontrar acima do ponto de equilíbrio haverá excesso ou excedente de produção. Tendência natural: ocorre quando há competição tanto de consumidores como de ofertantes. Deslocamento das curvas de demanda e oferta Há vários fatores que podem provocar o deslocamento das curvas de oferta e demanda, com evidentes mudanças no ponto de equilíbrio. Um deslocamento na curva de oferta afetará a quantidade de mercado e o preço de equilíbrio.

10 Política de preços mínimos na agricultura: visa dar garantia de preços ao produtor agrícola, com o propósito de protegê-lo das flutuações dos preços no mercado. Quando os preços mínimos são superiores aos preços de mercado, o produtor prefere vender sua produção ao governo do preço fixado anteriormente, quanto a isso o governo pode estipular: política de compras: comprar o excedente ao preço mínimo. política de subsídios: pagar subsídio no preço. Tabelamento: intervenção do governo no sistema de preços de mercado para coibir abusos por parte dos vendedores, controlar preços de bens de primeira necessidade ou refrear o processo inflacionário.

11 A microeconomia ou teoria dos preços analisa a formação de preços de bens e serviços e de fatores de produção em mercados específicos. É o estudo do funcionamento da oferta e da demanda na formação do preço, predominando a visão de mercado como um todo. Abordagem econômica: custos de oportunidade ou implícitos; agentes da demanda; empresa: capital, trabalho, terra e tecnologia; empresário: sujeito da atividade econômica; objeto: complexo de bens corpóreos e incorpóreos; empresa: complexo de relações jurídicas que unem o sujeito ao objeto da atividade econômica.

12 Aplicações da análise microeconômica: preocupa-se em explicar como se determina o preço dos bens e serviços e dos fatores de produção. Também busca responder questões como: por que, quando o preço de um bem se eleva, a quantidade demandada desse bem deve cair, coeteris paribus? Para as empresas, a análise microeconômica pode subsidiar as seguintes decisões: política de preços da empresa; previsões de demanda e faturamento; previsões de custos de produção; decisões ótimas de produção; avaliação e elaboração de projetos de investimentos; política de propaganda e publicidade; localização da empresa;

13 diferenciação de mercados; avaliação de projetos de investimentos públicos; efeitos de impostos sobre mercados específicos; política de subsídios; fixação de preços mínimos na agricultura; fixação do salário mínimo; controle de preços; política salarial; política de tarifas públicas; política de preços públicos; leis antitruste. Análise da demanda: teoria da demanda divide-se em teoria do consumidor e teoria da demanda de mercado.

14 Análise da oferta: teoria da oferta de um bem ou serviço subdivide-se em oferta da firma individual e oferta de mercado. Abordagens: teoria da produção: analisa as relações entre quantidades físicas do produto e fatores de produção. teoria dos custos de produção: incorpora quantidades físicas e preços dos insumos. Análise das estruturas de mercado: determina-se preço e quantidade de equilíbrio de um bem ou serviço, a partir da demanda e da oferta de mercado.

15 Estrutura dos bens e serviços: concorrência perfeita; concorrência imperfeita; monopólio; oligopólio. Estrutura do mercado de fatores de produção: concorrência perfeita; concorrência imperfeita; monopsônio; oligopsônio. Neste último, a busca de fatores produtivos é chamada demanda derivada.

16 LEI 7565 DE Código Brasileiro de Aeronáutica. CONHECIMENTO DE TRANSPORTE AÉREO AIRWILL BIL (AWB): formaliza o contrato aéreo de carga. Presume: a conclusão do contrato, o recebimento da carga e as condições de transporte. Emissão: 3 vias e entregue pelo expedidor com a carga. 1 a via: transportador assinado pelo expedidor. 2 a via: destinatário assinado pelo expedidor e pelo transportador e acompanha a carga. 3 a via: expedidor assinado pelo transportador e entregue ao expedidor após aceita a carga.

17 I - o lugar e data de emissão; II - os pontos de partida e destino; III - o nome e endereço do expedidor; IV - o nome e endereço do transportador; V - o nome e endereço do destinatário; VI - a natureza da carga; VII - o número, acondicionamento, marcas e numeração dos volumes; VIII - o peso, quantidade e o volume ou dimensão; IX - o preço da mercadoria, quando a carga for expedida contra-pagamento no ato da entrega, e, eventualmente, a importância das despesas; X - o valor declarado, se houver; XI - o número das vias do conhecimento; XII - os documentos entregues ao transportador para acompanhar o conhecimento; XIII - o prazo de transporte, dentro do qual deverá o transportador entregar a carga no lugar do destino, e o destinatário ou expedidor retirá-la.

18 PORTARIA 725: CONSOLIDAÇÃO E DESCONSOLIDAÇÃO DE CARGA AÉREA. CONSOLIDAÇÃO: reunião dos conhecimentos parciais referentes à remessa de mercadorias em um só conhecimento aéreo de carga. Vedada: valores, artigos controlados, animais vivos, perecíveis, revistas e restos mortais. DESCONSOLIDAÇÃO: desmembramento do conhecimento aéreo de carga relativa à carga consolidada, com objetivo de que prevaleçam os conhecimentos parciais, componentes da consolidação.

19 CONSIGNATÁRIO: pessoa a quem é entregue a carga consolidada. CONSOLIDAÇÃO/DESCONSOLIDAÇÃO permitido para agências de carga aérea autorizada a realizar agenciamento de carga aérea. CONHECIMENTO AÉREO DE CARGA: contrato de transporte realizado entre o agente consolidador e a empresa de transporte aéreo, englobando várias partidas de mercadorias.Deve constar: Número de conhecimentos filhotes. Quantidade de volumes, peso, dimensões e natureza das mercadorias. CONHECIMENTO FILHOTE: cada um dos conhecimentos que compõem a consolidação da carga. Deve conter: logotipo da empresa, número de código do DAC, número de série e dígito verificador, nome e endereço do remetente e do destinatário, natureza do frete, valor da Nota Fiscal, peso, número de volume, valor do frete, valor do seguro e de outras taxas e o recibo do destinatário;


Carregar ppt "INTERMODAL E MARKETING. Demanda, Oferta e Equilíbrio de Mercado."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google