A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

ORDEM, 1 O SACERDÓCIO CRISTÃO, 1 Jesus Cristo é o único mediador entre Deus e os homens (1 Tim 2, 5). = único sacerdote da Nova Lei, que nos redimiu mediante.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "ORDEM, 1 O SACERDÓCIO CRISTÃO, 1 Jesus Cristo é o único mediador entre Deus e os homens (1 Tim 2, 5). = único sacerdote da Nova Lei, que nos redimiu mediante."— Transcrição da apresentação:

1 ORDEM, 1 O SACERDÓCIO CRISTÃO, 1 Jesus Cristo é o único mediador entre Deus e os homens (1 Tim 2, 5). = único sacerdote da Nova Lei, que nos redimiu mediante o seu sacrifício. O sacrifício da cruz torna-se presente no sacrifício euca- rístico: o único sacerdócio faz-se presente pelo sacerdócio ministerial = só Cristo é o verdadeiro sacerdote; os demais são seus ministros.

2 ORDEM, 2 O SACERDÓCIO CRISTÃO, 2 Dois modos de participar no único sacerdócio de Cristo: - sacerdócio comum a todos os fiéis; - sacerdócio específico dos ministros ordenados. O comum realiza-se no desenvolvimento da graça baptismal. O ministerial é transmitido mediante um sacramento próprio, o sacramento da ordem. Lumen gentium Lumen gentium 10: Ainda que a sua diferença é essencial e não só em grau, estão ordenados um ao outro.

3 ORDEM, 3 O SACERDÓCIO CRISTÃO, 3 Igualdade fundamental de todos os fiéis cristãos: todos estão radicalmente capacitados para colaborar na santifi- cação dos membros da Igreja, que é a sua missão. = recebem esta capacitação por meio do baptismo. MAS, há funções sacerdotais que requerem ulterior capacitação radical, diferente das dos outros fiéis não já em grau mas em essência e outorgada pelo carácter próprio que confere o sacramento da ordem. Estas funções estão dirigidas primariamente à euca- ristia e, em relação com ela, ao perdão dos pecados e aos outros sacramentos. Estas funções compreendem também pregar com autoridade a palavra de Deus e diri- gir os fiéis nas coisas que se referem ao reino dos céus.

4 ORDEM, 4 SACERDÓCIO MINISTERIAL Através do ministro ordenado, Cristo torna-se presente na sua Igreja como cabeça do seu corpo, pastor do seu rebanho, sumo sacerdote do sacrifício redentor, mestre da verdade. = É o que a Igreja expressa ao dizer que o sacerdote, em virtude do sacramento da ordem, in persona Christi CapitisCCE 1548 actua in persona Christi Capitis (CCE 1548).

5 ORDEM, 5 NATUREZA DESTE SACRAMENTO CCE 1536 CCE 1536: A ordem é o sacramento graças ao qual a missão confiada por Cristo aos seus apóstolos continua a ser exercida na Igreja até ao fim dos tempos. è Compreende três graus: episcopado, presbiterado e diaconado. A ordenação não é uma delegação ou eleição ou designação pela comunidade. = confere um poder sagrado que só pode vir CCE 1538 de Cristo através da sua Igreja (CCE 1538).

6 ORDEM, 6 OS BISPOS Lumen gentium Lumen gentium 20: através de uma sucessão que remonta ao princípio, são os transmissores da semente apostólica. A sua potestade não excede a dos presbíteros no referente à consagração da Eucaristia, mas sim para outros sacra- mentos, ensinar e governar os fiéis: Pertence-lhes: 1) conferir a ordem, 2) ordinariamente administrar a confirmação e benzer os óleos, 3) governar as suas dioceses com potestade ordinária, sob a autoridade do Papa, 4) conferir aos presbíteros qualquer potestade de reger, 5) ter colegialmente com todos os seus irmãos no episcopado CCE 1560 a solicitude de todas as Igrejas (CCE 1560).

7 ORDEM, 7 OS PRESBÍTEROS São os colaboradores da ordem episcopal. Em virtude do sacramento da ordem, ficam consagrados como verdadeiros sacerdotes da Nova Lumen gentium Aliança (Lumen gentium 28). Só podem exercer o seu ministério na dependência do bispo e em comunhão com ele. Formam um único presbitério especial- mente na diocese a cujo serviço se dedicam sob a direcção do Presbyterorum ordinis seu bispo (Presbyterorum ordinis 8). A sua potestade estende-se a 1) consagrar o corpo e o sangue do Senhor, 2) perdoar os pecados, 3) apascentar os seus súbditos com as obras e com a doutrina, 4) administrar os sacramentos que não requeiram a ordem episcopal.

8 ORDEM, 8 OS DIÁCONOS No grau inferior da hierarquia estão os diáconos, aos quais se lhes impõe as mãos para realizar um serviço e não para exercer um Lumen gentium sacerdócio (Lumen gentium 29). A sua potestade consiste em 1) assistir o bispo e o presbítero nas funções litúrgicas, sobretudo na celebração da Eucaristia, 2) administrar o Baptismo solene, 3) assistir ao Matrimónio quando lhes seja devidamente delegado, 4) proclamar o Evan- gelho e pregar, 5) presidir às exéquias, etc.

9 ORDEM, 9 CELEBRAÇÃO DESTE SACRAMENTO Ordenação = consagração (participação no sacerdócio sacro de Cristo como cabeça do seu corpo, que é a Igreja). Sinal visível desta consagração: a imposição de mãos do bispo, com a oração consecratória = o essencial. 1. O bispo e o presbítero: unção com o santo crisma. 2. Entrega dos instrumentos: bispo - bispo = evangelhos, anel, mitra e báculo; presbítero - presbítero = patena e cálix; diácono - diácono = evangelhos.

10 ORDEM, 10 MINISTRO Só o bispo pode ordenar validamente. diácono Ordena diácono a um leigo, e há-de incardiná-lo na sua diocese ou há-de receber demissórias do ordinário que o vai incardinar. sacerdote Ordena sacerdote a um diácono, e há-de ter jurisdição sobre ele ou receber autorização para que o ordene, do respectivo ordinário. bispo Ordena bispo a um sacerdote, deve associar ao rito pelo menos outros dois bispos e tem que constar o man- dato pontifício de o fazer.

11 ORDEM, 11 SUJEITO, 1 Ninguém tem direito a receber o sacramento da ordem: é uma chamada de Deus. Quem crê ter esta chamada deve submeter o seu desejo à autoridade da Igreja. Para a validade: ter intenção de recebê-lo. Para a licitude: estar confirmado e em graça de Deus.

12 ORDEM, 12 SUJEITO, 2 Por vontade divina, só o varão baptizado recebe validamente a sagrada ordenação. Cristo só elegeu aos apóstolos entre os seus discípulos varões. De facto, nunca, nem os apóstolos, nem os seus sucessores, administraram a ordem sagrada a mulheres. Cabe pensar que com esta decisão Cristo quis realçar que o sacerdote celebra a Missa in persona Christi e que, pelo simbolismo sacramental, convém que haja uma semelhança natural entre ele e Cristo, que foi e permanece varão. A Santíssima Virgem Maria.

13 ORDEM, 13 SUJEITO, 3 CCE 1579 CCE 1579: Todos os ministros ordenados na Igreja latina, excepto os diáconos permanentes, são ordinariamente ele- gidos entre homens crentes que vivem como celibatários e que têm vontade de guardar o celibato pelo Reino dos céus. A Igreja reserva o sacerdócio aos que receberam o dom do celibato, gratuitamente concedido por Deus e livremente exercido pelo que o recebe. Implica: 1) maior entrega a Cristo, 2) maior entrega à Igreja e a todas as almas, 3) testemunho escatológico.

14 ORDEM, 14 EFEITOS A O carácter: consiste numa especial configuração do ordenado com Cristo enquanto cabeça do Corpo Místico e o faculta para participar de modo especial no seu sacerdócio. Pelo carácter, o sacerdote converte-se em: - ministro autorizado da palavra de Deus (função de ensinar); - ministro dos sacramentos e, em especial, da eucaristia (função de santificar); - ministro do povo de Deus: entra a formar parte da hierarquia (função de reger). B A graça: aumentada para que o ordenado possa ser um ministro idóneo de Cristo: graça do Espírito Santo de ser configurado CCE 1585 com Cristo Sacerdote, Mestre e Pastor (CCE 1585).

15 ORDEM, 15 OBRIGAÇÕES DOS CLÉRIGOS (CIC) A. Especial obediência ao papa e ao próprio bispo; B. Disponibilidade para desempenhar os cargos que se lhes confiam; C. Santidade de vida (inclui o ofício divino); D. Continuação dos seus estudos; CIC 284 E. Uso do traje eclesiástico (CIC 284); F. Abster-se de alguns tipos de trabalho e ocupações CIC que lhes estão proibidas (CIC ).


Carregar ppt "ORDEM, 1 O SACERDÓCIO CRISTÃO, 1 Jesus Cristo é o único mediador entre Deus e os homens (1 Tim 2, 5). = único sacerdote da Nova Lei, que nos redimiu mediante."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google