A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Equipa de Apoio às Escolas Alentejo Central Sessão de trabalho Metas de aprendizagem – Programa Educação 2015 EB2,3 Conde Vilalva, 23 de Março de 2011.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Equipa de Apoio às Escolas Alentejo Central Sessão de trabalho Metas de aprendizagem – Programa Educação 2015 EB2,3 Conde Vilalva, 23 de Março de 2011."— Transcrição da apresentação:

1 Equipa de Apoio às Escolas Alentejo Central Sessão de trabalho Metas de aprendizagem – Programa Educação 2015 EB2,3 Conde Vilalva, 23 de Março de 2011

2 Estratégia de trabalho Articular estratégias de trabalho no âmbito da zona de intervenção da EAE-AC; Utilizar as Metas de Aprendizagem como recurso estratégico para a melhoria dos resultados escolares. Apresentação do panorama global – AC Análise de duas situações tipo; Destaque a lapsos

3 Indicador 1 – Resultados em Provas Nacionais Provas de Aferição Língua Portuguesa Matemática Exames Nacionais Língua Portuguesa Matemática Forma de cálculo do indicador: Diferença entre as percentagens de alunos com classificações positivas nas provas de aferição e exames nacionais, num ano lectivo e as percentagens do ano lectivo consecutivo 4º e 6º ano 9º e 12º ano

4 Indicador 1 – Resultados em Provas Nacionais Provas de aferição 4º ano – ponto de partida 2009/2010 – L.P. e Mat % das UO apresentam percentagens de alunos com classificações positivas inferiores à meta 2015.

5 Indicador 1 – Resultados em Provas Nacionais Provas de aferição 4º ano – 2015

6 Indicador 1 – Resultados em Provas Nacionais Provas de aferição 6º ano – ponto de partida

7 Indicador 1 – Resultados em Provas Nacionais Provas de aferição 6º ano – 2015

8 Indicador 1 – Resultados em Provas Nacionais Exames nacionais 9º ano – ponto de partida

9 Indicador 1 – Resultados em Provas Nacionais Exames nacionais 9º ano – 2015

10 Indicador 1 – Resultados em Provas Nacionais Exames nacionais 12º ano – ponto de partida

11 Indicador 1 – Resultados em Provas Nacionais Exames nacionais 12º ano – 2015

12 Indicador 2 – Taxas de repetência Forma de cálculo do indicador: Relação entre o número de alunos que não transita para o ano de escolaridade subsequente relativamente ao total de alunos (1) matriculados e avaliados, num determinado ano de escolaridade, expressa em percentagem. (1) regular, CEF, Profissionais, Tecnológicos, PCA, etc.

13 Indicador 2 – Taxas de repetência 1º CEB – ponto de partida

14 Indicador 2 – Taxas de repetência 1º CEB – 2015

15 2º CEB – ponto de partida Indicador 2 – Taxas de repetência

16 2º CEB – 2015

17 Indicador 2 – Taxas de repetência 3º CEB – ponto de partida

18 Indicador 2 – Taxas de repetência 3º CEB – 2015

19 Indicador 2 – Taxas de repetência Secundário – ponto de partida

20 Indicador 2 – Taxas de repetência Secundário – 2015

21 Casos Analisar o esforço e organização de recursos visando as metas de aprendizagem do Programa Educação 2015

22 Caso 1

23 Caso 2

24 Situações de dúvida Indicador 1 Numa determinada prova de aferição ou exame nacional a meta para 2015 é inferior ao ponto de partida; O crescimento é pouco expressivo, não contribuindo significativamente para a meta nacional; Numa determinada prova de aferição ou exame nacional a meta para 2015 é inferior a 50%;

25 Situações de dúvida Indicador 2 Ausência de cruzamento entre a meta definida no programa Mais sucesso, e a taxa de repetência no mesmo ano; Num determinado ciclo ou nível de ensino a meta para 2015 é inferior ao ponto de partida;


Carregar ppt "Equipa de Apoio às Escolas Alentejo Central Sessão de trabalho Metas de aprendizagem – Programa Educação 2015 EB2,3 Conde Vilalva, 23 de Março de 2011."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google