A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

JEAN JACQUES ROUSSEAU CURSO DE LETRAS Marcos Antônio Machado de Lima Marcos Antônio Machado de Lima Ana Maria Lourenço de Lima Ana Maria Lourenço de Lima.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "JEAN JACQUES ROUSSEAU CURSO DE LETRAS Marcos Antônio Machado de Lima Marcos Antônio Machado de Lima Ana Maria Lourenço de Lima Ana Maria Lourenço de Lima."— Transcrição da apresentação:

1 JEAN JACQUES ROUSSEAU CURSO DE LETRAS Marcos Antônio Machado de Lima Marcos Antônio Machado de Lima Ana Maria Lourenço de Lima Ana Maria Lourenço de Lima Rose Mary Barbosa Ribeiro Rose Mary Barbosa Ribeiro

2 SUMÁRIO INTRODUÇÃO INTRODUÇÃO RELATO BIOGRÁFICO RELATO BIOGRÁFICO SÍNTESE DO SEU PENSAMENTO / PRINCIPAIS IDÉIAS SÍNTESE DO SEU PENSAMENTO / PRINCIPAIS IDÉIAS COM QUEM CONCORDAVA / DE QUEM DISCORDAVA COM QUEM CONCORDAVA / DE QUEM DISCORDAVA CONSEQUÊNCIAS DAS IDÉIAS DE ROUSSEAU PARA A EDUCAÇÃO. CONSEQUÊNCIAS DAS IDÉIAS DE ROUSSEAU PARA A EDUCAÇÃO. IMPORTÂNCIA DA FILOSOFIA DE ROUSSEAU PARA O CURSO DE LETRAS. IMPORTÂNCIA DA FILOSOFIA DE ROUSSEAU PARA O CURSO DE LETRAS. CONCLUSÃO CONCLUSÃO

3 INTRODUÇÃO Um dos mais considerados pensadores europeus no século XVIII. Sua obra inspirou reformas políticas e educacionais, e tornou-se, mais tarde, a base do chamado Romantismo. Em filosofia da educação, enalteceu a educação natural. Foi um dos filósofos da doutrina que ele mesmo chamou "materialismo dos sensatos", ou "teísmo", ou "religião civil". Lançou sua filosofia não somente através de escritos filosóficos formais, mas também em romances, cartas e na sua autobiografia.

4 RELATOS BIOGRÁFICOS

5 Nasceu em Genebra, na Suiça, em 28 de junho de Filho de um relojoeiro de profissão e de uma filha de pastor. Não seguiu a profissão do pai como era de se esperar. A mãe morreu poucos dias depois de seu nascimento, em conseqüência do parto. Fato que o marcou para sempre, pois, curiosamente, chamava de mamãesua primeira amante e a segunda de tia. Criado, na infância por sua tia e por uma ama, não teve educação regular senão por curtos períodos e não freqüentou nenhuma universidade. Lia muito os livros deixados por sua mãe e pelo seu avô materno. Quando ele tinha 10 anos, o pai teve que se afastar da família, saindo da cidade por ter ferido um cidadão importante de Genebra. Rousseau e o irmão ficaram sob a tutela de seu tio, irmão da sua mãe e casado com a irmã de seu pai. O tio o enviou para ser educado no campo, na casa de um pastor protestante em Bossey, próximo a Genebra. Lá estudou Latim e outras discipinas. Aos 12 anos começa a trabalhar. Primeiro, num cartório onde inicia seu aprendizado de questões legais. Não deu certo. Depois foi trabalhar numa oficina de gravação onde a rudeza do patrão o fez desinteressar-se pelo serviço. Acostumou-se aos maus tratos e a vingar-se deles. O que ganha emprega em alugar livros

6 RELATOS BIOGRÁFICOS Em Contignon, na Saboia (França) conhece Louise, Madame de Warens, sua amante e benfeitora. Ela o encaminhou para Turim onde estudou o catecismo e abjurou o protestantismo, tornando-se católico. Entre idas e vindas, viveram juntos, como amantes até Em 1741, Rousseau seguiu novamente para Paris com um novo esquema de anotação musical e os rascunhos de uma comédia (Narcisse), desta vez para lá ficar. Conheceu Denis Diderot que o ajudou a publicar o seu trabalho e o apresentou a vários outros intelectuais. No início de 1745 assumiu vida conjugal com Thérèse le Vasseur, com quem teve 5 filhos os quais foram todos enviados para um orfanato. Em 1768 casou-se com ela numa cerimônia civil. Em 1749, participa de um concurso na Academia com um ensaio, Discurso sobre as Ciências e as Artes. Venceu o concurso, teve a sua obra publicada em 1750 e que o tornou famoso.

7 RELATOS BIOGRÁFICOS Em 1752, compôs a peça Le Devin du Village. A apresentação foi um grande sucesso. Em consequência Rousseau seria apresentado a Luís XV, e receberia uma pensão. Mas ele se recusou a ir, pois sofria de um mal que o obrigava a urinar frequentemente. Temia passar por um constrangimento e não queria ficar em débito e comprometido com o rei pela pensão que receberia dele. Em 1762, publicou seus mais conhecidos e influentes trabalhos. 1)Émile: Ou de l'education, que para muitos pareceu que Rousseau estava tentando redimir-se de ter abandonado seus filhos, ajudando outros pais a criar, adequadamente, suas crianças. 2) O "Contrato social", foi um importante trabalho de filosofia política. Em maio de 1778 ele mudou-se para Ermenonville, onde morreu pouco mais de um mês depois, em 2 de julho. Foi enterrado na Ilha des Peupliers, no lago de Ermenonville. Seus restos mortais foram removidos para o Panteon em Paris, durante a Revolução Francesa.

8 MUNDO EM QUE VIVEU ROUSSEAU

9 O MUNDO EM QUE VIVEU Época de grandes convulsões sociais Época de grandes convulsões sociais Monarquias Absolutistas Monarquias Absolutistas Classes Privilegiadas- Clero e a Nobreza Classes Privilegiadas- Clero e a Nobreza Iluminismo, Ilustração ou Século das Luzes Iluminismo, Ilustração ou Século das Luzes Novas idéias filosóficas e econômicas que defendiam a liberdade de pensamento e a igualdade de todos os homens perante as leis; Novas idéias filosóficas e econômicas que defendiam a liberdade de pensamento e a igualdade de todos os homens perante as leis; Revolução Francesa: Liberdade, Igualdade e Fraternidade, incentivando movimentos libertários em outros continentes. Revolução Francesa: Liberdade, Igualdade e Fraternidade, incentivando movimentos libertários em outros continentes. Queda do Antigo Regime Queda do Antigo Regime

10 SÍNTESE DO SEU PENSAMENTO

11 1) O Homem nasce bom e é a Sociedade que o corrompe. 2) O verdadeiro fundador da sociedade civil foi o primeiro homem que, tendo cercado um terreno, lembrou-se de dizer: isto é meu e encontrou pessoas suficientemente simples para acreditá-lo. (Propriedade Privada) 3) "Devemos obedecer a voz da maioria". Propunha a democracia. O governo do povo. Era o único que falava em República. 4) Não pretendia que o homem retornasse à primitiva igualdade - ao estado natural. 5) A valorização dos sentimentos em detrimento da razão intelectual, e da natureza mais autêntica do homem, em contraposição ao artificialismo da vida civilizada. (Naturalismo) 6) Seguir o impulso de alguém é escravidão, mas obedecer uma lei auto-imposta é liberdade". A liberdade está inerente na lei livremente aceita. A liberdade é um Direito e um dever ao mesmo tempo. "...todos nascem homens e livres; a liberdade lhes pertence e renunciar a ela é renunciar à própria qualidade de homem. O princípio da liberdade é direito inalienável e exigência essencial da própria natureza espiritual do homem".

12 PRINCIPAIS IDÉIAS

13 1)Discurso sobre a Desigualdade entre os Homens. – da própria civilização vinham os males que afligiam o homem civilizado. Considerava os homens iguais no estado natural quando viviam isoladamente como selvagens. E a civilização se encarregou de introduzir a desigualdade. 2) O Contrato Social - A vida social é considerada sobre a base de um contrato ou seja: é uma livre associação de seres humanos inteligentes, que deliberadamente resolvem formar um certo tipo de sociedade, à qual passam a prestar obediência mediante o respeito à vontade geral. Defendia o princípio no qual a vontade geral dos homens promoveria instituições mais justas. Por isso ele criou o mito do Bom Selvagem, o índio que vivia feliz e contente sem a propriedade privada. a) No campo político - todos os homens nascem livres e iguais. Encara o Estado como objeto de um contrato no qual os indivíduos não renunciam a seus direitos naturais, mas ao contrário, entram em acordo para a proteção desses direitos e que o Estado é criado para preservá-los. Rousseau reforça o contrato social através de sanções rigorosas, pois, acreditava serem necessárias para a manutenção da estabilidade política do Estado por ele preconizado.

14 PRINCIPAIS IDÉIAS Contrato Social b) No campo religioso - A religião do cidadão ou religião civil é a religião de um país, uma religião nacional. Rousseau propõe que deveria ser concedida tolerância a todas as religiões, e cada uma delas conceder tolerância às demais. O Estado não deveria estabelecer uma religião, mas deveria usar a lei para banir qualquer religião que fosse socialmente prejudicial. A religião teria que limitar-se a ensinar a existência de uma divindade onipotente, inteligente, benevolente que prevê e provê; uma vida após a morte; a felicidade do justo; a punição dos pecadores; a sacralidade do contrato social e da lei". Emílio ou Da Educação - "o homem é naturalmente bom e má é a educação dada pela sociedade. Preconizava uma educação negativa como a melhor, ou antes, como a única boa. Le Citoyen: Ou Discours sur l'economie politique- como minimizar as injustiças resultantes da desigualdade social. Primeiro, igualdade de direitos e deveres políticos ou o respeito por uma "vontade geral" de acordo com o qual a vontade particular dos ricos não desrespeitaria a liberdade ou a vida de ninguém. Segundo: educação pública para todas as crianças baseada na devoção à Pátria e austeridade moral. Terceiro: um sistema econômico e financeiro que combinasse os recursos da propriedade pública com taxas sobre as heranças e o fausto.

15 PRINCIPAIS IDÉIAS "Discurso sobre as ciências e as artes – a restauração das Artes e das Ciências não contribuiriam para a purificação do gênero humano mas para a sua corrupção. Ele atacava as Ciências, especialmente as Artes e a Literatura, como sendo escravizadoras, corruptoras e instrumentos de propaganda e fonte de mais riqueza nas mãos dos ricos. A desigualdade surge no estado social e é quase nula no estado de natureza. A metalurgia, a agricultura e o conseqüente início da propriedade é que trouxeram as primeiras desigualdades e introduziram todo o mau na sociedade.

16 COM QUEM CONCORDAVA A teoria política de Rousseau é sob vários aspectos uma síntese do pensamento de Hobbes e Locke. Eles concordavam que o homem teria alguns direitos naturais como a vida, a liberdade e a propriedade. No entanto, os interesses de um indivíduo perante o seu próximo poderiam acabar ameaçando a garantia de tais direitos. Foi a partir de então que o Estado surgiu como uma instituição social coletivamente aceita na garantia de tais direitos. Os Iluministas - Rousseau era adepto das idéias iluministas. E partilhavam das idéias que o homem era naturalmente bom, porém, era corrompido pela sociedade com o passar do tempo. Eles acreditavam que se todos fizessem parte de uma sociedade justa, com direitos iguais a todos, a felicidade comum seria alcançada. Por esta razão, eles eram contra as imposições de caráter religioso, contra as práticas mercantilistas, contrários ao absolutismo do rei, além dos privilégios dados à nobreza e ao clero. Os direitos naturais, o respeito à diversidade de idéias e a justiça deveriam trazer a melhoria da condição humana.

17 COM QUEM DISCORDAVA John Locke e outros tinham assumido que o que a maioria quer deve ser o correto. Rousseau questionava essa postura. Argumentava que a maioria podia, na verdade, estar desejando alguma coisa contrária aos objetivos, ao bem comum e as necessidades do Estado, logo, não poderiam ser aceitas. A vontade geral, esta sim, deveria prevalecer, pois, assegurava a liberdade, a igualdade e a justiça dentro do Estado. Voltaire - criticava Rousseau, principalmente ao afirmar que: "ninguém jamais pôs tanto engenho em querer nos converter em animais" e que ler Rousseau faz nascer "desejos de caminhar em quatro patas" Rousseau - O propósito de Rousseau era combater os abusos e não repudiar os mais altos valores humanos. Locke – ADMITIA A PERDA DA LIBERDADE. O homem por ser livre por natureza não pode ser privado dessa condição e submetido ao poder de outro sem o próprio consentimento. Rousseau - o homem não pode renunciar à sua liberdade. Esta é uma exigência ética fundamental.

18 QUE CONSEQUÊNCIAS SUAS IDÉIAS TIVERAM E TÊM PARA A EDUCAÇÃO.

19 CONSEQUÊNCIAS DAS IDÉIAS DE ROUSSEAU PARA A EDUCAÇÃO. 1) A bondade natural do indivíduo só poderia ser protegida da influência corruptora da sociedade se o desenvolvimento fosse adequadamente estimulado. 2) O aluno consciente da suas sensações procura ou evita os objetos que as produzem, para isso o mestre deve educá-lo com base nas suas motivações naturais, desenvolvendo suas potencialidades naturais e afastando-o dos males sociais. 3) Para que o aluno fosse um membro da sociedade, o mestre deveria educá- lo para ser um homem, usando a estrutura provida pelo desenvolvimento natural do aluno, ao mesmo tempo que deveria manter em mente o contexto social no qual, eventualmente, ele será inserido. 4) A criança não podia ser mais entendida como um adulto em miniatura. Ela era e é um ser com características próprias, não só nas suas idéias, mas, também, nos seus interesses. Logo, eram diferentes dos adultos, então, o relacionamento rígido mantido por eles em relação a elas precisava e precisa ser modificado.

20 CONSEQUÊNCIAS DAS IDÉIAS DE ROUSSEAU PARA A EDUCAÇÃO. 5) Deve-se respeitar as fases do desenvolvimento da vida do indivíduo. A primeira - até os 5 anos - fase animal, com o aparecimento do primeiro sentimento de si mesmo. Dos 6 aos 12 anos, torna-se consciente de si mesmo, é o momento da vida em que o racional desperta. Sendo um ser isolado, a criança não desfruta ainda da vida moral. Na fase seguinte, a puberdade. Nesta fase o sexo era visto por Rousseau como o fator mais importante da vida do indivíduo. Surge a vida social, os mais altos sentimentos e a vida moral do indivíduo evolui naturalmente. Logo, se cada fase da vida tem a sua existência própria, a educação inicial não mais poderia ser considerada como uma preparação para a vida. 6) Com as suas idéias, Rousseau desmentiu que a educação fosse um processo pelo qual a criança passasse a adquirir conhecimentos, hábitos e atitudes armazenados pela civilização, sem qualquer modificação. Cada fase de vida: infância, adolescência, juventude e maturidade foi concebida como portadora de características próprias, respeitando a individualidade de cada um.

21 CONSEQUÊNCIAS DAS IDÉIAS DE ROUSSEAU PARA A EDUCAÇÃO. 7) A criança deveria primeiro, brincar e praticar esportes. Depois, trabalhar na agricultura, o primeiro e mais útil emprego do homem, pois, nela a criança aprende a usar a pá e os instrumentos de outros ofícios. Através dessas atividades, a criança aprenderia a contar, pesar e comparar. Além dessas tarefas, a linguagem, o canto, a aritmética e a geometria seriam desenvolvidos como atividades relacionadas com a vida. 8) A criança deveria demonstrar seu próprio interesse em um determinado assunto e fazer suas próprias perguntas a respeito. Na puberdade, a sensibilidade do jovem deveria ser educada, à descobrir as alegrias da religião e as dificuldade de lidar com a Sociedade. O objetivo era desenvolver, plenamente, no aluno, o seu Eu natural. 9) O aluno somente entraria na sociedade quando a tendência para a socialização surgisse como uma de suas necessidades naturais. Isto aconteceria na adolescência, após o desenvolvimento da razão. "Ele antes tinha apenas sensações, agora ele julga."

22 CONSEQUÊNCIAS DAS IDÉIAS DE ROUSSEAU PARA A EDUCAÇÃO. 10) O método natural ou da evolução natural procurava desenvolver a criança ou o jovem, em especial até os 12 anos, fazendo aquilo que ela fosse capaz, sem a ajuda dos outros e interferindo o menos possível. É nesta fase que nascem os vícios. Os carinhos exagerados, também, provocam vícios. Não se deveria moldar o espírito desses alunos com modelos estabelecidos, pois eles ainda não contam com a razão para poder julgar. Rousseau afirmou que: a educação não vem de fora é a expressão livre da criança no seu contato com a natureza.

23 IMPORTÂNCIA DA FILOSOFIA DE ROUSSEAU PARA O CURSO DE LETRAS. 1)O professor deve identificar nos seus alunos as suas potencialidades e a partir daí, utilizando método adequado para cada fase da vida em que se encontram esses alunos, fazer com que ponham em prática esses dons, incentivando-os na busca do saber. 2) O conhecimento deve ser construído pelo aluno junto com o professor, introduzindo dúvidas e formulando perguntas de modo a extrair da experiência de vida dos alunos a conclusão. Rousseau propunha o uso da maiêutica de Sócrates a fim de construir o conhecimento.

24 CONCLUSÃO Rousseau, sem dúvida, nos faz pensar muito sobre o atual estágio da Sociedade, com suas desigualdades, violências, medos, angústias, incertezas, misérias e doenças. O que fizemos dos conceitos elaborados no passado? Deveríamos ter aperfeiçoado. Mas o que se vê é a reincidência dos mesmos erros cometidos no passado. Estamos regredindo! Mesmo com todo o nosso desenvolvimento e a nossa tecnologia, estamos regredindo como indivíduos. As idéias tornam-se estopim de desentendimentos entre os homens, gerando em seu maior grau o fanatismo. A propriedade continua cada vez mais privada e com um número cada vez menor de proprietários, verdadeiros feudos. A religião, embora, com múltiplas visões, ainda não conseguiu solucionar os problemas existenciais do Homem. Perguntas permanecem sem respostas. Só uma única certeza! Viemos de algum lugar e somos alguma coisa que um dia se extinguirá. O nosso destino, ainda, é discutível. Mas, mesmo diante dessas adversidades, ainda resta-nos uma esperança, as crianças, a nova geração, quem sabe mais educada, mais igual. Será que um dia chegaremos as respostas pretendidas por Rousseau sobre o Homem Natural? Será que o Mundo Natural será melhor do que o que vivemos hoje? Será que as desigualdades diminuirão ou, quem sabe, deixarão de existir? Eis o desafio para os que virão depois.


Carregar ppt "JEAN JACQUES ROUSSEAU CURSO DE LETRAS Marcos Antônio Machado de Lima Marcos Antônio Machado de Lima Ana Maria Lourenço de Lima Ana Maria Lourenço de Lima."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google