A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Senhor, não sabemos para onde vais; como podemos saber o caminho? [João, 14:5.] Senhor, não sabemos para onde vais; como podemos saber o caminho?

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Senhor, não sabemos para onde vais; como podemos saber o caminho? [João, 14:5.] Senhor, não sabemos para onde vais; como podemos saber o caminho?"— Transcrição da apresentação:

1

2

3

4 Senhor, não sabemos para onde vais; como podemos saber o caminho? [João, 14:5.] Senhor, não sabemos para onde vais; como podemos saber o caminho? [João, 14:5.]

5 Não se turbe o vosso coração, credes em Deus, crede também em mim [João, 14:1] Não se turbe o vosso coração, credes em Deus, crede também em mim [João, 14:1]

6 Jesus, ao se despedir dos discípulos, sabia que eles não iriam compreender o real sentido de suas palavras nem entenderiam a grandeza de sua missão. Jesus, ao se despedir dos discípulos, sabia que eles não iriam compreender o real sentido de suas palavras nem entenderiam a grandeza de sua missão.

7 Mesmo vós sabeis para onde vou e conheceis o caminho. Tomé indaga angustiado: Senhor, não sabemos para onde vais; como podemos saber o caminho? [João, 14:4-5.] Mesmo vós sabeis para onde vou e conheceis o caminho. Tomé indaga angustiado: Senhor, não sabemos para onde vais; como podemos saber o caminho? [João, 14:4-5.]

8 Eu sou o caminho, e a verdade, e a vida. Ninguém vem ao Pai senão por mim. [João, 14:6.] Eu sou o caminho, e a verdade, e a vida. Ninguém vem ao Pai senão por mim. [João, 14:6.]

9 Apontando-nos o caminho, sintetiza nestas palavras o roteiro, a indicação para nossas consciências na busca da verdade e da vida. Apontando-nos o caminho, sintetiza nestas palavras o roteiro, a indicação para nossas consciências na busca da verdade e da vida.

10 Compreenderiam mais tarde que o caminho seria justamente o amor, a renúncia, o perdão e a coragem com que teriam que enfrentar todos os obstáculos que se anteporiam à pregação da nova doutrina, após a partida do Mestre. Compreenderiam mais tarde que o caminho seria justamente o amor, a renúncia, o perdão e a coragem com que teriam que enfrentar todos os obstáculos que se anteporiam à pregação da nova doutrina, após a partida do Mestre.

11 Quantos de nós, mesmo conhecendo o caminho da vida, ainda nos perdemos pelos atalhos da ilusão e da fuga aos deveres e responsabilidades assumidas! Quantos de nós, mesmo conhecendo o caminho da vida, ainda nos perdemos pelos atalhos da ilusão e da fuga aos deveres e responsabilidades assumidas!

12 Jesus indica o caminho da renúncia, do sacrifício, do amor. Jesus indica o caminho da renúncia, do sacrifício, do amor.

13 amai-vos uns aos outros amai-vos uns aos outros se me amais, guardai os meus ensinamentos se me amais, guardai os meus ensinamentos [João, 14:15.] [João, 14:15.]

14 Os Espíritos superiores, através do Consolador Prometido, completariam dizendo que a Lei Divina está escrita na consciência. (O Livro dos Espíritos, q. 621). Os Espíritos superiores, através do Consolador Prometido, completariam dizendo que a Lei Divina está escrita na consciência. (O Livro dos Espíritos, q. 621).

15 A lei natural é a lei de Deus. É a única verdadeira para a felicidade do homem. Indica-lhe o que deve fazer ou deixar de fazer e ele só é infeliz quando dela se afasta. (questão 614 ) A lei natural é a lei de Deus. É a única verdadeira para a felicidade do homem. Indica-lhe o que deve fazer ou deixar de fazer e ele só é infeliz quando dela se afasta. (questão 614 )

16 O Espírito de Verdade, na belíssima mensagem em O Evangelho segundo o Espiritismo, de Allan Kardec, cap. VI, item 8 afirma: O Espírito de Verdade, na belíssima mensagem em O Evangelho segundo o Espiritismo, de Allan Kardec, cap. VI, item 8 afirma:

17 [...] A abnegação e o devotamento são uma prece contínua e encerram um ensinamento profundo. A sabedoria humana reside nessas duas palavras. [...] [...] A abnegação e o devotamento são uma prece contínua e encerram um ensinamento profundo. A sabedoria humana reside nessas duas palavras. [...]

18 A Doutrina Espírita orienta-nos para a vigilância constante, o poder da fé e do perdão como facilitadores da paz e do equilíbrio físico e emocional. A Doutrina Espírita orienta-nos para a vigilância constante, o poder da fé e do perdão como facilitadores da paz e do equilíbrio físico e emocional.

19 O caminho da vida fica delineado para todos nós como aquele que nos levará ao Pai Criador, de retorno às moradas no Universo, O caminho da vida fica delineado para todos nós como aquele que nos levará ao Pai Criador, de retorno às moradas no Universo,

20 no ritmo crescente e contínuo da linha de nossa evolução até atingirmos a condição de Espíritos superiores, rumo à perfeição. no ritmo crescente e contínuo da linha de nossa evolução até atingirmos a condição de Espíritos superiores, rumo à perfeição.

21

22

23

24

25

26

27

28

29

30

31

32

33

34

35

36

37 Somos o que de nós fizemos, em que nos tomamos pelo que somos, Sem ter que nos inquietarmos pelo que fomos. Somos o que de nós fizemos, em que nos tomamos pelo que somos, Sem ter que nos inquietarmos pelo que fomos.

38

39 A estrada simboliza a vida espiritual da alma, e em cujo percurso somos mais ou menos felizes. A estrada simboliza a vida espiritual da alma, e em cujo percurso somos mais ou menos felizes.

40 As florestas são as existências corpóreas, em que trabalhamos para o nosso adiantamento, ao mesmo tempo que para a obra geral. As florestas são as existências corpóreas, em que trabalhamos para o nosso adiantamento, ao mesmo tempo que para a obra geral.

41 o viajor tendo chegado ao objetivo e que retorna para ajudar aqueles que vêm atrasados, o viajor tendo chegado ao objetivo e que retorna para ajudar aqueles que vêm atrasados,

42 Simboliza os anjos guardiães, os missionários de Deus, que encontram sua felicidade nesta visão, mas também na atividade que desdobram para fazerem o bem e obedecerem ao Senhor supremo. Simboliza os anjos guardiães, os missionários de Deus, que encontram sua felicidade nesta visão, mas também na atividade que desdobram para fazerem o bem e obedecerem ao Senhor supremo.

43

44 Questão 975 : Os Espíritos inferiores compreendem a felicidade do justo? Questão 975 : Os Espíritos inferiores compreendem a felicidade do justo?

45 Sim, e é isso o que os tortura, pois compreendem que estão privados dela por sua própria culpa. Sim, e é isso o que os tortura, pois compreendem que estão privados dela por sua própria culpa.

46 Questão 976 : Ver os Espíritos que sofrem não é para os bons, uma causa de aflição e, nesse caso, em que se transforma felicidade deles assim perturbada? Questão 976 : Ver os Espíritos que sofrem não é para os bons, uma causa de aflição e, nesse caso, em que se transforma felicidade deles assim perturbada?

47 Isso não é uma aflição, pois eles sabem que o mal terá um fim e ajudam os outros no seu aperfeiçoamento, estendendo- lhes a mão: essa é a sua ocupação e um gozo quando obtém êxito. Isso não é uma aflição, pois eles sabem que o mal terá um fim e ajudam os outros no seu aperfeiçoamento, estendendo- lhes a mão: essa é a sua ocupação e um gozo quando obtém êxito.

48 Questão 976 a: Concebe-se Espíritos estranhos ou indiferentes, mas a visão das dores e dos sofrimentos dos que lhe foram caros na Terra não lhes perturba a felicidade? Questão 976 a: Concebe-se Espíritos estranhos ou indiferentes, mas a visão das dores e dos sofrimentos dos que lhe foram caros na Terra não lhes perturba a felicidade?

49 Eles se afligem mais com a falta de coragem que vos atrasa do que com os sofrimentos que sabem ser passageiros. Eles se afligem mais com a falta de coragem que vos atrasa do que com os sofrimentos que sabem ser passageiros.

50 Questão 978 : Para a alma já purificada, a lembrança das faltas que, quando imperfeita, tenha cometido não lhe turba a felicidade, Questão 978 : Para a alma já purificada, a lembrança das faltas que, quando imperfeita, tenha cometido não lhe turba a felicidade,

51 porque as resgatou e saiu vitoriosa das provas a que se submeteu para esse fim. porque as resgatou e saiu vitoriosa das provas a que se submeteu para esse fim.

52 Questão 979 : Para a alma ainda maculada, as provas por que ainda tenha de passar para acabar a sua purificação lhe causa penosa apreensão. Questão 979 : Para a alma ainda maculada, as provas por que ainda tenha de passar para acabar a sua purificação lhe causa penosa apreensão.

53 Para aquela que já se elevou, porém, as provas que ainda haja de sofrer nada tem de penoso. Para aquela que já se elevou, porém, as provas que ainda haja de sofrer nada tem de penoso.

54 Questão 981 : Dentre os homens, pode ser grande a diferença sobre o modo de encarar a morte. São esses sentimentos em relação à morte que influem no estado do espírito. Questão 981 : Dentre os homens, pode ser grande a diferença sobre o modo de encarar a morte. São esses sentimentos em relação à morte que influem no estado do espírito.

55 Questão 982 : Será necessário que professemos o Espiritismo e creiamos nas manifestações espíritas, para termos assegurada a nossa sorte na vida futura? Questão 982 : Será necessário que professemos o Espiritismo e creiamos nas manifestações espíritas, para termos assegurada a nossa sorte na vida futura?

56 Comentário de Allan Kardec: A crença no Espiritismo ajuda o homem a se melhorar, firmando-lhe as idéias sobre certos pontos do futuro. Comentário de Allan Kardec: A crença no Espiritismo ajuda o homem a se melhorar, firmando-lhe as idéias sobre certos pontos do futuro.

57 Apressa o adiantamento dos indivíduos e das massas, porque faculta nos inteiremos do que seremos um dia. É um ponto de apoio, uma luz que nos guia. Apressa o adiantamento dos indivíduos e das massas, porque faculta nos inteiremos do que seremos um dia. É um ponto de apoio, uma luz que nos guia.

58 O Espiritismo ensina o homem a suportar as provas com paciência e resignação; afasta-o dos atos que possam retardar- lhe a felicidade, mas ninguém diz que, sem ele, não possa ela ser conseguida. O Espiritismo ensina o homem a suportar as provas com paciência e resignação; afasta-o dos atos que possam retardar- lhe a felicidade, mas ninguém diz que, sem ele, não possa ela ser conseguida.

59 Jesus, como missionário sublime, nos ensinou o caminho, como vencer as dificuldades e as ciladas das sombrias florestas que se ergue a cada ciclo evolutivo, Jesus, como missionário sublime, nos ensinou o caminho, como vencer as dificuldades e as ciladas das sombrias florestas que se ergue a cada ciclo evolutivo,

60 e nos enviou o Consolador, que nos faz compreender nossa destinação espiritual na conquista do aprimoramento moral através do amor, da abnegação e do devotamento. e nos enviou o Consolador, que nos faz compreender nossa destinação espiritual na conquista do aprimoramento moral através do amor, da abnegação e do devotamento.

61 Já conhecemos o roteiro... A estrada da vida se estende para todos nós através do infinito e cumpre a cada um de nós Já conhecemos o roteiro... A estrada da vida se estende para todos nós através do infinito e cumpre a cada um de nós

62 percorrê-la!... percorrê-la!...

63

64

65 Quem segue pela estrada da existência semeando a doce bênção da bondade; quem traz no coração a caridade em sua pura e divinal essência; Quem segue pela estrada da existência semeando a doce bênção da bondade; quem traz no coração a caridade em sua pura e divinal essência;

66 quem passa pela vida com clemência fiel, sempre, aos anseios da verdade; quem sabe espargir a claridade do amor, em sua nobre quintessência, quem passa pela vida com clemência fiel, sempre, aos anseios da verdade; quem sabe espargir a claridade do amor, em sua nobre quintessência,

67 será pelo Senhor o mais querido o primeiro nos céus, o escolhido entre os humildes servos de Jesus. será pelo Senhor o mais querido o primeiro nos céus, o escolhido entre os humildes servos de Jesus.

68 Sempre subindo firme e altaneiro com fé, com compreensão, amor e luz será de Cristo o doce mensageiro. Sempre subindo firme e altaneiro com fé, com compreensão, amor e luz será de Cristo o doce mensageiro.

69 Bibliografia O Livro dos Espíritos Obras Póstumas A Estrada da Vida- Lucy Dias Ramos Evangelho segundo S. João cap 14 Bibliografia O Livro dos Espíritos Obras Póstumas A Estrada da Vida- Lucy Dias Ramos Evangelho segundo S. João cap 14


Carregar ppt "Senhor, não sabemos para onde vais; como podemos saber o caminho? [João, 14:5.] Senhor, não sabemos para onde vais; como podemos saber o caminho?"

Apresentações semelhantes


Anúncios Google