A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

● IMPÉRIO ( 27 – 476 d.C.)  Alto Império  Apogeu. Otávio Augusto ( 27 a.C / 14 d.C ). Obras públicas e “ Panem et circenses ”. ( Pax Romana ).

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "● IMPÉRIO ( 27 – 476 d.C.)  Alto Império  Apogeu. Otávio Augusto ( 27 a.C / 14 d.C ). Obras públicas e “ Panem et circenses ”. ( Pax Romana )."— Transcrição da apresentação:

1 ● IMPÉRIO ( 27 – 476 d.C.)  Alto Império  Apogeu. Otávio Augusto ( 27 a.C / 14 d.C ). Obras públicas e “ Panem et circenses ”. ( Pax Romana ).

2 Crise do Império Monarquia República Império Resumo Triunviratos Cultura Fim das ConquistasCrise Escravista Dificuldade em Proteger As Fronteiras Aumento de Impostos Emissão de Dinheiro Difusão do Cristianismo Invasões Fuga para o Campo

3 Cristianismo De ilegal a oficial O cristianismo nasceu durante o reinado de Augusto, primeiramente foi a população pobre que cultuava essa religião monoteísta, reuniam-se em catacumbas, e eram perseguidos. Com o passar do tempo o cristianismo, ganhou liberdade religiosa (Edito de Milão – 313), e se tornou a religião oficial do Estado (391), transformando-se em um dos aparatos de controle social.

4 Império Reformadores Início Monarquia República Império Resumo Triunviratos Cultura Diocleciano Divisão do império em quatro Perseguiu Cristãos Constantino Capital : Bizâncio Legalizou o cristianismo (313) Teodósio Império Oriental (Constantinopla) Império Ocidental (Roma)

5 Crise Império No governo de Diocleciano, foi criada a Tetrarquia. Para melhorar a defesa das fronteiras, principalmente com a pressão dos bárbaros, o Império foi dividido em quatro partes, cada uma delas com governo próprio. Na economia, Diocleciano tentou reduzir a inflação, por meio do Edito Máximo, que consistia na criação dos preços máximos para os produtos comercializados e um limite de ganhos sobre a jornada de trabalhos

6 Constantino Em 313, Constantino assumiu o poder e restabeleceu a unidade imperial. Defensor de que a base do Império provinha das províncias do Oriente, estabeleceu, em 330, sua capital na antiga colônia grega de Bizâncio, rebatizada com o nome de Constantinopla. Além disso, ele instituiu o Edito de Milão, no qual reconheceu a religião cristã e transformou-a na religião mais importante de Roma. Ainda no século IV, os bárbaros iniciaram as invasões em busca de terras férteis. Em 378, os visigodos investiram contra o Império Romano, vencendo-o na batalha de Adrianópolis.

7 Teodósio foi o último imperador uno. Esse imperador instituiu o Edito de Tessalônica, em 330, pelo qual a religião cristã se tornava a religião oficial do Império. Por ocasião da morte de Teodósio (395), o Império foi divido em Ocidente, governado por Honório, e Oriente, governado por Arcádio, ambos filhos do Imperador.

8 A crise do Império A queda do gigante Durante o séc. III, deu-se o começo ao processo de decadência de Roma, com a extinção das conquistas, extinguiu-se também a mão de obra escrava responsável pela manutenção da economia e pela ordem social do trabalho, além disso, inúmeras revoltas escravas aconteceram, com isso a produção diminui drasticamente. A crise social na cidade de Roma acentuou-se, promovendo um processo de êxodo urbano, ou seja, a população pobre migrara para a zona rural para poder sobreviver, formando os colonatos, o Império do Ocidente se fragilizou, a administração central não conseguia mais arrecadar dinheiro para manter sua estrutura e o exército, ou seja, Roma provou do seu próprio veneno, a vasta área conquistada era o grande responsável por sua queda. Com suas bases militares enfraquecidas, facilitou-se a invasão dos povos bárbaros (não romanos), acabando de vez com a estrutura política e administrativa do Império, com isso, o gigante romano foi dividido em duas partes O Império do Ocidente e o Império do Oriente, este posteriormente veio a ser o Império Bizantino.

9 Imperadores: a.Diocleciano; b. Constantino; c. Teodósio A queda: a. Crise do escravismo b. Ruralização do império c. Corrupção e incompetência dos governantes d. Invasões bárbaras e. Cristianismo

10 Cultura e Cotidiano Romano A diferença entre pobres e ricos em outros aspectos Toda a herança de cultura material que temos dos romanos foram deixadas no período posterior as conquistas, pois, foi nesse período que o auge da cultura romana se deu, dentro dessa cultura, temos diferenças enormes entre os pobres e os ricos: a) Moradia: enquanto os ricos se beneficiavam de casas com banheiras aquecidas, aquecedores de inverno, decorações e etc., os pobres tinha que se contentar com apartamentos em prédios mal construídos semelhante aos nossos cortiços de hoje. b) Alimentação: os pobres se alimentavam basicamente de trigo, já os ricos tinham uma alimentação a base de carne e vinho gelado. c) Lazer: enquanto os ricos divertiam-se nas dezenas de termas espalhadas por Roma, sobrava para os pobres o circo. A divisão entre os gêneros também existia, aos 13 anos a mulher parava de estudar para se dedicar a vida domestica, já o homem de origem rica, era instrumentalizado para a vida militar e política.

11 A mulher na sociedade romana República: conservadorismo Espaço: ambiente doméstico Império: maior liberdade, sem participar da política Maior liberdade que a mulher do mundo grego.

12 LEGADO CULTURAL CRISTIANISMO de ameaça à ordem a religião oficial; monoteísmo e formação da Igreja Católica; resistência à crise do Império. DIREITO base da ciência jurídica no Ocidente; Jus Naturale (Direito Natural), Jus Gentium (Direito das Gentes), Jus Civile (Direito Civil). ARTES pintura e escultura: influência grega; arquitetura: luxo e grandiosidade; circos, termas, aquedutos (Fórum, Coliseu); latim: raiz do italiano, português, espanhol; letras: Virgílio (Eneida), Tito Lívio (História).

13

14 IMPÉRIO BIZANTINO 1- ORIGENS: 1.1- Cidade de origem grega 7 a.C.; colônia; estreito de Bósforo(Europa/Ásia); rotas comerciais Reformada por Constantino,em 330;

15 2- SOCIEDADE BIZANTINA: 2.1- Divisão social: A- Elite urbana e rural (latifundiários, alto clero, grandes comerciantes, donos de oficinas de artesanato, altos funcionários do Estado); B- A massa (camponeses, artesãos, pequenos comerciantes, funcionários de Estado, servos e escravos).

16 2.2- Economia: A- Grande parte da população estava no campo; B- Intensa vida comercial; ligação entre Oriente e Ocidente; mercadores russos, judeus e venezianos Organização política: A- Estado com sólida estrutura burocrática; concentração de poder nas mãos do imperador (político, militar,religiosos); B- Cesaropapismo: o imperador era ao mesmo tempo “César” e “papa”.

17 C- JUSTINIANO E O CORPUS JURIS CIVILIS

18 2.4- Religião: A- Fator de união e consolidação da estrutura social, política e cultural dos bizantinos; B- Monofisistas: afirmavam que Cristo tinha apenas natureza divina. Negando, assim, sua forma humana. C- Iconoclastas: defendiam que Deus era único e não podia ser representado, pregavam a destruição de todas as imagens. E- O Cisma do Oriente (1054): As divergências entre Roma e Constantinopla se tornaram irreversíveis e a cristandade acabou por se dividir em Igreja Ortodoxa e Igreja Apostólica Romana.

19 4- O DECLÍNIO DO IMPÉRIO BIZANTINO: 4.1- Lenta e constante perda de territórios para os cristãos ocidentais e para os muçulmanos Manutenção de laços comerciais com as cidades italianas, como Veneza As Cruzadas: contrários a uma guerra religiosa, não apoiaram a guerra contra os muçulmanos e se transformaram em alvo dos cristãos ocidentais Em 1453 caíram diante do exército turco-otomano.


Carregar ppt "● IMPÉRIO ( 27 – 476 d.C.)  Alto Império  Apogeu. Otávio Augusto ( 27 a.C / 14 d.C ). Obras públicas e “ Panem et circenses ”. ( Pax Romana )."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google