A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

RAIO X Em 1895, físico Roentgen, em uma experiência observou fluorescência num cartão pintado com platino-cianureto de bário. A fluorescência era observada.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "RAIO X Em 1895, físico Roentgen, em uma experiência observou fluorescência num cartão pintado com platino-cianureto de bário. A fluorescência era observada."— Transcrição da apresentação:

1 RAIO X Em 1895, físico Roentgen, em uma experiência observou fluorescência num cartão pintado com platino-cianureto de bário. A fluorescência era observada até com este cartão afastado a dois metros do tubo. A fluorescência não era causada pelos raios catódicos, pois estes não atravessam o vidro do tubo. Roentgen observou a seguir que o agente causador da fluorescência se originava na parede do tubo de Crookes, no ponto onde os raios catódicos encontravam essa parede. Não sabendo do que se tratava, Roentgen chamou raio X a esse agente. Conclusão: Portanto: Raios X são produzidos todas as vezes que elétrons encontram um obstáculo. Os elétrons saem do catodo, chocam-se com o alvo, e nesse choque se produz raios X.

2 Em 1896, Becquerel observou que o K 2 (UO 2 )(SO 4 ) 2 provocava o aparecimento de manchas em uma chapa fotográfica que estava envolta em papel preto. Essas emissões foram denominadas de raios Becquerel ou emissões radioativas. Em 1897, o casal Curie verificou que todos os sais de urânio apresentavam a propriedade de impressionar chapas fotográficas, conclui-se, então, que o responsável pelas emissões era o próprio urânio. Extraindo e purificando o urânio o casal verificou que as impurezas eram mais radioativas do que o próprio urânio. Polônio 400 vezes e o Rádio 900 vezes mais radioativo. RADIOATIVIDADE (reações nucleares) HISTÓRICO É a emissão espontânea do excesso de matéria e/ou energia pelo núcleo de um átomo instável, transformando-se em outro núcleo mais estável.

3 Em 1898 Rutherford realizou experiências que caracterizam a natureza das emissões provenientes de um material radioativo.

4 RADIAÇÃO SÍMBOLO CARGA MASSA (U) VELOCIDADE PODER DE PENETRAÇÃO ALFA /10 da luz baixo BETA /10 da luz Médio GAMA Da luz alto NEUTRINO 0 n da luz alto PÓSITRON 1 p da luz alto PARTÍCULAS E EMISSÕES RADIOATIVAS 0 n 1 nêutron 1 p 1 próton 0 n p n 0 Quando o núcleo emite uma partícula beta ocorre a seguinte transformação:

5 TIPOS DE REAÇÕES NUCLEARES LEIS DA RADIOATIVIDADE 1º Lei de Soddy: Quando um átomo emite uma partícula( 2 4 ), seu nº atômico (Z) diminui de 2 unidades e seu nº de massa (A) diminui de 4 unidades. 94 PU U 235 2º Lei de Soddy: Quando um átomo emite uma partícula( -1 0 ), seu nº atômico (Z) aumenta de 1 unidade e seu nº de massa (A) permanece constante. 83 Bi Po 210 Transmutação nuclear: é a conversão de um elemento químico em outro por bombardeamento de partículas aos nuclídeos. Artificiais: São induzidas em laboratórios. 7 N O p 1 (Próton) 4 Be C n 1 (nêutron) 4 Be p 1 3 Li Naturais: Ocorre naturalmente na natureza. Ex: Para transformar o 92 U 238 em 88 Ra 226 o nº de partículas e emitidas será: 92 U X Y W Z Ra 226

6 b) FISSÃO NUCLEAR: É a divisão de um núcleo atômico pesado e instável provocada por um bombardeamento de nêutrons, originando dois núcleos menores e liberando uma quantidade enorme de energia. bomba atômica reatores nucleares 0 n U U Ba Kr n 1 instável + energia

7 FUSÃO NUCLEAR: É a junção de núcleos atômicos produzindo um núcleo maior, com liberação de uma quantidade enorme de energia. 1 H H 3 2 He n 1 +3,9x10 8 Kcal/mol Obs: Essas reações ocorrem no sol, nas estrelas e na bomba H.

8 É o tempo necessário para que a metade dos núcleos radioativos se desintegre, ou seja, para que uma amostra radioativa se reduza à metade. Portanto, tempo de meia vida no gráfico é de 1620 anos. m = massa final (restantes) m 0 = massa inicial X = número de meia-vida que se passou TEMPO DE MEIA-VIDA (t 1/2 ) OU PERÍODO DE SEMIDESINTEGRAÇÃO (P)

9 Ex: Uma substância radiativa tem meia-vida de 8h. Partindo de 100 g do material radiativo, que massa da substância radiativa restará após 32h? 100g 50g 25g 12,5g 6,25g 8h Resp: 6,25g Carbono-14 Quando o ser vivo morre inicia-se uma diminuição da quantidade de carbono-14 (meia-vida de 5730 anos) devido a sua desintegração radiativa. Todos os animais e vegetais possuem cerca de 10ppb de C14 quando vivo. 6 C 14 7 N o Portanto, se um fóssil apresentar teor de C-14 de 2,5 ppb, significa que desde a morte completou-se duas meias-vidas, ou seja, o fóssil tem aproximadamente anos.


Carregar ppt "RAIO X Em 1895, físico Roentgen, em uma experiência observou fluorescência num cartão pintado com platino-cianureto de bário. A fluorescência era observada."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google