A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Acidente em Tanques Jamille Lopes da Rocha Tatiana Vilarinho Franco.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Acidente em Tanques Jamille Lopes da Rocha Tatiana Vilarinho Franco."— Transcrição da apresentação:

1 Acidente em Tanques Jamille Lopes da Rocha Tatiana Vilarinho Franco

2 2 Introdução Os graves acidentes, com grandes repercussões, mostram os sucessivos erros de avaliação como causas primárias. A partir de diversos estudos sobre os incidentes e acidentes industriais, torna-se evidente a participação do indivíduo nas chamadas causas raízes. Ao se afirmar que um acidente não é resultante de uma única causa, fica evidente a existência de

3 3 um fator humano envolvido. Com o avanço da tecnologia aplicada na operação das unidades de processo, muito se tem feito para reduzir a participação do homem diretamente no controle das operações e em situações de emergência. Contudo, todo este desenvolvimento, implantação e manutenção, ainda ficarão dependentes de tarefas humanas por algum tempo, e de alguma forma, outros modos de falha ainda poderão existir.

4 4 Aspectos Abordados 1. Transbordamento 1.1. Alarmes e trips favorecem o transbordamento 1.2. Transbordamento devido à mudança de função 1.3. Transbordamento por gravidade 2. Sobrepressão 2.1. Sobrepressão com líquido 2.2. Sobrepressão com gás

5 5 3. Colapso 4. Explosões 4.1. Explosão típica de um tanque 5.Tanques de teto flutuante 5.1. Teto flutuante afundado 5.2. Teto flutuante interno

6 6 6. Incidentes diversos 6.1. Elevação de um tanque do nível do solo 6.2. Ruptura por corrosão 6.3. Selagem com nitrogênio 7. Tanques de plástico reforçado

7 7 1. Transbordamento A maioria dos enchimentos excessivos são causados por: displicência do operador, manobra errada de válvulas, instrumentos de níveis.

8 8 Alarmes e trips favorecem o transbordamento A instalação de trips de nível alto, geralmente propicia a displicência do operador, o qual anteriormente acompanhava todo o enchimento do tanque e, agora, tem a possibilidade de executar outras funções até que o alarme soe. Para sanar este problema pode-se instalar dois trips: um atuando como controlador do processo (ou alarme), e outro como reserva deste.

9 9 Transbordamento devido à mudança de função Quando se trabalha em processos batelada, o transbordamento de tanques pode ocorrer pelo fato de se estocar, temporariamente, substâncias de densidades diferentes, pois alguns indicadores de nível medem peso (indicador de nível por célula diferencial DP cell) e não o volume do fluido.

10 10 Transbordamento por gravidade É comum a utilização da transferência de fluido entre tanques apenas pela gravidade, sendo que o transbordamento pode ocorrer quando: a)a transferência for de um tanque maior para um tanque menor; b) Quando os tanques estiverem localizados com grande distância um do outro, e existir algum desnível do terreno.

11 11 2. Sobrepressão Os tanques de estocagem são projetados de forma a suportarem uma determinada pressão que, em geral, é de 20 cm de coluna dágua (0,02Kg/cm 2 M) e se romperem a uma pressão 3 vezes maior. Na maioria dos tanques de estocagem o rompimento dar-se-á na costura teto/costado, pois já foram projetados para se evitar o derramamento.

12 12 Rompimento de um tanque na parte superior teto/costado, arrancado por ar comprimido.

13 13 Um tanque pode ser pressurizado se os vents ou ladrões estiverem instalados 20cm acima das paredes (a). Instalação correta (b).

14 14 Possibilidade de pressurização por causa de defeitos em controladores de nível.

15 15 3. Colapso A maioria dos colapsos em tanques ocorrem devido ao dimensionamento dos vents (insuficientes) e se estes estão funcionando normalmente. Alguns casos ocorridos: Quando se vaporiza um tanque, deve-se sempre deixar uma boca-de-visita aberta (de 25cm a 50cm de diâmetro);

16 16 Vents equipados com quebra-chamas que não são limpos freqüentemente, podem entupir; Líquido frio foi admitido em um tanque contendo líquido quente – choque térmico – Uma bomba muito grande (mau dimensionamento) foi ligada a um tanque e retirava volume de líquido acima do que podia ser compensado pela admissão de ar pelo vent;

17 17 Tanque não equipado com vent, com ladrão descarregando ao nível do solo pode colapsar o tanque. Um tanque tinha um ladrão que descia até o nível do solo. Não havia outro vent, o tanque encheu demais, e o ladrão sinfonou seu conteúdo;

18 18 Um vent estava quase bloqueado por polímero. No tanque havia inibidor para impedir a polimerização, mas os calores que se condensavam no topo não estavam inibidos. Vent praticamente bloqueado por polímero.

19 19 4. Explosões Explosões na câmara de vapor de tanques com teto fixo são numerosas pelo fato de haver a formação de misturas explosivas no espaço de vapor de muitos tanques de estocagem. É notória a dificuldade de assegurar que uma fonte de ignição não se ativará, principalmente quando as cargas elétricas estáticas podem se acumular na massa líquida.

20 20 Por isso, algumas indústrias optam por selar tanques de estocagem com teto fixo (de hidrocarbonetos) com nitrogênio, outras optam por tanques com teto flutuante. Estes itens serão discutidos posteriormente.

21 21 Explosão típica de um tanque As explosões típicas ocorrem em tanques de teto fixo que possuem misturas explosivas.

22 22 Algumas maneiras de se prevenir explosões: 1) Usar selagem com inerte (geralmente nitrogênio) ou tanques com teto flutuante; 2) Aterramento de equipamentos, meios de transportes; 3) Averiguar possíveis fontes de ignição; 4) Usar aditivos antiestáticos, os quais aumentam a condutividade do líquido e facilitam a descarga a terra (desde que o equipamento esteja aterrado);

23 23 5) Minimizar a formação de cargas estáticas, mantendo baixas vazões (menos de 3m/s para líquidos puros e menos e de 1m/s se houver presença de água) e evitar respingos e turbilhonamento durante o enchimento; 6) Filtros e outras restrições ao fluxo devem ser seguidos por trechos longos de tubulações retas para permitir o descarregamento elétrico.

24 24 5.Tanques de teto flutuante Caso: Teto flutuante afundado Tomada de água para apenas escorvar a mangueira.

25 25 Caso: Teto flutuante interno Teto flutuante interno escorou-se e o nível do líquido diminuiu.

26 26 6. Incidentes diversos Elevação de tanques do solo causada pelo acúmulo de água nas escavações e pela falha de bombas utilizadas para retirar a água; Ruptura por corrosão: falha na inspeção regular e no local do isolamento; Selagem com nitrogênio: falha no programa regular de inspeção e de teste (no mínimo semanalmente).

27 27 7. Tanques de plástico reforçado São construídos em plásticos reforçados com fibras de vidro e vêm ganhando espaço nas indústrias, porém com falhas que podem ser prevenidas observando: Se o equipamento está adequado às condições de trabalho; Se o serviço de inspeção está correto; E, principalmente, conhecer as limitações do material.

28 28 Referências Bibliográficas.O que houve de errado?. capítulo 5


Carregar ppt "Acidente em Tanques Jamille Lopes da Rocha Tatiana Vilarinho Franco."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google