A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

1 UM MODELO DE EXTRAÇÃO DE PROPRIEDADES DE TEXTOS USANDO PENSAMENTO NARRATIVO E PARADIGMÁTICO Ana Teresa Contier Prof. Dr. Marcio Lobo Netto Escola Politécnica-USP.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "1 UM MODELO DE EXTRAÇÃO DE PROPRIEDADES DE TEXTOS USANDO PENSAMENTO NARRATIVO E PARADIGMÁTICO Ana Teresa Contier Prof. Dr. Marcio Lobo Netto Escola Politécnica-USP."— Transcrição da apresentação:

1 1 UM MODELO DE EXTRAÇÃO DE PROPRIEDADES DE TEXTOS USANDO PENSAMENTO NARRATIVO E PARADIGMÁTICO Ana Teresa Contier Prof. Dr. Marcio Lobo Netto Escola Politécnica-USP Dissertação de Mestrado- 2007

2 2 Agenda Ciência Cognitiva: inspiração teórica para o desenvolvimento de software Objetivos Conceitos fundamentais – pensamento narrativo, paradigmático e gêneros do discurso Aplicação dos conceitos reavaliados no software Aristóteles Implementação Resultados Considerações finais Trabalhos futuros

3 3 Ciência Cognitiva: inspiração teórica para o desenvolvimento de software O que é o pensamento? 1.Organiza dados em categorias; 2.É expresso por signos; 3.Estabelece conexões semânticas entre os signos. Pensamento lingüístico: 1.Voz interna; 2. Expresso por narrativa e por sentenças lógicas.

4 4 Objetivos Analisar e ampliar as definições de pensamento paradigmático e narrativo feitas por Bruner (1986); Mostrar como o pensamento narrativo e o paradigmático atuam de forma conjunta; Criar o software Aristóteles em que proposições sejam extraídas de narrativas.

5 5 Pensamento Paradigmático conforme Bruner Base da definição: Ciências Exatas; Busca a verdade universal; Convence o interlocutor fornecendo provas empíricas; Segue a causalidade (se x, então y); Forma proposições; Regido pela consistência Preenche um ideal de um sistema formal e matemático de descrição e explicação. Ele emprega a categorização ou a conceituação;

6 6 Pensamento narrativo conforme Bruner Base da definição: Teoria Literária; Busca a verossimilhança; Apresenta condições prováveis entre dois eventos; Transgride a consistência podendo ser contraditório; Busca a abstração, transcende o particular; Existência de gatilho para mudança de um plano para o outro. Construção de mundos possíveis

7 7 Gênero conforme Bakhtin Adquirido durante comunicação verbal Padrões de discurso Reflete na construção do pensamento

8 8 Comparação entre os conceitos de Bruner e os aplicados em Aristóteles Conceitoem BrunerEm Aristóteles Pensamento NarrativoNão há uma definição precisa. Pensamento lingüístico expresso na forma de narrativa. NarrativaLiterária.Cotidiana (interação/reflexo sócio- cultural do homem no seu dia-a-dia) GêneroPadrões encontrados texto/discurso. É internalizado conforme acontece a interação social. Mesma definição de Bruner.

9 9 Comparação entre os conceitos de Bruner e os aplicados em Aristóteles Conceitoem BrunerEm Aristóteles Pensamento Paradigmático Não há uma definição precisa. Características levantadas transpostas do campo das ciências exatas. Pensamento lingüístico expresso por proposições ProposiçãoSentença lógica.Conclusão expressa por uma sentença bem construída.

10 10 Aristóteles: implementação Classifica narrativas em dois gêneros: policial e romântico. Extrai proposições das narrativas. Escrito em Java Inspirado em Inteligência Artificial Simbólica (IAS) Simplificação de Sistema Especialista Simbólico (SES)

11 11 Aristóteles: implementação Serão admitidas somente orações simples: SUJEITO + VERBO + OBJETOS + ADVÉRBIO DE TEMPO + ADVÉRBIO DE ESPAÇO. Histórias são narradas em 3ª pessoa. As personagens são observadas pelo narrador, ou seja, o usuário do programa.

12 12 Aristóteles: interface SujeitoVerboObjeto1Objeto2 Advérbio de tempo Advérbio de espaço Narrativa digitada Contador de gênero Proposições aparecem neste campo

13 13 Aristóteles: Implementação Gramática de entrada Sujeito : quem faz a ação. Na narrativa se for nome próprio exerce o papel de personagem. Verbo: indica a ação da narrativa. Aceita somente verbo no infinitivo. Objetos 1 e 2: complemento do verbo. Na narrativa, se for nome próprio representa o personagem.

14 14 Aristóteles: Implementação Gramática de entrada Advérbio de tempo: quando a ação ocorre. Representa o tempo da narrativa. Aceita somente a forma dd/mm/yyyy. Advérbio de lugar: onde ocorreu a ação. Representa o cenário da narrativa.

15 15 Como usar Aristóteles Juliana | estar | assustada | | 7/11/2001 | Juliana | ouvir | tiros | | 7/11/2001 | na sala Juliana | ligar | para polícia | | 7/11/2001 | A luz | ser | cortada | | 7/11/2001 | Juliana | não completar | a ligação | | 7/11/2001 | Juliana | pegar | lanterna | | 7/11/2001 | Juliana | ver |dois corpos | | 7/11/2001 | na sala Juliana | ver | vulto | | 7/11/2001 | no sótão Ricardo | ter | arma | | 7/11/2001 | Juliana | correr | | | 7/11/2001 |

16 16 Como usar Aristóteles Juliana | estar | assustada | | 7/11/2001 | Juliana | ouvir | tiros | | 7/11/2001 | na sala Juliana | ligar | para polícia | | 7/11/2001 | A luz | ser | cortada | | 7/11/2001 | Juliana | não completar | a ligação | | 7/11/2001 | Juliana | pegar | lanterna | | 7/11/2001 | Juliana | ver |dois corpos | | 7/11/2001 | na sala Juliana | ver | vulto | | 7/11/2001 | no sótão Ricardo | ter | arma | | 7/11/2001 | Juliana | correr | | | 7/11/2001 | Ricardo | atirar | | | 7/11/2001 | Juliana | estar | | ensangüentada | 7/11/2001| Juliana | morrer | | | 7/11/2001 | Assassino é ricardo.

17 17 Aristóteles: Implementação Arquitetura do Programa PensamentoNarrativo (lista sentenças narrativas ) SentencaNarrativa (sujeito,verbo,objetos,advérbios) Categoria (regras de sintaxe e parsing) Conceito (palavras) Nome (nomes femininos/ masculinos) SujeitoVerboObjetosTempoLugar

18 18 Aristóteles: Implementação Arquitetura do Programa Genero classe pai abstrata (classe pai abstrata) Romantico (algoritmos de reconhecimento) Policial (algoritmos de reconhecimento) Peso (pesos associados às palavras) AdministradorGenero (armazena os gêneros) AssociacaoNota (notas associadas às sentenças)

19 19 Aristóteles: Implementação Arquitetura do Programa - Gênero Simplificação de Sistema Especialista Simbolista. Define se a narrativa pertence ao gênero policial ou romântico. Faz a pergunta correspondente ao gênero classificado: Romântico: o mocinho conquista o amor da mocinha? Policial: quem é o assassino? Busca a resposta.

20 20 Aristóteles: para definir o gênero Consulta de um dicionário com palavras-chave de cada gênero. Estas palavras possuem um valor correspondente. Aquele gênero que possuir maior valor absoluto é o gênero escolhido. Pontuação: 0 = muito pouco provável 1 = pouco provável 3 = provável 5 = muito provável

21 21 Aristóteles: para definir o gênero Palavras-chaveRomânticoPolicial arma15 rosa30 carta53 apaixonar53

22 22 Aristóteles: gênero policial Para descobrir o morto Localizar nomes próprios que estejam associados às seguintes orações: Ser (mort, esfaquead,envenenad, ensanguentad); Estar (mort, esfaquead,envenenad, ensanguentad); Morrer; Receber tiro.

23 23 Aristóteles: gênero policial Juliana | estar | assustada | | 7/11/2001 | Juliana | ouvir | tiros | | 7/11/2001 | na sala Juliana | ligar | para polícia | | 7/11/2001 | A luz | ser | cortada | | 7/11/2001 | Juliana | não completar | a ligação | | 7/11/2001 | Juliana | pegar | lanterna | | 7/11/2001 | Juliana | ver |dois corpos | | 7/11/2001 | na sala Juliana | ver | vulto | | 7/11/2001 | no sótão Ricardo | ter | arma | | 7/11/2001 | Juliana | correr | | | 7/11/2001 | Ricardo | atirar | | | 7/11/2001 | Juliana | estar | | ensangüentada | 7/11/2001 | Juliana | morrer | | | 7/11/2001 |

24 24 Aristóteles: gênero policial Para descobrir quem é o assassino Localizar nomes próprios que estejam relacionados às orações do diário. Somar os valores referentes à sentença. Aquele(a) que tiver maior pontuação é o assassino(a).

25 25 Aristóteles: gênero policial Cada sentença possui um valor 1, 3 ou 5. Exemplos: Possuir arma; faca; revólver – 1 Pesquisar (química; medicina; biologia) – 1 Não gostar do morto - 3 Desejar (herança, esposa, marido, imóvel, imóveis, bens, ações, dinheiro, fortuna do morto) – 3 Possuir (digitais, arma, copo, faca) – 5 Ser encontrado/a (sangue, mancha de sangue) - 5

26 26 Aristóteles: gênero policial Juliana | estar | assustada | | 7/11/2001 | Juliana | ouvir | tiros | | 7/11/2001 | na sala Juliana | ligar | para polícia | | 7/11/2001 | A luz | ser | cortada | | 7/11/2001 | Juliana | não completar | a ligação | | 7/11/2001 | Juliana | pegar | lanterna | | 7/11/2001 | Juliana | ver |dois corpos | | 7/11/2001 | na sala Juliana | ver | vulto | | 7/11/2001 | no sótão Ricardo | ter | arma | | 7/11/2001 | Juliana | correr | | | 7/11/2001 | Ricardo | atirar | | | 7/11/2001 | Juliana | estar | | ensangüentada | 7/11/2001 | Juliana | morrer | | | 7/11/2001 | Assassino é ricardo.

27 27 Aristóteles: gênero romântico Para descobrir quem é a mocinha: Procurar nomes femininos nos campos sujeito e objetos. Verificar se a ação relacionada ao nome se encontra no diário. Dar o valor correspondente para o nome encontrado. Aquela que tiver maior valor absoluto é o mocinha.

28 28 Aristóteles: gênero romântico As sentenças relacionadas à mocinha possuem uma nota que pode ser 1, 3 ou 5. Exemplos: (ser/estar) apaixonada - 3 Amar - 5 Dar presente - 1

29 29 Aristóteles: gênero romântico Paula | ser | amiga | Fabiana | 14/10/2000 | Fabiana | gostar | Caio | | 14/10/2000 | Paula | conhecer | Fabiana | | 7/7/1990 | Caio| beijar | Fabiana | | 10/12/1995 | Fabiana | estar | apaixonada | Caio | 11/02/1999 | Caio | trair | Fabiana | | 14/10/2000 | no parque Paula | ver | traição | Caio | 14/10/2000 | no parque Paula | contar | Fabiana | | 15/10/2000 | na casa Fabiana | chorar | | | 15/10/2000 | na casa Fabiana Fabiana | brigar | Caio | | 17/10/2000 | restaurante Caio | mentir | Fabiana | | 17/10/2000 | restaurante Fabiana | perder | confiança |Caio | 17/10/2000 | restaurante

30 30 Aristóteles: gênero romântico Para descobrir quem é o mocinho: Procurar nomes masculinos nos campos sujeito e objetos. Verificar se a ação relacionada ao nome se encontra no diário. Dar o valor correspondente para o nome encontrado Aquele que tiver maior valor absoluto é o mocinho.

31 31 Aristóteles: gênero romântico As sentenças relacionadas ao mocinho possuem uma nota que pode ser 1, 3 ou 5. Exemplos: Beijar - 3 Lutar - 5 Dar presente - 1

32 32 Aristóteles: gênero romântico Paula | ser | amiga | Fabiana | 14/10/2000 | Fabiana | gostar | Caio | | 14/10/2000 | Paula | conhecer | Fabiana | | 7/7/1990 | Caio| beijar | Fabiana | | 10/12/1995 | Fabiana | estar | apaixonada | Caio | 11/02/1999 | Caio | trair | Fabiana | | 14/10/2000 | no parque Paula | ver | traição | Caio | 14/10/2000 | no parque Paula | contar | Fabiana | | 15/10/2000 | na casa Fabiana | chorar | | | 15/10/2000 | na casa Fabiana Fabiana | brigar | Caio | | 17/10/2000 | restaurante Caio | mentir | Fabiana | | 17/10/2000 | restaurante Fabiana | perder | confiança |Caio | 17/10/2000 | restaurante

33 33 Aristóteles: gênero romântico Para saber se o mocinho conquista ou não a mocinha Buscar sentenças do diário relacionadas ao mocinho. Somar os pontos, se a soma for positiva, o mocinho conquista a mocinha; se a soma for negativa, o mocinho não conquista a mocinha.

34 34 Aristóteles: gênero romântico As notas podem ser: 1, -1, 3, -3 ou 5, -5. Exemplos: Ser perdoado: 5 Contar mentira(s): (-3) Amar: 5 Trair: (-5)

35 35 Aristóteles: gênero romântico Paula | ser | amiga | Fabiana | 14/10/2000 | Fabiana | gostar | Caio | | 14/10/2000 | Paula | conhecer | Fabiana | | 7/7/1990 | Caio| beijar | Fabiana | | 10/12/1995 | Fabiana | estar | apaixonada | Caio | 11/02/1999 | Caio | trair | Fabiana | | 14/10/2000 | no parque Paula | ver | traição | Caio | 14/10/2000 | no parque Paula | contar | Fabiana | | 15/10/2000 | na casa Fabiana | chorar | | | 15/10/2000 | na casa Fabiana Fabiana | brigar | Caio | | 17/10/2000 | restaurante Caio | mentir | Fabiana | | 17/10/2000 | restaurante Fabiana | perder | confiança |Caio | 17/10/2000 | restaurante caio não conquista amor de fabiana.

36 36 Aristóteles: suas ações Assim os dados de entrada formam sentenças e seu conjunto representa o Pensamento Narrativo. A narrativa criada será classificada em policial ou romântica de acordo com suas características. A saída do programa é uma proposição (pensamento paradigmático) que responde a uma pergunta típica do gênero determinado.

37 37 Aristóteles: saída - pensamento paradigmático Respostas dadas às perguntas pré-definidas pelo gênero ao qual pertence à narrativa. Para o gênero romântico estas são as possíveis respostas: (nome do mocinho) conquista o amor de (nome da mocinha); ou (nome do mocinho) não conquista o amor de (nome da mocinha); ou Não foi possível encontrar o mocinho; ou Não foi possível encontrar a mocinha.

38 38 Aristóteles: saída - pensamento paradigmático Para o gênero policial estas são as possíveis respostas: O assassino é (nome do assassino); ou Não foi possível encontrar o assassino.

39 39 Aristóteles: resultados e considerações finais Testadas 10 narrativas É possível criar narrativas coerentes a partir de uma gramática de entrada muito simples; A classificação do gênero e as proposições encontradas foram adequadas. As informações da interface gráfica estão bem claras, garantindo que o usuário não tenha dificuldade em usá-la. O usuário, se desejar, pode usar o Test Run. O usuário pode modificar os pesos, acrescentar palavras ao dicionário e orações ao diário. Usando uma base lógica muito simples, pode-se extrair proposições a partir de narrativas.

40 40 Trabalhos futuros Fazer o levantamento de outros gêneros que pertençam ao discurso do cotidiano e sejam expressos em forma de narrativa. E a partir disto estabelecer quais são as questões essenciais a tais gêneros, assim como, o formato das respostas. Inserir na classe gênero um sistema de aprendizado para que seja possível a criação de novas regras e a exclusão das antigas. Permitir que sejam criados pelo próprio sistema sub-gêneros, ou gêneros híbridos. Aceitar períodos compostos e reconhecer as diversas flexões dos verbos. Criar história em primeira pessoa.


Carregar ppt "1 UM MODELO DE EXTRAÇÃO DE PROPRIEDADES DE TEXTOS USANDO PENSAMENTO NARRATIVO E PARADIGMÁTICO Ana Teresa Contier Prof. Dr. Marcio Lobo Netto Escola Politécnica-USP."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google