A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

INSTALAÇÕES ELÉTRICAS Capítulo 3 – Parte 5 Cálculo da carga instalada e da demanda 2.° semestre de 2005 Mauro Moura Severino.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "INSTALAÇÕES ELÉTRICAS Capítulo 3 – Parte 5 Cálculo da carga instalada e da demanda 2.° semestre de 2005 Mauro Moura Severino."— Transcrição da apresentação:

1 INSTALAÇÕES ELÉTRICAS Capítulo 3 – Parte 5 Cálculo da carga instalada e da demanda 2.° semestre de 2005 Mauro Moura Severino

2 Instalações elétricas Prof. Mauro Moura Severino2 Prescrições da CEB NTD 6.01 / 1997: unidades consumidoras coletivas NTD 6.01 / 2003: unidades consumidoras individuais Cálculo da carga instalada e da demanda

3 Instalações elétricas Prof. Mauro Moura Severino3 NTD 6.01 / 1997: unidades consumidoras coletivas unidades coletivas não-residenciais unidades coletivas residenciais unidades coletivas de uso misto Cálculo da carga instalada e da demanda

4 Instalações elétricas Prof. Mauro Moura Severino4 Determinação da demanda para unidades coletivas não-residenciais D = a + b + c + d a = demanda, em kVA, das potências para iluminação (inclusive perdas dos reatores) e tomadas (tab. 1 e 2); Cálculo da carga instalada e da demanda

5 Instalações elétricas Prof. Mauro Moura Severino5

6 Instalações elétricas Prof. Mauro Moura Severino6

7 Instalações elétricas Prof. Mauro Moura Severino7 Determinação da demanda para unidades coletivas não-residenciais D = a + b + c + d b = demanda, em kVA, de todos os aparelhos de aquecimento e condicionamento de ar: chuveiros, aquecedores, fornos, fogões, AAC individuais etc. (tab. 3 e 4); Cálculo da carga instalada e da demanda

8 Instalações elétricas Prof. Mauro Moura Severino8

9 Instalações elétricas Prof. Mauro Moura Severino9

10 Instalações elétricas Prof. Mauro Moura Severino10 Determinação da demanda para unidades coletivas não-residenciais D = a + b + c + d c = demanda, em kVA, dos motores e máquinas de solda do tipo motor-gerador (tab. 5, 6, 7 e 8); Cálculo da carga instalada e da demanda

11 Instalações elétricas Prof. Mauro Moura Severino11

12 Instalações elétricas Prof. Mauro Moura Severino12

13 Instalações elétricas Prof. Mauro Moura Severino13

14 Instalações elétricas Prof. Mauro Moura Severino14

15 Instalações elétricas Prof. Mauro Moura Severino15 d = demanda, em kVA, das máquinas de solda a transformador e aparelhos de raios-X, conforme se segue: 100% da potência, em kVA, da maior máquina de solda somada a 100% da potência do maior aparelho de raios-X; mais 70% da potência, em kVA, da segunda maior máquina de solda somada a 70% da potência do segundo maior aparelho de raios-X; mais 50% da potência, em kVA, da terceira maior máquina de solda somada a 50% da potência do terceiro maior aparelho de raios-X; mais 30% da potência, em kVA, de cada uma das demais máquinas de solda e aparelhos de raios-X. Cálculo da carga instalada e da demanda

16 Instalações elétricas Prof. Mauro Moura Severino16 Determinação da carga instalada: Os aparelhos com previsão de instalação devem entrar no cálculo. Não devem ser incluídos no cálculo aparelhos de reserva (ex.: motor de bomba de água de reserva). Quando o consumidor dispuser de dados de placa dos equipamentos, devem ser desconsiderados os valores tabelados nesta NTD (tab. 9). Cálculo da carga instalada e da demanda

17 Instalações elétricas Prof. Mauro Moura Severino17

18 Instalações elétricas Prof. Mauro Moura Severino18 Determinação da demanda para unidades coletivas residenciais (conforme RTD – 27 do CODI) D T = D 1 + D 2 (kVA) D 1 = (1,2 x f x a) = demanda, em kVA, dos apartamentos residenciais, em que: a = demanda por apartamento em função da área útil (tab. 10); f = fator de diversificação de carga em função do número de apartamentos (tab. 11); o fator 1,2 fica a critério do projetista, em função das características de cargas específicas de cada edifício, uma vez que o cálculo da demanda é de sua inteira responsabilidade. Cálculo da carga instalada e da demanda

19 Instalações elétricas Prof. Mauro Moura Severino19

20 Instalações elétricas Prof. Mauro Moura Severino20

21 Instalações elétricas Prof. Mauro Moura Severino21 Para o cálculo da demanda total dos edifícios, deve ser feito tratamento independente da demanda correspondente aos apartamentos e da demanda do condomínio, sendo a demanda total determinada pela soma dessas duas demandas. Cálculo da carga instalada e da demanda

22 Instalações elétricas Prof. Mauro Moura Severino22

23 Instalações elétricas Prof. Mauro Moura Severino23 Determinação da demanda para unidades coletivas residenciais D T = D 1 + D 2 (kVA) D 2 = demanda, em kVA, do condomínio, a ser calculada pelos seguintes critérios: Cálculo da carga instalada e da demanda

24 Instalações elétricas Prof. Mauro Moura Severino24

25 Instalações elétricas Prof. Mauro Moura Severino25 Exemplo 1: Edifício com 30 apartamentos de área útil de 130 m 2, com as seguintes cargas do condomínio: 2 elevadores de 10 cv; 2 bombas de 5 cv (1 de reserva); cargas de iluminação: 15 kW; cargas de tomada: 5 kW. Cálculo da carga instalada e da demanda

26 Instalações elétricas Prof. Mauro Moura Severino26 Exemplo 1: Resolução A) Determinação da demanda dos apartamentos a = 2,73 kVA/apartamento (tab. 10) f = 23,48 (tab.11) D 1 = 1,2 x 2,73 x 23,48 = 76,92 kVA Cálculo da carga instalada e da demanda

27 Instalações elétricas Prof. Mauro Moura Severino27 B) Determinação da demanda do condomínio iluminação = 15 kW => 15/0,9 = 16,67 kVA 100% de 10 kVA = 10 kVA 25% de 6,67 kVA = 1,67 kVA total = 11,67 kVA tomadas 20% de 5 kW = 1 kW total = 1 kW/0,9 = 1,11 kVA Cálculo da carga instalada e da demanda

28 Instalações elétricas Prof. Mauro Moura Severino28 B) Determinação da demanda do condomínio elevadores 2 x 9,13 x 0,852 = 15,56 kVA (tab. 5, 6 e 7) bombas 1 x 5,09 = 5,09 kVA D 2 = 11,67 + 1, ,56 + 5,09 = 33,43 kVA Cálculo da carga instalada e da demanda

29 Instalações elétricas Prof. Mauro Moura Severino29 C) Determinação da demanda do edifício D T = D 1 + D 2 D T = 76, ,43 = 110,35 kVA Cálculo da carga instalada e da demanda

30 Instalações elétricas Prof. Mauro Moura Severino30

31 Instalações elétricas Prof. Mauro Moura Severino31 Determinação da demanda para unidades coletivas de uso misto A determinação da demanda da parte residencial e do condomínio existentes nestas edificações deve seguir o cálculo mostrado para as unidades coletivas residenciais. A determinação da demanda das outras unidades consumidoras coletivas não-residenciais existentes nestas edificações deve seguir o cálculo mostrado para as unidades individuais. Cálculo da carga instalada e da demanda

32 Instalações elétricas Prof. Mauro Moura Severino32 Exemplo 2: Edifício com 20 apartamentos de área útil de 150 m 2, condomínio e 6 lojas comerciais no térreo, com as seguintes cargas: cargas do condomínio: 2 elevadores de 7,5 cv; 2 bombas de 5 cv (1 reserva); cargas de iluminação: 28 kW; cargas de tomada: 8 kW. cargas das lojas: IT = W; 1 chuveiro de W; 1 AAC de W. Cálculo da carga instalada e da demanda


Carregar ppt "INSTALAÇÕES ELÉTRICAS Capítulo 3 – Parte 5 Cálculo da carga instalada e da demanda 2.° semestre de 2005 Mauro Moura Severino."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google