A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

USO DE DROGAS E IDOSOS EDSON SHIGUEMI HIRATA. 80% 160% 280% 0% 50% 100% 150% 200% 250% 300% Pop. geral (mundial) Pop.>60 anos (mundial) Pop.>60 anos (Brasil)

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "USO DE DROGAS E IDOSOS EDSON SHIGUEMI HIRATA. 80% 160% 280% 0% 50% 100% 150% 200% 250% 300% Pop. geral (mundial) Pop.>60 anos (mundial) Pop.>60 anos (Brasil)"— Transcrição da apresentação:

1 USO DE DROGAS E IDOSOS EDSON SHIGUEMI HIRATA

2 80% 160% 280% 0% 50% 100% 150% 200% 250% 300% Pop. geral (mundial) Pop.>60 anos (mundial) Pop.>60 anos (Brasil) ESTIMATIVA DE CRESCIMENTO DA POPULAÇÃO IDOSA (PERÍODO 1980 A 2020)

3 Estimativa de crescimento da população idosa brasileira

4 Ex.: maconha, cocaína, etc. Ex.: drogas de prescrição, álcool, etc. DROGAS - CLASSIFICAÇÃO Drogas ilícitas Drogas lícitas

5 Uso de drogas ilícitas ao longo da vida 1,6% Abuso / Dependência de drogas ilícitas 0,08% Anthony et al., 1991 DROGAS ILÍCITAS E IDOSOS

6 25% do consumo de toda a medicação DROGAS DE PRESCRIÇÃO E IDOSOS 25% usa psicotrópicos População idosa dos EUA: 11% 17% abusa de drogas de prescrição

7 PREVALÊNCIA DE ALCOOLISMO EM IDOSOS NA POPULAÇÃO GERAL Autor (es) Tamanho da amostraamostra InstrumentosInstrumentosResultadosResultados Barnes, USAUSA n=237n=237 idade >60 anos Nível de consumoconsumo 7% bebedor excessivo Bridgewater et al., UK n=101n=101 idade >60 anos CAGECAGE 23% alcoolismo (H.) 11% alcoolismo (M.) Helzer et al., USA n=5723n=5723 idade >65 anos DISDIS 14% alcoolismo (H.) (3% ativo) 1,5% alcoolismo (M.) (0,5%ativo) Almeida.F. et al.,1984. BR n=139n=139 idade >55 anos QMPAQMPA 3,6% alcoolismo

8 PREVALÊNCIA DE ALCOOLISMO EM IDOSOS EM HOSPITAL GERAL Autor (es) População estudada InstrumentosInstrumentosResultadosResultados Buchsbaum et al.,1992 Buchsbaum n=323 idade >60 anos Ambulatório - Clínica Médica Virginia-EUAVirginia-EUA DISDIS Adams et al.,1992 Adams n=205 idade >65 anos Enfermaria - Emergência Carolina do Norte-EUA CAGECAGE Bristow;Clare,1992Bristow;Clare,1992 n=650 idade >65 anos Enfermaria - Geriatria Londres-RULondres-RU Nível de consumo consumo Adams et al., 1996 Adams n=5065 idade >60 anos Centros de cuidados primários.Wisconsin-EUAprimários.Wisconsin-EUA Nível de consumo consumo Ambulatório - Geriatria São Paulo-BR Hirata et al., 1997 Hirata n=304 idade >60 anos MASTMAST 33% abuso / dependência / problemas com álcool (6% ativo). 24% alcoolismo (14% ativo) 19% bebedor excessivo (H) (9% ativo) 2% bebedor excessivo (M) (0% ativo) 15%bebedor excessivo(H) 12%bebedor excessivo(M) 15,1% alcoolismo (4,3% ativo)

9 Alcoolismo no idoso sintomas inespecíficos Quedas, diarréia, queda do estado geral Quedas, diarréia, queda do estado geral Desnutrição, insônia, esquecimento Desnutrição, insônia, esquecimento Delirium, demência Delirium, demência Depressão Depressão Descompensação freqüente de doença somática Descompensação freqüente de doença somática Não aderência a tratamento clínico Não aderência a tratamento clínico Quedas, diarréia, queda do estado geral Quedas, diarréia, queda do estado geral Desnutrição, insônia, esquecimento Desnutrição, insônia, esquecimento Delirium, demência Delirium, demência Depressão Depressão Descompensação freqüente de doença somática Descompensação freqüente de doença somática Não aderência a tratamento clínico Não aderência a tratamento clínico

10 Alcoolismo no idoso características clínicas Proporção entre homens e mulheres é baixa Proporção entre homens e mulheres é baixa História familiar de alcoolismo menos freqüente História familiar de alcoolismo menos freqüente Ocorrência freqüente de eventos estressantes Ocorrência freqüente de eventos estressantes Alta co-morbidade com demência, transtornos somáticos e depressão Alta co-morbidade com demência, transtornos somáticos e depressão Proporção entre homens e mulheres é baixa Proporção entre homens e mulheres é baixa História familiar de alcoolismo menos freqüente História familiar de alcoolismo menos freqüente Ocorrência freqüente de eventos estressantes Ocorrência freqüente de eventos estressantes Alta co-morbidade com demência, transtornos somáticos e depressão Alta co-morbidade com demência, transtornos somáticos e depressão

11 Alcoolismo no idoso características clínicas Consumo de etílicos Consumo de etílicos –Menor quantidade Problemas relacionados com álcool Problemas relacionados com álcool –Maior freqüência de complicações clínicas –Menos comprometimento legal, social e no trabalho Sintomas de dependência Sintomas de dependência –Menos grave Consumo de etílicos Consumo de etílicos –Menor quantidade Problemas relacionados com álcool Problemas relacionados com álcool –Maior freqüência de complicações clínicas –Menos comprometimento legal, social e no trabalho Sintomas de dependência Sintomas de dependência –Menos grave

12 ALCOOLISMO NO IDOSO CLASSIFICAÇÃO INÍCIO PRECOCE 2 / 3 dos casos INÍCIO TARDIO 1 / 3 dos casos INÍCIO PRECOCE 2 / 3 dos casos INÍCIO TARDIO 1 / 3 dos casos

13 ALCOOLISMO NO IDOSO INÍCIO PRECOCE VS. TARDIO Variáveis Precoce (N=50) Precoce (N=50) Meia id (N=62). Meia id (N=62). ( ( Tardio (N=20 ) Tardio (N=20 ) P < ( Atkinson et al.1990) Detenção 6,0 1,8 0,001 Prisão 4,7 1,0 0,001 Hist. Fam. Alcoolismo 72% 48% 21% 0,001 Mac Andrew Scale 29,6 26,0 0,001 1 ano de tratamento 50% 68% 0,05 Freq. a tratamento 72,4 82,4 0,01

14 COMPARAÇÃO ENTRE OS GRUPOS PRECOCE E TARDIO EM RELAÇÃO AOS EVENTOS ESTRESSANTES PSICOSSOCIAIS Eventos estressantes Precoce (n=28) Tardio (n=24) Teste p p (IC=0,63;1,58) (IC=0,68;1,99) (ICd=-1,00;0,55) Doença (paciente) 7,1% 8,3% 2 = 0,03 0,872 (s) Doença (parentes próximos) 10,7% 16,7% 2 = 0,39 0,531 (s) Perda de familiares e amigos 17,9% 58,3% 2 = 9,13 0,003 (s) Separação conjugal 3,6% 4,2% F F 1,000 (s) Rompimento de relacionamento 7,1% 0,0% F F 0,493 (s) Problemas com amigos 0,0% (s) Crise financeira 14,3% 16,7% 2 = 0,06 0,812 (s) Perda material 3,6% 0,0% F F 1,000 (s) Mudança de residência 28,6% 8,3% 2 = 0,28 0,086 (s) Aborrecimento 17,9% 12,5% 2 = 0,28 0,594 (s) Relato de evento estressante 57,1% 66,7% 2 = 0,50 0,482 (s) Quantidade média de eventos 1,11 1,33 Z = -0,42 0,434 (s)

15 Variáveis Precoce (n=29) Tardio (n=25) Teste p p Consumo médio de álcool (gr. de álcool/dia) 132,59 (IC=89,25;175,92) 79,60 (IC=58,14;101,06) Z = -2,43 0,015 (ICd=3,28; 102,70) Freqüência do consumo de álcool Até 1 vez/dia 2-3 vezes/dia > 4 vezes/dia 04 (13,8%) 13 (44,8%) 12 (41,4%) 07 (28,0%) 13 (52,0%) 05 (20,0%) 2 2 = 3,42 0,180 MAST 27,79 (IC=23,49; 32,09) 15,76 (IC=11,88; 19,64) t = 4,21 < 0,001 (ICd=6,30; 17,77) SADD 21,66 (IC=18,62; 24,69) 15,12 (IC=11,54; 18,70) t = 2,88 0,006 (ICd=1,99; 11,08) COMPARAÇÃO ENTRE OS GRUPOS PRECOCE E TARDIO EM RELAÇÃO À GRAVIDADE DO ALCOOLISMO

16 ALCOOLISMO EM IDOSOS CONCLUSÃO O alcoolismo é um transtorno freqüente na população idosa. O alcoolismo no idoso é um transtorno heterogêneo. Subtipos: início precoce e início tardio Necessidade de mais pesquisas sobre alcoolismo em idosos O alcoolismo é um transtorno freqüente na população idosa. O alcoolismo no idoso é um transtorno heterogêneo. Subtipos: início precoce e início tardio Necessidade de mais pesquisas sobre alcoolismo em idosos

17 DROGAS E IDOSOS RESUMO O uso de drogas ilícitas é raro em idosos O uso e abuso de drogas de prescrição é freqüente em idosos O uso de drogas ilícitas é raro em idosos O uso e abuso de drogas de prescrição é freqüente em idosos

18 Diagnóstico do alcoolismo e encaminhamento para tratamento Jovem (N=239) Idoso (N=178) P < Prevalência de alcoolismo 27%21%NS Diagnosticado pelo médico 60%37%0,05 Encaminhado para tratamento 50%24%0,05 Iniciou tratamento 46%16%0,05 N=417 Curtis et al.1989

19 Alcoolismo no idoso Mulher vs. Homen Início mais tardio de consumo de álcool Início mais tardio de consumo de álcool Menor consumo de álcool Menor consumo de álcool Tendência de beber em casa e sózinha Tendência de beber em casa e sózinha Início mais tardio de problemas com álcool Início mais tardio de problemas com álcool O fenômeno Telescoping O fenômeno Telescoping Menos problemas com álcool: legal, social e no trabalho Menos problemas com álcool: legal, social e no trabalho Início mais tardio de consumo de álcool Início mais tardio de consumo de álcool Menor consumo de álcool Menor consumo de álcool Tendência de beber em casa e sózinha Tendência de beber em casa e sózinha Início mais tardio de problemas com álcool Início mais tardio de problemas com álcool O fenômeno Telescoping O fenômeno Telescoping Menos problemas com álcool: legal, social e no trabalho Menos problemas com álcool: legal, social e no trabalho

20 Alcoolismo no idoso Mulher vs. Homen Eventos estressantes: familiar Eventos estressantes: familiar Freqüência maior de depressão Freqüência maior de depressão Uso mais freqüente de drogas psicotrópicas Uso mais freqüente de drogas psicotrópicas Menos provável a procurar tratamento de alcoolismo Menos provável a procurar tratamento de alcoolismo Eventos estressantes: familiar Eventos estressantes: familiar Freqüência maior de depressão Freqüência maior de depressão Uso mais freqüente de drogas psicotrópicas Uso mais freqüente de drogas psicotrópicas Menos provável a procurar tratamento de alcoolismo Menos provável a procurar tratamento de alcoolismo

21 ALCOOLISMO NO IDOSO TESTES DIAGNÓSTICOS CAGE 4 perguntas com respostas tipo SIM x NÃO 2 ou mais respostas positivas alcoolismo MAST (Michigan Alcoholism Screening Test) (Willembring et al.,1987; Hirata et al., 2001) 25 perguntas com respostas tipo SIM x NÃO Soma total dos pontos 5 alcoolismo CAGE 4 perguntas com respostas tipo SIM x NÃO 2 ou mais respostas positivas alcoolismo MAST (Michigan Alcoholism Screening Test) (Willembring et al.,1987; Hirata et al., 2001) 25 perguntas com respostas tipo SIM x NÃO Soma total dos pontos 5 alcoolismo

22 DIAGNÓSTICO DO ALCOOLISMO C - CUT DOWN: Alguma vez o Sr.(a) sentiu que deveria diminuir a quantidade de bebida ou parar de beber? A - ANNOYED: As pessoas o(a) aborrecem porque criticam o seu modo de beber? G - GUILTY: O Sr.(a) se sente culpado pela maneira com que costuma beber? E - EYE-OPENER: O Sr.(a) costuma beber pela manhã para diminuir o nervosismo ou ressaca? Sensibilidade: 88% - Especificidade: 83% C - CUT DOWN: Alguma vez o Sr.(a) sentiu que deveria diminuir a quantidade de bebida ou parar de beber? A - ANNOYED: As pessoas o(a) aborrecem porque criticam o seu modo de beber? G - GUILTY: O Sr.(a) se sente culpado pela maneira com que costuma beber? E - EYE-OPENER: O Sr.(a) costuma beber pela manhã para diminuir o nervosismo ou ressaca? Sensibilidade: 88% - Especificidade: 83%

23 Alcoolismo no idoso início precoce x tardio PRECOCEPRECOCETARDIOTARDIO Divórcio / Separação Mais freqüente Menos freqüente Nível sócio-econômico MenorMenorMaiorMaior História familiar de alcoolismo Mais freqüente Menos freqüente Eventos estressantes prévios Menos freqüente Mais freqüente Alterações psicopatológicas Mais freqüente Menos freqüente Gravidade do alcoolismo MaiorMaiorMenorMenor Aderência a tratamento MenorMenorMaiorMaior PrognósticoPrognósticoPiorPiorMelhorMelhor

24 Prevalência de alcoolismo de acordo com sexo e idade Ao longo da vida Atual Idade Homens Mulheres Homens Mulheres a. 27% 7% 17% 4% a. 28% 6% 14% 2% a. 21% 3% 8% 1% >65 a. 14% 1,5% 3% 0,5% N=19.182N= ECA Study. Helzer et al,1991

25 Curva ROC para o teste MAST em pacientes idosos ambulatoriais Área sob a curva ROC = 0,9452 Sensibilidade 1 - Especificidade

26 Características de screening do MAST segundo diferentes pontos de corte. MAST (escore total) Sensibilidade Especificidade VPP VPN 3/4 97,14 66,67 53,96 98,30 4/5 91,43 83,91 69,56 96,05 5/6 80,00 91,95 80,00 91, ,43 93,10 85,64 89,01 VPP= Valor preditivio positivo VPN= Valor preditivo negativo VPP= Valor preditivio positivo VPN= Valor preditivo negativo


Carregar ppt "USO DE DROGAS E IDOSOS EDSON SHIGUEMI HIRATA. 80% 160% 280% 0% 50% 100% 150% 200% 250% 300% Pop. geral (mundial) Pop.>60 anos (mundial) Pop.>60 anos (Brasil)"

Apresentações semelhantes


Anúncios Google