A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

IFRS - C C C CONTABILIDADE PARA PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS. ProfºLaudelino Jochem NBC TG 1000.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "IFRS - C C C CONTABILIDADE PARA PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS. ProfºLaudelino Jochem NBC TG 1000."— Transcrição da apresentação:

1 IFRS - C C C CONTABILIDADE PARA PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS. ProfºLaudelino Jochem NBC TG 1000

2 ROTEIRO INTRODUÇÃO; ASPECTOS CONCEITUAIS; PRINCÍPIOS CONTÁBEIS E CARACTERÍSTICAS QUALITATIVAS; DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS OBRIGATÓRIAS; NOTAS EXPLICATIVAS; POLÍTICAS CONTÁBEIS; REDUÇÃO AO VALOR RECUPERÁVEL DE ATIVOS; AJUSTES DE AVALIAÇÃO PATRIMONIAL; AJUSTE A VALOR PRESENTE; INSTRUMENTOS FINANCEIROS BÁSICOS; IFRS - CONTABILIDADE PARA PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS Apostila - pág. 03

3 ROTEIRO ESTOQUES; PROPRIEDADE PARA INVESTIMENTO; IMOBILIZADO; ATIVO INTANGÍVEL; ARRENDAMENTO MERCANTIL; RECEITAS; ADOÇÃO INICIAL DA NBC TG 1000; CONSIDERAÇÕES FINAIS. IFRS - CONTABILIDADE PARA PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS Apostila - pág. 04

4 OPÇÕES CONTÁBEIS IFRS COMPLETO IFRS PME: pequenas e médias empresas. A MESMA ESSÊNCIA. ME e EPP Entidades sem Finalidade de Lucros IFRS - CONTABILIDADE PARA PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS

5 NBC TG 1000 PME: todas as empresas que não têm obrigação pública de prestação de contas. Em vigor a partir de: 01/01/2010. Base Legal: Resolução 1255/ NBC TG 1000 APLICÁVEL Microempresas e Empresas de Pequeno Porte. Em vigor a partir de: 01/01/2012. Base Legal: Resolução 1418/ ITG 1000 IFRS - CONTABILIDADE PARA PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS Entidades sem Finalidade de Lucros. Em vigor a partir de: 01/01/2012. Base Legal: Resolução 1409/ ITG 2002 Apostila - pág. 06

6 Ações Bolsa Bancos de Investimento FundoMútuo PrevidênciaPrivada Sociedade Grande Porte Cia de Seguros Cooperativas de Crédito Bancos PMEs IFRS - CONTABILIDADE PARA PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS

7 PME Receita Bruta Até R$ ,00 S.A. – Capital Fechado e demais tipos societários Ativos Totais Até R$ ,00 IFRS - CONTABILIDADE PARA PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS

8 Compreen-sibilidade Essência sobre a Forma Relevância Materialidade Integralidade Tempestividade Equilíbrio entre Custo e benefício Comparabi-lidade Prudência Confiabilidade InformaçãoContábil IFRS - CONTABILIDADE PARA PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS

9 DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS OBRIGATÓRIAS Balanço Patrimonial; Demonstração do Resultado; Demonstração do Resultado Abrangente; Demonstração das Mutações do Patrimônio Líquido; Demonstração dos Fluxos de Caixa; Notas Explicativas. IFRS - CONTABILIDADE PARA PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS Apostila - pág. 13

10 ESTRUTURA BÁSICA DO BALANÇO PATRIMONIAL ATIVOPASSIVO Passivo circulante Passivo não circulante PATRIMÔNIO LÍQUIDO Capital Social Reservas de Capital Ajuste de Avaliação Patrimonial Reservas de Lucros Ações em Tesouraria Lucros e Prejuízos Acumulados Ativo circulante Ativo não circulante Realizável a longo prazo Investimento Imobilizado Intangível IFRS - CONTABILIDADE PARA PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS Apostila - pág. 14

11 BALANÇO PATRIMONIAL ATIVO , ,94 CIRCULANTE (5.1) , ,00 DISPONIBILIDADES , ,42 CAIXA , ,09 BANCOS CONTAS CORRENTES 0, ,15 C. E. F. 0, ,47 BANCO DO BRASIL S/A 0, ,68 APLICAÇÕES DE LIQ. IM , ,18 C. E. F , ,18 IFRS - CONTABILIDADE PARA PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS Apostila - pág. 14

12 DR – Demonstração do Resultado Op. Continuadas Op. Descon- tinuadas Receita de vendas e Serviços (-) Deduções de vendas Receita líquida de vendas (-) Custo das Mercadorias/Serviços Vendidos Lucro Bruto Despesas/Receitas Operacionais (-) Despesas com vendas (-) Despesas administrativas (-) Despesas tributárias (-) Despesas Gerais (+ -) Receitas e Despesas com investimentos em outras sociedades (+) Outras Receitas Operacionais Resultado antes do resultado financeiro líquido (+ -) Receitas e Despesas Financeiras Resultado antes dos tributos sobre o lucro (-) Provisão para CSLL e IRPJ Resultado líquido das OPERAÇÕES CONTINUADAS (+) Venda do ativo não circulante (-) Custo do ativo não circulante vendido (+) Resultado do ajuste a valor justo Resultado das operações descontinuadas (-) Provisão para CSLL e IRPJ- Operações descontinuadas Resultado líquido das OPERAÇÕES DESCONTINUADAS Resultado líquido do exercício IFRS - CONTABILIDADE PARA PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS Apostila - pág. 15

13 RECEITA LIQUIDA DE VENDAS , ,72 RECEITA COM VENDAS E SERVIÇOS , ,72 VENDAS DE MERCADORIAS , ,03 PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS , ,69 CUSTO DAS MERCADORIAS/SERVIÇOS (83.415,60) ( ,97) CUSTO DOS SERVIÇOS (2.012,00) 0,00 CUSTO DAS MERCADORIAS VENDIDAS (81.403,60) ( ,97) DR – Demonstração do Resultado IFRS - CONTABILIDADE PARA PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS Apostila - pág. 16

14 DRA – Demonstração do Resultado Abrangente 1. Inicia com Resultado do Período (DR); 2. Demonstra as transações do PL que não passaram pelo resultado. (exceto as com sócios ou acionistas). IFRS - CONTABILIDADE PARA PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS Apostila - pág. 16

15 Resultado Líquido do Período , ,00 (+-) Resultados Abangentes 1.000, ,00 Resultado Abrangente do Período , ,00 DRA – Demonstração do Resultado Abrangente IFRS - CONTABILIDADE PARA PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS Apostila - pág. 17

16 DEMONSTRAÇÃO DAS MUTAÇÕES DO PATRIMÔNIO LÍQUIDO - DMPL Apresenta as receitas e despesas que foram reconhecidas diretamente dentro do patrimônio líquido; Efeitos das mudanças nas práticas contábeis; Correções de erros reconhecidos no período; Valores investidos pelos proprietários; e Dividendos e outras distribuições. IFRS - CONTABILIDADE PARA PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS Apostila - pág. 17

17 EVENTOS CAPITAL SOCIAL RESERVAS DE CAPITAL AJUSTE DE AV. PATRIMONIAL LUCROS ACUMULADOS TOTAIS Saldos em Aumento de Capital por Incorporação de Ações Aumento de Capital com Reservas Aumento de Capital com Reservas – Bonif. de ações Ajustes de Avaliação Patrimonial Lucro Líquido Destinações: - Reservas Juros sobre o Capital Próprio Pagos Dividendos Pagos Saldos em Aumento de Capital com Reservas Aumento de Capital por subscrição de ações Ajustes de Avaliação Patrimonial Lucro Líquido Destinações: - Reservas Juros sobre o Capital Próprio Pagos e/ou Provisionados Dividendos Pagos e/ou Provisionados Saldos em DEMONSTRAÇÃO DAS MUTAÇÕES DO PATRIMÔNIO LÍQUIDO - DMPL IFRS - CONTABILIDADE PARA PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS Apostila - pág. 17

18 DEMONSTRAÇÃO DE LUCROS E PREJUÍZOS ACUMULADOS - DLPA Alterações nos lucros ou prejuízos acumulados. Substitui: (NBC TG 1000, 3.18) Demonstração do Resultado Abrangente; Demonstração das Mutações do Patrimônio Líquido Desde que as únicas alterações no PL sejam oriundas do resultado, do pagamento de dividendos ou distribuição de lucros, correção de erros de períodos anteriores e de mudanças de políticas contábeis. IFRS - CONTABILIDADE PARA PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS Apostila - pág. 18

19 DEMONSTRAÇÃO DOS LUCROS OU PREJUÍZOS ACUMULADOS - DLPA Saldo inicial de lucros acumulados , ,94 Ajustes de exercícios anteriores Saldo ajustado , ,94 Prejuízo líquido do exercício , ,27 Destinação do lucro ,00 Lucros distribuídos ,00 Saldo final de lucros acumulados , ,67 IFRS - CONTABILIDADE PARA PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS Apostila - pág. 19

20 DFC – DEMONSTRAÇÃO DOS FLUXOS DE CAIXA ATIVIDADES OPERACIONAIS ATIVIDADES DE INVESTIMENTO ATIVIDADES DE FINANCIAMENTO CAIXA E EQUIVALENTE DE CAIXA DIRETOINDIRETO IFRS - CONTABILIDADE PARA PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS Apostila - pág. 20

21 DEMONSTRAÇÃO DOS FLUXOS DE CAIXA – DFC M é todo Direto ATIVIDADES OPERACIONAIS Recebimento de clientes Recebimento de juros 500 Duplicatas descontadas Pagamentos: - a fornecedores de mercadorias ( ) (22.000) - a aluguel (3.000) (3.000) - de salários (15.000) (10.000) - de juros (800) - Pis (495) - Cofins (2.280) - ICMS (5.400) - IPI (3.000) - IR e CSLL (2.010) Caixa líquido consumido nas atividades operacionais (35.300) ATIVIDADES DE INVESTIMENTO Pagamento pela compra de Imobilizado (20.000) Pagamento pela compra de Investimento (5.000) Pagamento pela compra de intangível (5.000) Caixa líquido consumido nas atividades de investimento (20.000) (10.000) ATIVIDADES DE FINANCIAMENTO Aumento de capital Distribuição de Lucros Caixa líquido gerado nas atividades de financiamento (50.000) AUMENTO LÍQUIDO NO CAIXA E EQUIVALENTE DE CAIXA SALDO DE CAIXA + EQUIVALENTE DE CAIXA ANTERIOR SALDO DE CAIXA + EQUIVALENTE DE CAIXA ATUAL (20.000) (50.000) Apostila – pág ( ) (3.000) (15.000) (495) (2.280) (5.400) (3.000) (2.010)

22 DEMONSTRAÇÃO DOS FLUXOS DE CAIXA – DFC M é todo Indireto ATIVIDADES OPERACIONAIS Lucro líquido depreciação/amortização/exaustão resultado da equivalência patrimonial 500 Lucro ajustado Aumento em clientes(55.000) Aumento em PECLD Aumento em estoques(12.750) (2.550) Aumento em Fornecedores Aumento em ICMS a pagar Aumento em IPI a pagar Aumento em IR e CSLL a pagar Aumento em COFINS a pagar Aumento em PIS a pagar Caixa líquido consumido nas atividades operacionais (35.300) ATIVIDADES DE INVESTIMENTO Pagamento pela compra de imobilizado (20.000) Pagamento pela compra de softwares (5.000) Pagamento pela compra de Investimentos (5.000) Caixa líquido consumido nas atividades de investimento(20.000) (10.000) ATIVIDADES DE FINANCIAMENTO Aumento de Capital Distribuição de lucros (50.000) Caixa líquido gerado pelas atividades de financiamento (50.000) Aumento líquido nas disponibilidades Saldo de caixa + equivalente de caixa anterior ,00 Saldo de caixa + equivalente de caixa atual (20.000) (50.000) Apostila – pág (12.750)

23 NOTAS EXPLICATIVAS São informações complementares as demonstrações contábeis e que visam auxiliar o usuário das informações contábeis no sentido de facilitar o entendimento e a tomada de decisão. É preciso que cada nota faça referência a qual item da demonstração se refere. IFRS - CONTABILIDADE PARA PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS Apostila - pág. 24

24 NOTAS EXPLICATIVAS 31/12/12 ATIVO Circulante Caixa e equivalentes a caixa (Nota 5) NOTAS EXPLICATIVAS Caixa e equivalentes a caixa e aplicações financeiras 31/12/12 Bancos conta movimento CDB – Certificado de Depósito Bancário, vencimento em 05/2012, pós fixado BALANÇO PATRIMONIAL IFRS - CONTABILIDADE PARA PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS Apostila - pág. 24

25 1. CONTEXTO OPERACIONAL SUPRAMEL COM. DE MAT. P/ ESCRITÓRIO LTDA, cadastrada no CNPJ sob o número / , constituída em 00/00/0000, tributada pelo Simples Nacional com apuração mensal, com ramo de atividade comércio de materiais para escritório, suprimentos, manutenção e locação de máquinas e copiadoras, duplicadoras; serviços de reprografia, heliografia, plotagem e fotocópias com ou sem operador, sistema de impressão, encadernação, plastificação e recarga de toner/revelador. Com sede no município de Pinhais/PR, na Rua Brasholanda, nº 63 - Centro. 2. POLÍTICA ADOTADA As demonstrações contábeis encerradas em 31 de Dezembro de 2012 e 31 de Dezembro de 2011 (comparativas), aqui compreendidos: Balanço Patrimonial, Demonstração do Resultado, Demonstração das Mutações do Patrimônio Líquido (DMPL) e Demonstração dos Fluxos de Caixa (DFC), foram elaboradas a partir das diretrizes contábeis e dos preceitos da Legislação Comercial, Lei n /2002 e demais legislações aplicáveis e aos Princípios Contábeis. O resultado é apurado de acordo com o regime de competência, que estabelece que as receitas e despesas devem ser incluídas na apuração dos resultados dos períodos em que ocorrerem, sempre simultaneamente quando se correlacionarem, independentemente de recebimento ou pagamento. As receitas e despesas de natureza financeira são contabilizadas pelo critério pro-rata dia e calculadas com base no método exponencial, exceto aquelas relativas aos títulos descontados ou ainda as relacionadas às operações com o exterior, que são calculadas com base no método linear. As principais práticas contábeis na elaboração das demonstrações contábeis levam em conta as características qualitativas e quantitativas conforme determina a NBC TG 1000: Compreensibilidade, Competência, Relevância, Materialidade, Confiabilidade, Primazia da Essência sobre a Forma, Prudência, Integralidade, Comparabilidade e Tempestividade, estando assim alinhadas com normas internacionais de contabilidade emitidas pelo International Accounting Standards Board (IASB) adequadas pelo Comitê de Pronunciamentos Contábeis (CPC) e aprovadas pelo Conselho Federal de Contabilidade para Pequenas e Médias Empresas. IFRS - CONTABILIDADE PARA PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS Apostila - pág. 26a 27

26 3. MOEDA FUNCIONAL E DE APRESENTAÇÃO As demonstrações contábeis estão apresentadas em REAIS, que é a moeda funcional da empresa. Assim os ativos, os passivos e os resultados apresentados nas demonstrações contábeis mesmo quando contratados em moeda estrangeira são ajustados às diretrizes contábeis vigentes no Brasil e convertidos para Reais, de acordo com as taxas de câmbio da moeda local. Os eventuais ganhos e perdas resultantes do processo de conversão são transferidos para o resultado do período atendendo ao regime de competência. 4. TESTE DE RECUPERABILIDADE PARA ATIVOS (IMPAIRMENT) Atendendo ao conteúdo da NBC TG 1000, editada pelo Conselho Federal de Contabilidade através da Resolução 1255/2009, a administração da empresa, fez a análise sobre a recuperabilidade dos ativos submetidos a tal resolução levando em conta os principais indicadores de desvalorização, tais como: uma redução sensível, além do esperado, no valor de mercado do ativo; o valor contábil do ativo líquido é maior que o valor justo estimado; obsolescência ou dano físico de ativo; mudanças significativas que afetam o ativo; informações internas (empresa) que espelhem desempenho econômico pior que o esperado. Após está análise à administração chegou à conclusão de que todos os ativos se encontram a valor recuperável através da Venda ou do Uso, dispensando assim a realização dos testes efetivos de Impairment uma vez que não existia indicação relevante de não recuperabilidade. 5. AJUSTE A VALOR PRESENTE O Ajuste a Valor Presente que tem por objetivo demonstrar o valor presente de um fluxo de caixa, o qual se encontra determinado para as operações de longo prazo, tanto para os ativos e quanto para os passivos, foi realizado no reconhecimento inicial de cada operação de longo prazo em base exponencial pro rata, registrado em conta retificadora para que os ativos e passivos reflitam a realidade. Os juros foram sendo reconhecidos como receitas ou despesas com o transcorrer do tempo como receitas ou despesas financeiras na Demonstração do Resultado do Exercício através do método da taxa efetiva de juros. 6. DECLARAÇÃO DE CONFORMIDADE A empresa declara expressamente que a elaboração e a apresentação das demonstrações contábeis estão em conformidade com o NBC TG 1000 – Contabilidade para Pequenas e Médias Empresas, expedida pelo Conselho Federal de Contabilidade através da Resolução 1.255/2009. A administração da empresa também procedeu ao exame conceitual e concluiu que a empresa não possui prestação pública de contas e assim encontra-se apta a exercer a faculdade pela aplicação do previsto na Contabilidade para Pequenas e Médias Empresas. IFRS - CONTABILIDADE PARA PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS Apostila - pág. 27 a 28

27 7. PROVISÕES, ATIVOS E PASSIVOS CONTINGENTES As provisões quando constituídas encontram-se fortemente alicerçadas nas opiniões dos assessores jurídicos ou advogados, levando em conta a natureza das ações, a similaridade com processos anteriores, a complexidade e o posicionamento de Tribunais. Assim, a administração considera que tais provisões são suficientes para atender as perdas decorrentes dos respectivos processos. Mesmo que algum passivo esteja sendo discutido judicialmente, tal obrigação, é mantida até o ganho definitivo quando não couberem mais recursos ou quando da sua prescrição. 8. DETERMINAÇÃO DO RESULTADO O resultado foi apurado em 31 de Dezembro de 2012 e 31 de Dezembro de 2011 (comparativamente) e está em obediência ao regime de competência. As Demonstrações Contábeis foram elaboradas e apresentadas em conformidade com a legislação societária, conforme a Lei n /2002 e demais legislações aplicáveis, os pronunciamentos técnicos, orientações e interpretações emitidas pelo Comitê de Pronunciamentos Contábeis (CPC), pelas normas brasileiras de contabilidade expedidas pelo Conselho Federal de Contabilidade, especialmente NBC TG ATIVOS CIRCULANTES A classificação das contas é realizada com base no que determinada o Pronunciamento Técnico PME – Pequenas e Médias Empresas, sendo classificados como circulantes quando: a) espera realizar o ativo, ou pretender vendê-lo ou consumi-lo durante o ciclo operacional normal da entidade; b) o ativo for mantido essencialmente com a finalidade de negociação; c) espera realizar o ativo no período de até doze meses da data das demonstrações contábeis; ou o ativo for caixa ou equivalente de caixa. (NBC TG 1000, item 4.5). 10. ESTOQUES Os estoques são avaliados no reconhecimento inicial pelo custo histórico, onde que todos os gastos necessários até o momento da disponibilidade para venda sendo considerados como custos, exceto os tributos recuperáveis. Os descontos comerciais, abatimentos e outros itens semelhantes são deduzidos do custo de aquisição. Os juros incorridos pela aquisição dos estoques são considerados como despesas financeiras e, portanto não são incluídos nos custos de aquisição. Ao final do período foi realizada a análise de recuperabilidade dos estoques, e de acordo com a experiência da administração da sociedade foram considerados recuperáveis pela venda, menos despesas para completar e vender conforme os requisitos previstos na NBC TG 1000 e estão assim representados: Mercadorias para Revenda R$ 0,00 Produtos para comercialização R$ 0,00. IFRS - CONTABILIDADE PARA PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS Apostila - pág. 27a 29

28 11. ATIVOS NÃO CIRCULANTES A classificação das contas é realizada com base no que determinada o Pronunciamento Técnico PME – Pequenas e Médias Empresas, sendo classificados como não circulantes todos aqueles fatos contábeis que não se classificam como sendo circulantes. Os itens classificados neste grupo foram avaliados pela administração quanto a sua recuperabilidade e foram considerados que estão registrados pelos valores recuperáveis pela venda ou pelo uso. 12. IMOBILIZADO Avaliado inicialmente ao custo histórico, sendo considerados como custo todos os valores necessários para que o imobilizado estivesse à disposição da administração. As alíquotas de depreciação estão fundamentadas no tempo de utilização dos referidos bens e considerando o valor residual para fins de cálculo dentro do método linear, tudo em conformidade com a Resolução 1255/2009 que instituiu o Pronunciamento Técnico PME – Contabilidade para Pequenas e Médias Empresas. 13. INTANGÍVEL Os intangíveis estão registrados no reconhecimento inicial ao custo histórico, sendo alocados a tal custo todos os gastos incorridos até o momento em que estiver disponível para ser utilizado. Os eventuais intangíveis produzidos internamente foram considerados integralmente como despesa do período, conforme determina o NBC TG A amortização foi realizada de acordo com a vida útil estimada, porém na impossibilidade de estimar tal vida útil à mesma foi considerada como sendo de dez anos. 14. PASSIVO CIRCULANTE A classificação das contas é realizada com base no que determinada o Pronunciamento Técnico PME – Pequenas e Médias Empresas, sendo classificados como circulantes quando: a) espera liquidar o passivo durante o ciclo operacional normal da entidade; b) o passivo for mantido essencialmente para a finalidade de negociação; c) o passivo for exigível no período de até dozes meses após a data das demonstrações contábeis; ou a entidade não tiver direito incondicional de diferir a liquidação do passivo durante pelo menos doze meses após a data de divulgação. (NBC TG 1000, item 4.7). IFRS - CONTABILIDADE PARA PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS Apostila - pág. 29 a 30

29 DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS DEMONSTRAÇÃOCONTÁBIL PEQUENAS E MÉDIAS DEMAIS EMPRESAS Balanço Patrimonial ou Posi- ção Patrimonial e Financeira Demonstração do Resultado DR Demonstração do Resultado Abrangente – DRA Demonstração dos Fluxos de Caixa – DFC Demonstração das Muta- ções do Patrimônio Líquido – DMPL Demonstração dos Lucros e Prejuízos Acumulados–DLPA Obrigatório Obrigatória Pode ser substituída pela DLPA ou DMPL Obrigatória Pode ser substituída pela DLPA Obrigatória Substituída pela DMPL Opção para substituir DRA e DMPL Obrigatória Demonstração do Valor Adicionado - DVA Notas Explicativas Facultativa Obrigatórias Obrigatória Obrigatórias SEM FINALIDADE DE LUCROS Obrigatório Não exigida Obrigatória Não exigida Obrigatórias Obrigatório IFRS - CONTABILIDADE PARA PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS ME E EPP Obrigatório Não exigida Incentivada Não exigida Obrigatórias

30 LIVRO DIÁRIO Termo de Abertura; Lançamentos Contábeis; Balanço Patrimonial 2012 e 2011; DRE 2012 e 2011; DRA 2012 e 2011; (Quando obrigatória) DMPL 2012 e 2011; (Quando obrigatória) DLPA 2012 e 2011; (Se for opção) DFC 2012 e 2011; Plano de Contas; Notas Explicativas; Termo de encerramento. IFRS - CONTABILIDADE PARA PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS

31 POLÍTICAS CONTÁBEIS Exigências e orientações de Pronunciamento contábil; Critérios de reconhecimento, e de mensuração; Princípios contábeis. IFRS - CONTABILIDADE PARA PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS Apostila - pág. 32

32 REDUÇÃO AO VALOR RECUPERÁVEL DE ATIVOS ATIVOPASSIVO Ativo circulante Ativo não circulante Realizável a longo prazo Investimento Imobilizado Intangível IFRS - CONTABILIDADE PARA PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS Apostila - pág. 34

33 INDICADORES DE DESVALORIZAÇÃO Redução sensível, além do esperado, no valor de mercado do ativo; O valor contábil do ativo líquido é maior que o valor justo estimado; Obsolescência ou dano físico de ativo; Mudanças significativas que afetam o ativo; Informações internas (entidade) que espelhem desempenho econômico pior que o esperado. IFRS - CONTABILIDADE PARA PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS Apostila - pág. 34 a 35

34 R$ ,00 VENDA R $ ,00 Despesa Venda R$ (5.000,00) Tributos R$ (10.000,00) Venda Líquida R$ ,00 USO Impairment Impairment IFRS - CONTABILIDADE PARA PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS

35 CASO PRÁTICO DE TESTE DE RECUPERABILIDADE - IMPAIRMENT Máquina X Reconhecimento inicial R$ ,00; Depreciação acumulada R$ ,00; Valor contábil R$ ,00. A entidade percebeu que o valor de mercado deste ativo diminuiu consideravelmente e assim irá fazer o teste de impairment. IFRS - CONTABILIDADE PARA PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS Apostila - pág. 36

36 LAUDO DE AVALIAÇÃO DE RECUPERABILIDADE – IMPAIRMENT IMPAIRMENT PELO VALOR DE VENDA Valor de venda do ativo Despesas de venda Valor líquido de venda do ativo ,00 (1.000,00) ,00 IFRS - CONTABILIDADE PARA PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS Apostila - pág. 36

37 LAUDO DE AVALIAÇÃO DE RECUPERABILIDADE – IMPAIRMENT IMPAIRMENT DOS FLUXOS DE CAIXA FUTUROS Períodos futurosFluxos Caixa estimadoValor presente X1 X2 X4 X3 Total X , ,00 900, , , ,31 510,68 762, , , ,43 IFRS - CONTABILIDADE PARA PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS Apostila - pág. 37

38 AQUI A ENTIDADE DEVE UTILIZAR O LAUDO DE MAIOR VALOR. CONTABILIZAÇÃO Valor máximo recuperável Valor contábil do ativo Perda por desvalorização D = Perda por desvalorização (Resultado) C = Perdas estimadas por valor não recuperável (Redutora do ativo) , , , ,00 IFRS - CONTABILIDADE PARA PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS Apostila - pág. 37

39 BALANÇO PATRIMONIAL Imobilizado ATIVO Máquinas e Equipamentos Depreciação Acumulada (10.000) Perdas estimadas p/ desv. (6.000) PASSIVO IFRS - CONTABILIDADE PARA PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS

40 AJUSTES DE AVALIAÇÃO PATRIMONIAL BALANÇO PATRIMONIAL PATRIMÔNIO LÍQUIDO ATIVO Ajuste de Avaliação Patrimonial PASSIVO IFRS - CONTABILIDADE PARA PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS Apostila - pág. 38

41 AJUSTES DE AVALIAÇÃO PATRIMONIAL É uma forma de correção dos valores de ativos e passivos ao valor justo. Esta correção busca expressar a realidade patrimonial de uma empresa. Não pode ser confundido com reserva uma vez que não passa pelo resultado e também não pode ser tratado como reavaliação uma vez que não possui relação com o mercado e sim com o valor justo. IFRS - CONTABILIDADE PARA PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS Apostila - pág. 38

42 SERÃO AVALIADOS AO VALOR JUSTO E RECONHECIDOS NA CONTA AJUSTE DA AVALIAÇÃO PATRIMONIAL a) Instrumentos financeiros destinados a venda futura, classificados no ativo circulante ou no realizável a longo prazo; b) Passivos financeiros que atendam as classificações do mercado; c) Ativos e passivos resultantes de reorganização societária – Fusão, Cisão e Incorporação; d) Variações cambiais de investimentos no exterior. IFRS - CONTABILIDADE PARA PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS Apostila - pág. 38

43 EXEMPLOS Investimento em instrumentos financeiros o valor de R$ ,00 valor pago a vista. Contabilização: ATIVO NÃO CIRCULANTE D – Investimentos Temporários (RLP) ,00 ATIVO CIRCULANTE C – Banco ,00 IFRS - CONTABILIDADE PARA PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS Apostila - pág. 38

44 EXEMPLOS Na publicação: valor justo de R$ ,00. Contabilização: ATIVO D – Investimentos Temporários ,00 PATRIMÔNIO LÍQUIDO C – Ajuste da Avaliação Patrimonial ,00 IFRS - CONTABILIDADE PARA PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS Apostila - pág. 38

45 EXEMPLOS No resgate valor de R$ ,00. Contabilização: ATIVO CIRCULANTE D – Banco ,00 C – Investimentos Temporários ,00 IFRS - CONTABILIDADE PARA PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS Apostila - pág. 39

46 EXEMPLOS Reconhecer os valores de Ajuste de Avaliação Patrimonial. Contabilização: PATRIMÔNIO LÍQUIDO D – Ajuste da Avaliação Patrimonial ,00 DEMONSTRAÇÃO DO RESULTADO C – Receitas Financeiras ,00. IFRS - CONTABILIDADE PARA PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS Apostila - pág. 39

47 AJUSTE A VALOR PRESENTE O Ajuste a Valor Presente tem por objetivo efetuar o ajuste para demonstrar o valor presente de um fluxo de caixa futuro. IFRS - CONTABILIDADE PARA PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS Apostila - pág. 40

48 AJUSTE A VALOR PRESENTE Os elementos integrantes do ativo e do passivo decorrentes de operações de longo prazo, ou de curto prazo quando houver efeito relevante, devem, ser ajustados a valor presente com base em taxas de desconto que reflitam as melhores avaliações do mercado quando o valor do dinheiro no tempo e os riscos específicos do ativo e do passivo em suas datas originais. (NBC TG 12, item 21) IFRS - CONTABILIDADE PARA PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS Apostila - pág. 40

49 AJUSTE A VALOR PRESENTE NBC TG 12 e a Lei n /2007 estabelecem o desconto a valor presente para contas a receber e a pagar de longo prazo e em alguns casos para as contas de curto prazo. Até 90 dias Curto prazo Acima de 90 dias Longo prazo IFRS - CONTABILIDADE PARA PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS Apostila - pág. 40

50 VENDA A PRAZO R$ AJUSTE A VALOR PRESENTE VENDA LÍQUIDA JUROS IFRS - CONTABILIDADE PARA PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS 1% a.m.

51 ATIVOPASSIVO Duplicatas a Receber Juros a Realizar (29.110) BALANÇO PATRIMONIAL IFRS - CONTABILIDADE PARA PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS

52 AJUSTE A VALOR PRESENTE Não se aplica: Contratos de mútuo realizados entre partes relacionadas; Contrato onde não fica claro o prazo de vencimento; Quando não se possui a taxa, e também não é possível mensurá-la. IFRS - CONTABILIDADE PARA PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS Apostila - pág. 40

53 INSTRUMENTOS FINANCEIROS BÁSICOS Instrumento financeiro é um contrato que gera um ativo financeiro para a entidade, e um passivo financeiro ou instrumento patrimonial para outra entidade. IFRS - CONTABILIDADE PARA PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS Apostila - pág. 45

54 INSTRUMENTOS FINANCEIROS BÁSICOS Exemplos de instrumentos financeiros: Caixa; Depósitos à vista; Títulos, duplicatas, letras negociáveis, títulos a receber; Empréstimos a receber e a pagar; Títulos da dívida; Investimentos em ações. IFRS - CONTABILIDADE PARA PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS Apostila - pág. 45

55 RECONHECIMENTO INICIAL: TIPO DE INSTRUMENTO FINANCEIRO FORMA DE AVALIAÇÃO Vendas a crédito curto prazo. Vendas parceladas sem juros. Valor a vista, ou da nota fiscal. Valor presente. Vendas parceladas com juros. Valor presente. Empréstimos e financiamentos. Valor presente. Fornecedores a curto prazo.Valor da nota fiscal. IFRS - CONTABILIDADE PARA PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS Apostila - pág. 45

56 nPAGTOJUROSAMORTIZAÇÃO SALDO DEVEDOR 1862,00431,73430, , ,00400,77461, , ,00367,58494, , ,00332,00530, , ,00293,87568, , ,00252,99609, , ,00209,17652, , ,00162,19699, , ,00111,84750,16804, ,0057,86804,140,00 EMPRÉSTIMO R$ 6.000,00 TAXA DE JUROS 1% a.m. IFRS - CONTABILIDADE PARA PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS

57 INSTRUMENTOS FINANCEIROS BÁSICOS No final de cada período é preciso que a entidade avalie o valor recuperável dos ativos: havendo divergências os valores precisam ser reconhecidos imediatamente no resultado. IFRS - CONTABILIDADE PARA PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS Apostila - pág. 45

58 DUPLICATAS DESCONTADAS Quando o Banco assume o risco: D = Bancos C/C (AC) R$ ,00 D = Despesas com Juros (DR)…………… ……. R$ 2.000,00 C = Duplicatas a Receber (AC)…..…… …….... R$ ,00 Quando o Banco não assume o risco: D = Bancos C/C (AC)………………………..………………..R$ ,00 D = Despesa com Juros (DR)………… …..….R$ 2.000,00 C = Desconto de Duplicatas (PC)………… ….R$ ,00 IFRS - CONTABILIDADE PARA PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS Apostila - pág. 47 e 48

59 ESTOQUES Ativos mantidos para venda no curso normal dos negócios, no processo de produção para venda ou na forma de materiais ou suprimentos para serem utilizados no processo de industrialização ou na prestação de serviços. IFRS - CONTABILIDADE PARA PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS Apostila - pág. 49

60 ESTOQUES Mensuração Menor valor entre: custo e o preço de venda estimado diminuídos dos custos para completar a produção e despesas de venda. IFRS - CONTABILIDADE PARA PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS Apostila - pág. 49

61 CUSTOS DOS ESTOQUES IFRS - CONTABILIDADE PARA PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS Apostila - pág. 49

62 ESTOQUES Não integram o custo dos estoques: Quantidade anormal de material; Horas Extras; (Quantidade Anormal) Despesas com vendas; Despesas Financeiras. IFRS - CONTABILIDADE PARA PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS Apostila - pág. 49

63 ESTOQUES – COMPRA PARCELADA D = Estoques (AC)……… …………..R$ ,00 D = Juros a Transcorrer (conta redutora PC)..R$ 2.000,00 C = Fornecedor (PC)…………………………...R$ ,00 BALANÇO PATRIMONIAL Ativo ,00 Passivo ,00 Circulante Estoques ,00 Fornecedor ,00 Juros a Transcorrer (2.000,00) IFRS - CONTABILIDADE PARA PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS Apostila - pág. 50 *** Exceto: Ativo Qualificável ou Elegível ***

64 PROPRIEDADE PARA INVESTIMENTO Terrenos, edificações ou outras participações imobiliárias que o investidor possui como forma de investimento buscando retorno através da valorização imobiliária ou ainda para aluguéis. IFRS - CONTABILIDADE PARA PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS Apostila - pág. 51

65 PROPRIEDADE PARA INVESTIMENTO O reconhecimento inicial será realizado através do custo, que abrange o preço de compra e demais custos diretos como: corretagens, tributos e outros. IFRS - CONTABILIDADE PARA PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS Apostila - pág. 51

66 PROPRIEDADE PARA INVESTIMENTO Subsequente avaliar pelo valor justo por meio do resultado, quando isto não for possível o investimento deve ser contabilizado como imobilizado e ser tratado como tal. Quando tiver ganho ficar atento para provisão de tributos diferidos. IFRS - CONTABILIDADE PARA PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS Apostila - pág. 51

67 IMOBILIZADO São ativos tangíveis que a entidade mantém para uso na produção, ou fornecimento de bens ou serviços para aluguel a terceiros ou para fins administrativos e que espera que sejam utilizados durante mais de um período. IFRS - CONTABILIDADE PARA PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS Apostila - pág. 52

68 IMOBILIZADO IFRS - CONTABILIDADE PARA PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS Apostila - pág. 52 Reconhecimento: a) Quando for provável que algum benefício econômico futuro flua para entidade e o custo ou valor possa ser medido em bases confiáveis. b) Quando a entidade assume os RISCOS, BENEFÍCIOS e o CONTROLE do imobilizado.

69 VENDE-SETERRENO O terreno está registrado.

70 IMOBILIZADO Terrenos e edificações eles precisam ser contabilizados em separado, mesmo quando adquiridos conjuntamente. IFRS - CONTABILIDADE PARA PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS Apostila - pág. 52

71 IMOBILIZADO Mensurado inicialmente pelo seu custo: todos os custos diretos necessários para colocar o bem em condições de uso. Reposição de peças; Inspeção Regular Importante. Custo atribuído na adoção inicial. IFRS - CONTABILIDADE PARA PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS Apostila - pág. 52

72 IMOBILIZADO Teste de Impairment: Apenas quando existir uma indicação relevante de alteração. (PME) IFRS - CONTABILIDADE PARA PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS Apostila - pág. 52

73 CÁLCULO DA DEPRECIAÇÃO Valor Contábil ,00 Máx. Recuperável16.000,00 Novo Valor Contábil16.000,00 Outras informações no Laudo de Impairment - Vida útil8 anos - Valor ResidualR$ 2.000,00 Cálculo da Depreciação , , Cálculo do percentual da Depreciação / = 0, x 100 x ,94% ao ano IFRS - CONTABILIDADE PARA PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS

74 DEPRECIAÇÃO A diferença no cálculo da depreciação contábil introduzida pela Lei nº /2007 e Lei nº /2009, NÃO TERÁ EFEITO para fins de apuração do lucro real da pessoa jurídica, devendo ser considerados para fins tributários, os métodos e critérios contábeis vigentes antes do IFRS. O contribuinte deverá efetuar o ajuste dessa diferença no Fcont e no Lalur. Fonte: Solução de Consulta RFB 184/2012 IFRS - CONTABILIDADE PARA PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS

75 ATIVO INTANGÍVEL Ativo não monetário identificável sem substância física. Identificável quando: For separável, ou seja, puder ser dividido ou separado da entidade e vendido, transferido, licenciado, alugado ou trocado individualmente ou junto com contrato relacionado, ativo ou passivo; Proveniente de direitos contratuais ou legais independente de tais direitos serem transferíveis ou separáveis da entidade ou de outros direitos e obrigações. IFRS - CONTABILIDADE PARA PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS Apostila - pág. 56

76 ATIVO INTANGÍVEL Não são considerados ativos intangíveis: Ágio por expectativa de rentabilidade futura – Goodwill. (Investimento – BP Individual e no Consolidado é Intangível); Ativos intangíveis mantidos para venda no curso normal (estoques); Ativos financeiros; Direitos de exploração de recursos minerais; Pesquisa e Desenvolvimento de produtos. IFRS - CONTABILIDADE PARA PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS Apostila - pág. 56

77 ATIVO INTANGÍVEL Mensuração inicial: custo, considerando o preço de compra, tributos não recuperáveis e outros custos diretamente atribuíveis. IFRS - CONTABILIDADE PARA PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS Apostila - pág. 56

78 ATIVO INTANGÍVEL [...] de cada seis dólares, apenas um aparece no balanço, enquanto os outros cinco remanescentes representam ativos intangíveis. (PACHECO, Vicente. Mensuração e Divulgação do Capital Intelectual nas Demonstrações Contábeis: teoria e empiria. Curitiba: CRC/PR, p. 18.) Reconhecimento: quando for provável que benefícios econômicos futuros e o custo ou valor puder ser mensurado de maneira confiável e não resultar de gastos internos. IFRS - CONTABILIDADE PARA PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS Apostila - pág. 56

79 ATIVO INTANGÍVEL Mensuração subsequente: custo menos qualquer amortização ou perda por redução ao valor recuperável. IFRS - CONTABILIDADE PARA PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS Apostila - pág. 56

80 ATIVO INTANGÍVEL Quando o intangível não possuir vida útil definida contratualmente considera-se que seja de dez anos. IFRS - CONTABILIDADE PARA PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS Apostila - pág. 56

81 ARRENDAMENTO MERCANTIL Arrendamento mercantil financeiro: é aquele onde se transferem substancialmente todos os riscos e benefícios inerentes à propriedade. IFRS - CONTABILIDADE PARA PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS Apostila - pág. 59

82 ARRENDAMENTO MERCANTIL OPERACIONAL Arrendamento mercantil operacional: é aquele onde não se transferem substancialmente todos os riscos e benefícios inerentes à propriedade. IFRS - CONTABILIDADE PARA PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS Apostila - pág. 59

83 ARRENDAMENTO MERCANTIL - ARRENDATÁRIO Veículo em 36 x R$ 1.000,00 Valor de Mercado R$ ,00 FINANCEIROOPERACIONAL Contabilização D= Veículos C= Leasing D= Juros a transcorrer BALANÇO PATRIMONIAL Ativo Passivo Imobilizado Veículos Leasing Juros a trans. (10.000) Contabilização D= Despesa Leasing C= Caixa/Leasing a pagar NÃO ATIVAR O BEM IFRS - CONTABILIDADE PARA PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS Apostila - pág. 59

84 RECONHECIMENTO DA RECEITA DE VENDA EXIGE SIMULTANEAMENTE Transferência para o comprador dos riscos e benefícios mais significativos do produto; Não exista mais por parte da entidade vendedora a gestão dos produtos; O valor da transação é possível de ser mensurado de maneira confiável; É provável que os benefícios econômicos associados com a transação fluirão para a entidade; IFRS - CONTABILIDADE PARA PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS Apostila - pág. 63

85 RECONHECIMENTO DA PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS EXIGE SIMULTANEAMENTE O valor do Serviço pode ser mensurado de maneira confiável; É provável que benefícios econômicos associados com a transação fluirão para a entidade; O estágio de execução pode ser mensurado de forma confiável; Os custos incorridos ligados a transação podem ser mensurados de maneira confiável. IFRS - CONTABILIDADE PARA PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS Apostila - pág. 63

86 RECONHECIMENTO DA RECEITA CONTRATO DE CONSTRUÇÃO A medida que a construção for realizada, independente do recebimento. IFRS - CONTABILIDADE PARA PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS Apostila - pág. 63

87 ROYALTIES Os royalties são reconhecidos pelo regime de competência de acordo com a substância do acordo comercial. IFRS - CONTABILIDADE PARA PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS Apostila - pág. 63

88 DIVIDENDOS / JUROS Os dividendos são reconhecidos quando o direito do acionista ou sócio estiver estabelecido. IFRS - CONTABILIDADE PARA PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS Apostila - pág. 63 Os juros são reconhecidos pela entidade usando o método da taxa efetiva de juros.

89 ADOÇÃO INICIAL Balanço de Abertura Saldo do Balanço de Abertura 01/01/2011 Data de Transição 31/12/2012 Apresenta 1 ªs. DC em IFRS IFRS - CONTABILIDADE PARA PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS Apostila - pág. 65

90 ADOÇÃO INICIAL São procedimentos importantes: a) Reconhecer todos os ativos e passivos cujos reconhecimentos são exigidos; b) Não reconhecer itens que não são exigidos; c) Reclassificar itens que assim são exigidos; d) Aplicar a NBC TG 1000 para todos os ativos e passivos; IFRS - CONTABILIDADE PARA PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS Apostila - pág. 65

91 ADOÇÃO INICIAL e) Os reconhecimentos de ajustes para adequação de anos anteriores devem ser realizados diretamente nos lucros ou prejuízos acumulados; IFRS - CONTABILIDADE PARA PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS Apostila - pág. 65

92 Imobilizado; Propriedade para Investimento CUSTO ATRIBUÍDO – ADOÇÃO INICIAL Custo Atribuído Valor Justo Fechamento 1ª s DC em IFRS IFRS - CONTABILIDADE PARA PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS Nota: aplicável também na Adoção Inicial para Entidades sem Finalidade de Lucros. (ITG 2002, Item 21) Apostila - pág. 65

93 CUSTO ATRIBUÍDO – ADOÇÃO INICIAL Contabilização Custo atribuído D = Máq. e Equipamentos (ANC)….……….... R$ ,00 C = Ajuste de Avaliação Patrimonial (PL)…… R$ ,00 Provisão dos Tributos sobre Ganho de Capital D = Ajuste de Avaliação Patrimonial …………R$ 7.500,00 C = Tributos Diferidos ……………………….…R$ 7.500,00 IFRS - CONTABILIDADE PARA PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS Apostila - pág. 65

94 CUSTO ATRIBUÍDO ATIVO Imobilizado Máquinas e Equipamentos PASSIVO Não Circulante Tributos Diferidos PL Ajuste de Av. Patrimonial Depreciação Acumulada 10% D= Despesas com Depreciação. (DR) C= Depreciação Acumulada (Redutora do Ativo) R$ 5.000,00 Baixa Ajuste de Av. Patrimonial 10% D= Ajuste de Avaliação Patrimonial C= Lucros e Prejuízos Acumulados R$ 4.250,00 Baixa do Tributo Diferido 10% D= Tributos Diferidos C= Outras Receitas Operacionais(DR) R$ 750,00 IFRS - CONTABILIDADE PARA PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS

95 ADOÇÃO INICIAL BALANÇO PATRIMONIAL EM 31/12/2010 (01/01/2011) ATIVOPASSIVO BALANÇO ORIGINAL BALANÇO ABERTURA BALANÇO ORIGINAL BALANÇO ABERTURA CIRCULANTE NÃO CIRCULANTE TOTAL ATIVOTOTAL PASSIVO CAIXA BANCOS CLIENTES ESTOQUES IMÓVEIS MÁQ. EQUIP. CONSTRUÇÕES TERRENOS FORNECEDORES SALÁRIOS TRIBUTOS A REC. CONTRATO MÚTUO PATRIMÔNIO LÍQ. CAPITAL SOCIAL AJUSTE AV PATRIM LUCROS ACUMUL MELHOR ESTIMATIVA ,00 D=LUCROS E PREJUÍZOS AC ,00 C=TRIBUTOS A REC ,00 H=AJUSTE NA ADOÇÃO INICIAL VALOR JUSTO ,00 D=IMÓVEIS ,00 C=AJUSTE AV PAT ,00 H= CUSTO ATRIBUÍDO NA ADOÇÃO INICIAL TERRENO ,00 CONSTRUÇÃO ,00 100, , , , , , , , , , , , , , , , ,000, , , , ,00 IMOBILIZADOTRIB. DIFERIDOS33.000,00 D= AJUSTE AV. PAT ,00 C= TRIBUTOS DIFERIDOS ,00 0,00

96 IFRS - CONTABILIDADE PARA PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS PERGUNTAS 2013 O ANO DA CONTABILIDADE!

97 TIPOS DE PROFISSIONAIS Papagaio; Urubu; Águia. IFRS - CONTABILIDADE PARA PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS

98 OBRIGADO!


Carregar ppt "IFRS - C C C CONTABILIDADE PARA PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS. ProfºLaudelino Jochem NBC TG 1000."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google