A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Por que escrever Projetos, Relatórios, Monografias, TCCs, Dissertações, Teses, Artigos é tão complicado? 1.A ABNT não é o monstro que pintamos ! 2.As.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Por que escrever Projetos, Relatórios, Monografias, TCCs, Dissertações, Teses, Artigos é tão complicado? 1.A ABNT não é o monstro que pintamos ! 2.As."— Transcrição da apresentação:

1

2 Por que escrever Projetos, Relatórios, Monografias, TCCs, Dissertações, Teses, Artigos é tão complicado? 1.A ABNT não é o monstro que pintamos ! 2.As Normas existem para serem consultadas e não para serem memorizadas. 3.A escrita científica e a técnica têm regras bem definidas. Quanto mais cedo iniciar o contato com elas, menos assustadoras ELAS serão.

3 O que é a escrita técnica A escrita técnica é objetiva. Nós, brasileiros, temos a língua portuguesa como ferramenta na comunicação e, assim, é normal o confronto com algumas dificuldades na comunicação científica, uma vez que o português é uma língua estruturalmente poética, romântica, subjetiva. Mesmo no mundo acadêmico, encontramos pessoas emperradas para escrever ou, por outro lado, pessoas que escrevem demais, porém sem rumo, sem jeito, sem forma... AQUINO, (2010: p.27)

4 Escreva, em uma página, o seu cotidiano. Tempo: 5 minutos Agora procure colocar o que escreveu no seguinte formato: Introdução – Quem é você? O que faz? Atividades da manhã Atividades da tarde Atividades da noite Conclusão Ficou mais lógico?

5 DICA NUNCA ESCREVA UMA FRASE SEM SENTIDO OU LONGA DEMAIS. A ESCRITA CIENTÍFICA É CLARA, OBJETIVA E COM FRASES CURTAS. (Aquino)

6 A NBR 14724/2005 emitida pela ABNT para a APRESENTAÇÃO DE TRABALHOS estabelece os padrões (teses, dissertações,monografias e outros), visando sua apresentação formal à instituição (banca, comissão examinadora de professores, especialistas designados e/ou outros).

7 TÍTULO Simples, completo, curto. 10 a 20 palavras é o ideal para artigos científicos. Para a Monografia pode ter um limite de 50 palavras. Secador de Frutas - alternativa para pequena agroindústria Sistema informatizado aplicado a gestão de acervos Jogo "Empreendedorismo" - o desafio de apreender a empreender

8 AUTORES COAUTORES (COLABORADORES) Coordenador do projeto Demais autores ALUNOS PROFESSORES. ORIENTADORES Nível de participação Ordem alfabética AFILIAÇÃO (Instituição, Escola, Secretaria, Departamento...) e (ARTIGO)

9 A PRIMEIRA IMPRESSÃO É A QUE FICA ! RESUMO Amostra do todo: Introdução, objetivos, material e métodos, resultados e conclusões. Em geral, até 500 palavras.

10 RESUMO ABSTRACT / RESUMEN PALAVRAS-CHAVE (ou Unitermos ou Termos para indexação) – até 6 palavras relacionadas com a pesquisa. ABNT: Cada palavra-chave separada por vírgula e iniciada com letra maiúscula.

11 INTRODUÇÃO Introdução vem do latim "introducere", composto de "intro" (dentro) + "ducere" (conduzir, levar) e significa literalmente levar para dentro. = to introduce (inglês), que tem a mesma origem latina e significa apresentar. Portanto, a Introdução nada mais é do que a apresentação do seu trabalho e deve despertar o interesse do leitor. Geralmente a Introdução deve conter informações que levem em consideração: O presente – a relevância da pesquisa; O passado – o que já foi feito sobre o tema; O futuro – o que se pretende, os objetivos.

12 OBJETIVO(S) Pode estar no corpo da Introdução (slide anterior) ou em um item específico. Objetividade, clareza, simplicidade. OBSERVABILIDADE Evitar citações bibliográficas e outros detalhes que estarão nos itens posteriores. OBJETIVOS GERAIS OBJETIVOS ESPECÍFICOS OBJETIVOS OPERACIONAIS

13 O QUE SÃO METAS ? Representação mensurável dos objetivos. A cada objetivo estabelecido correspondem uma ou mais metas, que indicarão se ele foi atingido ou não. MARTE – Mensurável? Aplicável? Relevante? Temporal? Específica?

14 EXERCÍCIO Objetivo Geral Harmonizar a nomenclatura de fármacos e de excipientes utilizados em medicamentos. Objetivos específicos Propor normas e recomendações para a nomenclatura de fármacos e de excipientes utilizados em medicamentos; Estabelecer ou adequar regras de tradução de nomenclatura para fármacos e excipientes; Revisar e atualizar as Denominações Comuns Brasileiras (DCBs); Elaborar o Manual de Nomenclatura para Registro de Medicamentos; Adotar a proposta oficialmente; Metas ????????? Fonte:

15 MATERIAIS E MÉTODOS (ou METODOLOGIA) Projeto realizado – verbo no passado Projeto a ser realizado – verbo no futuro Material utilizado Local de desenvolvimento Equipes (pessoas) envolvidas Método(s) adotados Para artigos e relatórios: Não ser nem sucinto e nem detalhista demais... Para MONOGRAFIAS, dissertações, teses, TCCs: O detalhamento é importante.

16 FIGURA OU ILUSTRAÇÃO: Inclui gráficos, ilustrações, desenhos, fotos, e qualquer outro material que não seja classificado com o quadro nem tabela. Pode ser usado em qualquer ponto do trabalho. Pode ser digitalizada (escaneada), copiada e colada, feita no powerpoint, no próprio Word, ou em outros softwares. Recomenda-se que não sejam usadas figuras de altíssima resolução para não sobrecarregar muito o arquivo. O número da figura e o título e a fonte devem vir abaixo da figura. Figura 1 - Fluxo de materiais off site. Fonte: Lacerda, 2003, p.10

17 DIETA NUNCA MAIS Tabela esclarece quanto representa uma porção de fruta ou vegetal Por editores abril postado às 10h09 Responsáveis por diversos processos metabólicos, as vitaminas e minerais são imprescindíveis para o bom funcionamento do organismo. Elas reforçam suas defesas, melhoram o humor, até trabalham a musculatura. Para obter esses e outros benefícios dos alimentos fontes dessas vitaminas, a Organização Mundial de Saúde recomenda a ingestão de três a cinco porções de frutas e verduras diariamente. Mas você sabe quanto representa cada porção? A nutricionista Fernanda Giácomo, consultora da FR Nutri esclarece suas dúvidas. Confira tabela abaixo: *Foto: Getty Images/ Tabela: Renata Gomes de Aguiar

18 Comparativo da U.E. nos últimos anos e Comparativo da U.E. com o Resultado Geral Fonte: Centro Paula Souza. Observatório Escolar. bProcesso=17&cmbEscola=337&BLC=OA== bProcesso=17&cmbEscola=337&BLC=OA==

19 SIMPLICIDADE É IMPORTANTE! Fonte:

20 QUADRO : É formado por linhas horizontais e verticais, sendo, portanto fechado. Normalmente é usado para apresentar dados secundários, e geralmente vem no referencial teórico. Nada impede, porém, que um quadro apresente resultados da pesquisa. Um quadro normalmente apresenta resultados qualitativos (textos). Pode usar espaçamento e fontes de letras com tamanhos menores que o do texto (não precisa seguir o mesmo padrão). Geralmente se o texto usa fonte Times New Roman 12, o quadro pode ser feito em fonte 10. O número do quadro e o título vêm acima do quadro, e a fonte deve vir abaixo. SaberesConceituações Saber comunicar Compreender, processar, transmitir informações e conhecimentos, assegurando o entendimento da mensagem pelo outro. Saber aprender Trabalhar o conhecimento e a experiência. Rever modelos mentais. Saber desenvolver-se e propiciar o desenvolvimento dos outros. Saber comprometer-se Saber engajar-se e comprometer-se com os objetivos da organização. Saber assumir responsabilidades Ser responsável, assumindo riscos e as consequências de suas ações, e ser, por isto, reconhecido. Ter visão estratégica Conhecer e entender o negócio da organização, seu ambiente, identificando oportunidades e alternativas Quadro 1 – Competências do Profissional Fonte: FLEURY & FLEURY (2001, p.22)

21 TABELA: Normalmente é usada para apresentar dados primários, e geralmente vem nos resultados e na discussão do trabalho. Nada impede, porém, que uma tabela seja usada no referencial teórico de um trabalho. Uma tabela normalmente apresenta resultados quantitativos (números). Pode usar espaçamento e fontes de letras com tamanhos menores que o do texto (não precisa seguir o mesmo padrão). Geralmente se o texto usa fonte Times New Roman 12, a tabela pode ser feita em fonte 10. O número da tabela e o título vêm acima do quadro, e a fonte, deve vir abaixo. As tabelas devem ser inseridas o mais próximo possível do texto relacionado. Se não couber em uma folha, deve-se continuar na folha seguinte, sem delimitação de linha horizontal entre as 2 partes. Repetir título e cabeçalho na folha seguinte. Evitar fios verticais para separar as colunas e horizontais para separar as colunas. Usar fios horizontais e verticais no cabeçalho. No final, usar fio horizontal. Procurar padronizar as tabelas no que se refere à forma, tamanho de fontes.

22

23 CERTOS CUIDADOS NÃO TRANSFORME SEU BANCO DE DADOS EM UM BANDO DE DADOS

24 Resultados / Discussão /Conclusões / Considerações Finais IMPORTANTE: Devem estar vinculados aos OBJETIVOS e às METAS.

25 RESULTADOS – O que você conseguiu? Aonde chegou na sua pesquisa? Texto explicativo + Tabela(s) ou Figura(s) ou Fotografias DISCUSSÃO – Argumentação sobre os RESULTADOS. Aquino (2010) recomenda que a discussão seja feita com foco em cada um dos parágrafos dos Resultados. O autor chama atenção para dados não apresentados no trabalho: não devem ser discutidos!

26 CONCLUSÃO OU CONSIDERAÇÕES CONCLUSÃO – Deve ser breve, objetiva e convincente. Um trabalho pode não ser conclusivo. Mas não pode ficar sem um fechamento. Então, podem ser apresentadas as CONSIDERAÇÕES FINAIS

27 REFERÊNCIAS – OBRIGATÓRIO – ABNT NBR 6023 – Todos os documentos citados devem aparecer em ordem alfabética – Espaço simples entre linhas, alinhadas à esquerda (e não no modo justificado), separadas entre si por 2 espaços simples. Sugestão de site: –

28 GLOSSÁRIO Elemento opcional, que consiste em uma lista em ordem alfabética, de palavras ou expressões técnicas de uso restrito ou de sentido obscuro, utilizadas no texto, acompanhadas das respectivas definições. APÊNDICES Elemento opcional, é um texto ou documento elaborado pelo próprio autor. ANEXOS Elemento opcional, que consiste em um texto ou documento não elaborado pelo autor, que serve de fundamentação, comprovação e ilustração.

29 ÍNDICES Elemento opcional, é uma lista de palavras ou frase, ordenadas segundo determinado critério (autor, assunto, etc.) que localiza e remete para as informações contidas no texto. (ABNT NBR 6034) O índice pode ser ordenado das seguintes formas: a) ordem alfabética; b) ordem sistemática; c) ordem cronológica; d) ordem numérica; e) ordem alfanumérica.

30 DICAS A escrita na forma impessoal geralmente é mais indicada do que a pessoal (mas depende..) Sempre salve seu arquivo em mais de um lugar Peça a mais de uma pessoa para ler o que você produziu (e esteja aberto a críticas e comentários) Palavras estrangeiras – itálico Faça anotações. Não confie na sua memória Utilize quadros, diagramas, fluxogramas sempre que for necessário para explicar melhor

31 DICAS Organize seu horário, separando uma parte para se dedicar à sua publicação. Não deixe para a última hora. Tenha, ao seu lado, cópia das normas, modelos e outras fontes de pesquisa. EVITE: Tradução via software Acreditar totalmente no corretor ortográfico do Windows Gírias Excesso de Tabelas e Figuras ou repetitivas

32 OUTRAS Referências: AQUINO, Italo de Souza. Como escrever artigos científicos. São Paulo: Saraiva, 2010 DENCKER, Ada de Freitas Maneti. Métodos e Técnicas de pesquisa em turismo. São Paulo – Futura, 1998 DENCKER, Ada de Freitas Maneti, VIÁ, Sarah Chucid. Pesquisa empírica em ciências humanas (com ênfase em Comunicação). São Paulo – Futura,2001 DEMO, Pedro. Metodologia científica em estudos sociais, 2.ed. São Paulo, Atlas, GIRELLO, Marilene (org.).Manual de orientação na elaboração de Referências. Baseado na NBR 6023 da ABNT. Piracicaba:2004. SAMARA, Beatriz Santos, BARROS, José Carlos. Pesquisa de Marketing: conceitos e metodologia. 2.ed.São Paulo: Makron Books, 1997.

33 OUTRAS Referências: ABNT – Associação Brasileira de Normas Técnicas. Apresentação de Citações de Documentos. Rio de Janeiro, dat., p (NBR 10520). ABNT – Associação Brasileira de Normas Técnicas. Apresentação de Relatórios Técnicos Científicos. Rio de Janeiro, dat., p (NBR10719) ABNT – Associação Brasileira de Normas Técnicas. Apresentação Referências Bibliográficas. Rio de Janeiro, dat., p> (NBR 6023) OLIVEIRA, Luciel Henrique de. Quadros, Tabelas e Figuras. Como formatar, como citar, qual a diferença? Notas de Aula. Metodologia Científica e Técnicas de Pesquisa em Administração. CNEC-FACECA. Mestrado em Administração. Varginha, Disponível em: academica/quadros-tabelas-e-figuras-como-formatar-como-citar-qual-a- diferenca/436/ Acessado em 01/04/ academica/quadros-tabelas-e-figuras-como-formatar-como-citar-qual-a- diferenca/436/ Manual para Elaboração Trabalhos Acadêmicos /Conforme a NBR 14724:2005. Porto Alegre, 2007


Carregar ppt "Por que escrever Projetos, Relatórios, Monografias, TCCs, Dissertações, Teses, Artigos é tão complicado? 1.A ABNT não é o monstro que pintamos ! 2.As."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google