A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

AVALIAÇÃO E MODELAGEM REOLÓGICA DE FLUIDOS DE PERFURAÇÃO BASE ÁGUA Mestranda: Klismeryane Costa de Melo Orientador: Prof Dr Eduardo Lins de Barros Neto.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "AVALIAÇÃO E MODELAGEM REOLÓGICA DE FLUIDOS DE PERFURAÇÃO BASE ÁGUA Mestranda: Klismeryane Costa de Melo Orientador: Prof Dr Eduardo Lins de Barros Neto."— Transcrição da apresentação:

1 AVALIAÇÃO E MODELAGEM REOLÓGICA DE FLUIDOS DE PERFURAÇÃO BASE ÁGUA Mestranda: Klismeryane Costa de Melo Orientador: Prof Dr Eduardo Lins de Barros Neto. Co-Orientador: Prof Dr Afonso Avelino Dantas Natal, Agosto de 2008

2 Perfuração de poços de petróleo - Estabilidade do poço Fluido de Perfuração Classificação – Fase dispersante -Base óleo, Base gás, Base água. INTRODUÇÃO

3 OBJETIVOS Geral O presente trabalho tem como objetivo principal estudar a influencia de viscosificantes utilizados em fluidos de perfuração (Bentonita, Goma Xantana e CMC), em parâmetros reológicos, de filtração e estabilidade do sistema fluido.

4 A aplicação dos fluidos de perfuração, atualmente, na indústria do petróleo é muito mais baseada em dados práticos, como habilidades e observações obtidas pelos operadores no campo, do que em dados científicos, o que dificulta o desenvolvimento e a melhoria para otimização do processo. JUSTIFICATIVA E RELEVÂNCIA

5 ASPECTOS TEÓRICOS Misturas de sólidos, líquidos e aditivos químicos Funções Carrear os cascalhos. Lubrificar a broca. Características Estabilizar as paredes do poço mecânica e quimicamente. Controle de pressões existentes nas camadas perfuradas. Aceitar tratamento de ordem física química e biológica. Apresentar custo compatível com a operação. etc. Fluido de Perfuração Conceito

6 ASPECTOS TEÓRICOS Densidade Parâmetros reológicos e Forças Géis Parâmetros de filtração Teor de sólidos Concentração Hidrogeniônica – pH Alcalinidades Teor de cloretos ou salinidade Teor de bentonita ou de sólidos ativos Fluido de Perfuração Propriedade

7 MATERIAIS E MÉTODOS Formulações de Fluido Para a preparação do fluido utilizaremos um aparelho de dispersão (Hamilton Beach- Fann). Reagentes de estudo : CMC ADS, Goma Xantana e Bentonita. Hidratação do polímero/argila – 24 Horas Figura 1. Agitador Hamilton Beach-Fann

8 Ensaios Reológicos Sistema com sensores de cilindros coaxiais. Reômetro operando no modo CR (taxa controlada). Resposta – curvas de fluxo (tensão x taxa de cisalhamento). MATERIAIS E MÉTODOS Figura 2. Reômetro MARS

9 Ensaio de Filtração Célula de Filtração HPHT. Pressão do sistema 100 psi. Tempo de filtração – 6 horas MATERIAIS E MÉTODOS Figura 3. Célula de filtração HPHT

10 Ensaios de estabilidade Curvas de estabilidade em função da concentração e dos aditivos de estudo. MATERIAIS E MÉTODOS Figura 4. Lumisizer

11 Figura 5. Curvas de fluxo em relação a taxa de cisalhamento ou histerese para o fluido preparado com (A) 0.8 g/cm3 GX e (B) 6.0 g/cm3 RESULTADOS (A) (B) AB

12 Um estudo detalhado sobre a influência de cada aditivo dentro de sistemas utilizados como fluido de perfuração permitiu otimizar formulações de fluido, reduzindo custos e melhorar propriedades de fundamental importância para o bom desenvolvimento da perfuração de um poço de petróleo. CONCLUSÃO

13 CRONOGRAMA ATIVIDADES TRIMESTRES ª4ª1ª2ª3ª4ª1ª2ª3ª4ª Curso de disciplinas Pesquisa bibliográfica Construção da célula de filtração Espera pelo recebimento de aditivos Realização de experimentos em laboratório Qualificação Defesa da tese de mestrado

14 AGRADECIMENTOS Deus!!!


Carregar ppt "AVALIAÇÃO E MODELAGEM REOLÓGICA DE FLUIDOS DE PERFURAÇÃO BASE ÁGUA Mestranda: Klismeryane Costa de Melo Orientador: Prof Dr Eduardo Lins de Barros Neto."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google