A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

A doença não é um problema com o qual devamos nos preocupar. Se alguém ficar doente essa pessoa sempre terá a cura à sua disposição. As pessoas adoecem.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "A doença não é um problema com o qual devamos nos preocupar. Se alguém ficar doente essa pessoa sempre terá a cura à sua disposição. As pessoas adoecem."— Transcrição da apresentação:

1

2

3 A doença não é um problema com o qual devamos nos preocupar. Se alguém ficar doente essa pessoa sempre terá a cura à sua disposição. As pessoas adoecem por falta de fé. Se elas crerem, a cura estará à espera delas. Muitas pessoas estão doentes por desconhecer seus direitos como cristãs. Alguns estão doentes simplesmente por que não pedem ajuda

4 Em alguns casos, existe o pecado não confessado, e isso bloqueia o poder da cura. Por fim, há quem permaneça doente por deixar de expulsar Satanás. Há um espírito de miséria que paira sobre as pessoas e então faz um verdadeiro show de expulsão de demônios e de libertação das enfermidades. por eles causadas. Entretanto, de qualquer modo, a causa principal está no cristão ou no diabo; nunca se trata de uma questão da vontade de Deus.

5 Para os seguidores da Teologia da Prosperidade, os grandes homens de fé da Bíblia, foram capazes de realizar tantas coisas não por causa da providencia de Deus ou por fé, mas sim, porque eles conheciam que lhes pertenciam por direito. Portanto, a primeira condição para que o cristão tenha saúde, sucesso, uma excelente situação financeira é conhecer aquilo que pertence. A passagem-chave para explicar isso é Gálatas

6 Segundo a Teologia da Prosperidade, a verdadeira fé não fica apenas esperando para ver se Deus irá responder à oração. Ela exige seus direitos e pressupõe que eles foram respeitados por causa da força da oração feita. Portanto a verdadeira fé em três características: 1º) Exige seus direitos 2º) Exige-os em nome de Jesus 3º) Nunca duvidar.

7 O tipo de fé que obtém resultados, não apenas exige seus direitos em nome de Jesus, mas também faz isso de uma forma que nunca demonstra hesitação ou dúvida. A fé precisa ser totalmente segura de si mesma tão segura que, ainda que pareça que o pedido não foi atendido, o fiel continue a fazer um quadro mental daquilo que quer e não pare de crer que obterá o que deseja.

8 Na Teologia da Prosperidade a fé é uma força. Ela é a substancia da qual o universo foi feito e também a força que faz funcionar as leis do mundo espiritual. Por meio de fórmulas, não somente fazem funcionar as leis do mundo espiritual, mas também servem de causa à ação do Espírito Santo. Isso significa que Deus é deslocado para uma posição de mensageiro que responde cegamente a chamada de fórmulas proferidas pelos fiéis.

9 Essa doutrina ensina que as confissões servem para dar efeito à formula da fé, fazendo com que a lei espiritual funcione em favor de quem as pronuncia. As confissões positivas ativam o lado positivo, as negativas ativam o lado negativo ou seja é a nossa confissão que nos governa Kenneth Hagin em um dos seus livros ensina a ter fé na fé, em oposição a ter fé em Deus.

10 A regra mais simples é a palavra. As palavras governam. É através delas que aprendemos a ativar a força da fé. Os passos são: Diga-o. Tudo depende da pessoa, de acordo com o que disser é que acontecerá. Faça -o. Seus atos derrotam-no ou lhe dão vitória. De acordo com sua ação, você será impedido ou receberá.

11 Recebe -o. Compete a pessoa receber basta conectar. Conte -o. A fim de que outros também possam crer e assim que o movimento se expande. Outra fórmula é : Ver ou visualizar qualquer coisa que você precisa, quer seja física, financeira etc. Depois reivindicar, falando é uma maneira de trazer a existência.

12 Assim ao orar, o cristão nunca deve usar a expressão se for da sua vontade, pois isso é uma demonstração de dúvida.

13 . A fé verdadeira é chamada fé do tipo de Deus, pois é totalmente autoconfiante, tal como a fé que Deus empregou ao criar o mundo. Deus está exercendo a fé, pois cria na existência de coisas que ainda não tinha visto, mas que sabia que viriam a existir. O fiel tem que ter essa mesma fé que Deus tem, isto é, confiança em si mesmo.

14 Nesse estranho universo, a Fé é o rei, e Deus o servo. Em outras palavras o deus da Teologia da Prosperidade não é o mesmo Deus da Bíblia. Por tanto, a tarefa da Teologia da Prosperidade é eliminar a falta de conhecimento acerca da real condição dos cristãos e, desse modo, espalhar saúde e prosperidade.

15

16 A Bíblia é muito realista quanto às condições nesta vida. Jesus disse a seus discípulos... No mundo passais por aflições.....( Jo16.33). Com certeza essa dura constatação corresponde à experiência da maioria dos cristãos. Os próprios apóstolos são bons exemplos. Em I Coríntios 4.11 Paulo diz que, junto com os outros apóstolos, passou por fome, sede, escassez de roupas, tratamentos cruéis etc.

17 Paulo nunca ensinou que os cristãos devem-se dirigir a Deus, exigindo dele a solução dos problemas; antes, devem-se voltar para Deus a fim de saber como podem servir em gratidão. Apesar das dificuldades, a doutrina do serviço ensinada por Paulo nega e contradiz completamente as promessas de prosperidade.

18 Entretanto, a Bíblia responde com muitos exemplos de homens e mulheres fiéis que sofreram doenças de vários tipos. Por exemplo, 2Reis relata a morte de Eliseu provocada por uma doença não identificada, embora ele continuasse sendo porta-voz de Deus até o fim. Em 2 Corintios1.3-11, Paulo fala de uma tribulação sofrida na Ásia, usando palavras que lembram uma enfermidade física..

19 Timóteo tinha uma doença estomacal crônica. (I Timóteo 5.23). Em muitas passagens bíblicas, fraquezas, enfermidades são vistos como resultado da escolha pessoal de Deus. Deus tem uma razão para elas e, embora muita coisa ainda não tenha sido revelada.

20 Nos textos bíblicos podemos distinguir pelo menos três razões para o sofrimento e doenças. São elas: - provações e crescimento - disciplina e punição - a glória de Deus.

21 Em primeiro lugar. Deus envia aflições aos fiéis, a fim de prová-los e fazê-los crescer. (I Pedro 4.12). (Atos 14.22) (2 Corintios ). Os pregadores da teologia da prosperidade afirmam que, todas as aplicações, a palavra aflições ou tribulações pode significar um teste da parte de Deus, mas isso jamais envolverá doença.

22 Entretanto, um estudo das aplicações da palavra Aflição na Bíblia revelará que ela é um termo amplo que inclui quase todo tipo de experiência difícil ou dolorosa, até mesmo as doenças. E o sofrimento por Cristo ou com Cristo inclui todos os problemas e provações que sobrevêm ao Cristão na presente era, e as doenças não estão excluídas. (Romanos 8.17). ( 2 Corintios )

23 Paulo descreve seu espinho na carne, passagem crucial para a doutrina da prosperidade, pois eles não podem ceder nesse ponto, pois isso acarretaria a prova bíblica definitiva de que nem sempre Deus remove as enfermidades de seus fiéis e de que às vezes Ele tem propósito ao permitir que seus servos sofram.

24 Em segundo lugar, a Bíblia diz que Deus emprega as aflições, incluindo doenças, com fins disciplinares ou punitivos, tanto para os cristãos como para os incrédulos, e isso pode incluir até a morte. (Hebreus12.6). (I Corintios ).

25 Em terceiro lugar. Deus usa a doença humana para sua glória. Das verdades espirituais relacionadas com o ensino bíblico sobre sofrimento, esta é a mais difícil de se entender. Mas pelo os exemplos bíblicos demonstram que ela é verdadeira. Um dos exemplos é a história de Jó. Jó foi declarado inocente (Jó 1.8),

26 Outro exemplo está em João 11, Lázaro, amigo pessoal e intimo de Jesus, adoece. E o espinho na carne de Paulo (2 Corintios 12). Paulo era mestre em lógica e em argumentação. Mas em nenhum lugar ele fala de cura e prosperidade como parte de nossos direitos em Cristo. Em vez disso, o destaque sempre fica para o perdão dos pecados e para o que significa ganhar ou perder a vida eterna.

27

28 Primeiramente, fé não é força, a fé não pode ser concebida como uma força, que ativa as leis espirituais a serviço do cristão. Em oposição a esse ensino, a Bíblia é bem clara em ensinar que todas as orações, incluindo-se os pedidos de cura, estão subordinadas às decisões pessoais de Deus. Isso nega desde o princípio todas as idéias de magia ou confissão positiva.

29 Se Deus não optar por respondê-la, não importa quanta fé esteja envolvida da parte dos que oram. Se for da tua vontade orar dessa maneira é totalmente certo e bíblico e não é sinal de dúvida ou incredulidade, mas o reconhecimento humilde de nossa incapacidade de conhecer a mente de Deus ou de fazer suposições acerca de seus propósitos.

30 Jesus ficou satisfeito com a oração do leproso que foi até ele. ( Mt ). No Getsêmani, (Mc.14.36); (Mt. 6.10). Se for da tua vontade. Uns dos maiores exemplos registrados na Bíblia envolvendo a partícula se está em Daniel O envolvimento pessoal de Deus na resposta às orações de seu povo significa que oração não tem nada que ver com magia.

31 Fórmulas e métodos não têm vez na espiritualidade do cristianismo. Portanto não se deve pensar no nome de Jesus nem usá-lo como se fosse um encantamento que precisa ser falado. Esse tipo de espiritualidade é anátema ao cristianismo. Jesus prometeu a seus discípulos que se pedissem em seu nome, eles receberiam (Jo.16.24). Mas isso nunca quis dizer que a promessa seria automaticamente cumprida. Ela foi acompanhada de exigências rigorosas. O cristão deve permanecer Nele e permitir que sua palavra permaneça nele.

32 O cristão deve permanecer Nele e permitir que sua palavra permaneça nele. (João 15.7); o cristão deve guardar os seus mandamentos.. ( I João3.22) e orar de acordo com a sua vontade. (I João 5.14). Acima de tudo, Tiago observa que os motivos e objetos pelos quais o cristão ora são cruciais: (Tiago 4.3).

33 A Bíblia é muito clara ao ensinar que o nome de Jesus não pode ser utilizado como se portasse algum poder secreto ou atuasse com uma expressão mágica que traz resultados por meio de sua repetição. Veja em Atos

34 A Bíblia ensina que Deus detém o controle soberano total para decidir quando deve dizer sim e quando deve dizer não a uma oração. Não existe nada parecido com o uso da fé como força para que o cristão receba seus direitos. Resumindo, o primeiro princípio da doutrina bíblica da providência diz que Deus sustenta o mundo por meio de suas decisões. Isso nega desde o começo todas as idéias vinculadas ao aspecto da exigência da espiritualidade da prosperidade. Nunca haverá a menor chance de a fé ser usada como força para a conquista na esfera espiritual.

35 A Bíblia mostra que nem sempre Deus responde a todas as orações. Moisés é um exemplo disso. Foi maravilhoso o relacionamento de Moisés com Deus. Ele falava face a face com Deus (Êxodo.33;11), porém quando Moisés rogou fervorosamente a Deus que lhe permitisse entrar na terra prometida, o Senhor não o atendeu (Dt. 3;23-27).

36 Paulo também orou três vezes ao Senhor sobre o seu espinho na carne e Deus não respondeu como o apóstolo pediu. Mas Deus lhe deu uma coisa muito melhor Sua Graça, para servir a Deus vitoriosamente, mesmo em fraquezas. (2Cor.12;7-10). O próprio Jesus orou ao Pai pedindo que, se fosse possível, o cálice do sofrimento fosse afastado dele, mas Ele foi à cruz e morreu (Mt.26;39).

37 Em Hebreus 11, o grande capítulo da fé, onde há uma galeria de heróis da fé, alguns experimentaram vitórias notáveis, mas outros foram severamente maltratados, torturados e até mortos. (Hb.11;35-40).

38

39 – O cristão deve ter discernimento espiritual (1Co 2.15). Discernimento é a habilidade conferida pelo Espírito Santo ao cristão para distinguir o real do aparente e a verdade da mentira. É a capacidade de escolher entre o bem e o mal, é a capacidade sobrenatural para se distinguir a fonte da manifestação espiritual

40 De acordo com uma enciclopédia bíblica, tanto o verbo discernir quanto o substantivo discernimento ocorrem apenas quatro vezes no Novo Testamento. E no grego estão baseados no verbo krino, que basicamente significam peneirar ou distinguir, selecionar ou separar O adjetivo kritikós, denotando aquele que tem a forma de um juiz, que é capaz de julgar (....) é empregado para a palavra de Deus em Hebreus 4.12

41 O crente deve exercitar a sua consciência, os sentidos, a mente para saber a diferença entre a verdade e o erro, entre o uso correto e incorreto das Escrituras. Além disso, discernir não é uma opção, mas um mandamento bíblico: ( I Ts 5:21). ( Mt.24.24). ( I João 4.1).

42 De acordo com o escritor do livro de Hebreus, o discernimento é uma das marcas da maturidade espiritual. ( Hb. 5:13-14). - O cristão deve ter cuidado nas livrarias e editoras evangélicas – O cuidado na educação teológica – O cuidado na escolha da igreja

43 - Desenvolva uma compreensão completa e saudável da Escrituras. Quanto mais o cristão compreender a Palavra de Deus, mas facilmente ele poderá distinguir a verdade do erro. Estude a Bíblia a sós ou em grupo. A melhor maneira de combater o falso é conhecer a verdade, isto é, a Palavra de Deus.

44 - Participe de seminários sobre seitas. Os que participam de tais eventos serão vacinados contra as heresias que abundam hoje e o rebanho do Senhor ficará mais protegido doutrinariamente. Seja um crente bereano para não ser levado por todo o vento de doutrina. Adotando a atitude que eles tiveram.

45 Vivemos numa sociedade do entretenimento em que a diversão, o imediatismo e a superficialidade são os fios condutores de uma espiritualidade fácil, instantânea e medíocre. Tudo é movido por uma busca ansiosa por qualificação imediata e sensações cada vez mais intensas. A própria vida espiritual virou projeto de boa vida, em que Deus se transforma num mero garçom e Evangelho, em moeda de troca para se alcançar o bem-estar. O fast food gospel nos leva a uma espiritualidade sem compromisso, Somos levados por uma cultura de massa. Estamos deixando de ser sal da terra luz do mundo. ( Lourenço Stello Rega, Fast food gospel, Eclésia nº 45, p.45).

46 O propósito ao longo desse trabalho é ajudar o cristão a discernir entre a verdade e o erro. Que através dele muitos possam abandonar uma superfé que serve apenas para incentivar o crente à ganância, à sede do poder terreno e a querer exercitar poderes espirituais que as Escrituras nunca lhe conferiram. A Igreja precisa urgentemente deixar de estabelecer doutrinas sobre experiências, interpretações particulares, e ídolos humanos, voltando a fé simples que glorifica a Deus e não ao homem, tendo a Bíblia como a autoridade final, a única autoridade para nossa vida.

47 Portanto, amado irmão, lembre-se da palavra do Senhor Jesus, o qual sempre pregou o amor ao próximo. Tenha um coração simples como a pomba, humilde, misericordioso, mas seja prudente como a serpente, e não se deixe levar por palavras suaves, promessas de cura, prosperidade etc. as quais têm na verdade, alguma aparência de sabedoria, mas não é de valor algum, senão para a satisfação da carne. (Mt.10.16)


Carregar ppt "A doença não é um problema com o qual devamos nos preocupar. Se alguém ficar doente essa pessoa sempre terá a cura à sua disposição. As pessoas adoecem."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google