A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Mini-Seminário: A Educação Espírita Alvaro Chrispino Área de ações Estratégicas do CEERJ Casa da Cultura Espírita Deolindo Amorim (Teresópolis)

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Mini-Seminário: A Educação Espírita Alvaro Chrispino Área de ações Estratégicas do CEERJ Casa da Cultura Espírita Deolindo Amorim (Teresópolis)"— Transcrição da apresentação:

1 Mini-Seminário: A Educação Espírita Alvaro Chrispino Área de ações Estratégicas do CEERJ Casa da Cultura Espírita Deolindo Amorim (Teresópolis)

2 Definindo significados Este é um mini-Seminário... Este é um mini-Seminário... Isso quer significar semear idéiasIsso quer significar semear idéias Sobre educação espírita: Sobre educação espírita: Pode ser entendida como a educação dos postulados espíritasPode ser entendida como a educação dos postulados espíritas Pode ser entendida como a maneira que o espírita vê a educaçãoPode ser entendida como a maneira que o espírita vê a educação

3 Universo conceitual da educação: complexa, polissêmica e controversa Sobre educação temos, minimamente: Sobre educação temos, minimamente: Filosofia(s) da educaçãoFilosofia(s) da educação Sociologia(s) da educaçãoSociologia(s) da educação História(s) da educaçãoHistória(s) da educação Psicologia(s) da educaçãoPsicologia(s) da educação Pedagogia (s) ou ciência da educaçãoPedagogia (s) ou ciência da educação Administração da educaçãoAdministração da educação Política e gestão da educaçãoPolítica e gestão da educação Economia da educaçãoEconomia da educação Além da diferença entre educação e ensino, entre ensino e aprendizagem etcAlém da diferença entre educação e ensino, entre ensino e aprendizagem etc

4 Definindo educação O termo tem origem nos verbos: EDUCERE: conduzir, extrair etc. Sugere um fluxo de dentro para fora. Chama a atenção para a função individual do aperfeiçoamento. Para Pestalozzi, Educação é o desenvolvimento natural, progressivo e sistemático de todas as faculdades. EDUCERE: conduzir, extrair etc. Sugere um fluxo de dentro para fora. Chama a atenção para a função individual do aperfeiçoamento. Para Pestalozzi, Educação é o desenvolvimento natural, progressivo e sistemático de todas as faculdades. (Santos, 2005)

5 Definindo educação EDUCARE: criar, alimentar etc. sugere um fluxo educativo de fora para dentro. Chama atenção para os meios fornecidos pelo exterior que conduzem ao desenvolvimento interior. Resulta de uma atividade orientadora, intencional e voluntária do educador. Segundo William James, é a organização de ações capazes de adaptar o indivíduo ao meio. EDUCARE: criar, alimentar etc. sugere um fluxo educativo de fora para dentro. Chama atenção para os meios fornecidos pelo exterior que conduzem ao desenvolvimento interior. Resulta de uma atividade orientadora, intencional e voluntária do educador. Segundo William James, é a organização de ações capazes de adaptar o indivíduo ao meio. (Santos, 2005)

6 Definindo educação Deolindo Amorim Definindo educação Deolindo Amorim Ponderações Doutrinárias A educação segundo a Doutrina Espírita não é apenas instruir, não é simplesmente incutir hábitos externos; é transformar o homem dando-lhe uma concepção de vida fundamentada na supremacia do espírito e dos valores morais.

7 Lembremos que o Espiritismo está no seu terceiro estágio: o da educação Lembremos que o Espiritismo está no seu terceiro estágio: o da educação Lins de Vasconcellos Sementes de Vida Eterna, gabinete da experimentação mediúnica assistência social obra gigantesca da educação. Chegados ao primeiro século findo de Doutrina Espírita, saímos do gabinete da experimentação mediúnica para o labor da assistência social amplo e largo, fazendo que o Consolador colocasse no seu seio as gerações famélicas, os corpos torturados, as vidas estioladas, as organizações fisiológicas enfermiças, os tombados dos caminhos, (...). Agora, porém, que se nos alargam as possibilidades de divulgar o espírito do Espiritismo em linguagem condicente com a mentalidade contemporânea, não meçamos esforços para que a unidade doutrinária lobrigue seus fins e para que a obra gigantesca da educação realize o seu profundo desiderato.

8 Demarcando o caminho Vamos conhecer, por meio de pesquisas, o que pensam nossos jovens sobre este tema e a relação de juventude e religião 2. Vamos categorizar a educação a fim de facilitar nosso entendimento 3. Vamos discutir os objetivos da educação pela ótica da educação atual e dos espíritos 4. Vamos analisar a função da Educação Espírita na vida das criaturas

9 O JOVEM, A SOCIEDADE E A ÉTICA Margem de erro de 3% para mais ou para menos oglobo.globo.com/rio/jovens.ppt IBOPE Pesquisa com jovens entre 14 e 18 anos do município do Rio de Janeiro, entre Julho e Agosto – 2006

10 Dentre estes aspectos quais são os 3 que mais preocuparam seus pais na sua educação? E quais você acha fundamental que um bom pai ou mãe converse com um filho na sua idade? RESPOSTAS Maior preocupa ç ão Dos paisDos filhos Uso de drogas52%45% Amizades43%29% ESTUDOS41%30% Violência, assaltos26%12% Uso de cigarros20%15% Prepara ç ão para vida profissional 18%21% Consumo de bebidas alco ó licas 17%12% AIDS15%21% Educa ç ão sexual 13%34% Forma ç ão de car á ter, personalidade 11%17% Respeito aos mais velhos10%8%

11 Qual o grau de influência que... Tem sobre seus valores? Você diria que é grande, médio, pequeno ou nenhum? RESPOSTAGrande M é dio PequenoNenhum PAIS84%11%1%2% PROFESSORES55%32%6%5% Amigos33%46%14%5% Religião28%44%17%9% M í dia (TV, R á dio, Jornal) 24%43%20%11% Propaganda13%45%27%13% Pol í cia 6%22%33%37% Governos5%21%29%42% Pol í ticos 5%19%32%42%

12 RESPOSTA A GERA Ç ÃO ATUAL É MelhorIgualPiorSem opinião Possibilidade de estudar 75%7%16%2% Liberdade sexual72%9%16%3% O Lazer65%12%20%2%2% Qualidade do ensino 61%9%27%3% Possibilidade de trabalhar44%10%42%4% A Sa ú de 42%12%43%3% Ter uma renda adequada42%10%44%5% Achar um bom emprego36%11%49%4% A seguran ç a 22%8%67%3% De uma maneira geral, você acha que sua geração está melhor ou está pior em relação à geração dos seus pais quanto aos seguintes aspectos: De uma maneira geral, você acha que sua geração está melhor ou está pior em relação à geração dos seus pais quanto aos seguintes aspectos:

13 Qual destes pontos é, na sua opinião, mais importante para a organização da sociedade brasileira?

14 Em qual ou quais destas áreas, o Brasil tem uma posição de destaque em relação ao cenário mundial, se é que considera que o Brasil tem destaque em alguma Outros citados: Ciência e Tecnologia 4%, Medicina 3%, Finanças 2%

15 Dentre estes, quais são os dois mais graves problemas do Brasil? Outros 11%

16 Pensando nos dias de hoje, na sua opinião, qual destas qualidades é a mais necessária para uma pessoa conseguir trabalho? E em segundo lugar?

17

18 Dentre estes, qual ponto que você julga que uma boa escola deveria estar voltada? (1º e 2º lugares) Compromisso social 12%, Participação política 4% valores religiosos 2%

19 Para cada frase citada, gostaria de saber se você concorda ou discorda. PONTOSCONCORDADISCORDA A educa ç ão dos jovens deve ter limites bem definidos 82%14% No Brasil, é poss í vel melhorar a condi ç ão social atrav é s do voto73%21% No Estado, um cidadão não tem s ó direitos, tem deveres para com a sociedade70%24% O voto pode mudar a situa ç ão do pa í s 64%30% O importante para os jovens é viver o momento, sem se preocupar com o futuro57%40% Os jovens são desmotivados e nada lhes interessa50%46% A experiência profissional é mais importante que a educa ç ão 49%46% Os direitos humanos no Brasil s ó protegem os que não respeitam os direitos dos outros49%44%

20 Gostaria que você dissesse, para cada uma das pessoas e instituições que vou falar, se você confia ou não confia INSTITUI Ç OES CONFIANÃO CONFIANÃO TEM OPINIÃO Professores84%13%3% Escola Particular77%18%5% Escola P ú blica 76%19%5% M é dicos 75%21%4% Religião71%23%6% Igreja Cat ó lica 66%26%8% Igreja Evang é lica 61%30%8% Televisão60%36%4% R á dios 62%35%4% Jornais59%37%4%

21 Vou ler duas características e gostaria que você dissesse qual melhor descreve a maioria dos brasileiros. E qual delas melhor descreve você pessoalmente.

22 Há pessoas com quem você convive que COMPORTAMENTOSSIMNÃONS Bebe, ou fumam dizendo saber que faz mal à sa ú de e censuram quem faz isso56%36%8% São contra a pirataria mas compram produtos ilegais, CD, DVD, etc55%36%9% Estacionam em fila dupla mas dizem que devemos respeitar as leis do trânsito44%45%11% Defendem a cidadania, mas se puder deixam de pagar um imposto40%48%11% Defendem o voto como arma da democracia, mas votam em quem lhes oferecem vantagens38%50%11% Defendem o regime de m é rito, mas usam influência e favor para conseguir o que querem38%50%12% :

23 Para você pessoalmente é ou não é importante COMPORTAMENTOS É NÃO É Não Sabe Escolher bem os governantes92%5%3% Respeitar as leis do pa í s 90%7%3% Pautar a conduta pelo respeito ao pr ó ximo 89%7%4% Agir com é tica no dia-a-dia 89%7%4% Respeitar a propriedade privada83%14%4% Ganhar dinheiro mesmo não tendo profissão ou não seguindo a voca ç ão 57%38%5% Numa elei ç ão votar no candidato que lhe der vantagens pessoais35%61%4% Valer-se de privil é gio para conseguir o que precisa 32%62%5% Procurar vantagem sobre os outros para ter sucesso, pois quem tem é tica é passado para tr á s 29%66%4%

24 Jovens de 15 a 29 anos

25 O Jovem e a associação religiosa

26

27

28

29

30

31

32 Jovens de 15 a 29 anos

33 O Jovem e a religião

34 O Jovem e a religião Qual a sua religião?

35 O Jovem e a religião

36

37

38

39 Pesquisa: Jovens do Rio Pesquisa: Jovens do Rio Novaes, Regina e MELLO, Cecília. Jovens do Rio. Rio de Janeiro, comunicações do Iser, n. 57, ano 21, 2002 Escreve Novaes (2004): fizemos outras perguntas sobre religião que permitiram identificar um contraditório tripé que se faz presente na experiência desta geração, a saber: Escreve Novaes (2004): fizemos outras perguntas sobre religião que permitiram identificar um contraditório tripé que se faz presente na experiência desta geração, a saber: a) forte disposição para mudança de religião; a) forte disposição para mudança de religião; b) ênfase na escolha individual gerando maior disponibilidade para a reafirmação pessoal do pertencimento institucional; b) ênfase na escolha individual gerando maior disponibilidade para a reafirmação pessoal do pertencimento institucional; c) desenvolvimento de religiosidade sem vínculos institucionais. c) desenvolvimento de religiosidade sem vínculos institucionais. Jovens de 14 a 24 anos

40 Sobre a pesquisa Jovens do Rio Sobre a pesquisa Jovens do Rio José Candido da Silva in Revista Educação & Psicologia n ,3% dos entrevistados afirmam ter mudado de religião 17,3% dos entrevistados afirmam ter mudado de religião Este número salta para 56% com jovens de classe C Motivos apontados: Motivos apontados: 34,9% não responde as minhas necessidades espirituais e emocionais 28,3% por falta de coerência entre o que a religião pregava e as atitudes das pessoas 7,5% por ser muito rígida 2,8% por desentendimento com os líderes da religião

41 Sobre a pesquisa Jovens do Rio Sobre a pesquisa Jovens do Rio José Candido da Silva in Revista Educação & Psicologia n. 4. Possíveis análises: Possíveis análises: Os jovens avaliam mais as atitudes que os discursos; Existe o sacrifício do intecto (Weber). No primeiro momento, a religião busca fundamento racional. Depois, passa a exigir a aceitação das idéias, provocando uma infantilização dos seguidores;

42 Sobre a pesquisa Jovens do Rio Sobre a pesquisa Jovens do Rio José Candido da Silva in Revista Educação & Psicologia n. 4. Cont. Cont. A família e os amigos ainda continuam tendo uma influencia na decisão do jovem sobre qual religião seguir. Ao lado das necessidades individuais, a comunidade religiosa é um espaço de encontro em que se espera poder contar com a solidariedade e compreensão dos demais, além da sensação de estar construindo algo coletivo e ser responsável pela vida da própria comunidade. O sentimento de acolhida e o reconhecimento são para os jovens algo mais importante que a doutrina pregada por determinada religião. Já que a religião é uma forma de agir no mundo, é por ela, muito mais que pelo discurso, que os jovens avaliam se vale a pena fazer parte daquela comunidade ou não

43 Sobre a pesquisa Jovens do Rio Sobre a pesquisa Jovens do Rio José Candido da Silva in Revista Educação & Psicologia n. 4.

44

45 Sobre Educação 1. O que se espera da educação e das pedagogias 1. O que se espera da educação e das pedagogias 2. Usando categorias para analisar a educação: 2. Usando categorias para analisar a educação: 2.1 da UNESCO2.1 da UNESCO 2.2 da ES.PE.RE2.2 da ES.PE.RE

46 1. No universo variado da educação, devemos considerar: o que baseia uma pedagogia, o que constitui critério entre as pedagogias são os conteúdos que estas apresentam, ou mais exatamente, as atitudes a que se propõem levar os alunos: que tipo de homem se propõe formar ? (...) Como lhes apresentam o mundo em que vivemos? para que ações os conduzem as palavras, os silêncios, as atitudes implícitas e explícitas do mestre? Que ajuda se lhes dá para ultrapassarem as mistificações interessadas, nas quais tantas forças contribuem para manter? (Libâneo, p.13)

47 2.1. Os 4 Pilares da Educação para o Século XXI Delors, Jacques (org.) Comissão internacional sobre educação para o século xxi. Educação: um tesouro a descobrir. Delors, Jacques (org.) Comissão internacional sobre educação para o século xxi. Educação: um tesouro a descobrir. Citado por Citado por Pereira, Sandra Borba. Reflexões pedagógicas à luz do Evangelho. Paraná: Federação Espírita do Paraná, 2009.Pereira, Sandra Borba. Reflexões pedagógicas à luz do Evangelho. Paraná: Federação Espírita do Paraná, Joanna de Ângelis/DPF. A Pedagogia de Jesus, in Diretrizes para o êxito, Salvador: LEAL, 2004.Joanna de Ângelis/DPF. A Pedagogia de Jesus, in Diretrizes para o êxito, Salvador: LEAL, 2004.

48 Os 4 Pilares da Educação Relatório Delors / UNESCO Quatro aprendizagens fundamentais que serão de algum modo para cada indivíduo, os pilares do conhecimento: Quatro aprendizagens fundamentais que serão de algum modo para cada indivíduo, os pilares do conhecimento: Aprender a conhecerAprender a conhecer Aprender a fazerAprender a fazer Aprender a viver juntosAprender a viver juntos Aprender a serAprender a ser

49 Os 4 Pilares da Educação Relatório Delors / UNESCO Aprender a conhecer Aprender a conhecer Adquirir instrumentos da compreensão.Adquirir instrumentos da compreensão. É o prazer de compreender, de conhecer, de descobrir.É o prazer de compreender, de conhecer, de descobrir. Aprender para conhecer supõe, antes de tudo, aprender a aprender.Aprender para conhecer supõe, antes de tudo, aprender a aprender. Conhecereis a verdade e ela vos libertará (Jo 8:32) Conhecereis a verdade e ela vos libertará (Jo 8:32)

50 Os 4 Pilares da Educação Relatório Delors / UNESCO Aprender a fazer Aprender a fazer Conhecer e fazer, são, em larga medida, indissociáveis. O segundo é conseqüência do primeiro.Conhecer e fazer, são, em larga medida, indissociáveis. O segundo é conseqüência do primeiro. Deixa-se a noção relativamente simples de qualificação profissional. Passa-se para outra noção, mais ampla e sofisticada de competências, capaz de tornar as pessoas aptas a enfrentar numerosas situações e a trabalhar em equipe. Isso ocorre nas diversas experiências sociais e de trabalho que se apresentam ao longo de toda a vida.Deixa-se a noção relativamente simples de qualificação profissional. Passa-se para outra noção, mais ampla e sofisticada de competências, capaz de tornar as pessoas aptas a enfrentar numerosas situações e a trabalhar em equipe. Isso ocorre nas diversas experiências sociais e de trabalho que se apresentam ao longo de toda a vida....faze isso e viverás (Lc 10:28)...faze isso e viverás (Lc 10:28) vai e faze o mesmo (Lucas 10:37) vai e faze o mesmo (Lucas 10:37)

51 Os 4 Pilares da Educação Relatório Delors / UNESCO Aprender a conviver Aprender a conviver A educação deve utilizar duas vias complementares: A educação deve utilizar duas vias complementares: a descoberta progressiva do outro em sua diversidade e diferença ea descoberta progressiva do outro em sua diversidade e diferença e a percepção das semelhanças e das interdependências entre todos os seres do planetaa percepção das semelhanças e das interdependências entre todos os seres do planeta Fazei aos outros o que gostaríeis eu eles vos fizessem (Mt 7:12) Fazei aos outros o que gostaríeis eu eles vos fizessem (Mt 7:12)

52 Os 4 Pilares da Educação Relatório Delors / UNESCO Aprender a ser Aprender a ser Educação deve contribuir para o desenvolvimento total da pessoa, isto é, espírito e corpo, inteligência, sensibilidade, sentido estético, responsabilidade pessoal, espiritualidade.Educação deve contribuir para o desenvolvimento total da pessoa, isto é, espírito e corpo, inteligência, sensibilidade, sentido estético, responsabilidade pessoal, espiritualidade. Cabe à educação preparar não para a sociedade do presente, mas criar um referencial de valores e de meios para compreender e atuar em sociedades que dificilmente imaginamos como serão.Cabe à educação preparar não para a sociedade do presente, mas criar um referencial de valores e de meios para compreender e atuar em sociedades que dificilmente imaginamos como serão. Sede perfeitos... (Mt 5:48) Sede perfeitos... (Mt 5:48)

53 Relatório Jacques Delors/UNESCO Aprender a aprender Aprender a aprender Aprender por toda a Vida Aprender por toda a Vida O relatório ainda propõe dois eixos:

54 2.2 A categorização da ES.PE.RE EScola de PErdão e REconciliação 4 dimensões do ser humano adaptado de Blaney e Boonen (2009). O pensar O pensar O sentir O sentir O atuar O atuar O transcender O transcender

55 A categorização da ES.PE.RE 4 dimensões do ser humano adaptado de Blaney e Boonen (2009). O pensar (aspecto cognitivo): ferramentas teóricas necessárias a compreensão da vida e dos fenômenos que nos cercam. O pensar (aspecto cognitivo): ferramentas teóricas necessárias a compreensão da vida e dos fenômenos que nos cercam.

56 A categorização da ES.PE.RE 4 dimensões do ser humano adaptado de Blaney e Boonen (2009). O sentir (aspecto emocional): a alfabetização emocional, as reações emocionais e o processo de amadurecimento emocional são fatores importantes no conjunto que nos leva a agir de uma ou de outra forma. O sentir (aspecto emocional): a alfabetização emocional, as reações emocionais e o processo de amadurecimento emocional são fatores importantes no conjunto que nos leva a agir de uma ou de outra forma.

57 A categorização da ES.PE.RE 4 dimensões do ser humano adaptado de Blaney e Boonen (2009). O atuar (aspecto comportamental): as experiências vividas e as formas tradicionais de responder e atuar precisam ser consideradas e podem ser aprendidas. O atuar (aspecto comportamental): as experiências vividas e as formas tradicionais de responder e atuar precisam ser consideradas e podem ser aprendidas. Faz-se precisa a educação pessoal e coletiva; da primeira decorre o progresso particular; da segunda, a evolução do mundo e das suas leis. Faz-se precisa a educação pessoal e coletiva; da primeira decorre o progresso particular; da segunda, a evolução do mundo e das suas leis. Emmanuel Dicionário da Alma

58 A categorização da ES.PE.RE 4 dimensões do ser humano adaptado de Blaney e Boonen (2009). O transcender (aspecto espiritual): as pessoas têm (ou precisam ter) projetos de vida e de formas de passar pelo mundo que impactam aqueles que estão a sua volta (e também o grupo social). O transcender (aspecto espiritual): as pessoas têm (ou precisam ter) projetos de vida e de formas de passar pelo mundo que impactam aqueles que estão a sua volta (e também o grupo social). As aprendizagens fundamentais do ser humano assentam invariavelmente sobre viagens interiores que são, por sua natureza intrínseca, transformadoras da essência do ser. As aprendizagens fundamentais do ser humano assentam invariavelmente sobre viagens interiores que são, por sua natureza intrínseca, transformadoras da essência do ser. Jacques Delors

59 Educação e sociedade: O que vivemos hoje na educação 1. A evolução da relação família e escola 2. Uma quebra de braço entre a família e a escola sobre funções educativas 3. A aceitação social da baixa qualidade da escola de massa 4. A avaliação por competência (ENEM)

60 A evolução da relação família e escola ou a história da família e a escola

61 Educação e sociedade Uma quebra de braço entre a família e a escola sobre funções educativas Uma quebra de braço entre a família e a escola sobre funções educativas A publicização das funções educativasA publicização das funções educativas Ocorreria isso na Casa Espírita?Ocorreria isso na Casa Espírita? A aceitação social da baixa qualidade da escola de massa A aceitação social da baixa qualidade da escola de massa Qual a qualidade da educação espírita?Qual a qualidade da educação espírita?

62 A avaliação por competência (o exemplo do ENEM) Competência será para nós o resultado final da aprendizagem... ou aquilo que nos tornamos capazes de fazer com a aprendizagem. Competência será para nós o resultado final da aprendizagem... ou aquilo que nos tornamos capazes de fazer com a aprendizagem. Não se pergunta mais: o que você sabe? Não se pergunta mais: o que você sabe? Pergunta-se: O que você é capaz de fazer e resolver com aquilo que sabe? Pergunta-se: O que você é capaz de fazer e resolver com aquilo que sabe? O que você é capaz de fazer com o conhecimento espírita que adquiriu? O que você é capaz de fazer com o conhecimento espírita que adquiriu?

63 Afinal... O que adianta nós saber, e nós não poder tomar providência em nada? (Indagação de um trabalhador de São Paulo) Moacir Gadotti, Pensamento pedagógico brasileiro Reflitamos sobre isso...

64 Uma questão Como o conhecimento a Doutrina Espírita e o convívio na Casa Espírita podem auxiliar no exercício de decisão ética no mundo? Como o conhecimento a Doutrina Espírita e o convívio na Casa Espírita podem auxiliar no exercício de decisão ética no mundo?

65 Categorias religiosas a partir de Erich Fromm AUTORITÁRIAHUMANISTA Estruturaverticalhorizontal Lógicasubmissãoconsciência Solicitaobediênciaconhecimento Produzheteronomiaautonomia Com qual das Categorias a Doutrina Espírita se identifica?

66 A crença religiosa segundo Joanna de Ângelis Triunfo Pessoal, cap. 10 A crença religiosa pode expressar-se sob dois aspectos psicológicos: castrador, proibitivo, gerador de culpacastrador, proibitivo, gerador de culpa estimulante, psicoterapeuta, consoladorestimulante, psicoterapeuta, consolador

67 Com qual categoria a Doutrina Espírita se Identifica? AUTORITÁRIAHUMANISTA Estruturaverticalhorizontal Lógicasubmissãoconsciência Solicitaobediênciaconhecimento Produzheteronomiaautonomia

68 Qual o objetivo da Educação: Leon Denis, em Cristianismo e Espiritismo, já chamaria atenção de forma magistral e madura para o objetivo quando informa que Não basta desenvolver as inteligências, é necessário formar caracteres, fortalecer as almas e as consciências. Os conhecimentos devem ser completados por noções que esclareçam o futuro e indiquem o destino do ser. Para renovar uma sociedade, são necessários homens novos e melhores

69 Por uma educação individual mas também de base social A educação é a base para a vida em comunidade, por meio de legítimos processos de aprendizagem que fomentem as motivações de crescimento e evolução. A educação é a base para a vida em comunidade, por meio de legítimos processos de aprendizagem que fomentem as motivações de crescimento e evolução. Joanna de Ângelis Estudos Espíritas O Espiritismo deve servir para indicar... um fim grande e sublime: o do progresso individual e social e o de lhes indicar o caminho que conduz a esse fim. O Espiritismo deve servir para indicar... um fim grande e sublime: o do progresso individual e social e o de lhes indicar o caminho que conduz a esse fim. O Livro dos Espíritos Introdução, item XVII

70 Por uma educação integral Joanna de Ângelis O Homem Integral O homem deve adquirir o conhecimento para elevar-se do ser bruto, tornando-se o sujeito detentor da consciência. Não lhe bastará conhecer, mas também, viver a experiência de ser objeto conhecido. Não somente conhecer de fora para dentro, porém, vivenciar o que é conhecido, incorporando-o à sua realidade... O homem deve adquirir o conhecimento para elevar-se do ser bruto, tornando-se o sujeito detentor da consciência. Não lhe bastará conhecer, mas também, viver a experiência de ser objeto conhecido. Não somente conhecer de fora para dentro, porém, vivenciar o que é conhecido, incorporando-o à sua realidade...

71 Por que isso? Leon Denis D epois da Morte Na escola, como na família, há muita negligência em esclarecê-la sobre seus deveres e sobre seu destino. Portanto, desprovida de princípios elevados, ignorando o alvo da existência, ela, no dia em que entra na vida pública, entrega- se a todas as ciladas, a todos os arrebatamentos da paixão, num meio sensual e corrompido.

72 Homem se aprimora na relação com o mundo Deus fez o homem para viver em sociedade. Deus fez o homem para viver em sociedade. O Livro dos Espíritos pergunta 766 A vida social é a pedra de toque das boas e más qualidades. A vida social é a pedra de toque das boas e más qualidades. Céu e Inferno 1ª parte, cap. III, item 8

73 Como fica a Casa Espírita e o ensino espírita? Encontramos no Templo Espírita a escola de alma, ensinando a viver. Encontramos no Templo Espírita a escola de alma, ensinando a viver.Emmanuel Instruamo-nos para conhecer. Eduquemo-nos para discernir. Instruamo-nos para conhecer. Eduquemo-nos para discernir.Emmanuel

74 Como ficamos nós? Conhecemos aquilo que pretendemos ensinar? Conhecemos aqueles que pretendemos educar? O que pensam? O que almejam? O que necessitam? Quando educamos ou ensinamos, cobrimos todos os campos da aprendizagem necessária para a libertação da consciência? Oferecemos aos educandos as ferramentas para que se transformem e para que transformem o mundo? Os educando aprendem a se conhecer? Aprendem a viver no mundo? Aprendem a conviver? Aprendem a fazer a diferença? Eles serão capazes de ser sal da Terra?

75 Temos para refletir: Os 4 pilares da Educação - UNESCO: Os 4 pilares da Educação - UNESCO: Aprender a conhecerAprender a conhecer Aprender a fazerAprender a fazer Aprender a viver juntosAprender a viver juntos Aprender a serAprender a ser As 4 dimensões do ser humano - ES.PE.RE As 4 dimensões do ser humano - ES.PE.RE: O pensar O pensar O sentir O sentir O atuar O atuar O transcender O transcender E mais Allan Kardec, Leon Denis, Joanna de Ângelis, Emmanuel, Lins de Vasconcellos e outros

76 Em síntese: O que precisamos? De Sebastião Salgado Precisamos de uma casa espírita e uma educação espírita que auxiliem o homem a olhar para o mundo (interior e exterior) e entendê- lo melhor e, por isso, decide com consciência, com responsabilidade, com visão de futuro e com valor ético espírita.

77 Referências bibliográficas Blaney, Joanne e Boonen, Petronella. Uma arte de viver e conviver: escola de perdão e reconciliação. São Paulo: Centro de Direitos Humanos e Educação popular de Campo Limpo (SP), Blaney, Joanne e Boonen, Petronella. Uma arte de viver e conviver: escola de perdão e reconciliação. São Paulo: Centro de Direitos Humanos e Educação popular de Campo Limpo (SP), Delors, Jacques (org.) Comissão internacional sobre educação para o século xxi. Educação: um tesouro a descobrir. São Paulo: Cortez, Brasília: MEC, UNESCO, Delors, Jacques (org.) Comissão internacional sobre educação para o século xxi. Educação: um tesouro a descobrir. São Paulo: Cortez, Brasília: MEC, UNESCO, Denis, Leon. Cristianismo e Espiritismo. Rio de Janeiro: FEB. Denis, Leon. Cristianismo e Espiritismo. Rio de Janeiro: FEB. Denis, Leon. Depois da Morte. Rio de Janeiro: FEB Denis, Leon. Depois da Morte. Rio de Janeiro: FEB Franco, Divaldo P. /Lins de Vasconcellos. Sementes de Vida Eterna. Salvador: LEAL, Franco, Divaldo P. /Lins de Vasconcellos. Sementes de Vida Eterna. Salvador: LEAL, Franco, Divaldo P./Joanna de Ângelis. A familia, in Estudos Espíritas. Rio de Janeiro: FEB, Franco, Divaldo P./Joanna de Ângelis. A familia, in Estudos Espíritas. Rio de Janeiro: FEB, Franco, Divaldo P./Joanna de Ângelis. A Pedagogia de Jesus, in Diretrizes para o êxito. Salvador: LEAL, Franco, Divaldo P./Joanna de Ângelis. A Pedagogia de Jesus, in Diretrizes para o êxito. Salvador: LEAL, Franco, Divaldo P./Joanna de Ângelis. A Pedagogia de Jesus, in Triunfo pessoal. Salvador: LEAL, Franco, Divaldo P./Joanna de Ângelis. A Pedagogia de Jesus, in Triunfo pessoal. Salvador: LEAL, Franco, Divaldo P./Joanna de Ângelis. Introdução in O Homem Integral. Salvador: LEAL, Franco, Divaldo P./Joanna de Ângelis. Introdução in O Homem Integral. Salvador: LEAL, Franco, Divaldo P./Lins de Vasconcellos., in Sementeira da Fraternidade. Salvador: LEAL, 2002 Franco, Divaldo P./Lins de Vasconcellos., in Sementeira da Fraternidade. Salvador: LEAL, 2002

78 Referências bibliográficas (cont.) Gadotti, Moacir. Pensamento pedagógico brasileiro (Série Fundamentos). São Paulo: Ática, 6ª Ed., Gadotti, Moacir. Pensamento pedagógico brasileiro (Série Fundamentos). São Paulo: Ática, 6ª Ed., IBOPE. O jovem, a sociedade e a ética. Pesquisa com jovens entre 14 e 18 anos do município do Rio de Janeiro, entre Julho e Agosto– oglobo.globo.com/rio/jovens.ppt IBOPE. O jovem, a sociedade e a ética. Pesquisa com jovens entre 14 e 18 anos do município do Rio de Janeiro, entre Julho e Agosto– oglobo.globo.com/rio/jovens.ppt Kardec, Allan. O Céu e o Inferno (tradução Manuel Quintão). Rio de Janeiro: FEB Kardec, Allan. O Céu e o Inferno (tradução Manuel Quintão). Rio de Janeiro: FEB Kardec, Allan. O Livro dos espíritos (tradução de Guillon Ribeiro) Rio de Janeiro: FEB, 75ª edição. Kardec, Allan. O Livro dos espíritos (tradução de Guillon Ribeiro) Rio de Janeiro: FEB, 75ª edição. Libâneo, J.C. Democratização da Escola Pública. São Paulo : Ed. Loyola, Libâneo, J.C. Democratização da Escola Pública. São Paulo : Ed. Loyola, NOVAES, Regina. Os jovens "sem religião": ventos secularizantes, "espírito de época" e novos sincretismos. Notas preliminares. Estud. av. 2004, vol.18, n.52, pp NOVAES, Regina. Os jovens "sem religião": ventos secularizantes, "espírito de época" e novos sincretismos. Notas preliminares. Estud. av. 2004, vol.18, n.52, pp Pereira, Sandra Borba. Reflexões pedagógicas à luz do Evangelho. Paraná: Federação Espírita do Paraná, Pereira, Sandra Borba. Reflexões pedagógicas à luz do Evangelho. Paraná: Federação Espírita do Paraná, Santos, Maria Eduarda V.M. Que educação?Lisboa: Santos-EDU, Santos, Maria Eduarda V.M. Que educação?Lisboa: Santos-EDU, Singly, François de. Sociologia da Família Contemporânea. Rio de Janeiro: FGV, Singly, François de. Sociologia da Família Contemporânea. Rio de Janeiro: FGV, Xavier, Francisco Cândido/Emmanuel. Dicionário da Alma. Rio de Janeiro: FEB Xavier, Francisco Cândido/Emmanuel. Dicionário da Alma. Rio de Janeiro: FEB

79 Muito obrigado!


Carregar ppt "Mini-Seminário: A Educação Espírita Alvaro Chrispino Área de ações Estratégicas do CEERJ Casa da Cultura Espírita Deolindo Amorim (Teresópolis)"

Apresentações semelhantes


Anúncios Google