A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Vitorino Nemésio. Biografia Vitorino Nemésio Mendes Pinheiro da Silva foi um poeta, ficcionista, crítico, biógrafo e investigador literário português.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Vitorino Nemésio. Biografia Vitorino Nemésio Mendes Pinheiro da Silva foi um poeta, ficcionista, crítico, biógrafo e investigador literário português."— Transcrição da apresentação:

1 Vitorino Nemésio

2 Biografia Vitorino Nemésio Mendes Pinheiro da Silva foi um poeta, ficcionista, crítico, biógrafo e investigador literário português. Nascido a 19 de Dezembro de 1901 na ilha terceira, Açores, Vitorino Nemésio frequentou o liceu em Angra e na Horta (Ilha do Faial), onde concluiu o 5º ano. Em 1919, iniciou o serviço militar como voluntário, o que lhe proporcionou a primeira viagem ao Continente. Em Coimbra, terminou o liceu e frequentou a Universidade, primeiro como aluno de Direito, depois de Letras. Optando definitivamente pelo curso de Filologia Românica, viria a obter a sua licenciatura em 1931 em Lisboa, dando início, ao mesmo tempo, a uma distinta carreira académica na Faculdade de Letras. Como professor, o seu percurso levou-o ainda a leccionar em Montpellier, em Bruxelas e em várias universidades no Brasil. Fundou e direccionou a Revista de Portugal ( ), uma publicação literária importante no panorama português do século XX. Nemésio colaborou também em revistas literárias, em jornais, na rádio e na televisão. Ficou célebre a sua colaboração na RTP com o programa «Se bem me lembro», no início dos anos setenta. Faleceu em Lisboa a 20 de Fevereiro de 1978.

3 Bibliografia Poesia:Poesia: O Bicho Harmonioso (1938); O Bicho Harmonioso (1938); Eu, Comovido a Oeste (1940); Eu, Comovido a Oeste (1940); Nem Toda a Noite a Vida (1953); Nem Toda a Noite a Vida (1953); O Verbo e a Morte (1959); O Verbo e a Morte (1959); Canto de Véspera (1966); Canto de Véspera (1966); Sapateia Açoriana, Andamento Holandês e Outros Poemas (1976). Sapateia Açoriana, Andamento Holandês e Outros Poemas (1976).

4 Bibliografia FicçãoFicção Paço de Milhafre (1924); Paço de Milhafre (1924); Varanda de Pilatos (1926); Varanda de Pilatos (1926); Mau Tempo no Canal (1944) (romance galardoado com o Prémio Ricardo Malheiros). Mau Tempo no Canal (1944) (romance galardoado com o Prémio Ricardo Malheiros).

5 Bibliografia Ensaio e CríticaEnsaio e Crítica Sob os Signos de Agora (1932); Sob os Signos de Agora (1932); A Mocidade de Herculano (1934); A Mocidade de Herculano (1934); Relações Francesas do Romantismo Português (1936); Relações Francesas do Romantismo Português (1936); Ondas Médias (1945); Ondas Médias (1945); Conhecimento de Poesia (1958). Conhecimento de Poesia (1958).

6 Bibliografia CrónicaCrónica O Segredo de Ouro Preto (1954); O Segredo de Ouro Preto (1954); Corsário das Ilhas (1956); Corsário das Ilhas (1956); Jornal do Observador (1974). Jornal do Observador (1974).

7 O FALECIDO POETA Os mortos tinham perdido Todos os costumes de vivos, Perfeitamente defuntos. Este – não era esquecido ; Aquele – falava de assuntos Muito diferentes, do céu... E um, que era distraído, Só tinha ao lado, apodrecido, Um bocado do chapéu ; …Mas é porque não estava completamente falecido. Era, aliás, o único Que, pela posição, Guardava a ideia de recta ; E, como tinha estudado história, Havia um buraco púnico No fundo da sua memória. Os outros mortos chamavam-lhe – o Falecido Poeta.. E na verdade havia Na sua cabeça descascada O essencial da Poesia : Um céu de osso, Sem uma única estrela ; Uma lua de cal e um sol de barro grosso ; E, por cima, uma noite de sete palmos Debaixo de uma aurora amarela. Os outros mortos viviam sem dia nem noite – calmos Ora, uma vez que o Semi-Vivo teimou Em esquecer-se de vez Ou reassumir de tudo A claridade – chorou ; E foi assim que talvez, Querendo falar, ficou mudo E, procurando, não achou Uma lágrima... outrora... Ao toco do seu dedo Chegara um filtro de chuva, Seria no mundo uma hora.. Chovia muito. Os outros mortos tinham medo De resfriar – e chovia. Por dentro da janela, na vida, estava a viúva Do Defunto Poeta. E chovia. Cada defunto abriu o seu guarda-sol, como uma seta… E lá ficaram todos, debaixo de chuva e de poesia. in O Bicho Harmonioso, Coimbra, 1938

8 Trabalho realizado por: Alexandre Cabral CampelloNº110ºDAlexandre Cabral CampelloNº110ºD João PintoNº710ºDJoão PintoNº710ºD Renato FerreiraNº1410ºDRenato FerreiraNº1410ºD


Carregar ppt "Vitorino Nemésio. Biografia Vitorino Nemésio Mendes Pinheiro da Silva foi um poeta, ficcionista, crítico, biógrafo e investigador literário português."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google