A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

CNBB. ORAÇÃO INICIAL O RAÇÃO DA C AMPANHA DA F RATERNIDADE Ó Deus, Sempre ouvis o clamor do vosso povo E vos compadeceis dos oprimidos e escravizados.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "CNBB. ORAÇÃO INICIAL O RAÇÃO DA C AMPANHA DA F RATERNIDADE Ó Deus, Sempre ouvis o clamor do vosso povo E vos compadeceis dos oprimidos e escravizados."— Transcrição da apresentação:

1 CNBB

2 ORAÇÃO INICIAL O RAÇÃO DA C AMPANHA DA F RATERNIDADE Ó Deus, Sempre ouvis o clamor do vosso povo E vos compadeceis dos oprimidos e escravizados. Fazei que experimentem a libertação da cruz e a ressurreição de Jesus. Nós vos pedimos pelos que sofrem o flagelo do tráfico humano.

3 Convertei-nos pela força do vosso Espírito, e tornai-nos sensíveis às dores destes nossos irmãos. Comprometidos na superação deste mal, vivamos como vossos filhos e filhas, na liberdade e na paz. Por Cristo nosso Senhor. Amém!

4 TEXTO ILUMINADOR Gálatas 5,1 É para a liberdade que Cristo nos libertou. Portanto, permaneçam firmes e não se deixem submeter novamente a um jugo de escravidão.

5 Hino É para a liberdade que Cristo nos libertou, Jesus libertador! É para a liberdade que Cristo nos libertou! (Gl 5,1) 1. Deus não quer ver seus filhos sendo escravizados, À semelhança e à sua imagem, os criou. Na cruz de Cristo, foram todos resgatados Pra liberdade é que Jesus nos libertou! 2. Há tanta gente que, ao buscar nova alvorada, Sai pela estrada a procurar libertação; Mas como é triste ver, ao fim da caminhada, Que foi levada a trabalhar na escravidão!

6 Hino É para a liberdade que Cristo nos libertou, Jesus libertador! É para a liberdade que Cristo nos libertou! (Gl 5,1) 3. E quantos chegam a perder a dignidade, Sua cidade, a família, o seu valor. Falta justiça, falta mais fraternidade Pra libertá-los para a vida e para o amor! 4. Que abracemos a certeza da esperança, (Cf. Hb 6,11) Que já nos lança, nessa marcha em comunhão. Pra novo céu e nova terra da aliança, (Cf. Ap 21,1) De liberdade e vida plena para o irmão… (Cf. Jo 10,10)

7 Momento de diálogo com a sociedade com foco da justiça social e da superação do pecado social; Leva para a sociedade uma perspectiva de vivencia evangélica comprometida; Deve gerar a conversão – mudança de mentalidade e de vida.

8 Na história da CF é a primeira vez que se aborda o tema do tráfico humano. Apesar do gigantismo da estrutura deste crime organizado, só recentemente a sociedade em geral começou a conhecer a gravidade deste problema social e a mobilizar-se para seu enfrentamento.

9 Identificar as práticas de tráfico humano em suas várias formas e denunciá-lo como violação da dignidade e da liberdade humana, mobilizando cristãos e a sociedade brasileira para erradicar esse mal, com vista ao resgate da vida dos filhos e filhas de Deus.

10 1 – Identificar as causas e modalidades do tráfico humano e os rostos que sofrem com essa exploração; 2 – Denunciar as estruturas e situações causadoras do tráfico humano; 3 – Cobrar dos poderes públicos, políticas e meios para a reinserção na vida familiar e social das pessoas atingidas pelo tráfico humano.

11 4 – Promover ações de prevenção e de resgate da cidadania das pessoas em situação de tráfico. 5 – Suscitar, à luz da Palavra de Deus, a conversão que conduza ao empenho transformador dessa realidade aviltante da pessoa humana. 6 – Celebrar o mistério da morte e ressurreição de Jesus Cristo, sensibilizando para a solidariedade e o cuidado às vítimas desse mal.

12

13

14

15

16

17 O tráfico humano é um crime que atenta contra a dignidade da pessoa humana, já que explora o filho(a) de Deus, limita suas liberdades, despreza sua honra, agride seu amor próprio, ameaça e subtrai sua vida.

18 Compreendido como um dos problemas mais graves da humanidade; Segundo o Papa Francisco : O tráfico de pessoas é uma atividade ignóbil, uma vergonha para as nossas sociedades que se dizem civilizadas! O Tráfico Humano gera outras atividades igualmente perniciosas contra a dignidade humana.

19 Campanha da Fraternidade 2014 É para a liberdade que Cristo nos libertou

20 Tráfico para a exploração do trabalho; Tráfico para a exploração sexual; Tráfico para a extração de órgãos; Tráfico de crianças e adolescentes;

21

22 O TRÁFICO HUMANO A ONU estima que o tráfico humano renda 32 bilhões de dólares anuais situando-o entre os crimes organizados mais rentáveis. Em junho de 2012, a OIT estimou que as vítimas do trabalho forçado e exploração sexual chegam a quase 21 milhões. Mulheres e jovens representam quase 11 milhões (55%) das vítimas, enquanto quase 10 milhões (45%) são homens e crianças. Os adultos são os mais afetados: 16 milhões (74%). Os demais 6 milhões (26%) têm idade até 17 anos.

23 O TRÁFICO HUMANO Os traficados de países da América Latina chegam a um milhão e oitocentos, ou 9% do total das vítimas no mundo. Os traficantes se aproveitam da vulnerabilidade econômica e social de muitas pessoas em processo de migração para aliciá-las.

24 AS PRINCIPAIS MODALIDADES DO TRÁFICO HUMANO TRÁFICO PARA A EXPLORAÇÃO NO TRABALHO Também chamado de trabalho forçado, trabalho escravo, exploração do trabalho, semiescravidão, trabalho degradante. Qualquer trabalho que não reúna as mínimas condições necessárias para garantir os direitos do trabalhador é considerado em condição análoga à de escravo. No período de 2003 a 2012, a Amazônia Legal teve a metade de todos os trabalhadores libertados no Brasil. Neste período foram registrados casos de pessoas em trabalho escravo ou análogo ao escravo. Nessa modalidade, a maioria dos traficados são homens (95,3%)

25 AS PRINCIPAIS MODALIDADES DO TRÁFICO HUMANO TRÁFICO PARA A EXPLORAÇÃO SEXUAL A criminalização dessa atividade resulta da exploração da prostituição ou de outras formas de exploração sexual, típicas do tráfico humano. A exploração utiliza-se: da pornografia, do turismo, da indústria do entretenimento, da internet. Dados apontam que 80% dos traficados nessa modalidade são mulheres.

26 AS PRINCIPAIS MODALIDADES DO TRÁFICO HUMANO TRÁFICO PARA A EXTRAÇÃO DE ÓRGÃOS Envolve a coleta e a venda de órgãos de doadores involuntários ou doadores que são explorados ao venderem seus órgãos. A internet é muito utilizada por esse mercado. Requer um doador, um médico e uma sala de operações. Este tráfico começa com a venda dos próprios órgãos pela vítima ou do sequestro de vítimas. Trata-se de um mercado que explora doentes que podem pagar por um órgão imprescindível para viver e pessoas que ponderam entre o órgão sadio que têm e o dinheiro que receberão com a venda.

27 AS PRINCIPAIS MODALIDADES DO TRÁFICO HUMANO TRÁFICO DE CRIANÇAS E ADOLESCENTES Somente na década de 80, quase 20 mil crianças brasileiras foram enviadas ao exterior para adoção. A CPI do tráfico humano encontrou inúmeros processos fraudulentos de adoção. Também existe a exploração sexual. As estatísticas oficiais omitem crianças submetidas a exploração sexual e as que fazem trabalhos domésticos.

28 Campanha da Fraternidade 2014 É para a liberdade que Cristo nos libertou

29 Crime organizado – estrutura sofisticada, favorecendo os serviços; Rotas – existem várias rotas internas e internacionais - costumam sair do interior dos estados em direção aos grandes centros urbanos ou às regiões de fronteira internacional; Invisibilidade – é um crime que não se evidencia – vitimas não denunciam, pois são ameaçadas.

30 Aliciamento e coação – é uma prática comum – abordagem sobre a esperança de melhoria de vida – camuflam outras atividades ilegais; Perfil dos aliciadores – conhecido da vítima, poder de convencimento – por vezes é também vitima – atraem com proposta de emprego. No caso do trabalho escravo temos o gato. Perfil da Vítimas - normalmente, encontram-se em situação de vulnerabilidade, na maioria dos casos, por dificuldades econômicas ou por estarem em mobilidade;

31 A principal finalidade - A exploração da pessoa humana é o objetivo primordial do crime de tráfico.

32 Campanha da Fraternidade 2014 É para a liberdade que Cristo nos libertou

33 Comprometida com a defesa da dignidade humana, dos direitos fundamentais e com a erradicação do crime; É uma negação radical do projeto de Deus para a humanidade. Igreja está intimamente solidária com as pessoas afetadas pelo tráfico humano;

34 Campanha da Fraternidade 2014 É para a liberdade que Cristo nos libertou

35 A criação como fundamento da dignidade humana: Deus liberta e mostra o caminho Exílio e sofrimento de um Povo O Profetismo da – esperança e da Justiça O Código da Aliança – protege os mais vulneráveis

36 Façamos o homem à nossa imagem e semelhança Gn 1,26 O relato da criação exerce uma função libertadora; Na criação, o ser humano é o ponto alto. A dignidade requer viver em comunhão e serviço nas várias relações, conforme o plano de Deus. Na ruptura das relações, há que se buscar a raiz dos males.

37 O fio condutor do AT -> Libertação da pessoa humana; A libertação do Egito devolveu a dignidade ao povo de Israel; sem esta o ser humano não se reconhece a si e nem ao criador; perde sua essência de imagem... O Egito era a grande nação para onde tudo convergia; se enriquecia explorando pessoas.

38 Campanha da Fraternidade 2014 É para a liberdade que Cristo nos libertou

39 Em Jesus Cristo cumpre- se o evento decisivo da ação libertadora de Deus. A revelação em Cristo do mistério de Deus é também a revelação da vocação da pessoa humana à liberdade. Jesus entende que seu ministério é um ministério de libertação.

40 Tráfico e escravidão na Bíblia Gestos de Jesus a favor da dignidade humana e da liberdade: Compaixão e misericórdia; Resgate da dignidade da mulher; Aquele que nos chamou à liberdade; O tráfico é consequência de um sistema idolátrico;

41 Campanha da Fraternidade 2014 É para a liberdade que Cristo nos libertou

42 No século XX houve o reconhecimento definitivo desta concepção da dignidade humana com a Declaração dos Direitos Humanos, em 1948, cujo artigo primeiro diz: Todos os homens nascem livres e iguais em dignidade e direitos. São dotados de razão e consciência e devem agir em relação uns aos outros com espírito de fraternidade. São universais, invioláveis e inalienáveis;

43 Campanha da Fraternidade 2014 É para a liberdade que Cristo nos libertou

44 O Ensino social da Igreja adotou a dignidade humana como uma de suas matizes fundamentais, considerando-a sob a ótica da experiência cristã de fraternidade.

45 Campanha da Fraternidade 2014 É para a liberdade que Cristo nos libertou

46 O trabalho é um ato pessoal e todo o trabalhador é um criador; O Tráfico humano é uma ofensa a Igreja povo de Deus; Somos discípulos e agentes de libertação; Referências: O Trabalho não é mercadoria; O trabalho é muito superior aos outros elementos da economia

47 Não é um tema longe de nós... Não temos situações de exploração sexual? Não temos situações de desaparecimento de crianças? Não temos situações de pedofilia? Não temos condições sub-humanas de trabalho? Enfim não existem pessoas sendo exploradas, perto de nós?

48 Campanha da Fraternidade 2014 É para a liberdade que Cristo nos libertou

49 Campanha da Fraternidade 2014 É para a liberdade que Cristo nos libertou Toda forma de exploração que atente à Liberdade Humana é contrária a vontade de Deus, pois fere a Dignidade Humana. Existem situações de exploração perto de nós? Quais? O que podemos fazer enquanto Igreja? Em nossas Comunidades, Grupos de Catequese e na Liturgia como podemos trabalhar de modo prático este tema da CF 2014?

50 Campanha da Fraternidade 2014 É para a liberdade que Cristo nos libertou DIMENSÕES GERAIS: - Conscientização e Prevenção... - Falar sobre esse assunto, às vezes escondido. - Denunciar situações de exploração. - Ter a consciência de que não é um problema longe de nós apenas. - Saber que nossa Igreja tem movimentos que lutam contra as formas de tráfico: Pastoral da Terra, Pastoral do Migrante, etc.

51 Campanha da Fraternidade 2014 É para a liberdade que Cristo nos libertou DIMENSÃO PESSOAL: - Termos a consciência de que Cristo nos libertou... - Pedir sabedoria para ajudar e enfrentar a exploração aos vulneráveis da sociedade. - Ser presença que consola os que são explorados.

52 DIMENSÃO ECLESIAL: - Trabalhar na Catequese – o valor do Ser Humano e da Liberdade verdadeira. - Divulgar nos meios de Comunicação Paroquiais e Comunitários – informações sobre o Tráfico Humano. - Divulgar o combate ao aliciamento. - Ajudar os mais pobres – vítimas em potencial do tráfico humano. - Falar sempre sobre o valor da Vida. - Diálogo com as Escolas e Instituições para falar sobre o tema.

53 Campanha da Fraternidade 2014 É para a liberdade que Cristo nos libertou DIMENSÃO LITÚRGICA: -Trabalhar na Liturgia: entrada, ato penitencial, preces, símbolos: 08 de março – Dia da Mulher 01 de maio – Dia do Trabalho 18 de maio – Dia do enfrentamento a exploração sexual de Crianças e Adolescentes 23 de setembro - Dia do enfrentamento a exploração sexual de Mulheres

54 É para a liberdade que Cristo nos libertou. Portanto, permaneçam firmes e não se deixem submeter novamente a um jugo de escravidão. Formas de Exploração VERVER Deus liberta e mostra o Caminho ao povo (A.T.) Jesus veio como Libertador (N.T.) Todos os homens nascem livres e iguais em dignidade e direitos. (Dir. Humanos) Dignidade Humana e do Trabalho (Ensino Social da Igreja) JULGARJULGAR Diante de um crime que clama aos céus, como o tráfico humano, não se pode permanecer indiferente, sobretudo os discípulos-missionários. AGIR


Carregar ppt "CNBB. ORAÇÃO INICIAL O RAÇÃO DA C AMPANHA DA F RATERNIDADE Ó Deus, Sempre ouvis o clamor do vosso povo E vos compadeceis dos oprimidos e escravizados."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google