A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

CULTURA E REPRESSÃO NOS TEMPOS DA DITADURA MILITAR BRASILEIRA Historiativanet.wordpress.com.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "CULTURA E REPRESSÃO NOS TEMPOS DA DITADURA MILITAR BRASILEIRA Historiativanet.wordpress.com."— Transcrição da apresentação:

1 CULTURA E REPRESSÃO NOS TEMPOS DA DITADURA MILITAR BRASILEIRA Historiativanet.wordpress.com

2 Ditadura Militar Brasileira ( ) Governo Costa e Silva- Governo Costa e Silva- aumento da repressão AI-5- AI-5- limitava os direitos políticos e minava a liberdade de expressão. O habeas corpus foi suspenso Lei de Imprensa Lei de Imprensa do ano de 1967 restringia a liberdade de expressão censura prévia A censura prévia foi estabelecida a partir de um decreto-lei de 1970.

3 A repressão na televisão A televisão também foi censurada, tanto pelo teor político incitado, como também restrições de âmbito moral. A imagem do Brasil não podia ser negativa As novelas foram alvo da censura e autores como Dias Gomes, Janete Clair e Ivani Ribeiro tiveram novelas prejudicadas e alteradas pela censura

4 Os Grandes Festivais de Música Os Festivais de Música faziam um grande sucesso no início dos anos 60. Muitos artistas, como Chico Buarque, Geraldo Vandré, Mutantes, Caetano Veloso e Gilberto Gil, se destacaram com músicas de protesto

5 Para não dizer que não falei das flores (Geraldo Vandré)...Há soldados armados Amados ou não Quase todos perdidos De armas na mão Nos quartéis lhes ensinam Uma antiga lição: De morrer pela pátria E viver sem razão Vem, vamos embora Que esperar não é saber Quem sabe faz a hora Não espera acontecer Nas escolas, nas ruas Campos, construções Somos todos soldados Armados ou não Caminhando e cantando Um detalhe curioso é que não existe nenhum vídeo disponível no Youtube e mesmo nas televisões com o registro das apresentações de Vandré no FIC (Festival Internacional da Canção) de 1968

6 É proibido proibir (Caetano Veloso) Trecho do discurso de Caetano contra aa vaias sofridas com a apresentação: Eu quero dizer ao júri: me desclassifique. Eu não tenho nada a ver com isso. Nada a ver com isso. Gilberto Gil. Gilberto Gil está comigo, para nós acabarmos com o festival e com toda a imbecilidade que reina no Brasil. Acabar com tudo isso de uma vez. Nós só entramos no festival pra isso. Não é Gil? Não fingimos. Não fingimos aqui que desconhecemos o que seja festival, não. Ninguém nunca me ouviu falar assim. Entendeu? Eu só queria dizer isso, baby. Sabe como é? Nós, eu e ele, tivemos coragem de entrar em todas as estruturas e sair de todas. E vocês? Se vocês forem... se vocês, em política, forem como são em estética, estamos feitos

7 Tropicalismo eu organizo o movimento. eu oriento o carnaval Caetano Veloso Movimento estético que quebrou com paradigmas tradicionais da nossa cultura, inserindo novos elementos que mesclavam tradicionalismo e vanguarda Caetano Veloso, Gilberto Gil, Tom Zé, Mutantes, Capinam, Rogério Duprat, Gal Costa foram alguns destaques do movimento Retomaram alguns princípios do Modernismo Brasileiro

8 Tropicália (Caetano Veloso) Sobre a cabeça os aviões Sob os meus pés os caminhões Aponta contra os chapadões Meu nariz Eu organizo o movimento Eu oriento o carnaval Eu inauguro o monumento No planalto central do país Viva a Bossa, sa, sa Viva a Palhoça, ça, ça, ça, ça Viva a Bossa, sa, sa Viva a Palhoça, ça, ça, ça, ça O monumento É de papel crepom e prata Os olhos verdes da mulata A cabeleira esconde Atrás da verde mata O luar do sertão O monumento não tem porta A entrada é uma rua antiga Estreita e torta E no joelho uma criança Sorridente, feia e morta Estende a mão Viva a mata, ta, ta Viva a mulata, ta, ta, ta, ta Viva a mata, ta, ta...

9 O Pasquim Jornal combativo que enfrentou a ditadura e que contou com a participação de vários nomes importantes do meio artístico.

10 O mundo em transformação Os jovens protestavam maiores liberdades, dentro do contexto da Revolução Sexual, uma revisão dos costumes conservadores Deposição do presidente Charles de Gaulle Maio de 1968

11 Revolução Cultural Família Segundo Hobsbawm, observaremos, a partir de meados da década de 50, uma transformação nas estruturas que vinham se mantendo firme no universo social desde a sua formação. A mais relevante pra nosso estudo é a Família O divórcio sendo legalizado em diversos países, concomitantemente à uma tendência de fortalecimento da mulher e sua entrada no mercado de trabalho mudava completamente o panorama das casas do mundo ocidentalizado.

12 Revolução Cultural Surge um novo fator social. Em meio a essa nova configuração da sociedade, envoltos em seus conflitos, tanto consigo mesmos quanto com seus pais, instituições e empregos que os oprime e não fazem muito sentido para o seu universo, o jovem encontra meios para se fazerem presentes. Woodstock 1969

13 Revolução Sexual Invenção do Anticoncepcional Feminismo Liberalização Sexual Popularização do divórcio


Carregar ppt "CULTURA E REPRESSÃO NOS TEMPOS DA DITADURA MILITAR BRASILEIRA Historiativanet.wordpress.com."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google