A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Sonorização Básica. CABOS É possível alguém imaginar que cabos não mereçam grande atenção ou análise. Engana-se quem não compreende, valoriza e cuida.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Sonorização Básica. CABOS É possível alguém imaginar que cabos não mereçam grande atenção ou análise. Engana-se quem não compreende, valoriza e cuida."— Transcrição da apresentação:

1 Sonorização Básica

2 CABOS É possível alguém imaginar que cabos não mereçam grande atenção ou análise. Engana-se quem não compreende, valoriza e cuida dos seus cabos, pois, embora custem uma fração dos componentes que interligam, a utilização de cabos impróprios ou defeituosos pode ter efeitos que vão desde a degradação da qualidade do som até a queima dos aparelhos a que estiverem ligados!

3 Cabos Coaxial Paralelo

4 Use cabos coaxiais para conectar instrumentos e equipamentos entre si. Use cabos paralelos somente entre amplificadores e caixas de som

5 Sempre que possível utilize microfones e equipamentos balanceados. Portanto os microfones de padrão profissional terão três pinos em suas saídas destinados a receberem uma fêmea XLR linha ou Canon. Na outra ponta do cabo deverá haver, portanto, um conector XLR macho

6 Conectores

7 Conexões

8

9

10 Kit manutenção

11 Teste de cabos

12 Sistema Básico

13 Mesas de Som

14

15 MESA DE SOM Entradas de microfones e entrada de linha MIC – Cada canal de entrada possui uma entrada de microfone balanceada (XLR). LINE IN – Cada canal de entrada possui uma entrada em linha modelo P10, para gravação sem o auxilio do microfone. Exemplo: um violão que tenha captação elétrica, baixo elétrico, guitarra ou outro instrumento que tenha captação ligada diretamente na mesa de som. TRIM – Regula a amplificação de entrada de som.

16 DIRECT BOX - DI

17 PAN – Define a posição do sinal sonoro no âmbito estereofônico. MUTE – Deixa o canal mudo enquanto os outros canais continuam com som. CLIP – se a luz acender significa que houve entrada exagerada de som. Nesse caso basta abaixar o volume. VOLUME – Controla a entrada de som.

18 Equalizar é equilibrar. Portanto, quando se equaliza um determinado som ou instrumento, estamos buscando o seu equilíbrio tonal. Essa busca deve levar em conta todos os elementos do som e ainda as variantes acústicas do ambiente. O EQ é uma ferramenta extremamente poderosa para moldar o equilibrio de freqüências. Você pode com o equalizador: trazer as coisas para frente ou para empurrá-las para trás, criar ou tirar o foco de algum instrumento, realçar elementos importantes, etc. O EQ pode ajudar a reparar gravações ruins e um ajuste correto pode faze-la soar bem.

19

20 Equalizadores Gráficos Equalizadores de 1/3 de oitava – 29 a 32 faixas/canal – cada frequência é aproximadamente 0,8 vezes a anterior (no sentido da maior frequência à menor frequência). 20 – 25 – 31,5 – – 63 – 80 – 100 – 125 – 160 – 200 – 250 – 315 – 400 – 500 – 630 – 800 –1000 – 1250 – 1600 – 2000 – 2500 – 3150 – 4000 – 5000 – 6300 – 8000 – – – – 20000

21 Frequências graves, médias e agudas

22 Graves Entre 20 e 63Hz, esses sons têm comprimentos de onda muito grande e as frequências são mais sentidas que ouvidas. São vibrações, pequenos terremotos sentidos em nossas roupas, no chão, no próprio banco ou cadeira em que estamos sentados nas igrejas. São conhecidos como os Subgraves. São sons que exigem serem criados por woofers bem grandes, de 15, 18 ou até 21 polegadas. São conhecidos como Subwoofers. Quanto maior o diâmetro, mais baixa a frequência ele consegue falar, de uma maneira geral (existem subwoofers pequenos). São sons de difícil absorção (serem absorvidos por algum material). Também são sons que se espalham em todas as direções, por todo o ambiente.

23 Médios Os sons médios vão de 200Hz a 6,3KHz. A maior parte dos sons que ouvimos está situada dentro dessa área, e por isso chamamos de corpo do som.

24 Agudo Entre 6,3KHz e 20KHz temos as frequências agudas. São responsáveis pelo brilho, ajudando também na inteligibilidade da mensagem.

25 HertzRegiãoPalavra ChaveExcessoFalta 20-40SubgravesFundaçãoFlácidoRaramente percebido 40-80Graves Profundos ProfundidadeSobrando/FrouxoRaramente percebido Graves BaseBaseGordo/Pesado/"U"Magro/Frio Graves/Médias baixas DensidadeCavernoso/"Ô"Apertado Médias BaixasCorpoOco/Fanho/"Ã"Preso ,2KMédias BaixasForçaBuzina/Telefone/"Ó"Distante/Oco 1,2K-2,5KMédias AltasProjeçãoLata/Metálico/"É"Estrangulado 2,5K-5KMédias Altas/Agudos PresençaEstridente/Agressivo/ÍVelado 5K-10KAgudos BrilhoBrilhoSibilante/Magro/"S"Abafado/Fosco 10K-20KSúper AgudosArZunido/SopradoPouco Percebido

26 Efeitos da equalização na reprodução de voz 80 a 125Hz - Sons graves - Sensação de poder na voz masculina baixo 160 a 250Hz - Sons médio graves - Fundamentais da voz 315 a 500Hz - Sons médios - Importante para a qualidade da voz 630 a 1KHz - Sons médios - Importante para a naturalidade da voz. Muita ênfase entre 315Hz e 1KHz faz a voz ficar como "de telefone".

27 1.25K a 4KHz - Sons médio-agudos - Área da definição dos fonemas fricativos (f, v, s, z) e acentuação das vozes. Importante para a inteligibilidade da fala. Muita ênfase entre 2 e 4KHz pode mascarar a fala de alguns sons, fazendo com que m, b e v se tornem indistinguíveis. Muita ênfase em qualquer lugar entre 1K a 4KHz produz fadiga auditiva. 5K a 8KHz - Sons agudos - Acentuação da voz. A região entre 1.25K e 8KHz é responsável pela clareza e definição, a inteligibilidade do que ouvimos. 10 a 16KHz - Sons agudos - Muita ênfase causa sibilância.

28

29

30

31

32

33

34 Microfones

35 MICROFONE O microfone está para um sistema de sonorização assim como o ouvido está para o corpo humano. Ele é o responsável por captar a onda sonora e transformá-la em algo que os equipamentos eletrônicos (amplificadores, mesas, etc.) possam entender e usar. Sendo assim, é apropriado que seja adotado todo o cuidado no manuseio do microfone uma vez que ele é parte sensível do sistema sonoro e, se bem empregado, pode tornar-se um aliado de quem o utiliza. De forma contrária, se o microfone é utilizado com descaso poderá tornar-se seu inimigo durante uma apresentação e/ou gravação.

36 Cardióide - Captam muito bem o que está na sua frente, com pequena depreciação de captação conforme movimentamos para as laterais. Não capta praticamente nenhum som pelas laterais (a 90° e 180°) parte traseira do microfone.

37 Super cardióide - Possuem maior captação na parte da frente, como os cardióides. Sua depreciação de captação nas laterais é maior (até o ponto onde não existe mais captação), porém capta pouco som por trás do microfone.

38 Hiper cardióide - São extremamente direcionais. Uma simples movimentação para as laterais já pode ser motivo para uma bela reduzida no volume de captação. Nas laterais não captam som. Porém, apresenta grande captação na parte traseira do microfone.

39 Omnidirecional - São microfones que captam de forma igual em qualquer posição que estejam.

40 Mic LapelaMic Auricular

41 Mic Coral

42

43

44 Os 7 Mandamentos do Amigo do Microfone. 1º MANDAMENTO: NÃO BATA! É muito comum que ao segurar um microfone para utilizar, dê algumas batidinhas nele com o objetivo de verificar se ele está funcionando. O diafragma e o elemento gerador, com o tempo, de tanto apanhar, eles se danificarão podendo partir-se. O microfone vítima dessas batidinhas passa, depois de certo período de surras constantes, a reagir apresentando um som choco e rachado.

45 2º MANDAMENTO: NÃO ASSOPRE Muitas pessoas também no desejo de verificar se o microfone está funcionando, tem o hábito de assoprar o microfone: fu... fu... som... som... Ao assoprar o microfone é despejado alguns mililitros de saliva sobre ele!!! Essa saliva vai gerar um mau cheiro no microfone e ele não pode tomar banho para se limpar... isso é muito anti-higiênico!!! Quando você quiser verificar se um microfone está funcionando, apenas fale...

46 3º MANDAMENTO: NÃO GRITE A finalidade de um sistema de sonorização é amplificar o som que você está produzindo. Sendo assim, não é recomendável que você atinja o microfone com volume de voz extremamente alto porque, dependendo de como foi construído (se for um capacitivo, por exemplo), o sinal será distorcido. Você terá sua voz reproduzida de forma rachada. Isso sem levar em consideração o incômodo que será causado na audiência...

47 4º MANDAMENTO: NÃO FALE SE MOVIMENTANDO Algumas pessoas têm o hábito de falar/cantar movendo-se de um lado para o outro diante do microfone, quando este está fixo. Os microfones têm uma capacidade auditiva limitada. Eles não são capazes de ouvir se você estiver falando ou cantando muito afastado dele para as laterais. Você precisa falar e/ou cantar diretamente em frente a ele. Aí ele poderá perceber toda a beleza de sua voz.

48 5º MANDAMENTO: NÃO TENHA MEDO Muitas pessoas têm medo de microfones e por isso afastam-se dele demasiadamente. À medida que você se afasta do microfone, ele passa a ter dificuldades de ouvir você. Sua voz ficará com excesso de agudos e sem peso (graves): a conhecidíssima voz de taquara rachada. Para obter um bom desempenho, aproxime-se do microfone até cerca de 5 cm.

49 6º MANDAMENTO: NÃO O ENGULA Às vezes, falamos tão próximo ao microfone que quase o engolimos. A essa distância tão pequena prejudica a qualidade do som: os microfones direcionais (usados por nós em 99% das aplicações) têm uma propriedade chamada efeito proximidade. Esse efeito encorpa os graves à medida que o microfone é aproximado da fonte sonora. Sendo assim, você terá o som da sua voz cheio de graves e provavelmente sem clareza, para não falar do maravilhoso efeito puf. É só lembrar que a distância adequada para uma boa captação é cerca de 5 cm afastado da boca e diretamente em frente ao microfone.

50 7º MANDAMENTO: NÃO ENROLE Algumas pessoas ao segurar o microfone na mão, têm o hábito de enrolar o cabo. Não enrole, cante!!! Ou fale!!! Ao enrolar o cabo do microfone, você provoca alteração em suas propriedades elétricas e, com o tempo, danifica as soldagens que o unem aos plugs. O que resulta disso são chiados e barulhos diversos. Ao segurar um microfone, deixe o cabo completamente livre e solto.

51

52 PROCESSADORES DE SINAL EFEITOS DIGITAIS MODULAÇÃO REVERB SINAL COMPRESSOR GATE

53 EFEITOS DIGITAIS CHORUS REVERB PHASER ECO DELAY PITCH

54

55

56

57 PROCESSADORES DE SINAL GATE COMPRESSOR

58

59

60


Carregar ppt "Sonorização Básica. CABOS É possível alguém imaginar que cabos não mereçam grande atenção ou análise. Engana-se quem não compreende, valoriza e cuida."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google