A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Procesamiento de minerales I Britagem Maria Luiza Souza Montevideo 5-9 Agosto 2013 1 UNIVERSIDADE DE LA REPUBLICA – URUGUAY UFRGS - DEMIN - BRASIL.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Procesamiento de minerales I Britagem Maria Luiza Souza Montevideo 5-9 Agosto 2013 1 UNIVERSIDADE DE LA REPUBLICA – URUGUAY UFRGS - DEMIN - BRASIL."— Transcrição da apresentação:

1 Procesamiento de minerales I Britagem Maria Luiza Souza Montevideo 5-9 Agosto UNIVERSIDADE DE LA REPUBLICA – URUGUAY UFRGS - DEMIN - BRASIL

2 Capítulo 6 - Britagem Neste capítulo estão descritos, de modo resumido, os seguintes equipamentos. 1.Britadores de mandíbulas. 2.Britadores giratórios. 3.Britadores cônicos. 4.Britadores de impacto. 5.Britadores de rolos 6.Outros 2 UNIVERSIDADE DE LA REPUBLICA – URUGUAY UFRGS - DEMIN - BRASIL

3 Capítulo 6 – Britagem UNIVERSIDADE DE LA REPUBLICA – URUGUAY UFRGS - DEMIN - BRASIL 3 Figura 1- Circuitos básicos de britagem à esquerda; lavagem à direita Circuito aberto Circuito fechado Escalpe

4 Capítulo 6 – Britagem UNIVERSIDADE DE LA REPUBLICA – URUGUAY UFRGS - DEMIN - BRASIL 4 Britadores Para se obter o melhor e maior rendimento dos equipamentos de fragmentação devemos procurar máquinas que: - sejam adaptadas às propriedades físicas do material; - possuam a capacidade de produção desejada ao processo (qualitativa e quantitativamente); - sejam seguras e com operação e manutenção fáceis; - construção simples, permitindo facilidade de montagem, desmontagem e substituição de peças e partes. Os tipos mais usados na mineração, entre as diversas classes de equipamentos disponíveis, são os seguintes. - Britadores primários: de mandíbulas (um eixo e dois) e giratórios. - Britadores secundários, terciários e quaternários: mandíbulas, cônicos. - Outros : rolos, impacto, etc

5 CategoriaTipoFunção Mandíbulas 1 Eixo1 arios 2 Eixos (Blake)1 arios - 3 arios Próprio1 arios GiratóriosCônicos standard2 arios Cônico SH3 arios - 4 arios ImpactoMartelos1 arios - 4 arios Outros Rolo simples1 arios - 2 arios Rolo duplo1 arios - 2 arios Capítulo 6 – Britagem UNIVERSIDADE DE LA REPUBLICA – URUGUAY UFRGS - DEMIN - BRASIL 5 Quadro 1- Principais tipos de britadores.

6 - Mandíbula móvel - Mandíbula fixa - Gape (ou abertura) - Largura - Profundidade - Placas de desgaste - Eixo cêntrico - Eixo excêntrico - Biela - Abanadeiras (telhas) - Tirante - Volante - Calço Capítulo 6 – Britagem Figura 2- Britador de mandíbulas de dois eixos (Blake). UNIVERSIDADE DE LA REPUBLICA – URUGUAY UFRGS - DEMIN - BRASIL 6

7 Capítulo 6 – Britagem UNIVERSIDADE DE LA REPUBLICA – URUGUAY UFRGS - DEMIN - BRASIL 7 Figura 3- Dimensões importantes em um britador. - A: largura capacidade do britador. - B: gape top size da alimentação: 80% do gape. - C: profundidade. B A C E.g.: um 1400 x 1070 mm é o que ?

8 Mandíbula de um eixo Gape Top-size Largura Capacidade Capítulo 6 – Britagem Figura 4- Gape de um britador. Figura 5- Largura de um britador. UNIVERSIDADE DE LA REPUBLICA – URUGUAY UFRGS - DEMIN - BRASIL 8

9 Capítulo 6 – Britagem UNIVERSIDADE DE LA REPUBLICA – URUGUAY UFRGS - DEMIN - BRASIL 9 Figura 6- Movimento da mandíbula móvel (britador de 1 eixo). Como é o ciclo de quebra do sólido em um mandíbulas ?

10 Capítulo 6 – Britagem UNIVERSIDADE DE LA REPUBLICA – URUGUAY UFRGS - DEMIN - BRASIL 10 Figura 7- Britador giratório. Manto ou côncavo Aranha Cone ou sino

11 Capítulo 6 – Britagem UNIVERSIDADE DE LA REPUBLICA – URUGUAY UFRGS - DEMIN - BRASIL 11 Figura 8- Descarga de material no britador giratório. Observar o caminhão !

12 Capítulo 6 – Britagem Como é o ciclo de quebra do sólido em um giratório ? Nem há ciclo, a quebra do sólido é praticamente contínua ! Figura 9- Esquema de operação no britador giratório. UNIVERSIDADE DE LA REPUBLICA – URUGUAY UFRGS - DEMIN - BRASIL 12

13 Capítulo 6 – Britagem UNIVERSIDADE DE LA REPUBLICA – URUGUAY UFRGS - DEMIN - BRASIL 13 Figura 10- Britador cônico. Nos britadores cônicos, usados na britagem 2 ária, 3 ária e 4 ária, a altura do cone é reduzida em relação ao diâmetro da base e o manto se fecha no topo, permitindo melhor aproveitamento da câmara. Vários tipos de câmaras são disponibilizados pela indústria. Há câmaras para grossos, médios e finos, que permitem variar a D.G. dos produtos britados: respectivamente 60, 68 e 75 % passantes na APF. Os britadores de câmara para finos também são chamados de short head.

14 Capítulo 6 – Britagem UNIVERSIDADE DE LA REPUBLICA – URUGUAY UFRGS - DEMIN - BRASIL 14 Figura 11- Britador cônico, unidade móvel.

15 grau de redução = 1:25; capacidade = 1000 m 3 /h e top-size alimentação =1,5 m. Drotor = 0,6 a 2 m e Lrotor = 0,4 a 2,4 m. Capítulo 6 – Britagem UNIVERSIDADE DE LA REPUBLICA – URUGUAY UFRGS - DEMIN - BRASIL 15 Figura 12- Britador de impacto. Quebra por impacto contra placas de desgaste.

16 Britador de rolo dentado simples Capítulo 6 – Britagem Figura 13- Britador Barmac da Metso® UNIVERSIDADE DE LA REPUBLICA – URUGUAY UFRGS - DEMIN - BRASIL 16 Bastante usado na produção de agregados e areia artificial para a construção civil. Britador de impacto do tipo VSI.

17 Britador de rolo dentado simples - grau de redução: 1:4 a 1:8 - capacidade: 2500 m 3 /h - top-size alimentação: 2 m - sólidos moles; média dureza - adequado para sólido úmido - Drotor: 0,5 a 2 m - Lrotor: 0,4 a 2,8 m Capítulo 6 – Britagem Figura 14- Britadores de rolos dentados (acima o de rolo simples e no detalhe a boca de carga de um de rolo duplo). UNIVERSIDADE DE LA REPUBLICA – URUGUAY UFRGS - DEMIN - BRASIL 17

18 Capítulo 6 – Britagem UNIVERSIDADE DE LA REPUBLICA – URUGUAY UFRGS - DEMIN - BRASIL 18 Figura 15- Britadores de rolos com tecnologia HPG. Medidor laser de desgaste. Niveladora

19 Capítulo 6 – Britagem UNIVERSIDADE DE LA REPUBLICA – URUGUAY UFRGS - DEMIN - BRASIL 19 Seleção de Britadores A escolha de um britador para um dado serviço deve atender uma série de exigências, cada qual independente das demais. Uma delas é que vai impor o tamanho do equipamento a ser escolhido. As condições são: a) de recepção: o gape de um britador (principalmente primários e secundários) deve ser maior que o top size do material esperado para alimentá-lo. b) de processo: O britador deverá ter um produto com uma D.G. adequada ao processo subseqüente. Para tal, deverá operar com uma certa abertura, conforme indicado pelas curvas granulométricas que são fornecidas pelos fabricantes tradicionais, para cada tipo de britador, material e/ou circuito. c) de capacidade: o britador tem uma capacidade que varia com o seu tamanho, e para cada tamanho com a abertura de descarga. Taggart estabeleceu um critério para optar por britadores de mandíbulas ou giratórios: X = (vazão em t/h)/(gape em polegadas)2. Se X > 0,115 então adotar britador giratório; caso contrário, de mandíbulas.


Carregar ppt "Procesamiento de minerales I Britagem Maria Luiza Souza Montevideo 5-9 Agosto 2013 1 UNIVERSIDADE DE LA REPUBLICA – URUGUAY UFRGS - DEMIN - BRASIL."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google