A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Breve Curriculum Vitae

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Breve Curriculum Vitae"— Transcrição da apresentação:

0 Gestão do Conhecimento na Itaipu Binacional
Curitiba - PR Junho 2003

1 Breve Curriculum Vitae
Débora Bertasi Bacharel em Ciência da Computação Universidade de Passo Fundo Especialista em Sistemas de Informação - Universidade Federal do RS Mestre em Ciência da Computação Universidade Federal do RS Analista de Sistemas Itaipu Binacional Prof. UDC Sistemas de Informação - Arquitetura de computadores - Algoritmos -

2 Breve Curriculum Vitae
Roberto Censi Faria Engenheiro Eletricista - Escola Politécnica da Universidade de São Paulo Especialista em Eng. Software - COPPE - UFRJ / Unioeste Chefe Setor de Un. Geradoras na Divisão de Manutenção de Equipamentos de Geração -

3 Breve Curriculum Vitae
Enon Laércio Nunes Engenheiro Mecânico - Escola federal de Engenharia de Itajubá Mestre em Ciências Engenharia de Produção - UFSC -2001 Doutorando Engenharia Mecânica - UFSC Prof ° Concursado UNIOESTE - Fenômenos de Transporte Assistente do Diretor Geral na Implantação das Novas Unidades Geradoras Áreas de Conhecimento e Concentração Manutenção de Equipamentos Confiabilidade e Mantenabilidade Gestão da Manutenção Metodologia de Manutenção

4 Usina Hidrelétrica de Itaipu -Localização

5 Usina Hidrelétrica de Itaipu

6 Participação de ITAIPU na Produção de Energia

7 Suprimento de Energia em 2002
ELETROBRÁS 71147,3 GWh (8121,8 MW médio ) 92,9 % Suprimento: ,7 GWh (8.777,9 MW médio ) ANDE 5.747,4 GWh (656,1 MW médio ) 7,1 %

8 Principais Equipamentos
18 unidades geradoras de 700 MW; 69 transformadores de 500 kV; 02 transformadores de 220 kV; 02 transformadores de 69 kV; 08 linhas de Transmissão de 500 kV; 01 subestação isolada a gás (SF6) com 52 disjuntores e barras de 500 kV; 01 subestação de transmissão de 500/230 kV MVA; Ah em baterias alcalinas e chumbo ácido; 22 pontes rolantes, 6 pórticos, 2 limpa grades e 20 elevadores; Sistemas de insuflamento e exaustão com 707 moto ventiladores.

9 Principais Equipamentos
Sistemas de ar condicionado com 2 centrais de água gelada e 36 self contained; 14 comportas com centrais oleodinâmicas do vertedouro; 23 centrais de ar comprimido; Geração térmica de emergência de 20 MVA; 2 estações de tratamento de água; 2 estações de tratamento de esgoto; Sistema de drenagem da Barragem Principal e Casa de Força; Sistemas de Comunicação; Sistema de iluminação com aproximadamente pontos.

10 Manutenção nas Empresas do Setor Elétrico
Características dos Sistemas Elétricos Sistemas Interligados Nacional e Internacional Características do Mercado Predominância de Consumidores Industriais com altos níveis de exigências Aumento do nível de exigência por parte de consumidores residenciais

11 Manutenção CONCEITO ANTIGO Reparar o equipamento com rapidez
ENFOQUE ATUAL Manter a função do equipamento disponível para a operação Evitar a falha do equipamento Reduzir os riscos de uma parada de produção não planejada.

12 Tipos de Manutenção PREVENTIVA
É a manutenção realizada em um equipamento com o objetivo de reduzir a probabilidade de falha. Pode ser classificada como : Sistemática: Realizada dentro de uma programação estabelecida em função do tempo de operação. Não Sistemática : Programada conforme acompanhamento das características do estado do equipamento.

13 Tipos de Manutenção CORRETIVA:
Objetiva restabelecer a função de um equipamento que falhou Pode ser classificada como : Paliativa: apenas retirando o equipamento do estado de falha Curativa: Compreende intervenções que restabelecem em caráter definitivo a função do equipamento

14 SOM - Sistema de Operação e Manutenção
Método adotado por Itaipu para a “normatização”, “planejamento”, “execução”, “controle” e “avaliação” dasatividades de operação e manutenção; O SOM preconiza o “controle permanente” da performance dos equipamentos, objetivando o fornecimento de energia elétrica com “qualidade”, “continuidade” e “economicidade”; A performance dos equipamentos é acompanhada com auxílio de “indicadores de desempenho”.

15 Uma das principais características do SOM é a
SOM - Sistema de Operação e Manutenção Uma das principais características do SOM é a PREVENÇÃO

16 Características da Manutenção de ITAIPU
Grande quantidade e complexidade de equipamentos; Grande quantidade de ações preventivas e corretivas; Grande volume de dados para análise; Dinamismo das mudanças dos estados de equipamentos; Equipes pluridisciplinares que se complementam; Grande volume de sobressalentes em trânsito; Constante evolução de tecnologias; Binacionalidade.

17 Missão da Manutenção Otimizar a DISPONIBILIDADE dos equipamentos com o objetivo de atender aos CLIENTES DA ITAIPU BINACIONAL, através do fornecimento de energia, contemplando as etapas de planejamento, a execução, o controle e a análise das atividades de MANUTENÇÃO, avaliando permanentemente o CUSTO/BENEFÍCIO envolvido em todo o processo.

18 Objetivo da Manutenção
Redução da Duração dos Desligamentos da Manutenção Programada; Minimização da Indisponibilidade Forçada Aumento da Disponibilidade Operativa

19 Indisponibilidade Programada
% de tempo

20 Indisponibilidade Forçada
% de tempo

21 Disponibilidade das Unidades Geradoras
% de tempo 92,39

22 Comparação de Índices Ano:2002

23 Estrutura da Manutenção
SM.DT SUPERINTENDÊNCIA DE MANUTENÇÃO SMI.DT SMM.DT DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA DE MANUTENÇÃO DEPARTAMENTO DE EXECUÇÃO DA MANUTENÇÃO SMMA.DT SMMC.DT SMME.DT SMMG.DT SMMT.DT SMMU.DT Manutenção Mecânica de Serviços Auxiliares Manutenção Equipamentos de Geração Manutenção Mecânica Unidades Geradoras Manutenção Civil e industrial Manutenção Eletrônica Manutenção Equipamentos Transmissão

24 Gestão do Conhecimento na Itaipu Binacional

25 NECESSIDADE DE GC NA IB Preservar o conhecimento organizacional como patrimônio essencial à continuidade dos negócios Reduzir o impacto da movimentação de pessoas: desligamentos da empresa (aposentadoria) novas contratações (trainees e estagiários) mobilidade entre áreas (Concursos Internos) Facilitar a aprendizagem organizacional

26 GESTÃO DO CONHECIMENTO - IB
Piloto 9A/18A

27 Projeto Piloto - SMMG.DT
Modelo estratégico de Gestão do Conhecimento - IB Envolvimento da superintendência, gerência e empregados Cultura - Compartilhar o que sei e aprender o que não sei Alta capacitação do Corpo Técnico Preservação do conhecimento de especialistas na empresa Adequação da metodologia proposta e criação de um modelo para expansão de GC na empresa

28 Definir Ajustar Captar Utilizar Organizar Transmitir Representar
Etapas de GC Definir Ajustar Captar Utilizar Organizar Transmitir Representar

29 Projeto Piloto - Situação atual

30 Projeto Piloto - Situação atual

31 Projeto Piloto - Situação atual

32 Recuperação e atualização do acervo existente
Projeto Piloto - Resultados Recuperação e atualização do acervo existente Realização dos cronogramas Identificação de todas as atividades prévias e as atividades necessárias para a troca da barra; Realização de cursos; Repasse do Conhecimento

33 Projeto Piloto - Resultados

34 Gestão do Conhecimento - IB
Piloto 9A/18A

35 Projeto 9A e 18A Registro de procedimentos da instalação das unidades 9A e 18A, visando: preservar a memória da organização: registro de atividades que serão realizadas pela última vez; documentar acidentes/incidentes/falhas humanas e respectivas medidas corretivas; preservar o histórico dos equipamentos desde o início da instalação, para uso pela manutenção e para uso futuro no treinamento do pessoal de manutenção; preservar na empresa o conhecimento das pessoas que estão próximas à aposentadoria;

36 Projeto 9A e 18A

37 Projeto 9A e 18A

38 Projeto 9A e 18A

39 Projeto 9A e 18A

40 Referências BERTASI,D.; NUNES,E.L; PEDRASSANI,E.L. Gestão do Conhecimento na Itaipu Binacional. Developers Magazine. nº 80. DAVENPORT; PRUSAK. Conhecimento empresarial. Editora Campus, 1998. DRUCKER, Peter. Desafios gerenciais para o século XXI. Pioneira, 1999. IDS-Scheer. Metodologia de KM. São Paulo Nonaka, Ikujiro & Takeuchi. Criação de Conhecimento na empresa. Rio de Janeiro, editora Campus, 1999. Sociedade Brasileira de Gestão do Conhecimento. Disponível por WWW em (jun.2003) STEWART, Thomas. Capital intelectual. Editora Campus, TEIXEIRA, Jayme. Gerenciando conhecimento. SENAC-RJ, 2000.

41 Gestão do Conhecimento


Carregar ppt "Breve Curriculum Vitae"

Apresentações semelhantes


Anúncios Google