A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Canário*, R., 2009. Seroprevalência da Diarreia Viral Bovina (BVD) em explorações de bovinos de carne na região do Alentejo. Veterinaria.com.pt 2009. Vol.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Canário*, R., 2009. Seroprevalência da Diarreia Viral Bovina (BVD) em explorações de bovinos de carne na região do Alentejo. Veterinaria.com.pt 2009. Vol."— Transcrição da apresentação:

1 Canário*, R., Seroprevalência da Diarreia Viral Bovina (BVD) em explorações de bovinos de carne na região do Alentejo. Veterinaria.com.pt Vol. 1 Nº 2: e7 Apresentação powerpoint das provas de Mestrado Integrado em Medicina Veterinária, pelo aluno, em , com o título supracitado da tese finalizada em Ciência, tecnologia e humanidade Os nossos alunos são o nosso compromisso Incutir e defender esta trilogia, é o nosso dever! Animação (regulamento do Prémio Pfizer para os estudantes de CEP 2007) apresentada aos alunos desta ex-disciplina, após aula em 30/04/07, por delegado de propaganda médica (Mário Hilário - Marketing & Technical Cattle Manager) do grupo Laboratórios Pfizer - Portugal, aos quais agradecemos o apoio específico prestado a este aluno durante o seu estágio/mestrado (através do seu Orientador Científico, Prof. José Costa Mira do Instituto Politécnico de Beja) em ano de transição da Licenciatura em Medicina Veterinária (por equivalência dos 5 anos da parte académica, de acordo com o seu Curriculum) para Mestrado Integrado de Medicina Veterinária da UTAD. Veterinaria.com.pt Vol. 1 Nº 2: e8 (publicado em 21 de Outubro de 2009) * * Recordar, sorrindo, também é viver Os pinguins são aves características do hemisfério Sul. Saiba mais na Wikipédia, a enciclopédia livre.Wikipédia, a enciclopédia livre. Disponível em

2 Veterinaria.com.pt Vol. 1 Nº 2: e8 (publicado em 21 de Outubro de 2009) O então não licenciado, e agora, Dr. (Mestre) Rodrigo Canário na defesa do presente trabalho, e o qual foi publicamente incentivado a fazer a sua submissão em inglês ao Congresso Mundial de Buiatria de Merecedor de patrocinio ao Chile, pelos resultados obtidos com apenas 500 euros e em consonância com o verificado na vizinha Andaluzia! Em nada podemos diferenciar, em rigor, este nosso ex-aluno da ex-disciplina de Clínica das Espécies Pecuárias diplomado em Mestrado Integrado em Medicina Veterinária de outros, dos quais destacamos o Dr. Paulo ou a Drª Dália, só para citar alguns dos que conosco trabalharam mais intensamente e tornaram público o seu labor. Este é um dos nossos tributos a todos os alunos diplomados antes, durante e após a transição da aplicação do processo de Bolonha ao curso de Veterinária. O Editor, João Simões

3 Seroprevalência da Diarreia Viral Bovina (BVD) em explorações de bovinos de carne na região do Alentejo Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro Mestrado Integrado em Medicina Veterinária Rodrigo Miguel Dias Canário

4 Introdução Diarreia Viral Bovina Etiologia Genótipos: BVDV tipo 1 BVDV tipo 2 Biótipos: Não-citopatogénico (NCP) Citopatogénico (CP) Seroprevalência da Diarreia Viral Bovina (BVD) em explorações de bovinos de carne na região do Alentejo FamíliaGéneroEspécie FlaviviridaePestivirusVírus da BVD Vírus da Peste Suína Clássica Vírus da Border Disease

5 Introdução Epidemiologia Distribuição mundial 60-90% de animais seropositivos 0,5-2% de animais persistentemente infectados (PI) Transmissão: bovinos PI como principal fonte o Vias de eliminação: descargas nasais, aerossóis (1,5-10m), saliva, lágrimas, fezes, urina, fluidos uterinos, leite o Vias de transmissão: horizontal (directa ou indirecta) e vertical Transmissão dentro das explorações: introdução de um animal PI Transmissão entre explorações: aquisição de novos bovinos PI ou prenhes de fetos PI; exposição dos animais por vedações, pastos comunitários ou feiras e exposições. Seroprevalência da Diarreia Viral Bovina (BVD) em explorações de bovinos de carne na região do Alentejo

6 Introdução Importância económica Em Portugal: o Ribeiro e Pereira (2004) – explorações leiteiras (Norte) o Stilwell et al. (2007) – vacadas de carne (Centro) Real impacto produtivo, reprodutivo e económico é desconhecido nas explorações portuguesas Seroprevalência da Diarreia Viral Bovina (BVD) em explorações de bovinos de carne na região do Alentejo Gunn et al. (2004) Gunn et al. (2005)

7 Objectivos Determinação da seroprevalência da BVD em explorações de bovinos de carne distribuídas pela região do Alentejo o Pesquisa de anticorpos anti-BVDV Seroprevalência da Diarreia Viral Bovina (BVD) em explorações de bovinos de carne na região do Alentejo

8 Material e métodos 1. Animais, natureza das explorações e amostras 20 explorações de bovinos de aptidão de carne, dispersas pela região do Alentejo Populações abertas e em regime extensivo o Machos destinados a reprodução provenientes de explorações com estatuto vacinal desconhecido. o Fêmeas adquiridas de origem diversa. Seroprevalência da Diarreia Viral Bovina (BVD) em explorações de bovinos de carne na região do Alentejo

9 Material e métodos 1. Animais, natureza das explorações e amostras 3642 animais Seroprevalência da Diarreia Viral Bovina (BVD) em explorações de bovinos de carne na região do Alentejo Raça% Mertolenga9,4 Alentejana7,3 Limousine0,9 Charolesa0,1 X Limousine29,4 X Charolês1,7 X Alentejana0,1 Indefinida51,1 (p<0,001)

10 Material e métodos 1. Animais, natureza das explorações e amostras 111 amostras o População total da exploração ( e com idades iguais ou superiores a 1 ano) o Amostras escolhidas aleatoriamente dentro do rebanho o Sangue colhido da veia coccígea para tubo a vácuo de uso único e sem aditivos Seroprevalência da Diarreia Viral Bovina (BVD) em explorações de bovinos de carne na região do Alentejo

11 Material e métodos 1. Animais, natureza das explorações e amostras 111 amostras o Dimensão da amostra (Toma et al., 2004): n= dimensão da amostra; α = probabilidade de não ter nenhum doente entre os n animais tirados à sorte de uma população N; N= dimensão da população; D= número de unidades doentes na população o Inquérito relativo à entrada/origem de animais em cada exploração. Seroprevalência da Diarreia Viral Bovina (BVD) em explorações de bovinos de carne na região do Alentejo

12 Identificação das explorações Efectivo total Efectivo com idade 1 ano Nº de amostras para o estudo Origem dos vitelos para reprodução (A/B) e fêmeas (*) n%n% 13579,831889, , ,415868,15A 41684,613077,45A 51845,113070,15* 61604,414288,85A 71273,511489,85A 81203,310990,85B 91253,49172,85* ,517162,45B* 11852,36070,65* ,820156,59A* ,617886, ,921284,89A ,813878,05B ,28674,15B ,310567,35A* ,910373,15A* ,09363,35B* 20621,75385,55B* Total ,2111

13 Material e métodos 2. Ensaio das análises Efectuado no Laboratório Veterinário de Beja (ACOS), com o apoio financeiro dos laboratórios Pfizer Saúde Animal. Utilizou-se a técnica ELISA de competição para pesquisa de anticorpos contra o BVDV o Kit comercial INGEZIM BVD Compac ® (INGENASA, Imunologia e Genética Aplicada, S.A., Madrid, Espanha). o Foram seguidas as instruções do fabricante. Seroprevalência da Diarreia Viral Bovina (BVD) em explorações de bovinos de carne na região do Alentejo

14 Material e métodos 3. Análise estatística Determinação da seroprevalência da doença: Qui-quadrado de Pearson. Coeficiente de Contingência. Teste V de Cramer o Estudo de independência das variáveis Exploração x Seroprevalência SPSS 17.0 ® (SPSS Inc., Chicago, Illinois). Seroprevalência da Diarreia Viral Bovina (BVD) em explorações de bovinos de carne na região do Alentejo

15 Resultados Frequência de anticorpos contra o BVDV na totalidade das explorações estudadas. Frequência de anticorpos contra o BVDV (amostras positivas) observada em cada exploração. Seroprevalência da Diarreia Viral Bovina (BVD) em explorações de bovinos de carne na região do Alentejo

16 N BEJA (N ; W ) Resultados

17 Resultados Seroprevalência de anticorpos contra o BVDV em todas as explorações testadas. Exploração x Seroprevalência extremamente significativa o χ 2 =72,18; g.l.=19 o Coeficiente de contingência=0,631 o Teste V de Cramer=0,813 Seroprevalência da Diarreia Viral Bovina (BVD) em explorações de bovinos de carne na região do Alentejo Nº de explorações avaliadas AmostrasSeroprevalência (%) PositivasNegativasDuvidosas n%n%n% ,17063,121,835,1

18 Discussão A seroprevalência de anticorpos contra o BVDV obtida no presente estudo (35,1%) é semelhante àquela descrita na região da Andaluzia (Espanha) para efectivos não vacinados (42,3%). RegiãoSeroprevalência (%) Explorações seropositivas (%) Método de pesquisa de anticorpos anti-BVDV Alentejo35,165ELISA de competição Andaluzia (Espanha) 1 42,370,9ELISA de competição Ribatejo 2 84,6ELISA de bloqueio Entre Douro e Minho (Bovinos leiteiros) 3 63,3ELISA de competição 1 Gómez-Pacheco et al. (2009) 2 Stilwell et al. (2007) 3 Ribeiro e Pereira (2004) Seroprevalência da Diarreia Viral Bovina (BVD) em explorações de bovinos de carne na região do Alentejo

19 Discussão Verificou-se uma tendência para a existência de uma maior percentagem de explorações positivas e/ou duvidosas (65%) necessidade de alterações de índole zootécnica e veterinária. A frequência de animais positivos é maior que 75% em metade das explorações seropositivas infecção activa, com a presença de pelo menos um animal PI. Seroprevalência da Diarreia Viral Bovina (BVD) em explorações de bovinos de carne na região do Alentejo

20 Discussão 12 explorações seropositivas 9 explorações possuem machos adquiridos noutra exploração 7 explorações possuem fêmeas de origens diferentes Entrada de animais como potencial factor de risco para a entrada do BVDV

21 Considerações finais Explorações não adoptam programas de vacinação para prevenir e controlar a doença os anticorpos encontrados são maioritariamente devidos à exposição natural. O valor da seroprevalência não permite caracterizar epidemiologicamente a região do Alentejo. Pelo grau de seroprevalência verificado, dever-se-á estudar o impacto na reprodução. Seroprevalência da Diarreia Viral Bovina (BVD) em explorações de bovinos de carne na região do Alentejo

22 Considerações finais É recomendável aplicar medidas de prevenção e controlo contra as infecções pelo BVDV. o Diagnóstico de situação da exploração: Inquérito sobre potenciais factores de risco Técnicas laboratoriais o Biossegurança: Remoção e eliminação de animais PI Quarentena Exames serológicos periódicos Contacto directo e indirecto o Programas vacinais Seroprevalência da Diarreia Viral Bovina (BVD) em explorações de bovinos de carne na região do Alentejo

23 Agradecimentos Presidente do Júri: Professor Doutor Luís Cardoso Orientador: Dr. José Mira Co-orientador: Professor Doutor João Simões Dr. Miguel Matos (Laboratórios Pfizer Saúde Animal) Dr.ª Maria Helena Monteiro (Laboratório Veterinário de Beja, ACOS) Seroprevalência da Diarreia Viral Bovina (BVD) em explorações de bovinos de carne na região do Alentejo 2009


Carregar ppt "Canário*, R., 2009. Seroprevalência da Diarreia Viral Bovina (BVD) em explorações de bovinos de carne na região do Alentejo. Veterinaria.com.pt 2009. Vol."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google