A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Tecido Conjuntivo Prof Leonardo M. Crema. Variedades de Tecido Conjuntivo Propriamente dito (frouxo, denso modelado e não modelado) Com propriedades especiais.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Tecido Conjuntivo Prof Leonardo M. Crema. Variedades de Tecido Conjuntivo Propriamente dito (frouxo, denso modelado e não modelado) Com propriedades especiais."— Transcrição da apresentação:

1 Tecido Conjuntivo Prof Leonardo M. Crema

2 Variedades de Tecido Conjuntivo Propriamente dito (frouxo, denso modelado e não modelado) Com propriedades especiais (tecido elástico, reticular, adiposo, mielóide, linfóide, mucoso) Tecido cartilaginoso Tecido ósseo Sangue (alguns autores)

3 Tecido Conjuntivo células separadas por muito material extracelular menor densidade celular vários tipos de células vasos sangüíneos, linfáticos, nervoso Características Histológicas:

4 sustentação e conexão de outros tecidos / órgãos preenchimento de espaços transporte / nutrição defesa reparação FUNÇÕES

5 C é lulas que compõem o tecido conjuntivo Fibroblastos Macrófagos Plasmócitos Mastócitos Leucócitos Adipócito Substâncias intercelulares Fibras (colágenas, elásticas e reticulares) Substância fundamental amorfa (SFA) Plasma intersticial

6 Tecido Conjuntivo Principal constituinte: matriz extracelular (MEC) Prote í nas fibrosas + substância fundamental (SF)

7 Tecido Conjuntivo Substância Fundamental: Composição 1)Complexo viscoso altamente hidrof í lico de macromol é culas aniônicas (glicosaminoglicanos e proteoglicanos); 2)Glicoproteínas Multiadesivas: laminina, fibronectina, etc) que se ligam em proteínas receptoras (integrinas)

8 Tecido Conjuntivo Substância Fundamental: Funcões 1)Reserva de Fatores de Crescimento; 2)Trocas de nutrientes e catabolismo entre às células e a MEC.

9 Tecido Conjuntivo Origem 1)Mesênquima, que se origina do folheto embrionário (MESODERMA); As céls mesenquimais originam, também, as: Céls e vasos sanguineos e tecidos musculares;

10 Tecido Conjuntivo Células do tecido conjuntivo: São produzidas localmente e permanecem no tecido; outras, tais como os leucócitos, vêm de outros territórios e podem habitar, temporariamente o tecido conjuntivo.

11

12 Fibroblastos/Fibrócitos São as células mais comuns do tecido conjuntivo; Sintetizam as proteínas fibrosas (colágeno e elastina) e as macromoléculas da substância fundamental. FIBROBLASTOS: Intensa atividade metabólica Citoplasma abundante e muitos prolongamentos. FIBRÓCITOS: Atividade metabólica quiescente; Citoplasma abundante e poucos prolongamentos

13

14 Fibroblastos Presença de Fatores de Crescimento;

15

16 Macr ó fagos Núcleos grandes (forma de rim) Fagocitárias Apresentadoras de antígenos; Se originam dos monócitos do sangue

17 Macr ó fagos Derivam de céls da medula óssea (monócitos) que migram, ultrapassam vênulas e, no tec conjuntivo transformam-se em Macrófagos.

18 Mon ó citos -Polimorfonuclear (PNM); função de fagocitose, principalmente de bact é rias

19 Mast ó citos Globosas Núcleo pequeno, esféricocentral Grânulos de histamina e heparina (vasodilatadora e anticoagulante) – aparece em casos alérgicos

20 Mast ó citos Fundamental: Inflamação, nas reações alérgicas e na expulsão de parasitos.

21 Plasm ó citos Núcleo excêntrico (deslocado) REG desenvolvido Originados dos linfócitos B Produzem Anticorpos-ACs (Imunoglobulinas-Igs)

22 Plasm ó citos

23 Leuc ó citos Linfócitos T e B Células produzidas pela medula óssea e pelo tecido linfático em resposta à invasão de microrganismos. Circulam pelo sangue e realizam (DIAPEDESE) para atuar no tecido alvo. De acordo com a função específica, possuem diferentes formatos.

24 Eosin ó filos É um PMN Contém grânulos de enzimas (lisossomos) e histaminase Fagocitam o complexo Ag-Ac Aparecem em processos alérgicos e parasitários

25 Neutr ó filos -PMN; função de fagocitose, principalmente de bact é rias

26 Bas ó filos -Núcleo redondo e grânulos no citoplasma de heparina e histamina

27 Adip ó citos núcleo Células especializadas no armazenamento de energia na forma de LIPÍDIOS

28 Fibras do Tecido Conjuntivo Proteínas fibrosas (colágeno e elastina) se polimerizam formando estruturas alongadas; 3 tipos: 1) COLÁGENAS; Proteína fibrosa: Colágeno São as fibras mais grossas do tecido conjuntivo Alta resistência a tração Ex: Ossos e cartilagens 2) RETICULARES Proteína fibrosa: Colágeno do tipo III associado a cadeias de açúcar (reticulina) São as fibras mais finas e delicadas do tecido conjuntivo; Ex: Trabéculas de órgãos, em volta dos vasos e glândulas; 3) ELÁSTICAS Proteína fibrosa: Elastina Elasticidade Ex: derme e parede dos vasos sanguíneos

29 Fibras do Tecido Conjuntivo 1)COLÁGENO: -Tipo mais abundante de proteína do organismos, representando 30 % do seu peso seco. -Os colágenos nos vertebrados : a) produzidos por diferentes tipos de células; b) distinguem-se pela composição química, morfológica, distribuição e funcional. Atualmente, existem mais de 20 tipos de colágenos geneticamente diferentes. fibras colágenas

30 Fibras do Tecido Conjuntivo COLÁGENAS tipo I - fibras e feixes tendões, pele, ossos tipo II – fibrilas (não forma fibras) cartilagens tipo III - fibras - reticulares órgãos epiteliais - fígado, rins, glândulas endócrinas hematopoéticos - baço, linfonodos, medula óssea modificação de forma e volume – útero tipo IV – (não forma fibras e nem fibrilas)- Não se agregam: formam lâmina basal

31 APLICAÇÃO MÉDICA Osteogenesis imperfecta Mutação nos genes que codificam a cadeis alfa 1 e alfa 2, deleção total ou parcil do gene (I). Esclerose Sistêmica Progressiva Todos os órgãos podem apresentar acúmulo excessivo de colágeno (fibrose). Quelóides Espessamento localizado na pele, devido a um depósito excessivo de colágeno. Ocorre frequentemente em indivíduos da raça negra. Escorbuto Carência de vitamina C causa deficiências na reposição do colágeno, degeneração do tecido conjuntivo. Alteração no ligamento periodontal e perda de dentes.

32 Fibras do Tecido Conjuntivo 2) RETICULARES Proteína fibrosa: Colágeno do tipo III associado a cadeias de açúcar (reticulina) São as fibras mais finas e delicadas do tecido conjuntivo; Ex: Músculo liso, trabéculas de órgãos hematopoéticos como baço, nódulos linfáticos e medula óssea vermelha; glândulas endócrinas, artérias, fígado, útero e camadas musculares de intestino.

33 Aplicação Médica Síndrome de Ehlers-Danlos do tipo IV Deficiência do Colágeno tipo III: ruptura na parede das artérias e do intestino, ambas ricas em fibras reticulares.

34 3) Fibras Elásticas Cedem e retornam à forma anterior Artérias, pulmões, ligamentos, orelha

35 APLICAÇÃO MÉDICA Síndrome de Marfan: Falta de resistência dos tecidos ricos em fibras elásticas. Grandes artérias, como a aorta, rompem-se com facilidade. Condição de alto risco de morte.

36 TIPOS DE TECIDO CONJUNTIVO TECIDO CONJUNTIVO TECIDO CONJUNTIVO PROPRIAMENTE DITO TECIDO CONJUNTIVO DE PROPRIEDADES ESPECIAIS TECIDO CONJUNTIVO DE SUPORTE FROUXOTECIDO ADIPOSOTECIDO CARTILAGINOSO DENSOTECIDO ELÁSTICOTECIDO ÓSSEO MODELADORETICULAR OU HEMOCITOPOIÉTICO NÃO MODELADOMUCOSO

37 1-Tecido conjuntivos propriamente ditos Existe um equil í brio entre o n ú mero de c é lulas e a quantidade de fibras e SFA Locais : apoio a epitélios, entre fibras musculares, nervosas, ao redor de vasos, dentro de órgãos 1.1 Tecido Conjuntivo Frouxo

38

39 1- TECIDO CONJUNTIVO PROPRIAMENTE DITO Amplamente distribuído Composto pelos 3 tipos de fibras Duas classes: 1.1 FROUXO Poucas fibras; Delicado, flexível e pouco resistente à trações Localizado entre células musculares Suporta células epiteliais; Forma camadas em torno dos vasos sanguíneos; 1.2 DENSO Menos flexível, mais resistente à tensão, adaptado para fornecer proteção aos tecidos; Poucas células, rico em fibras, predominância de fibras colágenas;

40 1.2 Tecido Conjuntivo Denso Predominância de fibras col á genas que podem se dispor de duas maneiras: Paralelamente – formando o tecido conjuntivo denso modelado (tendões) Entrecruzadas – formando o tecido conjuntivo denso não modelado (derme, c á psula dos ó rgãos)

41 1.2 TECIDO CONJUNTIVO DENSO Pode ser classificado em: 1.2 a) MODELADO Apresenta fibras paralelas umas às outras e alinhadas às células; Ex: tendões 1.2 b) NÃO MODELADO: Fibras dispostas sem uma orientação definida, formando uma trama tridimensional; Encontrado na derme profunda da pele.

42 Tec. conj. denso não-modelado Ex. Derme da pele Tec. conj. denso modelado Ex. Tendão

43 3- TECIDO CONJUNTIVO DE PROPRIEDADES ESPECIAIS 3.1 ADIPOSO Predomínio de adipócitos; Localizado principalmente abaixo da pele na hipoderme; Modela a superfície do corpo e atua no isolamento térmico; 3.2 ELÁSTICO Feixes largos e paralelos de fibras elásticas Ligamento da coluna vertebral e ligamento suspensor do pênis 3.3 RETICULAR OU HEMATOPOIÉTICO Rede tridimensional de fibras reticulares; Delicado Medula óssea, sangue, fígado, linfonodos 3.4 TECIDO MUCOSO Predominância de substância fundamental, consistência gelatinosa Cordão umbilical e polpa dos dentes

44 3- Tecido conjuntivos com propriedades especiais É um tipo especial onde observa predominância de céls adiposas (adipócitos) 3.1) Tecido conjuntivo adiposo

45 3- Tecidos conjuntivos com propriedades especiais Predominância das fibras el á sticas Locais : art é rias de grande calibre e ligamentos intervertebrais 3.2) Tecido conjuntivo elástico

46

47 3.3) Tecido Conjuntivo Reticular Predominam as fibras reticulares Local: ó rgãos hemocitopoi é ticos, gl. adrenal 3- Tecido conjuntivos com propriedades especiais

48

49 Córtex da Glândula Adrenal

50 3.4) Tecido Conjuntivo Mucoso H á o predom í nio de SFA Local: Polpa dent á ria (dentes jovens) e no cordão umbilical (neste é chamado de gel é ia de Warton) 3- Tecido conjuntivos com propriedades especiais

51 Tec. conj. mucoso- Geléia de Warton (entre os vasos sgs. do cordão umbilical) CORDÃOUMBILICAL

52 Substância Fundamental Amorfa (SFA) gel hidratado preenchendo os espaços veículo passagem de células e moléculas barreira a microorganismos proteoglicanas glicosaminoglicanas + proteínas compressibilidade glicoproteínas multiadesivas fibronectina laminina líquido tissular

53 SFA São poliânions e atraem á gua que se ligam à s GAGs formando mol é culas hidratadas (com á gua ligada) Á gua de solvata ç ão: turgidez à matriz É a á gua restante livre das mol é culas de GAGs Plasma Intersticial

54

55 Aplicação Médica Devido sua alta viscosidade e sua localização estratégica nos espaços intercelulares, os proteoglicanos, atuam como barreira à penetração de patógenos. A bactérias que possuem hialuronidase- hidrolisa o ácido hialurônico- reduzindo a viscosidade da SFA- invadindo de forma mais eficaz os tecidos.

56 Aplicação Médica EDEMA Acúmulo de água extracelular, no tecido conjuntivo, devido a alteração no equilíbrio de pressão hidrostática e coloidosmótica (osmótica) entre as porções da metade arterial e da metade venosa dos capilares.

57 Aplicação Médica EDEMA


Carregar ppt "Tecido Conjuntivo Prof Leonardo M. Crema. Variedades de Tecido Conjuntivo Propriamente dito (frouxo, denso modelado e não modelado) Com propriedades especiais."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google