A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Informática Básica – Unidade 3. Educação a Distância – EaD Professor: Flávio Brustoloni Informática Básica.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Informática Básica – Unidade 3. Educação a Distância – EaD Professor: Flávio Brustoloni Informática Básica."— Transcrição da apresentação:

1 Informática Básica – Unidade 3

2 Educação a Distância – EaD Professor: Flávio Brustoloni Informática Básica

3 Cronograma: Turma ADG0096 Informática Básica DataAtividade 30/08 2º Encontro 1ª Avaliação Disciplina 23/08 1º Encontro 20/09 4º Encontro 3ª Avaliação Disciplina (FINAL) 13/09 3º Encontro 2ª Avaliação Disciplina 06/09 ATIVIDADE ACADÊMICA

4 Unidade 3 TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO

5 Objetivos da Unidade: Conhecer as tecnologias da informação e seus componentes; Entender o funcionamento das redes de computadores e sua importância, tendo como foco a infraestrutura e o uso da internet; Fornecer conhecimentos sobre os recursos de inteligência artificial e seus benefícios nas diversas áreas.

6 1/45 Tópico 1 Tecnologias da Informação e seus Componentes

7 2 Componentes da Tecnologia da Informação Podemos dizer que a TI (Tecnologia da Informação) é um recurso tecnológico para a gestão da TIC (Tecnologia da Informação e do Conhecimento). 2/45 Tópico Unidade 3

8 2 Componentes da Tecnologia da Informação 2.1 Hardware e seus dispositivos e periféricos Hardware é o conjunto integrado de dispositivos físicos, posicionados por mecanismos de processamento que utilizam a eletrônica digital, usados para entrar, processar, armazenar e sair dados. 3/45 Tópico Unidade 3

9 2 Componentes da Tecnologia da Informação 2.1 Hardware e seus dispositivos e periféricos Computadores: equipamento que possui dispositivos que executam as funções de entrada, armazenamento, processamento e saída. 4/45 Tópico Unidade 3

10 2 Componentes da Tecnologia da Informação 2.1 Hardware e seus dispositivos e periféricos Periféricos dos Computadores: são os dispositivos que trabalham em conjunto com o computador. Temos os dispositivos de entrada e dispositivos de saída. 5/45 Tópico Unidade 3

11 2 Componentes da Tecnologia da Informação 2.2 Software e seus recursos Sistema Operacional e redes Softwares aplicativos e Linguagem de Programação Softwares de Automação de Escritórios Softwares Utilitários Softwares de Automação 6/45 Tópico Unidade 3

12 2 Componentes da Tecnologia da Informação 2.3 Sistemas de Telecomunicações Teleprocessamento de Informações Redes de comunicação e dados Teleinformática 7/45 Tópico Unidade 3

13 2 Componentes da Tecnologia da Informação 2.4 Banco de Dados É uma coleção de dados inter- relacionados (banco de dados) e coleção de programas para acesso a esses dados. Alguns exemplos de softwares voltados para a criação e manipulação de banco de dados são MySQL, FireBird e Oracle. 8/45 Tópico Unidade 3

14 2.4 Banco de Dados Processamento Tradicional x Banco de Dados Problemas o processamento tradicional: Integração Redundância Manutenção 9/45 Tópico Unidade 3

15 2.4 Banco de Dados Processamento Tradicional x Banco de Dados Identificados esses problemas, a evolução natural impôs aos sistemas uma eliminação da duplicação e a integração entre os sistemas (dados). 10/45 Tópico Unidade 3

16 2.4 Banco de Dados Processamento Tradicional x Banco de Dados Surge então um novo problema. Devido à integração em que dois ou mais processos passam a compartilhar dos mesmos dados, há uma necessidade do controle de concorrência e independência entre dados e processos. 11/45 Tópico Unidade 3

17 2.4 Banco de Dados Processamento Tradicional x Banco de Dados Surge então o Banco de Dados ou SGBD (Sistema Gerenciador de Banco de Dados) que consiste em um sistema de manutenção da dados por computador com o objetivo de disponibilização futura aos seus usuários quando solicitadas. 12/45 Tópico Unidade 3

18 2.4 Banco de Dados Modelo Conceitual Representa a realidade do ambiente do problema, constituindo-se em uma visão global dos principais dados e relacionamentos (estrutura de informações), independente das restrições de implementação. 13/45 Tópico Unidade 3

19 2.4 Banco de Dados Modelo Lógico Abordagem Hierárquica Abordagem de Rede Abordagem Orientada a Objetos Abordagem Relacional 14/45 Tópico Unidade 3

20 2.4 Banco de Dados Modelo Físico É construído a partir do modelo lógico e descreve as estruturas físicas de armazenamento de dados, tais como: tamanho de campo, índice, tipo de preenchimento de campo e nomenclatura. 15/45 Tópico Unidade 3

21 16/45 Tópico 2 Redes de Computadores

22 2 História da Ethernet A Ethernet surgiu com a necessidade de conectar computadores em uma LAN (Local Area Network), ou simplesmente rede local. Existem outras tecnologias de rede local, porém a Ethernet é a mais popular, e surgiu graças ao trabalho de pesquisa realizado por Bob Metcalfe. 17/45 Tópico Unidade 3

23 2 História da Ethernet Uma característica marcante na Ethernet é que, quando um dado é transmitido, é comum ocorrer a colisão, ou seja, além do transmissor e receptor que estão se comunicando no momento, existe mais alguém querendo transmitir e consequentemente usar o mesmo meio de transmissão. Justamente por ocorrer a colisão é que o próximo transmissor irá saber que é necessário aguardar um momento, e então retransmitir. 18/45 Tópico Unidade 3

24 2 História da Ethernet Um dos motivos de uma rede local estar lenta é justamente o fato de existirem muitas colisões, atrasando a transmissão. Neste caso, é comum o acesso à Internet ou arquivos da mesma rede ficar lento, isso ocorre porque está sendo gerado um grande número de colisões, baixando assim o desempenho da rede. 19/45 Tópico Unidade 3

25 3 Cabo Coaxial As primeiras aplicações do cabo coaxial foram para redes telefônicas, que foram sistematicamente substituídas por fibras ópticas. Além da malha telefônica, o cabo coaxial, mas especificamente o de categoria RG-59, é usado nas transmissões via TV a cabo (CATV). 20/45 Tópico Unidade 3

26 4 Cabo Par Trançado Assim como o cabo coaxial, o cabo par trançado também utiliza o cobre como meio de transmissão, porém tem grandes vantagens, como por exemplo, o custo que é menor e a facilidade de manipulação. 21/45 Tópico Unidade 3

27 5 Fibra Óptica É de um material transparente, flexível e com formato cilíndrico onde, diferentemente dos meios em cobre, passa luz em seu interior. As fontes de luz podem ser o LED (Diodos Emissores de Luz) ou o laser pode provocar perda de visão irreversível. 22/45 Tópico Unidade 3

28 5 Fibra Óptica 5.1 Fibras Multimodo Nas fibras multimodo, o núcleo é maior, permitindo assim dispersão da luz, porém o custo de fabricação é menor do que as fibras monomodo. Essas fibras usam o LED como fonte de luz. 23/45 Tópico Unidade 3

29 5 Fibra Óptica 5.2 Fibras Monomodo Nas fibras monomodo, o custo é maior por causa do material empregado, pela exigência tecnológica na fabricação da fibra com núcleo menor e pelo uso do laser, consequentemente a dispersão é menor, alcançando distâncias maiores sem o uso de repetidores. 24/45 Tópico Unidade 3

30 6 Rede Sem Fio O meio de transmissão utilizado pelas redes sem fio (wireless) é o próprio ar. Funciona com a transmissão de radiofusão que viajam através do ar, podendo ser acessados por quem tiver um dispositivo que capte esse sinal. Na comunicação wireless é utilizada uma faixa de comunicação medida em hertz ou Hz. 25/45 Tópico Unidade 3

31 6 Rede Sem Fio 6.1 Micro-Ondas Dentro da faixa de frequência das microondas temos tecnologias importantes para redes sem fio aplicadas à informática, que são conhecidas por Bluetooth, WIFI e WiMAX. A diferença entre essas tecnologias é basicamente a faixa de frequência que utilizam, e que influencia diretamente a largura de banda e distância alcançada pelo sinal. 26/45 Tópico Unidade 3

32 6 Rede Sem Fio 6.1 Micro-Ondas O sinal do WIFI opera em uma frequência de 2.4 GHz com taxa de transmissão de 54 Mbps, e com alcance de até 90m. Estes dispositivos de rede WIFI já são muito comuns em ambientes comerciais e residenciais, onde se instala um Access Point (Ponto de Acesso) em local estratégico. Esse é o ponto central da rede sem fio, e a partir dele os hosts devidamente equipados e configurados terão acesso a outras redes, como a internet. 27/45 Tópico Unidade 3

33 6 Rede Sem Fio 6.1 Micro-Ondas O Bluetooth foi projetado para pequenas distâncias, prometendo acabar com aquele emaranhado de fios do seu computador. Assim, o teclado e o mouse, por exemplo, poderão ser mais confortavelmente ajustados ao usuário. A faixa de frequência do Bluetooth é de 2.45 GHz, e por ser uma solução de baixo custo é cada vez maior a quantidade de dispositivos com chips Bluetooth. 28/45 Tópico Unidade 3

34 6 Rede Sem Fio 6.1 Micro-Ondas Já a tecnologia WiMAX tem como objetivo alcançar grandes distâncias, o que é muito interessante, por exemplo, para uso em área rural onde não tem acesso à internet. 29/45 Tópico Unidade 3

35 6 Rede Sem Fio 6.2 Infravermelho Muito comum nos aparelhos de TV o infravermelho é atrativo pelo seu custo baixo, porém tem muitas limitações. A principal contribuição das faixas de frequência do infravermelho na informática é no uso em aparelhos portáteis, como palmtops e notebooks. 30/45 Tópico Unidade 3

36 6 Rede Sem Fio 6.2 Infravermelho Como a frequência é muito alta, o sinal não consegue passar por objetos opacos, como paredes ou mobília, e, além disso, a distância alcançada fica em torno de apenas 2 metros. 31/45 Tópico Unidade 3

37 7 Transações Eletrônicas na Rede Sistemas Eletrônicos de Pagamentos Dinheiro Eletrônico Cheque Eletrônico Cartões Inteligentes (Smart Cards) Cartões de Crédito Transações usando dispositivos móveis (Android) 32/45 Tópico Unidade 3

38 7 Transações Eletrônicas na Rede 7.7 Riscos Erro Gerenciamento da privacidade de informações Gerenciamento de risco de crédito 33/45 Tópico Unidade 3

39 7 Transações Eletrônicas na Rede 7.8 Privacidade e Segurança Problemas: Bisbilhotice; Espionagem de senhas; Modificação de dados; Falsificação; Repúdio. 34/45 Tópico Unidade 3

40 7 Transações Eletrônicas na Rede 7.8 Privacidade e Segurança Requerimentos fundamentais: Confiabilidade; Autenticação; Integridade de dados; Não repúdio; Aplicação seletiva de serviços. 35/45 Tópico Unidade 3

41 7 Transações Eletrônicas na Rede 7.9 Transação Eletrônica Segura Criptografia; Secure Sockets Layer (SSL) Secure Electronic Transations (SET) 36/45 Tópico Unidade 3

42 37/45 Tópico 3 Inteligência Artificial

43 2 Recursos de Inteligência Artificial A Inteligência Artificial envolve o conceito de explorar um comportamento inteligente que possui características definidas, como aprender com a experiência, aplicar o conhecimento adquirido da experiência, tratar situações complexas, etc. 38/45 Tópico Unidade 3

44 2 Recursos de Inteligência Artificial 2.1 Redes Neurais Artificiais A Rede Neural Artificial faz a simulação da estrutura biológica, e cada neurônio se conecta com seus adjacentes. É uma simplificação da fisiologia do neurônio biológico e representa um sistema com uma ou mais entradas com pesos atribuídos. 39/45 Tópico Unidade 3

45 2 Recursos de Inteligência Artificial 2.1 Redes Neurais Artificiais O peso equivale à sinapse que liga dois neurônios, simulando a sinapse excitatória com valor maior que zero e a sinapse inibitória com valor menor que zero. 40/45 Tópico Unidade 3

46 2 Recursos de Inteligência Artificial 2.2 Data Minning A expressão Data Minning está relacionada à lógica, à inteligência artificial (IA) e às redes neurais, além de poder se relacionar também com o assunto banco de dados. 41/45 Tópico Unidade 3

47 2 Recursos de Inteligência Artificial 2.3 Sistemas Especialistas Um sistema especialista é um agrupamento organizado de pessoas, procedimentos, banco de dados e dispositivos usados para gerar um parecer especializado ou sugerir uma decisão em uma área, domínio ou disciplina. 42/45 Tópico Unidade 3

48 2 Recursos de Inteligência Artificial 2.3 Sistemas Especialistas São compostos de três elementos: Base de conhecimento; Base de regras; Motor de inferência. 43/45 Tópico Unidade 3

49 2 Recursos de Inteligência Artificial 2.4 Raciocínio baseado em Casos O enfoque do RBC é a utilização de experiências passadas, buscando o conhecimento específico em forma de exemplos concretos chamados de casos. Isso torna o RBC uma técnica radicalmente diferente de outras metodologias de desenvolvimento de programas com o uso de IA, que normalmente se baseiam em conhecimento genérico na forma de regras. 44/45 Tópico Unidade 3

50 2 Recursos de Inteligência Artificial 2.5 Business Intelligence Sua implementação visa empregar as transações eletrônicas, assim como modificar as atividades atuais nos negócios, Logo, implementar o e-business transforma seu negócio atual, como também o habilita a suportar o comércio eletrônico. 45/45 Tópico Unidade 3

51 Parabéns!!! Terminamos a Unidade.

52 PRÓXIMA AULA: Informática Básica 4º Encontro da Disciplina 3ª Avaliação da Disciplina (Avaliação FINAL)


Carregar ppt "Informática Básica – Unidade 3. Educação a Distância – EaD Professor: Flávio Brustoloni Informática Básica."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google