A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Prof a. Denise Siqueira de Carvalho Curso de Especialização em Medicina do Trabalho Depto. de Saúde Comunitária/Setor de Ciências da Saúde/UFPR Outubro/2008.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Prof a. Denise Siqueira de Carvalho Curso de Especialização em Medicina do Trabalho Depto. de Saúde Comunitária/Setor de Ciências da Saúde/UFPR Outubro/2008."— Transcrição da apresentação:

1 Prof a. Denise Siqueira de Carvalho Curso de Especialização em Medicina do Trabalho Depto. de Saúde Comunitária/Setor de Ciências da Saúde/UFPR Outubro/2008

2 Indicadores de saúde Definição Forma de apresentação Indicadores relativos à saúde do trabalhador Indicadores de trabalho

3 Definição: Indicadores de saúde são parâmetros utilizados internacionalmente com o objetivo de avaliar, sob o ponto de vista sanitário, a higidez de agregados humanos, bem como fornecer subsídios aos planejadores de saúde, permitindo o acompanhamento das flutuações e tendências históricas do padrão sanitário de diferentes coletividades consideradas à mesma época ou da mesma coletividade em diversos períodos de tempo. (Rouquayrol, 4.ª ed.)

4

5 FREQÜÊNCIA RELATIVA: PROPORÇÃO = n.º de casos __________________ n.º total de eventos

6 Fonte: Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde. Departamento de Análise de Situação em Saúde. Saúde Brasil 2006 : uma análise da situação de saúde no Brasil / Ministério da Saúde, Secretaria de Vigilância em Saúde, Departamento de Análise de Situação em Saúde. – Brasília : Ministério da Saúde, 2006.

7 FREQÜÊNCIA RELATIVA COEFICIENTE OU TAXA = n.º de casos X 10 n população de risco

8 INDICADORES DE SAÚDE TAXA DE MORTALIDADE GERAL TAXA DE MORTALIDADE ESPECÍFICAS TAXA DE INCIDÊNCIA DE AGRAVOS

9

10 FREQÜÊNCIA RELATIVA RAZÃO = Nº. de casos Nº. outro evento

11 EX.: RAZÃO DE MASCULINIDADE AIDS 1985 = 40/ = 5/ = 4/ = 3/1 Número de casos de AIDS no sexo masculino ______________________ Número de casos de AIDS no sexo feminino

12

13

14 Oficina de Trabalho sobre Indicadores de Saúde do Trabalhador - Relatório Objetivo: estudar e propor indicadores para os agravos á saúde dos trabalhadores que sirvam de medidas-síntese, com informação relevante sobre determinados atributos e dimensões do estado de saúde dos trabalhadores, bem como do desempenho do sistema de saúde, refletindo a situação de saúde e doença de uma população e servindo para a vigilância das condições de saúde. 17 e 18 de agosto de 2006, local: Sede da Representação da OPAS/OMS, em Brasília-DF.

15 Elenco dos indicadores baseou-se nos critérios de: relevância para a compreensão da situação de saúde do trabalhador, bem como de suas causas e conseqüências; validade para orientar decisões de política e apoiar o controle social do SUS; identidade com processos de trabalho próprios à gestão do sistema de saúde; e disponibilidade de bases de dados, sistemas de informação ou estudos nacionais.

16 Cuidados na elaboração do indicador Oito tópicos: Conceituação: característica que definem o indicador e a forma como ele se expressa, se necessário agregando informações para a compreensão de seu conteúdo. Interpretação: explicação sucinta do tipo de informação obtida e seu significado. Usos: principais formas de utilização dos dados, as quais devem ser consideradas para fins de análise. Limitações: fatores que restringem a interpretação do indicador, referentes tanto ao próprio conceito quanto às fontes utilizadas. Fontes: instituições responsáveis pela produção dos dados adotados para o cálculo do indicador e pelos sistemas de informação a que correspondem. Método de cálculo: fórmula utilizada para calcular o indicador, definindo precisamente os elementos que a compõem. Categorias sugeridas para análise: níveis de desagregação dos dados que podem contribuir para a interpretação da informação e que sejam efetivamente disponíveis como sexos e idade. Dados estatísticos e comentários: tabela resumida e comentada, que ilustra a aplicação do indicador com base na situação real observada. Sempre que possível, os dados devem ser desagregados por grandes regiões e para anos selecionados da década anterior.

17

18

19 C.11 Taxa de mortalidade específica por acidentes de trabalho TME por acidentes de trabalho por Região e Faixa etária Período:2006 Região16 a 24 anos25 a 44 anos45 a 59 anos60 anos e maisTotal Região Norte17,8114,4324,6217,0516,59 Região Nordeste8,929,2711,3511,179,61 Região Sudeste7,798,9411,3113,519,21 Região Sul10,7410,3114,6912,711,21 Região Centro-Oeste13,2617,4427,2529,7918,25 Total9,3210,1213,4714,3210,62 Fonte: MPAS/Coordenação Geral de Estatística e Atuária - CGEA/DATAPREV Notas: Nas tabulações por faixa etária ou sexo, estão suprimidos os casos com idade ou sexo ignorados, respectivamente. TME - Taxa de mortalidade específica: óbitos por trabalhadores com cobertura contra incapacidade laborativa decorrente de riscos ambientais do trabalho. Para 1997, as faixas etárias são: anos, anos, anos e 60 anos e mais Para 1998 a 2000, as faixas etárias são anos, 25 a 44 anos, 45 a 59 anos e 60 anos e mais. Para 2001 a 2006, as faixas etárias são anos, 25 a 44 anos, 45 a 59 anos e 60 anos e mais. Dados por sexo não estão disponíveis para 1999 e Dados de 2005 revistos em relação ao IDB anterior. O número de segurados corresponde ao número médio de contribuintes empregados. Não inclui dados de Segurados Especiais.

20 D.6 Taxa de incidência de doenças relacionadas ao trabalho Taxa incid. doenças trabalho por Região e Faixa etária Período:2006 Região16 a 24 anos25 a 44 anos45 a 59 anos60 anos e maisTotal Região Norte5,213,2212,867,3911,61 Região Nordeste7,49,8614,324,6110,17 Região Sudeste5,0811,0616,577,0610,74 Região Sul6,6511,1712,863,310,46 Região Centro-Oeste4,237,8312,395,367,71 Total5,5910,7415,125,9410,41 Nas tabulações por faixa etária ou sexo, estão suprimidos os casos com idade ou sexo ignorados, respectivamente. Taxa de incidência: casos por trabalhadores com cobertura contra incapacidade laborativa decorrente de riscos ambientais do trabalho. Para 1997, as faixas etárias são: anos, anos, anos e 60 anos e mais Para 1998 a 2000, as faixas etárias são anos, 25 a 44 anos, 45 a 59 anos e 60 anos e mais. Para 2001 a 2006, as faixas etárias são anos, 25 a 44 anos, 45 a 59 anos e 60 anos e mais. Dados por sexo não estão disponíveis para 1999 e Dados de 2005 revistos em relação ao IDB anterior. O número de segurados corresponde ao número médio contribuintes empregados. Não inclui dados de Segurados Especiais.

21 D.7 Taxa de incidência de acidentes de trabalho típicos Taxa incid. acid.trab. típicos por Faixa etária e Sexo Período:2006 Faixa etáriaMasculinoFemininoTotal 16 a 24 anos25,67,5918,56 25 a 44 anos19,618,4715,36 45 a 59 anos16,919,6514,42 60 anos e mais10,386,839,53 Total20,048,4615,71 Fonte: MPAS/Coordenação Geral de Estatística e Atuária - CGEA/DATAPREV Notas: Nas tabulações por faixa etária ou sexo, estão suprimidos os casos com idade ou sexo ignorados, respectivamente. Taxa de incidência: casos por trabalhadores com cobertura contra incapacidade laborativa decorrente de riscos ambientais do trabalho. Para 1997, as faixas etárias são: anos, anos, anos e 60 anos e mais Para 1998 a 2000, as faixas etárias são anos, 25 a 44 anos, 45 a 59 anos e 60 anos e mais. Para 2001 a 2006, as faixas etárias são anos, 25 a 44 anos, 45 a 59 anos e 60 anos e mais. Dados por sexo não estão disponíveis para 1999 e Dados de 2005 revistos em relação ao IDB anterior. O número de segurados corresponde ao número médio contribuintes empregados. Não inclui dados de Segurados Especiais.

22 D.8 Taxa de incidência de acidentes de trabalho de trajeto Taxa incid. acid.trab. trajeto por Faixa etária e Sexo Período:2006 Faixa etáriaMasculinoFemininoTotal 16 a 24 anos4,322,573,63 25 a 44 anos3,032,372,78 45 a 59 anos2,243,112,54 60 anos e mais1,442,751,75 Total3,092,532,88 Fonte: MPAS/Coordenação Geral de Estatística e Atuária - CGEA/DATAPREV Notas: Nas tabulações por faixa etária ou sexo, estão suprimidos os casos com idade ou sexo ignorados, respectivamente. Taxa de incidência: casos por trabalhadores com cobertura contra incapacidade laborativa decorrente de riscos ambientais do trabalho. Para 1997, as faixas etárias são: anos, anos, anos e 60 anos e mais Para 1998 a 2000, as faixas etárias são anos, 25 a 44 anos, 45 a 59 anos e 60 anos e mais. Para 2001 a 2006, as faixas etárias são anos, 25 a 44 anos, 45 a 59 anos e 60 anos e mais. Dados por sexo não estão disponíveis para 1999 e Dados de 2005 revistos em relação ao IDB anterior. O número de segurados corresponde ao número médio contribuintes empregados. Não inclui dados de Segurados Especiais.

23

24 Referentes ao acompanhamento dos trabalhadores: Exames médicos periódicos de acordo com os intervalos mínimos de tempo. Exames demissionais: realizados até a data da demissão. Exames admissionais: realizados antes do início de qualquer atividade do funcionário na empresa. Exames de retorno ao trabalho: realizados quando o funcionário ficar afastado pôr um período maior ou igual a 30 dias, pôr doença ocupacional ou não, ou parto. Exames para mudança de função: realizados antes do funcionário ocupar nova função, que implique mudança de risco ou local de trabalho.

25 Outros: Índice de absenteísmo no trabalho E outros que se puderem obter e comparar......

26 FIM


Carregar ppt "Prof a. Denise Siqueira de Carvalho Curso de Especialização em Medicina do Trabalho Depto. de Saúde Comunitária/Setor de Ciências da Saúde/UFPR Outubro/2008."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google