A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

ÉTE D'AMOUR31 JAN 2005 PARA LER A BULA BASTA CLICAR NOS MEDICAMENTOS.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "ÉTE D'AMOUR31 JAN 2005 PARA LER A BULA BASTA CLICAR NOS MEDICAMENTOS."— Transcrição da apresentação:

1

2 ÉTE D'AMOUR31 JAN 2005 PARA LER A BULA BASTA CLICAR NOS MEDICAMENTOS

3 ÉTE D'AMOUR31 JAN 2005 P ACIÊNCIA S OLIDARIEDADE R ESIGNAÇÃO O TIMISMO I NSPIRAÇÃO C OMPAIXÃO M ODÉSTIA O BEDIÊNCIA E SQUECIMENTO R ENÚNCIA I NDULGÊNCIA R EFORMA ÍNTIMA R ECONCILIAÇÃO O BOLO O RAR S ACRIFÍCIO S ENSATEZ F I M

4 ÉTE D'AMOUR31 JAN A dor é uma bênção que Deus envia a seus eleitos; não vos aflijais, pois, quando sofrerdes; antes, bendizei de Deus onipotente que, pela dor, neste mundo, vos marcou para a glória no céu. Sede pacientes. A paciência também é uma caridade e deveis praticar a lei de caridade ensinada pelo Cristo, enviado de Deus. A caridade que consiste na esmola dada aos pobres é a mais fácil de todas. Outra há, porém, muito mais penosa e, conseguintemente, muito mais meritória: a de perdoarmos aos que Deus colocou em nosso caminho para serem instrumentos de nosso sofrer e para nos porem à prova a paciência. O Evangelho segundo o Espiritismo, cap. IX, - Allan Kardec VOLTAR

5 ÉTE D'AMOUR31 JAN 2005 Existem males que não dependem da maneira de agir e que ferem o homem mais justo. Não há algum meio de se preservar deles ? O atingido deve resignar-se e sofrer sem queixas, se deseja progredir. Entretanto, terá sempre uma consolação da sua própria consciência, que lhe dá a esperança de um futuro melhor, desde que faça o necessário para obtê-lo. Allan Kardec – O Livro dos Espíritos – Parte Quarta - Cap I Penas e gozos Terrenos – Pergunta nº 924 A Doutrina de Jesus ensina a obediência e a resignação, duas virtudes que são companheiras da doçura, muito ativas, embora os homens as confundam erroneamente com a negação do sentimento e da vontade. A obediência é o consentimento da razão; a resignação é o consentimento do coração Allan Kardec – O Evangelho segundo o Espiritismo Cap IX – Bem-aventurados os Brandos e Pacíficos Obediência e Resignação - Lázaro VOLTAR

6 ÉTE D'AMOUR31 JAN 2005 Segundo Pitágoras (... ) a inspiração é uma sugestão dos Espíritos que nos revelam o futuro e as coisas ocultas. No Invisível – Léon Denis, página 398 A inspiração é a equipe dos pensamentos alheios que aceitamos ou procuramos. Seara dos Médiuns, página 125 – Emmanuel – Francisco Cândido Xavier Nº (... ) E assim é que eles, as mais das vezes, são médiuns sem o saberem.Têm, no entanto,vaga intuição de uma assistência estranha, visto que todo aquele que apela para a inspiração, mais não faz do que uma evocação. Se não esperasse ser atendido, por que exclamaria, tão freqüentemente: meu bom gênio, vem em meu auxílio? As respostas seguintes confirmam esta asserção: a) Qual a causa primária da inspiração ? O Espírito que se comunica pelo pensamento. O Livro dos Médiuns – Allan Kardec VOLTAR

7 ÉTE D'AMOUR31 JAN A virtude, no mais alto grau é o conjunto de todas as qualidades essenciais que constituem o homem de bem. Ser bom, caritativo, laborioso, sóbrio, modesto, são qualidades do homem virtuoso. Infelizmente, quase sempre as acompanham pequenas enfermidades morais que as desornam e atenuam. Não é virtuoso aquele que faz ostentação da sua virtude, pois que lhe falta a qualidade principal: a modéstia, e tem o vício que mais se lhe opõe: o orgulho. O Evangelho segundo o Espiritismo, cap. XVII – Allan kardec VOLTAR

8 ÉTE D'AMOUR31 JAN – (... ) Gravíssimos inconvenientes teria o nos lembrarmos das nossas individualidades anteriores. Em certos casos. Humilhar-nos-ia sobremaneira. Em outros nos exaltaria o orgulho, peando-nos, em conseqüência, o livre-arbítrio. Para nos melhorarmos, dá-nos Deus exatamente o que nos é necessário e basta: a voz da consciência e os pendores instintivos. Priva-nos do que nos prejudicaria. Acrescentemos que, se nos recordássemos dos nossos precedentes atos pessoais, igualmente nos recordaríamos dos dos outros homens, do que resultaria talvez os mais desastrosos efeitos para as relações sociais. Nem sempre podendo honrar-nos do nosso passado melhor é que sobre ele um véu seja lançado. O Livro dos Espíritos – Allan Kardec VOLTAR

9 ÉTE D'AMOUR31 JAN 2005 O homem indulgente jamais se preocupa com os maus atos alheios, a menos que seja para prestar um serviço, mas ainda assim com o cuidado de os atenuar tanto quanto possível. Não faz observações chocantes, nem traz censuras nos lábios, mas apenas conselhos, quase sempre velados. Quando criticais, que dedução, se deve tirar das vossas palavras ? A de que vós, que censurais, não praticastes o que condenais, e que valeis mais do que o culpado. Oh. Homens ! Quando passareis a julgar os vossos próprios corações, os vossos próprios pensamentos e os vossos próprios atos, sem vos ocupardes do que fazem os vossos irmãos ? Quando fitareis os vossos olhos severos somente sobre vós mesmos ? Allan Kardec – O Evangelho Segundo o Espiritismo Cap X – Bem-aventurados os Misericordiosos – Item 16 – A Indulgência VOLTAR

10 ÉTE D'AMOUR31 JAN 2005 VOLTAR 5. Reconciliai-vos o mais depressa possível com o vosso adversário, enquanto todos estais a caminho, para que ele não vos entregue ao juiz, o juiz não vos entregue ao ministro da justiça e não sejais metido em prisão. Digo-vos, em verdade, que daí não saireis, enquanto não houverdes pago o último ceitil. Mateus, cap. V, vv. 25 e 26. O Evangelho segundo o Espiritismo, cap. X - Allan Kardec

11 ÉTE D'AMOUR31 JAN 2005 Mas tu, quando orares, entra no teu aposento, e, fechando a tua porta, ora a teu Pai que está em oculto; e teu Pai, que vê secretamente, te recompensará ( Mateus, 6 : 6 ) O Evangelho segundo o Espiritismo, cap. XXVII Allan Kardec 2. Os espíritos recomendaram que, encabeçando esta coletânea, puséssemos a Oração dominical, não somente como prece, mas também como símbolo. De todas as preces, é a que eles colocam em primeiro lugar, seja porque procede do próprio Jesus ( S. Mateus, cap. VI, vv. 9 a 13 ), seja porque pode suprir a todas, conforme os pensamentos que se lhe conjuguem; é o mais perfeito modelo de concisão, verdadeira obra-prima de sublimidade na simplicidade. O Evangelho segundo o Espiritismo, cap. XXVIII I - Preces Gerais – Allan Kardec Partindo-se do princípio através do qual, no momento em que a mente se acalma o corpo relaxa e se tranqüiliza, faz-se imperioso que a busca de maneira consciente proporcione harmonia de pensamento, a fim de que se manifestem os efeitos do bem-estar geral, para o qual o recurso mais eficiente é a oração. Impermanência e Imortalidade, página 249. Divaldo Pereira Franco, pelo espírito Carlos Torres Pastorino. VOLTAR

12 ÉTE D'AMOUR31 JAN 2005 Não tenta dar valor ao seu espírito, nem aos seus talentos, a expensas dos outros. Pelo contrário, aproveita todas as ocasiões para fazer sobressair as vantagens dos outros. Não se envaidece jamais com sua sorte, nem com seus predicados pessoais, porque sabe que tudo quanto lhe foi dado pode ser retirado. Usa mas não abusa dos bens que lhe são concedidos, porque sabe tratar-se de um depósito, do qual deverá prestar contas, e que o emprego mais prejudicial para si mesmo, que poderá lhes dar, é pô-los aos serviço da satisfação de suas paixões. Allan Kardec – O Evangelho Segundo o Espiritismo Cap XVII – Sede Perfeitos – O homem de bem VOLTAR

13 ÉTE D'AMOUR31 JAN 2005 VOLTAR A solidariedade abarca todos os seres sencientes, inclusive a Natureza nas suas variadas manifestações. Nessa amplitude do sentimento surge a necessidade da integração de cada um no organismo geral, sem a perda da sua individualidade. Desperte e seja feliz, página 147 Divaldo Pereira Franco, pelo espírito Joanna de Ângelis Para o Espiritismo, a solidariedade é um fato que assenta numa lei universal da Natureza, que liga todos os seres do passado, do presente e do futuro e a cujas conseqüências ninguém pode subtrair-se. É esta uma coisa que todo homem pode compreender, por menos instruído que seja. Quando todos os homens compreenderem o Espiritismo, compreenderão também a verdadeira solidariedade e, conseguintemente, a verdadeira fraternidade Obras Póstumas, página 219 – Allan Kardec

14 ÉTE D'AMOUR31 JAN 2005 VOLTAR O otimismo não constitui poltrona preguiçosa para os sem escrúpulos de anil. É manancial de forças para os seus dias de luta. Agenda Cristã, página 94 Francisco Cândido Xavier, pelo espírito André Luiz Assim, a ampla divulgação dos postulados espíritas consegue gerar um clima de esclarecimento e de otimismo entre os homens, transformando-se em eficiente terapêutica preventiva para muitos dos males que atormentam a Humanidade, tais a loucura, a obsessão, dentre muitos outros. Sementeira da Fraternidade, página 57. Divaldo Pereira Franco, pelo espírito Vianna de Carvalho

15 ÉTE D'AMOUR31 JAN 2005 VOLTAR É o sentimento que melhor a ela conduz ( à caridade ), porque a compaixão, quando real, provoca a ação, tendo por impulsores a abnegação e o sacrifício, degraus maravilhosos que suavemente elevam o ser às alturas da perfeição e que ele sobe auxiliado pelas asas das virtudes que caracterizam a caridade. Grandes e Pequenos Problemas, cap. 7, página 164. Angel Aguarod Compaixão é a porta que se nos abre no sentimento para a luz do verdadeiro amor, entretanto, notemos: ninguém adquire a piedade sem construí-la. Ceifa de Luz, cap. 15, página 70. Francisco Cândido Xavier, pelo espírito Emmanuel Acima da piedade fraternal, a compaixão é mais ampla, podendo ser essa virtude ampliada a um grau maior. Impermanência e Imortalidade, página 153, pelo espírito Carlos Juliano Torres Pastorino Divaldo Pereira Franco

16 ÉTE D'AMOUR31 JAN 2005 VOLTAR Cada um de nós, os que trabalhamos,deve dar, no mínimo, oito horas de serviço útil, nas vinte e quatro de que o dia se constitui. Os programas de trabalho, porém, são numerosos e a Governadoria permite quatro horas de esforço extraordinário, aos que desejem colaborar no trabalho comum, de boa-vontade. Desse modo, há muita gente que consegue setenta e dois bônus-hora, por semana, sem falar dos serviços sacrificiais, cuja remuneração é duplicada e, às vezes, triplicada. - Mas, é esse o único titulo de remuneração ? – perguntei. - Sim, é o padrão de pagamento a todos os colaboradores da colônia não só na administração, como também na obediência. Nosso Lar, cap. 22, página 121 Francisco Cândido Xavier, pelo espírito André Luiz - Quem administra efetivamente precisa da colaboração de quem obedece, mas se quem obedece necessita prestar atenção e respeito a quem administra, quem administra necessita exercer bondade e compreensão para quem obedece, a fim de que a máquina do trabalho funcione com segurança. Sinal Verde, página 42 – Francisco Cândido Xavier, pelo espírito André Luiz

17 ÉTE D'AMOUR31 JAN 2005 Vosso apego aos bens terrenos é um dos maiores entraves ao vosso aprimoramento moral e espiritual. Com o apego à matéria aniquilais as vossas faculdades efetivas, voltando-as inteiramente para as coisas do mundo. Sede sinceros: a fortuna proporciona uma felicidade sem máculas ? Quando os vossos cofres estão abarrotados, não há sempre um vazio em vossos corações ? No fundo dessa cesta de flores, não há sempre um réptil oculto ? Allan Kardec – O Evangelho Segundo o Espiritismo cap. XVI – Não se pode servir a Deus e a Mamon – Item 14 Desprendimento dos Bens Terrenos – Lacordaire. VOLTAR

18 ÉTE D'AMOUR31 JAN 2005 VOLTAR Enquanto estudas a teoria que envolve o processo, não te esqueças de estudar a ti mesmo, teus hábitos mais íntimos, teus gostos mais imperceptíveis, teu espectro de humor, capazes de intervir, de modo feliz ou infeliz, de conformidade com o teor e o sentido que imprimes a esses hábitos, gostos e humores Cântico da Juventude, Cap. 24, pelo espírito Camilo. José Raul Teixeira Façamos em nós as mudanças que cobramos nos outros Mohandas Karanchand Gandhi. Conhecer-se é um privilegio dos que querem caminhar, conhecer os irmãos é um qualidade dos que já descobriram a fraternidade; conduzir almas é um privilégio e uma qualidade daqueles que já refletem em si a própria Essência Divina. Pensamentos sobre o Ser, pelo espírito Albert Camus – Nora T. M. N. Sakamoto. A coisa simples e tremenda que o homem de hoje tem de fazer, na encruzilhada dos milênios, é colocar a alma nua diante de Deus e examinar a si mesmo com grande sinceridade e coragem. A Grande Síntese, página 129 – Pietro Ubaldi.

19 ÉTE D'AMOUR31 JAN 2005 Eu afirmo a vocês que esta viúva pobre deu mais do que todos. Porque os outros deram do que estava sobrando. Ela, porém, tão pobre assim, deu tudo o que tinha para viver. Marcos, 12 : 41 – 44 O Evangelho segundo o Espiritismo, cap. XIII - Allan Kardec VOLTAR Jesus estava no templo sentado perto da caixa das ofertas( Gazofilácio), e olhava como o povo punha o dinheiro ali. Muitos ricos davam muito dinheiro. Nisso chegou uma viúva pobre, que pôs na caixa duas moedinhas de pouco valor. Então Jesus chamou os discípulos e disse:

20 ÉTE D'AMOUR31 JAN 2005 VOLTAR PRÓXIMA 7. Se, portanto, quando fordes depor vossa oferenda no altar, vos lembrardes de que o vosso irmão tem qualquer coisa contra vós, - deixai a vossa dádiva junto ao altar e ide, antes, reconciliar-vos com o vosso irmão; depois, então voltai a oferecê-la S. Mateus, cap. V, v. 23 e 24 O Evangelho segundo o Espiritismo, cap. X – Allan Kardec O melhor sacrifício ainda não é o da morte pelo martírio, ou pelo infamante opróbrio dos homens, mas aquele que se realiza com a vida inteira, pelo trabalho e pela abnegação sincera, suportando todas as lutas na renúncia de nós mesmos, para ganhar a vida eterna de que nos falava o Senhor em suas lições divinas ! 50 Anos depois, cap. 6, página 137 Francisco Cândido Xavier, pelo espírito Emmanuel O sacrifício é a prova máxima por que passam os Espíritos que se encaminham para Deus, pois por meio dele se redimem das derradeiras faltas, inundando-se de luminosidades inextinguíveis. Dor suprema,cap. 21, página 509 – Zilda Gama, pelo espírito Victor Hugo

21 ÉTE D'AMOUR31 JAN 2005 O Homem de amanhã saberá compreender e abençoar a vida. Cessará de temer a morte. Há de, por seus esforços, realizar na Terra o reino de Deus, isto é, da Paz e da Justiça, e, chegado ao termo da viagem, sua derradeira noite será luminosa e calma como o ocaso das constelações à hora em que os primeiros albores matinais se espraiam no horizonte. Léon Denis – No Invisível

22 ÉTE D'AMOUR31 JAN 2005 O homem de amanhã saberá compreender e abençoar a vida. Cessará de temer a morte. Há de, por seus esforços, realizar na Terra o reino de Deus, isto é, da Paz e da Justiça, e, chegado ao termo da viagem, sua derradeira noite será luminosa e calma como o ocaso das constelações à hora em que os primeiros albores matinais se espraiam no horizonte. Léon Denis – No Invisível


Carregar ppt "ÉTE D'AMOUR31 JAN 2005 PARA LER A BULA BASTA CLICAR NOS MEDICAMENTOS."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google