A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Domingo 24/08/2008 Wagner Júnior Grupo Espírita Allan Kardec www.luzdoespiritismo.com www.luzdoespiritismo.com.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Domingo 24/08/2008 Wagner Júnior Grupo Espírita Allan Kardec www.luzdoespiritismo.com www.luzdoespiritismo.com."— Transcrição da apresentação:

1 Domingo 24/08/2008 Wagner Júnior Grupo Espírita Allan Kardec

2 Perdoai para que Deus vos perdoe Bem aventurados os misericordiosos porque eles alcançarão misericórdia (Mateus, V: 7). Se perdoardes aos homens as ofensas que vos fazem, também vosso pai celestial vos perdoará os vossos pecados. Mas se não perdoardes aos homens, tampouco vosso Pai vos perdoará os vossos pecados. (Mateus, VI: 14-15).

3 Se teu irmão pecar contra ti, vai, e corrige-o entre ti e ele somente; se te ouvir, ganhado terás a teu irmão. Então, chegando-se Pedro a ele perguntou: Senhor, quantas vezes poderá pecar o meu irmão contra mim, para que lhe perdoe? Será até sete vezes? Respondeu-lhe Jesus: Não te digo que até sete vezes, mas setenta vezes sete vezes. (Mateus, XVIII: 15, 21, 22).

4 Perdoai para que Deus vos perdoe A misericórdia é o complemento da mansuetude, pois os que não são misericordiosos também não são mansos e pacíficos. Ela consiste no esquecimento e no perdão das ofensas O ódio e o rancor denotam uma alma sem elevação e sem grandeza e o esquecimento das ofensas é próprio das almas elevadas

5 Uma está sempre inquieta e a outra é calma Por que perdoar? Não estamos isentos de faltas A misericórdia não deve ter limites

6 Perdoai para que Deus vos perdoe Pergunta 893 do L.E. – Qual a mais meritória de todas as virtudes? [...]A sublimidade da virtude, porém, está no sacrifício do interesse pessoal, pelo bem do próximo, sem pensamento oculto. A mais meritória é a que assenta na mais desinteressada caridade.

7 Há duas maneiras de perdoar Uma é grande e nobre Outra é falsa Em todas as contendas, aquele que se mostra mais conciliador, que revela mais desinteresse próprio, mais caridade e verdadeira grandeza de alma, conquistará sempre a simpatia das pessoas imparciais

8 Reconciliar-se com os adversários Concerta-te sem demora com o teu adversário, enquanto estás a caminho com ele, para que não suceda que ele te entregue ao juiz e que o juiz te entregue ao ministro, e sejas mandado para a cadeia. Em verdade te digo que não sairás de lá enquanto não pagares o último ceitil. (Mateus, V: 25-26). Prática do perdão possui dois efeitos Efeito moral e efeito material

9 O sacrifício mais agradável a Deus Portanto, se estás fazendo a tua oferta diante do altar, e te lembrar aí que teu irmão tem alguma coisa contra ti, deixa ali a tua oferta diante do altar, vai reconciliar primeiro com teu irmão, e depois virás fazer a tua oferta. (Mateus, V: 23-24). O ensinamento expressa que o sacrifício mais agradável ao Senhor é o dos próprios ressentimentos! Antes de perdi perdão é preciso que perdoe aos outros

10 O argueiro e a trave no olho Por que vês tu, pois, o argueiro no olho do teu irmão, e não vês a trave no teu próprio olho? Ou como dizes a teu irmão: Deixa-me tirar do teu olho o argueiro, quando tens no teu uma trave? Hipócrita, tira primeiro a trave do teu olho, e então verá como hás de tirar o argueiro do lho de teu irmão. (Mateus, VII: 3-5) O orgulho que leva o homem a disfarçar os seus próprios defeitos, tanto morais quanto físicos

11 Não julgueis para não serdes julgados. Aquele que estiver sem pecado que atire a primeira pedra. Não julgueis, pois, para não serdes julgados; porque com o juízo que julgardes os outros, sereis julgados; e com a medida com que medirdes, vos medirão também a vós. (Mateus, VII: 1-2).

12 A indulgência é um dever, pois não há quem dela não necessite para si mesmo Ensina que não devemos julgar os outros mais severamente do que nos julgamos a nós mesmos, nem condenar nos outros o que nos desculpamos em nós. Antes de reprovar uma falta em alguém, consideremos se a mesma reprovação não nos pode ser aplicada.

13 Não julgueis para não serdes julgados. Aquele que estiver sem pecado que atire a primeira pedra. A censura da conduta alheia pode ter dois motivos Reprimir o mal Desacreditar a pessoa cujos atos criticamos

14 Perdão das ofensas O ensinamento de Jesus Usai a indulgência, sede caridosos, generosos, e até mesmo pródigos no vosso amor. Daí, porque o Senhor vos dará; abaixai-vos, que o Senhor vos levantará; humilhai-vos, que o Senhor vos fará sentar à sua direita.

15 Todos temos necessidade de sermos perdoados, por que então não perdoar? O mérito do perdão é proporcional à gravidade do mal O perdão no coração e no pensamento Pensas no bem que podes fazer, sede verdadeiros espíritas Feliz aquele que pode dizer cada noite, ao dormir: nada tenho contra o meu próximo

16 A indulgência Devemos ser indulgentes para as faltas alheias, quaisquer que sejam; não julgueis com severidade senão as vossas próprias ações, e o Senhor usará de indulgência para convosco, como usastes para com os outros.

17 Com que finalidades criticas? Esta é uma forma de praticar a caridade, que bem poucos observam O esquecimento das faltas alheias não é suficiente Será que o próximo não possui qualidades e virtudes?


Carregar ppt "Domingo 24/08/2008 Wagner Júnior Grupo Espírita Allan Kardec www.luzdoespiritismo.com www.luzdoespiritismo.com."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google