A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

A Cidade de Deus de Santo Agostinho - Se não existir caridade não existe justiça. - A suspeita é o veneno da amizade. - O mundo é um livro e quem não.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "A Cidade de Deus de Santo Agostinho - Se não existir caridade não existe justiça. - A suspeita é o veneno da amizade. - O mundo é um livro e quem não."— Transcrição da apresentação:

1

2 A Cidade de Deus de Santo Agostinho

3 - Se não existir caridade não existe justiça. - A suspeita é o veneno da amizade. - O mundo é um livro e quem não viaja lê somente uma página. - Quem canta reza duas vezes. - Com caridade o pobre é rico, sem caridade o rico é pobre. - Errar é humano, continuar no erro é diabólico. - A medida do amor é amar sem medida. - Os ociosos caminham lentamente e por isso os vícios os alcançam. - No interior de todo homem existe Deus.

4 Agostinho busca conhecer Deus e a alma, mas para ele essa busca é uma só, pois Deus se faz conhecer no interior da alma. Para conhecer Deus devemos conhecer a nossa alma. É em nossa interioridade que devemos tentar encontrar Deus. Se não buscarmos a nós mesmos, ao mais profundo de nós mesmos, não encontraremos Deus e não vamos conhecê-lo. Além de Deus ser amor, Deus é a condição para que exista o amor. Para que possamos conhecer o amor de Deus temos que estar amando as outras pessoas. A esse amor aos homens Agostinho chama de amor fraterno ou caridade cristã. Amar a Deus é algo natural e intrínseco à natureza humana, pois somos imagens de Deus nosso criador que é a verdade eterna e a verdadeira eternidade.

5 Deus é o criador de tudo que existe no tempo, mas ele é criador também do tempo. O tempo começou com a criação, antes dela não existia tempo e Deus está fora do tempo, pois é eterno. Em Deus não existe passado ou futuro, ele é imutável e um ser imutável como Deus vive um eterno presente. O mal em Agostinho é o amor por si mesmo e o bem é o amor por Deus. Os homens que vivem para amar Deus formam a Cidade de Deus e os homens que vivem para amar a si mesmo formam a Cidade dos Homens. Na cidade de Deus vive-se segundo as regras do espírito e na cidade dos homens vive-se segundo as regras da carne. As duas cidades vivem mescladas uma com a outra desde que iniciou a história da humanidade e assim ficarão até o fim dos tempos. Cada ser humano tem que se questionar para saber a qual das duas ele faz parte.

6 Deus não criou o mal. Agostinho acreditava que um Ser em que só pode residir o bem não pode ser o criador do mal. Tudo que existe é bom e o mal é a ausência desse bem, é a ausência de Deus. Deus nos concedeu o Livre-Arbítrio, que é a nossa capacidade de decidir conforme nosso entendimento, e é dele que vem o mal. Deus nos criou independentes para que pudéssemos decidir por nossa vontade e através de nossa liberdade escolher o bem e não o mal. Quando o homem escolhe o mal ele se afasta de Deus.

7 A complexidade da história A Cidade de Deus é mais uma das grandes obras universais que Santo Agostinho legou à humanidade. Mas poucos escritos têm sido tão mal lidos, tão mal interpretados. A oposição entre Cidade de Deus e Cidade terrena foi vista como oposição entre Igreja e Estado. Nada mais falso. O texto célebre não deixa lugar a dúvidas. Dois amores criaram duas cidades: o amor próprio, que leva ao desprezo de Deus, a terrena; o amor de Deus, que leva ao desprezo de si mesmo, a celestial. Ou: Dividi a Humanidade em dois grandes grupos. Um é o daqueles que vivem segundo o homem; o outro, o dos que vivem segundo Deus. Damos misticamente a esses dois grupos o nome de cidades, que quer dizer sociedades de homens.

8 A prova fundamental de que essa divisão não é equivalente à divisão Igreja-Estado é a afirmação taxativa de que na Igreja podem existir homens que, na realidade, pertencem à cidade terrena; e, inversamente, entre as pessoas que ainda estão fora da Igreja podem-se encontrar predestinados à cidade celestial. Por outro lado, essas duas cidades acham-se misturadas, imbricadas. A peneira será feita só no final de cada história pessoal e no final da história de todo o gênero humano.

9


Carregar ppt "A Cidade de Deus de Santo Agostinho - Se não existir caridade não existe justiça. - A suspeita é o veneno da amizade. - O mundo é um livro e quem não."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google