A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Módulo de Prevenção de Acidentes – AULA 3 Prof.ª Cleverson Luis Lima de Souza FTST Formação Técnica em Segurança do Trabalho.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Módulo de Prevenção de Acidentes – AULA 3 Prof.ª Cleverson Luis Lima de Souza FTST Formação Técnica em Segurança do Trabalho."— Transcrição da apresentação:

1 Módulo de Prevenção de Acidentes – AULA 3 Prof.ª Cleverson Luis Lima de Souza FTST Formação Técnica em Segurança do Trabalho

2 Competências a serem trabalhadas nesta aula Identificar e Classificar os riscos ocupacionais de trabalho no Mapa de Risco. Estabelecer procedimentos de segurança nas operações com máquinas, equipamentos e outras atividades dentro da organização.

3 Competências a serem trabalhadas nesta aula Elaborar procedimentos de liberação de serviços. Selecionar dispositivos de proteção individual e coletiva de acordo com a natureza do risco de acidentes de trabalho.

4 OS RISCOS OCUPACIONAIS O foco principal dos profissionais que trabalham com a prevenção de acidentes e doenças é o de neutralizá-los e/ou mantê- los sob controle, caso não possam ser eliminados.

5 MEDIDAS DE CONTROLE DOS RISCOS OCUPACIONAIS Necessário se faz destacar que toda ação Prevencionista deve partir da análise minuciosa da tarefa e de todas suas correlações com outros processos. Lembrando que toda inspeção (rotina), deve ser registrada de maneira organizada, a fim de, atender a legislação e ser passível de auditorias para análise da eficácia de seu processo.

6 MEDIDAS DE CONTROLE DOS RISCOS OCUPACIONAIS DOCUMENTOS QUE O TST DEVE MANTER BEM ORGANIZADOS E DEVIDAMENTE ARQUIVADOS: Ficha de Controle de Entrega de EPI, Relatório de Inspeções de Segurança, CAT - CAT - Comunicações de Acidentes do Trabalho, Todas as liberações de atividades de riscos eminentes (altura, espaço confinado, serviço a quente, dentre outras).

7 MAPA DE RISCOS O Mapa de Risco é uma representação gráfica dos fatores existentes no local de trabalho, com potencial para acarretar prejuízos á saúde do trabalhador: acidentes e/ou doenças de trabalho.

8 MAPA DE RISCOS A partir de uma planta baixa de cada setor são levantados todos os tipos de riscos, classificando-os por grau de perigo: Pequeno, Médio e Grande

9 MAPA DE RISCOS

10 PERMISSÃO / LIBERAÇÃO PARA TRABALHOS Permissão para Trabalho Seguro: é a prévia análise dos riscos envolvidos nos serviços não rotineiros, avaliando as condições de segurança com a participação dos trabalhadores envolvidos. As permissões geralmente são emitidas, levando-se em consideração os riscos das atividades.

11 PERMISSÃO / LIBERAÇÃO PARA TRABALHOS A permissão para Trabalho Seguro deve constituir um procedimento interno em toda empresa, com o objetivo de garantir a organização e comunicação prévia entre os empregados ou entre áreas envolvidos, evitando risco desnecessários, onde máquinas possam ser acionadas por desconhecimento, expondo os trabalhadores a GIR (Grave e Iminente Risco).

12 PERMISSÃO / LIBERAÇÃO PARA TRABALHOS Atividades que possam acarretar situações de grave e iminente risco: Trabalho á quente Entrada em espaço confinado Trabalho em eletricidade em alta tensão (acima de 1000 volts em corrente alternada ou 1500 volts em corrente contínua). Trabalho em local elevado Escavação

13 Bloqueio/Sinalização de Máquinas/Equipamentos O TST deve estar atento e agir de forma a assegurar que a manutenção de máquinas e equipamentos sejam realizadas de forma programada e organizada, seguindo as recomendações de segurança.

14 Bloqueio/Sinalização de Máquinas/Equipamentos

15 PROCEDIMENTO QUE PODE SALVAR VIDAS Desenvolver um programa de bloqueio e sinalização de máquinas e equipamentos para execução de serviços de manutenção, por escrito, segundo a OHSA, que contemple desde o escopo do programa até os métodos de Isolamento/bloqueio; Estabelecer no Programa, os métodos de bloqueios específicos por equipamento.

16 Bloqueio/Sinalização de Máquinas/Equipamentos Os procedimentos de bloqueios devem incluir instruções e uma metodologia para: 1. Isolamento de energia em todos os pontos que controlam o equipamento; 2. Liberação da Energia armazenada; 3. Verificação do estado Zero de energia em cada ponto de controle.

17 Treinamento dos Funcionários: Tanto os funcionários afetados quanto os autorizados devem ser treinados nos procedimentos específicos de Bloqueio/Sinalização de Máquinas/Equipamentos. Bloqueio/Sinalização de Máquinas/Equipamentos

18 Implementação do Programa 1.Aplique ou anexe cada procedimento de bloqueio nos equipamentos a serem bloqueados. 2.Utilize cadeados adequados a cada máquina/ equipamento. 3.Fontes de energia comum incluem gás, vapor, líquido, eletricidade, pneumáticos, hidráulica e gravidade. Prepare-se para verificar se tudo está sob controle. Bloqueio/Sinalização de Máquinas/Equipamentos

19 EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL Todo dispositivo ou produto, de uso individual utilizado Pelo trabalhador, destinado á proteção de riscos Suscetíveis de ameaçar a segurança e saúde do trabalhador.

20 EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO COLETIVA São equipamentos utilizados para proteção de segurança enquanto um grupo de pessoas realiza determinada tarefa ou atividade.

21 CONCEITOS IMPORTANTES PARA PREVENÇÃO CONTRA ACIDENTES Grave e Iminente Risco (GIR) Considera-se grave e iminente risco toda condição ambiental de trabalho que Possa causar acidente do trabalho ou doença profissional com lesão á integridade física do trabalhador.

22 ORDEM DE SERVIÇO Transmitir aos colaboradores as orientações necessárias para a execução, com segurança, de suas atividades profissionais em ambiente de trabalho ou fora dele, inclusive as obrigações, conforme as diretrizes da legislação vigente relacionadas com a segurança do trabalho e suas punições em caso de resistência. CONCEITOS IMPORTANTES PARA PREVENÇÃO CONTRA ACIDENTES

23 COMUNICAÇÃO DE ACIDENTES DO TRABALHO – CAT Foi prevista inicialmente na Lei nº 5.316/67, com todas as alterações ocorridas posteriormente até a Lei nº 9.032/95, regulamentada pelo Decreto nº 2.172/97. A Lei nº 8.213/91 determina no seu artigo 22 que todo acidente do trabalho ou doença profissional deverá ser comunicado pela empresa ao INSS, sob pena de multa em caso de omissão. CONCEITOS IMPORTANTES PARA PREVENÇÃO CONTRA ACIDENTES

24 Cabe ressaltar a importância da comunicação, principalmente o completo e exato preenchimento do formulário, tendo em vista. As informações nele contidas, não apenas do ponto de vista previdenciário,estatístico e epidemiológico, mas também trabalhista e social. CAT CONCEITOS IMPORTANTES PARA PREVENÇÃO CONTRA ACIDENTES

25 ANÁLISE/INVESTIGAÇÃO DE ACIDENTES Os elementos que devem ser coletados e identificados para que uma investigação de acidente seja realmente completa, são muitos. As razões do sucesso, seja o elemento grande ou pequeno, significativo ou insignificante, necessita ser identificado, fotografado, listado ou marcado de alguma maneira, de modo que possa ser valioso no panorama completo para que se chegue á conclusão real do porquê do acontecido. CONCEITOS IMPORTANTES PARA PREVENÇÃO CONTRA ACIDENTES

26 Procedimentos adequados para uma análise de acidente: Identificar as provas; Identificar os fatores que contribuíram para o acidente; Registrar através de fotos ou fazer um esboço da cena do acidente; Fazer anotações; Entrevistar as testemunhas. CONCEITOS IMPORTANTES PARA PREVENÇÃO CONTRA ACIDENTES

27 ESTATÍSTICA DE ACIDENTES Serão considerados os acidentes ocorridos dentro da empresa (típicos). Os itens de controle adotados no serviço de segurança serão as Taxas de Frequência e a Taxa de Gravidade. CONCEITOS IMPORTANTES PARA PREVENÇÃO CONTRA ACIDENTES

28 GERÊNCIA DE RISCOS Processo que identifica, controla os eventos, eliminando ou minimizando os que podem afetar os recursos do sistema. É uma ferramenta poderosa do gerenciamento dos riscos, pois trata do conhecimento do todo. CONCEITOS IMPORTANTES PARA PREVENÇÃO CONTRA ACIDENTES

29 ATIVIDADE 1. João da Silva, soldador, teve seu olho direito atingido por uma limalha quente, ao fazer o acabamento de uma solda. Seu horário de trabalho é das 8 às 17 horas, o acidente aconteceu às 16:30 h. A Empresa fornece todos os EPIs necessários a função. João tem 18 anos de profissão. Houve uma lesão com perda da visão, 90 dias de afastamento. Preencha o formulário da CAT – Comunicação de Acidente do Trabalho com os dados do acidente de João. Obs.: Os dados pessoais podem ser inseridos livremente.

30 Continuação questão 1: Faça uma pesquisa e elabore um formulário de Investigação e Análise de Acidentes, que você implantará na Empresa que está trabalhando. Preencha esse formulário com a análise do Acidente de João, seguindo todas as recomendações de nossa aula. 2. Realize uma análise de risco minuciosa de um soldador e relate quais os riscos ocupacionais ele esta exposto e quais as medidas corretivas para eliminar/minimizar estes riscos. ATIVIDADE

31 3. Explique com suas palavras a importância do sistema de bloqueio e comente o 3° passo. 4. Qual a finalidade do Mapa de Riscos na Empresa? Qual o significado dos círculos e suas cores nos setores de trabalho? ATIVIDADE

32 Prazo de entrega: até 19/11/2013 até às 23:00h ATIVIDADEATIVIDADE EVITE DEIXAR A POSTAGEM DE SUA ATIVIDADE PARA O ÚLTIMO DIA. FAZENDO ISSO, IMPREVISTOS NÃO VÃO LHE PREJUDICAR.

33 Dúvidas Acesse o Fórum Acesse o Fórum Chat dia 07/11/13 no horário:das 20h30 às 22 h Chat dia 07/11/13 no horário:das 20h30 às 22 h 33


Carregar ppt "Módulo de Prevenção de Acidentes – AULA 3 Prof.ª Cleverson Luis Lima de Souza FTST Formação Técnica em Segurança do Trabalho."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google