A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Serviço de Saúde Comunitária-SSC Unidade de Saúde SESC SAÚDE BUCAL NO ATENDIMENTO SEQUENCIAL E INTERDISCIPLINAR PARA CRIANÇAS E ADOLESCENTES COM ASMA NA.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Serviço de Saúde Comunitária-SSC Unidade de Saúde SESC SAÚDE BUCAL NO ATENDIMENTO SEQUENCIAL E INTERDISCIPLINAR PARA CRIANÇAS E ADOLESCENTES COM ASMA NA."— Transcrição da apresentação:

1 Serviço de Saúde Comunitária-SSC Unidade de Saúde SESC SAÚDE BUCAL NO ATENDIMENTO SEQUENCIAL E INTERDISCIPLINAR PARA CRIANÇAS E ADOLESCENTES COM ASMA NA ATENÇÃO PRIMÁRIA À SAÚDE Daniel Demétrio FAUSTINO-SILVA - Odontólogo Anna SCHWENDLER, Vanessa MUELLER, Caroline SCHIRMER; Odontólogas Residentes RIS-GHC Elineide CAMILLO – Farmacêutica Maria Lucia LENZ – Médica de Família Norma PIRES – Enfermeira Curitiba, Novembro de 2013.

2 Três Hospitais + Hospital Criança Conceição Serviço de Saúde Comunitária-SSC (12 Unidades de Atenção Primária em Saúde) Asma = principal motivo de internação em menores de 19 anos Asma = entre os 5 motivos mais frequentes de consulta nas unidades de saúde de atenção primária e considerada uma CSAPS CUIDADO INTEGRAL E INTEGRADO EM REDE

3 NSA COSTA ITÚ CONC. SESC VALÃO DIQUE BARÃOCOINMA FLORESTA Porto Alegre-RS com a localização das Unidades de Saúde do Serviço de Saúde Comunitária e os hospitais do Grupo Conceição. HNSC CRISTO MAIAS LEOP

4 AtençãoAtenção FormaçãoFormação Produção de novas tecnologia deProdução de novas tecnologia de Cuidado em APS - 12 Unidades Básicas- Serviço de Saúde Comunitária

5 Atributos da APS -Primeiro contato -Longitudinalidade -Integralidade -Coordenação Ações programáticas -Estabelecimento de metas -Planejamento e avaliação -Uso de indicadores Vigilância em Saúde -Uso da epidemiologia -Identificando e resolvendo problemas no território Em defesa da vida -Acolhimento -Vínculo -Clínica ampliada SSC- Eixos norteadores da prática Sistema de Informação Núcleo de Monitoramento e Avaliação Saúde da Família – População adscrita

6 Atuar sobre os fatores de risco comuns Fator de risco Tabaco Álcool Alimentação Inatividade física Obesidade* Pressão arterial elevada Dislipidemia Glicemia elevada DCV Diabetes Câncer D. resp. Cárie DP X X X X X X X X X X X X X X X X X X X X X X X X X X X X X X X X

7 GestanteCriança De volta pra casa MulherTuberculose AsmaHiperdia PAD SAÚDE BUCAL Atuação dentro das Ações Programáticas

8

9 Meta 50% % de gestantes que realizaram pelo menos uma consulta com dentista, entre as gestantes que realizam pré-natal no SSC Indicador

10

11 Meta 60% % de crianças que realizou consulta com dentista, por ano de vida, entre as crianças usuárias do SSC e nascidas a partir de 2010, no SSC/ano Indicador

12

13 Meta 30% % de diabéticos atendidos pelo dentista, entre os diabéticos inscritos na Ação Programática, no SSC/ano Indicador

14

15 Programa de Vigilância nas 12 US com asma 60% em acompanhamento regular mínimo – 6/6m

16 Integração entre APS, ambulatório especializado e hospital é fundamental

17 ASMA Introdução

18 Os medicamentos(corticóides) para asma: via inalatória bucal. Número crescente de evidências decorrentes de estudos clínicos ou epidemiológicos, sugerem um aumento significativo de patologias bucais em crianças asmáticas (TOOTLA, TOUMBA, DUGGAL, 2004; COSTA, XAVIER, 2008). Introdução ASMA E SAÚDE BUCAL

19 Estudo realizado no SSC-GHC com 228 crianças asmáticas e não asmáticas (Santos, Rezende, Faustino-Silva 2012): –associação asma com síndrome de respiração bucal; –cárie mais prevalente em crianças com asma persistente leve e moderada em uso de corticóides; –Risco relacionado ao tratamento e não com a doença em si. Introdução ASMA E SAÚDE BUCAL

20 Mendes (2011) descreve dois modelos de cuidado coletivo: Consultas sequenciais: profissionais de mais de uma categoria atendem individualmente o usuário porém de forma integrada e em sequencia lógica do cuidado. Consulta multiprofissional coletiva: uma consulta para um grupo de usuários que apresentam o mesmo problema, com a participação de profissionais de diferentes formações; Consulta sequencial: o que é?

21 Consultas sequenciais são indicadas para portadores de doenças crônicas como a asma e foi a estratégia escolhida por razões identificadas na prática: crianças ficam dispersas e impacientes em grupo, dispersando também os seus pais; a asma é uma doença muito variável e com muitas particularidades e dificuldades diversas para o seu manejo; os usuários que mais precisam atenção tendem a não aderir à participação em atividades educativas em grupo. Consulta sequencial: por quê?

22 Geral: apresentar o processo de implantação e os resultados relacionados à saúde bucal de um modelo de consultas sequenciais adaptadas para o atendimento de crianças e adolescentes com asma. Objetivos Relato Experiência Objetivos Específicos: avaliar as condições bucais dos pacientes e se estão em acompanhamento regular com a equipe de saúde bucal (ESB).

23 As famílias das crianças e adolescentes com diagnóstico de asma no território de abrangência foram convidadas, pelos Agentes Comunitários de Saúde, a participarem de um atendimento em forma sequencial. Agendados horários de atendimento de 20 minutos com profissionais de quatro categorias diferentes (médica, enfermagem, farmacêutica e odontológica - nesta ordem) durante um único turno de atendimento. Métodos Critério: foco nas crianças com acompanhamento irregular asma.

24 1.Consulta médica: É asma? Está controlada? Dois problemas= dois medicamentos. Qual os medicamentos que irá utilizar? 2. Consulta enfermagem: O que é mesmo asma? O que acontece? Quais as dificuldades da família para o tratamento? 3. Consulta farmacêutica: Entendeu a prescrição? Como agem os medicamentos? Entendeu a importância do espaçador? Existem dificuldades para a adesão? Faz pra eu ver! 4. Consulta Odontológica: Quais os cuidados necessários com a saúde bucal? Apresenta problemas? Necessita de tratamento ou apenas manutenção? Média 8 crianças /turno Inicio: Convite ACS Final: EQUIPE todos

25 Em relação à saúde bucal foi avaliado o acompanhamento com ESB, a classificação de acordo com as necessidades: –N0 (sem necessidades de tratamento) –N1 (apenas uma necessidade clínica e sem atividade de doença) –N2 (mais de uma necessidade clínica e sem atividade de doença) –N3 (com atividade de doença) –Encaminhamento para a manutenção ou tratamento. Métodos

26 Primeiro atendimento (n=89) 16% 21% 61% 51% 27% 6% 28% 37% º ou 4º atendimento (n=80) 76% 100% 60% 100% 87% 81% 98% 100% (42% tratamento) 39* 1* Critério Avaliado Uso de corticoide inalatório Uso de plano de ação escrito Co-habitam com fumantes Asma controlada Conhece bem ou muito bem asma Conhece a diferença entre os sprays Conhece ( bem ou muito bem) a técnica Consulta odontológica N de idas a emergência no último ano N de internações por asma no último ano *Considerada significância estatística (p<0,05) a partir de testes estatísticos de McNemar e Wilcoxon Resultados Gerais

27 Resultados Saúde Bucal

28

29 100% acompanhados

30 Resultados Saúde Bucal Após 6 meses de acompanhamento: – 78% das crianças estavam com adequado acompanhamento de sua saúde bucal. Após 1 ano de acompanhamento: –Adequado: 50,5% –Não adequado: 30,4% –Saída território: 16,8% –Convênio: 2,3%

31 Consulta multiprofissional coletiva Abril 2013: 37 crianças foram convidadas e compareceram 34 (bom vínculo anterior estabelecido e trabalho das ACS ao realizarem o convite). Encontros mensais sistemáticos. Como manter?

32 Consulta multiprofissional coletiva Nós permanecemos as-sin-to-má-ti-cos !!! Sintomas leves... mas bem contornados com o plano de ação!!! Sintomas >2x/semana ou noturnos ou necessitou consulta extra ou ida a emergência/UPA ou internação. Na chegada, as crianças são classificadas conforme o grau de controle da asma e recebiam: bombinha verde, amarela ou laranja. Como manter?

33 Consulta multiprofissional coletiva Revisão da asma e a técnica inalatória em grande grupo (em tempo máximo 10 min) e na sequência, os subgrupos se dividiram entre a médica, farmacêutica e enfermeira. Todos que necessitavam ou desejavam consulta médica individual foram atendidos. Após os primeiros encontros: integração com a SB onde as crianças no final das consultas passaram por uma revisão com a equipe de saúde bucal. Como manter?

34 Importância da continuidade no acompanhamento (asma é realmente variável). Importância da individualidade da atenção e da percepção do indivíduo no seu meio. Importância da persistência e integração da equipe multiprofissional.

35 Atendimento sequencial parece ser uma alternativa de busca ativa e acompanhamento em SAÚDE BUCAL de crianças e adolescentes asmáticas de forma qualificada e integral na Atenção Primária a Saúde. Considerações Finais

36 ... devemos extrapolar questões tais como oferta e demanda... Considerações Finais... e somar esforços na tentativa de construção de vínculo entre usuários e unidades de saúde, abordagem familiar, resolutividade, integralidade, longitudinalidade... Pensar em acesso...

37 Obrigado! Contato:


Carregar ppt "Serviço de Saúde Comunitária-SSC Unidade de Saúde SESC SAÚDE BUCAL NO ATENDIMENTO SEQUENCIAL E INTERDISCIPLINAR PARA CRIANÇAS E ADOLESCENTES COM ASMA NA."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google