A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

A crónica …é uma narração, segundo a ordem temporal (deriva do grego Krónos, que significa tempo). -Pode ter uma função: I deológica S atírica O u mesmo.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "A crónica …é uma narração, segundo a ordem temporal (deriva do grego Krónos, que significa tempo). -Pode ter uma função: I deológica S atírica O u mesmo."— Transcrição da apresentação:

1 A crónica …é uma narração, segundo a ordem temporal (deriva do grego Krónos, que significa tempo). -Pode ter uma função: I deológica S atírica O u mesmo um carácter ficcionista Exemplo de uma crónica radiofónica de Fernando Alves:

2 A crónica impressa e a crónica radiofónica Características gerais - Há um acontecimento/facto/ideia real que está na génese do texto. - O tema da actualidade pode ser diversificado: actualidade desportiva, política, científica, etc. - Pode centrar-se sobre aspectos comuns da vida quotidiana ou servir de palco para a criação literária. - Não obedece a nenhuma estrutura fixa, apresentando por isso, uma forma livre e pessoal. - Está imbuída de uma dimensão pragmática.

3 A crónica impressa e a crónica radiofónica Linguagem e estilo - Marcas de subjectividade (como a adjectivação valorativa, o uso de verbos opinativos ou tomadas de posição eufórica). - Marcas de temporalidade (apontadas até pela etimologia, crónica vem do grego khronos - tempo). - Tom coloquial, que denota a presença do interlocutor e a cumplicidade existente entre escritor e leitor (resultante do carácter periódico de muitas crónicas). - Recursos expressivos (como a linguagem metafórica, o emprego expressivo da adjectivação ou o recurso a várias figuras de estilo) e outros processos literários.

4 A crónica impressa e a crónica radiofónica Intencionalidade comunicativa - Crítica. - Censura. - Elogio. - Aviso. - Finalidade sociológica. - Objectivo satírico/humorístico.

5 A crónica impressa e a crónica radiofónica (características específicas) Crónica impressa - Utiliza o código escrito. - Surge numa página fixa do jornal. - É um texto assinado e está a cargo de um ou mais colaboradores do jornal. - Apresenta marcas linguísticas do código oral, patentes no recurso ao discurso directo. - A pontuação, a organização dos parágrafos e a coesão textual assumem extrema importância. - Pode ser classificada em crónica jornalística ou crónica literária. - Utiliza o código oral. - Surge num programa específico da estação da rádio. - Está a cargo de um ou mais locutores/colaboradores da estação da rádio. - Os elementos prosódicos (entoação, pausas, ou ênfase) assumem uma importância fulcral. CRÓNICA RADIOFÓNICA

6 10º F Fm 77.4 FM

7 Crónicas Mirabolantes Crónicas Mirabolantes Tema principal: Euro 2008 Temas secundários: Áustria e Suiça? Porquê? Áustria e Suiça? Porquê? O campeonato europeu para a mulher O campeonato europeu para a mulher A doença do Euro A doença do Euro Estrelas VIP e o Euro Estrelas VIP e o Euro

8 O campeonato Europeu para a mulher Todas nós, mulheres, lidamos diariamente com um amigo conhecido e, na maior parte das vezes, com um marido louco por futebol. Há mesmo momentos em que o homem sente maior prazer em ver um jogo da sua equipa preferida do que usufruir do prazer matrimonial. Passamos tempos infinitos a ouvi-los gritar com o televisor, na esperança de que o árbitro o ouça, e, claro, como não poderia faltar, o bom hábito futebolístico de comer quantidades excessivas de tremoços e uns quantos litros de cerveja. Tudo isto bastante natural e normal. No meio de tudo isto, solta-se em nós a curiosidade em perceber o porquê de tanto gosto para ver 22 homens, em calções, atrás de uma bola. Não valeria mais a pena ver 22 homens atrás de uns calções? É agora que tudo se repete. O euro está a chegar….. Marta Almeida nº28

9 Na Áustria e Suíça? Porquê? Será que a Áustria ou a Suíça não têm capacidade de organizar um evento como o Euro sozinhos? Na minha opinião, estes dois países não têm personalidade própria. Portugal sim! Portugal tem! Autoconfiança reside neste país onde cada moeda é bem contada. Mas temos de ver que Portugal não pode parecer humilde perante a Europa. Só falta dizer que Portugal quer ser os EUA da Europa. Mas a verdade é que o Euro 2004 foi um dos melhores Euros em termos de organização. Mas o problema é que se abdicou de melhores infra-estruturas a nível da saúde, educação… Isto só para construir 10 novos estádios para depois servirem para as moscas passearem. Juntar-se à Espanha era impensável para o Governo de Durão Barroso. - Só fachada! Só fachada! – comentava uma senhora. - Depois não venham dizer para apertar o cinto! – concordava outro senhor. - Depois não venham dizer para apertar o cinto! – concordava outro senhor. Veremos a partir do dia 7 de Junho como correrão as coisas em termos de organização a estes dois países. Aposto que a organização será tão boa como foi em 2004 e estes dois países não dispensaram tanto dinheiro como Portugal fez. Mania que são poetas de karaoke estes portugueses! Tiago Silva nº28

10 Fim Trabalho realizado por: Trabalho realizado por: Hugo Daniel nº14 Hugo Daniel nº14 Hugo Filipe nº15 Hugo Filipe nº15 Pedro Almeida nº Pedro Almeida nº Tiago Teixeira nº27 Tiago Teixeira nº27 Marta Almeida nº28 Marta Almeida nº28


Carregar ppt "A crónica …é uma narração, segundo a ordem temporal (deriva do grego Krónos, que significa tempo). -Pode ter uma função: I deológica S atírica O u mesmo."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google