A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Concurso de pessoas Jurisprudência. PRESENÇA NO MOMENTO DO ESTUPRO – INTIMIDAÇÃO – CO-AUTORIA.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Concurso de pessoas Jurisprudência. PRESENÇA NO MOMENTO DO ESTUPRO – INTIMIDAÇÃO – CO-AUTORIA."— Transcrição da apresentação:

1 Concurso de pessoas Jurisprudência

2 PRESENÇA NO MOMENTO DO ESTUPRO – INTIMIDAÇÃO – CO-AUTORIA

3 Não há dúvida que o agente estuprou a vítima. Quanto ao segundo estupro desta, muito embora não se tenha detectado, na prova recolhida, a participação material do peticionário (como, por exemplo, segurando a vítima para a atuação do companheiro), força é convir que sua presença, nas circunstâncias em que o fato ocorreu, constituiu uma participação ativa, uma contribuição positiva, um incentivo concreto à conduta material do comparsa. (TACRIM-SP – Rev. – Rel. Silva Franco – JUTACRIM 70/13).

4 Concorre eficazmente para a prática dos crimes contra os costumes, assumindo caráter de co-autor, assaltante que, embora sem aproveitamento próprio em termos sexuais, vigia o local e com sua presença exerce coação sobre a ofendida, enquanto seu comparsa a estupra e pratica atentado violento ao pudor (TACRIM-SP – AC – Rel. Valentim Silva – JUTACRIM 57/334).

5 ROUBO PESSOA QUE FICA DO LADO DE FORA

6 Deve ser reconhecida a participação de menor importância a quem fica do lado de fora dando contribuição para a realização do crime, pois pratica esta conduta definida como cooperativa para a perpetração do delito sem ser um de seus autores materiais, portanto, sua pena não pode ser a mesma imposta aos executores, porque essa ação atípica é indicativa de um grau de culpa menor em relação ao conjunto de atos que compõe o ilícito (TACRIM-SP – Ap. – Voto vencido Márcio Bártoli – RJD 28/58).

7 O comparsa que, durante a prática de roubo, desempenha, conforme prévio ajuste com os demais, papel de assisti-los, para prestar-lhes um eventual reforço, enquanto subtraem, mediante grave ameaça armada, os bens da vítima, é co-autor de reserva em vez de participante de menor importância (TACRIM-SP – Ap. – Rel. Haroldo Luz – j – RJTACRIM 36/142).

8 LATROCÍNIO AGENTE QUE NÃO DISPAROU

9 Em sede de co-autoria, quem de qualquer modo contribui para o crime incide nas penas a este cominadas, de sorte que no crime de latrocínio é irrelevante a circunstância de não ter sido o autor do disparo fatal ou o grau de participação na execução do delito (TJMT – Ap. – Rel. Rubens de Oliveira Santos Filho – j – RT 772/634).

10 No crime de latrocínio, despicienda a indagação sobre quem tenha efetivamente sido o autor do disparo fatal, eis que, concertado o roubo à mão armada e sendo o evento morte mero desdobramento da empreitada criminosa, todos devem responder pelo delito, a título de co- autoria (TJSP – Rev. – Rel. Segurado Braz – j – RT 764/539).

11 PARTICIPAÇÃO DE MENOR IMPORTÂNCIA

12 Reconhece-se a participação de crime menos grave se os partícipes, desarmados, desejavam colaborar em crime de furto e o executor, até então desarmado, comete tentativa de roubo impróprio, visto que o resultado mais danoso lhes era imprevisível (TACRIM-SP – AC – Rel. Nogueira Filho – RJD8/155).

13 O partícipe que fica de vigia na rua, enquanto dois outros entram no prédio absolutamente desarmados, para a realização do furto combinado, ignorando a existência do guardião, e morto este de improviso com instrumentos encontrados fortuitamente no lugar, só pode ser punido na medida de seu dolo. Caso acabado de preenchimento do art. 29, § 2.º do CP (TAPR – AC – Rel. Luiz Viel – RT 691/352).

14 XX

15 juris

16 XX

17 juris

18 XX

19 juris

20 XX

21 juris

22 XX

23 juris

24 XX

25 juris

26 XX

27 juris


Carregar ppt "Concurso de pessoas Jurisprudência. PRESENÇA NO MOMENTO DO ESTUPRO – INTIMIDAÇÃO – CO-AUTORIA."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google