A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Televisão digital Trabalho nº9 - Redes de difusão DVB-T Armindo Machado Vidal Fernandes.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Televisão digital Trabalho nº9 - Redes de difusão DVB-T Armindo Machado Vidal Fernandes."— Transcrição da apresentação:

1 Televisão digital Trabalho nº9 - Redes de difusão DVB-T Armindo Machado Vidal Fernandes

2 Televisão Digital DVB-T Introdução A modulação A modulação Sistema Europeu vs. Americano Sistema Europeu vs. Americano O canal de retorno O canal de retorno

3 Televisão Digital DVB-T DVB-T Baseado em tecnologia totalmente digital, o DVB-T (Digital Vídeo Broadcasting for Terrestrial Television Transmissions), permitirá a introdução em Portugal da radiodifusão televisiva digital terrestre. Baseado em tecnologia totalmente digital, o DVB-T (Digital Vídeo Broadcasting for Terrestrial Television Transmissions), permitirá a introdução em Portugal da radiodifusão televisiva digital terrestre. Utiliza as últimas tecnologias, como a compressão em MPEG2 e a codificação e modulação OFDM. Tendo como resultado uma reprodução de um sinal de elevada qualidade, mesmo em condições adversas de propagação Utiliza as últimas tecnologias, como a compressão em MPEG2 e a codificação e modulação OFDM. Tendo como resultado uma reprodução de um sinal de elevada qualidade, mesmo em condições adversas de propagação

4 Televisão Digital DVB-T Características do canal -Reflexão do sinal num obstáculo. -Refracção do sinal quando atravessa um meio com índice ferente de onde ele vem -Difracção devido a obstáculos

5 Televisão Digital DVB-T COFDM

6 Televisão Digital DVB-T Frame

7 Televisão Digital DVB-T Bandas de guarda

8 Televisão Digital DVB-T Modulador DVB-T

9 Televisão Digital DVB-T Propriedades Vantagens O DVBT é compatível, na maioria dos casos, com as instalações de recepção analógicas já existentes. O DVBT é compatível, na maioria dos casos, com as instalações de recepção analógicas já existentes. O sistema é invencível aos ecos, O sistema é invencível aos ecos, Com 25 Mbit/s úteis em cada, podemos difundir 5 a 6 programas onde passa hoje apenas um canal analógico. Com 25 Mbit/s úteis em cada, podemos difundir 5 a 6 programas onde passa hoje apenas um canal analógico. É possível introduzir ou alterar canais para programas locais. É possível introduzir ou alterar canais para programas locais. Possibilita a recepção hertziana móvel de qualidade (carros, transportes públicos). Possibilita a recepção hertziana móvel de qualidade (carros, transportes públicos). SFN (Single Frequency Network).Um programa é disponível sobre uma única e mesma frequência para todo o território. SFN (Single Frequency Network).Um programa é disponível sobre uma única e mesma frequência para todo o território. SFN Inconvenientes menos canais disponíveis que num satélite, menos canais disponíveis que num satélite, custo da infra-estrutura dos emissores terrestres, custo da infra-estrutura dos emissores terrestres, desmoduladores complexos desmoduladores complexos

10 Televisão Digital DVB-T ATSC -The Advanced Television Systems Committee O ATSC é uma organização internacional de desenvolvimento e definição de normas para televisão digital. Coordena as normas entre diferente meios comunicação, focando o seu interesse em televisão digital, sistemas interactivos e multimédia. Estas normas de televisão digital, incluem: televisão de alta definição (HDTV), definição normal (SDTV), broadcasting, som multicanal, difusão via satélite.

11 Televisão Digital DVB-T Propriedades Neste sistema é possível transmitir vídeo de alta qualidade, aúdio e dados auxiliares num canal com apenas 6MHz. Este sistema consegue débitos de 19 Mbps num canal de difusão terrestre de 6 MHz e aproximadamente 38 Mbps num canal de televisão por cabo com a mesma banda.

12 Televisão Digital DVB-T Diagrama de blocos do sistema

13 Televisão Digital DVB-T Modulação e transmissão O código do canal é constituído por bit streams e informação adicional para o receptor reconstruir o sinal. É usada modulação VSB, esta modulação oferece dois modos, sendo usado para difusão terrestre 8 VSB e para débitos mais elevados o modo 16 VBS.

14 Televisão Digital DVB-T Esquema do modulador

15 Televisão Digital DVB-T VSB -vestigial sideband modulation A diminuição das baixas frequências implica uma redução do contraste dos detalhes da imagem

16 Televisão Digital DVB-T Formatos de imagem EUA

17 Televisão Digital DVB-T Formatos da imagem EU

18 Televisão Digital DVB-T Televisão interactiva BroadcasterReceiver Programa televisivo Canal de resposta Canal de retorno

19 Televisão Digital DVB-T Projecto ACTS INTERACT Objectivos: Objectivos: Identificar os requisitos do mercado, de forma a introduzir televisão interactiva e serviços de dados usando a plataforma DVBT. Identificar os requisitos do mercado, de forma a introduzir televisão interactiva e serviços de dados usando a plataforma DVBT. Caracterizar e especificar o canal de retorno para difusão terrestre e por cabo Caracterizar e especificar o canal de retorno para difusão terrestre e por cabo Desenvolver, construir e experimentar um sistema de retorno num canal assimétrico UHF. Desenvolver, construir e experimentar um sistema de retorno num canal assimétrico UHF. Procura de aplicações e implementação de sistemas com canal de retorno Procura de aplicações e implementação de sistemas com canal de retorno Ter em conta técnicas desenvolvidas com os projectos DVB e DAVIC Ter em conta técnicas desenvolvidas com os projectos DVB e DAVIC

20 Televisão Digital DVB-T Canal de retorno Necessário para criar novas tecnologias Necessário para criar novas tecnologias Solução universal pouco provável Solução universal pouco provável Itens a considerar: Itens a considerar: Custo de utilização Custo de utilização Custo dos equipamentos Custo dos equipamentos Infra-estrutura de emissão Infra-estrutura de emissão Quem irá utilizar? Quem irá utilizar?

21 Televisão Digital DVB-T PSTN / ISDN Simples Simples Estrutura mais provável – infra estructura com baixo custo Estrutura mais provável – infra estructura com baixo custo Baixo custo dos equipamentos Baixo custo dos equipamentos

22 Televisão Digital DVB-T PSTN / ISDN Vantagens Utilização simples do equipamento Utilização simples do equipamento Equipamento de emissão mínimo Equipamento de emissão mínimo Utilização de todos os canais de retorno Utilização de todos os canais de retorno Largura de banda suficiente par outras aplicações Largura de banda suficiente par outras aplicações Desvantagens Pagamento da ligação telefónica Pagamento da ligação telefónica Pagamento de rendas a companhias telefónicas em vez dos emissores do serviço Pagamento de rendas a companhias telefónicas em vez dos emissores do serviço Ocupação da linha telefónica Ocupação da linha telefónica TV tem de estar próxima de uma tomada de telefone TV tem de estar próxima de uma tomada de telefone

23 Televisão Digital DVB-T

24 Televisão Digital DVB-T Cabo Solução mais pratica Solução mais pratica Os sistemas mais recentes são full duplex Os sistemas mais recentes são full duplex MHz ou MHz para o canal de emissão, dividido pelos emissores de vídeo MHz ou MHz para o canal de emissão, dividido pelos emissores de vídeo 5-65 MHz para o canal de retorno 5-65 MHz para o canal de retorno

25 Televisão Digital DVB-T Cabo Vantagens Equipamento de recepção simples Equipamento de recepção simples Equipamento de emissão simples Equipamento de emissão simples Canal de retorno de banda larga Canal de retorno de banda largaDesvantagens Necessidade de ligação por cabo a cada utilizador Necessidade de ligação por cabo a cada utilizador

26 Televisão Digital DVB-T LMDS Local Multi-point Distribution System Local Multi-point Distribution System Ligação micro-ondas de curto alcance Ligação micro-ondas de curto alcance Não é necessário cabo para cada terminal Não é necessário cabo para cada terminal

27 Televisão Digital DVB-T LMDS Vantagens Não é necessário qualquer tipo de ligação física aos consumidores Não é necessário qualquer tipo de ligação física aos consumidores Canal de retorno com grande largura de banda Canal de retorno com grande largura de bandaDesvantagens Necessidade de ligação micro ondas e cabo Necessidade de ligação micro ondas e cabo Operação em linha de vista Operação em linha de vista

28 Televisão Digital DVB-T UHF terrestrial Ultra High Frequency ( MHz) Ultra High Frequency ( MHz) O serviço é independente da densidade de utilizadores mas o canal de retorno não é O serviço é independente da densidade de utilizadores mas o canal de retorno não é INTERACT: estrutura de difusão INTERACT: estrutura de difusão Quatro modos de operação Quatro modos de operação Células de 1.15 km - 75 km Células de 1.15 km - 75 km Reutilização de frequência Reutilização de frequência

29 Televisão Digital DVB-T UHF Terrestrial Vantagens Emissor controla potência sinal UHF Emissor controla potência sinal UHF Não é necessário uma conexão com o exterior Não é necessário uma conexão com o exterior Facilidade de ligação Facilidade de ligação Desvantagens Custo do equipamento Custo do equipamento Infra estruturas caras Infra estruturas caras Banda limitada do canal de retorno Banda limitada do canal de retorno Interferência Interferência Espectro de UHF muito ocupado Espectro de UHF muito ocupado

30 Televisão Digital DVB-T DECT Digital Enhanced Cordless Telecommunications Digital Enhanced Cordless Telecommunications Solução económica para áreas densamente povoadas Solução económica para áreas densamente povoadas MHz, distribuição dos dados com destino a outras redes (PSTN, ISDN, GSM…) MHz, distribuição dos dados com destino a outras redes (PSTN, ISDN, GSM…) Selecção dinâmica de canais Selecção dinâmica de canais kbit/s (half-double slot, protected & unprotected) kbit/s (half-double slot, protected & unprotected)

31 Televisão Digital DVB-T DECT Vantagens Largura de banda do canal de retorno razoável Largura de banda do canal de retorno razoável Mobilidade das set- top box Mobilidade das set- top box Desvantagens Células pequenas - não é possível utilizar em longas distancias Células pequenas - não é possível utilizar em longas distancias Necessidade de estar próximo da linha de operação Necessidade de estar próximo da linha de operação

32 Televisão Digital DVB-T Outros canais de retorno possíveis Satélite Satélite Telemóveis via satélite (Iridium) Telemóveis via satélite (Iridium)

33 Televisão Digital DVB-T

34 Televisão Digital DVB-T

35 Televisão Digital DVB-T DVB-NIP Network Independent Protocols Network Independent Protocols Controlo e protocolo baseado em pacotes MPEG-2 Controlo e protocolo baseado em pacotes MPEG-2 Baseado em DSM-CC (Digital Storage Media Command and Control) para ser compativel com as normas internacionais Baseado em DSM-CC (Digital Storage Media Command and Control) para ser compativel com as normas internacionais

36 Televisão Digital DVB-T Notas finais A escolha do canal de retorno dependerá da região ser mais ou menos povoada. (maior largura de banda nas cidades p.e.) A escolha do canal de retorno dependerá da região ser mais ou menos povoada. (maior largura de banda nas cidades p.e.)


Carregar ppt "Televisão digital Trabalho nº9 - Redes de difusão DVB-T Armindo Machado Vidal Fernandes."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google