A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Paulo F. Vasconcellos

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Paulo F. Vasconcellos"— Transcrição da apresentação:

1 Paulo F. Vasconcellos

2

3 Programação Requisitos (Engenharia de) –RUP, OpenUP, BABoK... Gerenciando Requisitos (e Mudanças) Entendendo os Requisitos Desenvolvendo Requisitos Analisando, Validando e Priorizando Viabilizando o Projeto

4 Objetivos Entender os Requisitos a disciplina Engenharia de Requisitos e os Métodos e Processos que a formam. Quem executa O que executa / o que gera Como

5 A Oficina 5 Grupos de 10 pessoas. 1 Monitor para cada grupo. Exercícios (6) terão limite de tempo. O problema de negócio é relativamente simples. Vamos nos concentrar no processo, nos métodos e técnicas. Ênfase: técnicas de coleta, descoberta, análise e especificação de requisitos.

6 Flashback

7 Oficina: O Problema Grande rede de locadoras de DVD's Quer expandir base de clientes e, consequentemente, o faturamento Sem aumentar o número de lojas Imagina um serviço de locação via web

8 Alguns fatos 50 Lojas (Sampa e interior) 25 mil clientes ativos R$ 5 é o valor médio da locação R$ 1,5 milhão é o faturamento mensal 3 DVD's / cliente / semana As lojas são caras e franquia não é alternativa

9 Objetivos 250 mil clientes, em todo o Brasil (existem mais de 10 milhões de DVD players por aí) Multiplicar por 10 o faturamento Em 1 ano Receita recorrente: Mensalidade Plano de 12 DVD's/mês = R$ 60 (2 lotes com 6 DVD's) Não há taxa de permanência Mas cliente só recebe novo lote após devolução

10 Estratégia Pontos fortes –Acervo: 50+ mil títulos –Qualidade do Atendimento (personalizado) Oportunidade: Serviço Web é inédito Ameaça: 'canibalização' das lojas Ponto fraco: preço Proposição de Valor: APRISIONAMENTO

11 Engenharia de Requisitos

12 Tipos de Processos

13 Cascata (7 Quedas ou Clássico)

14 Iterativo & Incremental

15 Iterativo e Incremental

16 RUP (Rational Unified Process)

17 RUP: Requisitos

18 OpenUP (antes, OpenUP/Basic)

19 RUP / OpenUP

20 Equipe de Projeto

21 RUP, OpenUP e o AN

22 BABoK: Disciplinas

23 Engenharia de Requisitos: A Disciplina

24

25 Gerenciando Requisitos

26 Gerenciamento de Mudanças

27

28 Antecipando Mudanças e Gerenciando Riscos Estratégia mal definida, difundida ou executada; Processos Doentes; Usuários: dúvidas ou decisões fracas; Requisitos não satisfazem plenamente o checklist.

29 Controlando Requisitos

30 Iterativo e Incremental

31 Entendendo os Requisitos

32 Definindo Requisitos Uma funcionalidade específica; Uma propriedade geral do sistema; Uma restrição específica do sistema; ou Uma restrição ao desenvolvimento do sistema.

33 Tipos de Requisitos Requisitos de Negócio Requisitos de Usuário Requisitos Funcionais Requisitos Não-funcionais

34 Estruturando Requisitos

35

36 Estruturando Requisitos II

37 Ponto de Vista Estratégico Tático Operacional Técnico

38 Grau de Importância Fundamental Importante Opcional

39 Relações entre Requisitos Dependente Complementar Substituto Conflitante

40 Status Pendente Aprovado Recusado Substituído Implementado Verificado Excluído

41 Estruturando Requisitos

42 –De 25 mil para 250 mil clientes, em todo o Brasil –Multiplicar por 10 o faturamento –Em 1 ano –Receita recorrente: Mensalidade

43 Desenvolvendo Requisitos

44 UML: 5 Visões

45 Casos de Uso – 4 Dimensões Propósito: Requisitos ou histórias? Conteúdo: Papo consistente, Contraditório ou Formal? Pluralidade: Um ou Vários Cenários? Estrutura: Não estruturado, Semi-formal ou Formal?

46 Casos de Uso – Motivações: Descobrir e descrever os requisitos funcionais de um sistema; Fornecer uma clara e consistente visão do que o sistema deve realizar; Servir como a base que irá nortear todos os testes do sistema; Permitir o rastreamento total entre requisitos e artefatos construídos.

47 Diagramas de Casos de Uso

48

49 Especificações de Casos de Uso [Número] e Nome do Caso de Uso: Processo de Negócio: [Resumo:] Objetivos: –1... –2... Ator Principal: Fato Gerador (Evento de Negócio): Fluxo Principal: –1... – –3... Regras de Negócio: [Pré e pós-condições:] [Extensões / Fluxos Alternativos:] [Requisitos complementares:]

50 Estruturando Requisitos III

51 Por onde começar?

52

53 Técnica: Entrevistas BABoK: –Maneira sistemática de levantar informações de uma pessoa ou grupo –De maneira formal ou informal –Perguntando questões relevantes e documentando as respostas. Pró: Objetividade Contra: Falta de pontos de vista divergentes Indicações: –1 ~6 pessoas –Pauta e duração pré-determinados

54 Start me Up! Coleta de Requisitos A Forma Tradicional: Entrevista Tempo Limite: 30 Minutos Monitor = Dono do Negócio ou seja, [Ponto de Vista = Estratégico] Grupo: –Todos revezam na função do AN que conduz a entrevista –Todos devem registrar os achados Foco: Visão Geral do PROBLEMA

55

56 Entrevistas: Atenção! Entrevistado titubeou? Cada derrapada é um risco para o projeto. Se 1ª Entrevista: 2km de extensão – 2cm de profundidade. Temos todos os requisitos do usuário? Perguntando de outra forma: Temos todos os Casos de Uso? Vamos validar?

57 Pior Cenário

58 Aprendendo

59 Quente X Frio [EUP – Avaliando Canais]

60 Quente x Frio [Avaliando Técnicas]

61

62 Socialização Entrevistas Workshop / Brainstormings (aka Face-to-face at whiteboard) (aka Toró de Parpite)

63 Quente x Frio [Avaliando Técnicas]

64 Técnica: Brainstorming BABoK: –Uma excelente forma para levantar idéias em torno de uma área específica. –O brainstorming estruturado produz uma série de idéias sobre qualquer questão central. Pró: liberdade de criação. Contra: perda do foco. Indicações: –Usuário titubeante; –Fases iniciais de um projeto; –Projeto realmente exige altas doses de criatividade. Cuidado: Criatividade depende da platéia!

65 Digging in the Dirt

66 Técnica: BRAINSTORMING Tempo limite: 30 minutos 4 regrinhas: –Produza o maior número de idéias; –De maneira selvagem; –Trabalhe as idéias dos outros; e –Não julgue!

67

68 Técnica: Brainstorming BABoK: –Uma excelente forma para levantar idéias em torno de uma área específica. –O brainstorming estruturado produz uma série de idéias sobre qualquer questão central. Pró: liberdade de criação. Contra: perda do foco. Indicações: –Usuário titubeante; –Fases iniciais de um projeto; –Projeto realmente exige altas doses de criatividade. Cuidado: Criatividade depende da platéia!

69 O Passo Esquecido

70 Quem acerta na primeira? As duas mais importantes ferramentas de um arquiteto são a borracha na sala de desenhos e a marreta na construção - Frank Lloyd Wright A mais importante ferramenta do físico é sua cesta de lixo. - Albert Einstein As duas mais importantes ferramentas de um arquiteto são a borracha na sala de desenhos e a marreta na construção - Frank Lloyd Wright A mais importante ferramenta do físico é sua cesta de lixo. - Albert Einstein

71 O Espaço do Problema [Scott Berkun]

72 Melhor Cenário

73 Quente x Frio [Avaliando Técnicas]

74 Técnica: Workshop (ou JAD – Joint Application Development) BABoK: –Forma estruturada de captura de requisitos. –Utilizada para descobrir, definir e priorizar requisitos. –Indicada para fechar o escopo do projeto. –Quando bem executado, é uma das melhores técnicas para o desenvolvimento ágil de requisitos de alta qualidade. Pró: agilidade na tomada de decisões. Contra: perda do foco. Indicações: –Número de usuários entre 6 e 20. Cuidado: Pauta e duração pré-fixados.

75 I Still Haven't Found what I'm Looking for Técnica: WORKSHOP Tempo limite: 30 minutos Objetivos: –Agrupar Idéias –Desenvolver Requisitos Funcionais Caso: Alugar DVD Atenção: Atributos dos Requisitos

76

77 Onde Estamos?

78 Revendo o Principal Artefato

79 Caso de Uso #1: Alugar DVD Processo: Locação Fonte(s) / Ponto(s) de Vista: Ator principal: Cliente Objetivos: – a) Montar lote de DVD's (selecionar títulos) – b) Programar entrega dos lotes Importância: FUNDAMENTAL Pré-condição: Cliente deve estar cadastrado.

80 Caso de Uso #1: Alugar DVD Fluxo (cenário) Principal: – 1. Cliente se identifica – 2. Seleciona seção – 3. Escolhe os títulos – 4. Organiza lotes para entrega – 5. Confirma operação

81 Caso de Uso #1: Alugar DVD Fluxos (cenários) alternativos (extensões): – 2a. Cliente pede sugestões – 2b. Cliente recupera lista prévia Observações: – 2a é IMPORTANTE – 2b é FUNDAMENTAL

82 Caso de Uso #1: Alugar DVD Regras de Negócio: – Número de títulos por lote é limitado pelo plano contratado. – Se cliente estiver com 2 mensalidades em atraso, ele deve ser informado que entrega do lote é condicionada ao pagto do débito.

83 Caso de Uso #1: Alugar DVD Requisitos Complementares: – c1. Interface deve ser personalizada para o cliente [FUNDAMENTAL] – c2. Sempre apresentar lista de sugestões e lançamentos. [IMPORTANTE] – c3. Oferecer busca de títulos por nome, diretor/ator e tipo. [FUNDAMENTAL] – c4. Tela deve ser simples e rápida. (1 clique por título). [FUNDAMENTAL]

84 Revendo o Principal Artefato

85 Revendo o principal Artefato

86 Técnica: Prototipação BABoK: –Quando utilizada como técnica para coleta de requisitos, visa a elaboração dos requisitos de interface. Pró: Redução do vapor que é o software. Contra: Alto risco de criatividade demais. Indicações: –Toda interface crítica do projeto; –Clientes muito inseguros. Atenção: Requisitos devem ser formalizados! Observação: pode ser utilizada como técnica auxiliar em workshops e brainstormings.

87 Prototipação (Storyboards)

88

89 Finish what ya Started Técnica: Prototipação Tempo Limite: 30 minutos Objetivos: –Detalhar requisitos funcionais –Validar requisitos No grupo: –Monitor = Dono do negócio –1 designer –1 AN conduzindo o trabalho –Demais integrantes devem detalhar, validar e registrar os requisitos

90

91 Outras Técnicas: Internalização Observação –Ativo –Passivo Engenharia Reversa –Caixa Preta –Caixa Branca Pesquisa –Questionários –Versões de Testes (aka The Google Way)

92 Quente x Frio [Avaliando Técnicas]

93 Meet in the Middle

94 Qualidades dos Bons Requisitos Completo Correto Viável Necessário Priorizado Não Ambíguo Verificável

95 Características dos Bons Casos de Uso (e das User Stories) Independentes Negociáveis Valiosos para Usuários e Clientes Estimáveis Pequenos Testáveis

96 Definindo Prioridades Fundamental Importante Opcional Custo de implementação Prazo para implementação Facilidade da implementação técnica Facilidade da implementação no negócio Atendimento de algum requerimento legal, regulatório ou contratual

97 Definindo Prioridades PrioridadeDificuldade Técnica Grau de Importância Caso de UsoAtor Simples Médio Complexo Muito Complexo Um pesadelo!

98 Definindo Prioridades

99 Dificuldade Técnica Avaliação da Equipe Pontos por Caso de Uso

100 Pontos por Caso de Uso (Contagem de Atores) 3Pessoas invocando o caso de uso através de uma interface gráfica. Complexo 2Pessoas utilizando uma interface texto ou um outro sistema se comunicando através de algum protocolo. Médio 1Outro sistema se comunicando através de uma API (Application Programming Interface). Simples PontosDescriçãoAvaliação

101 Pontos por Caso de Uso (Contagem de Casos de Uso) 15Mais de 8 cenários.Complexo 10Entre 4 e 8 cenários.Médio 5Menos de 4 cenários ou caminhos de execução. Simples PontosDescriçãoAvaliação

102 Pontos por Caso de Uso Contagem por Pontos de Caso de Uso (UUCP) não ajustados (# Atores X Pontos) + (# Casos X Pontos) U U C P

103 Pontos por Caso de Uso Fator de Ajuste 20% - Tecnologia OU Equipe nova 40% - Tecnologia E Equipe novas 100% - Tecnologia E Equipes novas E o Cliente é um mala

104 Pontos por Caso de Uso Calculando o Esforço X (total de pontos obtido no cálculo anterior) Multiplicamos X por 20 horas! ou 24 ou 36 ou 48 ou 16...

105 Murder by Numbers Analisar e Priorizar Requisitos Tempo Limite: 20 minutos Objetivos: –Analisar Requisitos –Estimar e Priorizar Requisitos –Fechar 1ª versão do escopo

106

107 Cabe tudo num Caso de Uso?

108 Casos de Uso e Documentos Complementares

109 O Grande Documento [Cockburn / Robertson] Capítulo 1: Objetivos e Escopo –Objetivos do Projeto –Stakeholders –Escopo / fora do escopo Capítulo 2: Glossário Capítulo 3: Os Casos de Uso –Atores e respectivos objetivos –Casos de Uso de Negócio –Casos de Uso de Sistema

110 O Grande Documento [Cockburn / Robertson] Capítulo 4: Tecnologia –A Tecnologia que será utilizada –Integração com outros sistemas Capítulo 5: Outros Requisitos –Processo de Desenvolvimento –Regras de Negócio –Performance –Operações, Segurança e Documentação –Uso e Usabilidade –Manutenção e Portabilidade –Não resolvidos ou negados Capítulo 6: Questões Legais, Políticas e Organizacionais

111 Viabilizando o Projeto

112 Definindo o Escopo

113 O Documento de Visão [Berkun: Insanamente Simples]

114

115

116 O Documento de Visão Berkun: Insanamente Simples

117 O Documento de Visão Características Básicas Simples Guiado pelos Objetivos Consolidado Inspirador Memorável

118 Estrutura Básica Problemas / Oportunidades –Descrição resumida Destacar processos de negócio –Apresentação dos stakeholders Solução(ões) –Breve descrição Relacionar com problemas –Estimativas Iniciais –Suposições e Dependências –Idéias para Versões Futuras

119 Zabriskie Point Desenvolver o Documento de Visão Tempo limite: 15 minutos! Dá um tempo! Uma página só! Agora é competição: –Simples –Guiado pelos Objetivos –Consolidado –Inspirador –Memorável

120

121 ops... it's what the business needs!

122 O Livro: É o Negócio, Beócio Garantia de Atualização Versão Eletrônica (até versão 1.0) Previsão de Lançamento: Março/2008 Sua participação é fundamental! –http://groups.google.com/group/an-br –http://www.pfvasconcellos.eti.br

123 Bibliografia Recomendada Software Requirements Karl Wiegers – MS Press (1999) More About Software Requirements Karl Wiegers – MS Press (2006) Requirements-Led Project Management Suzanne e James Robertson – Addison-Wesley (2005) Writing Effective Use Cases Alistair Cockburn – Addison-Wesley (2000) Requirements Engineering Ian Sommerville e Pete Sawyer – Wiley (1997) Agility and Discipline Made Easy: Practices from OpenUP and RUP Per Kroll e Bruce MacIsaac – Addison-Wesley (2006) The Art of Project Management Scott Berkun – OReilly (2005)

124 Na Web IIBA – International Institute of Business Analysis BPM Forum UML-BR Business Analysis Insight

125 Créditos & Débitos Tks! –Tempos Real Eventos –BPM Forum / UML-BR / CMM-BR Apresentação liberada sob licença Creative Commons (by+sa) 2.5 Brasil

126 O QUE PRECISA SER FEITO? Skype:pfvasconcellos


Carregar ppt "Paulo F. Vasconcellos"

Apresentações semelhantes


Anúncios Google