A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

SESSÃO TEMÁTICA 6 GESTÃO DO PATRIMÔNIO CULTURAL MILITAR COMITÊ GESTOR RIO PATRIMÔNIO MUNDIAL TC COSTA ABRIL - 2014.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "SESSÃO TEMÁTICA 6 GESTÃO DO PATRIMÔNIO CULTURAL MILITAR COMITÊ GESTOR RIO PATRIMÔNIO MUNDIAL TC COSTA ABRIL - 2014."— Transcrição da apresentação:

1 SESSÃO TEMÁTICA 6 GESTÃO DO PATRIMÔNIO CULTURAL MILITAR COMITÊ GESTOR RIO PATRIMÔNIO MUNDIAL TC COSTA ABRIL

2 OBJETIVO APRESENTAR AO PÚBLICO INTERNO, COMO O EXÉRCITO ESTÁ INSERIDO NA ESTRUTURA DO COMITÊ GESTOR RIO PATRIMÔNIO MUNDIAL

3 SUMÁRIO INTRODUÇÃO DESENVOLVIMENTO - A Seção de Patrimônio e Projetos Culturais - O Comitê Rio CONCLUSÃO

4 A SPPC na DPHCEx Direção Seç Inteligência CEPHiMEx Seç Planejamento e Coordenação SSeç Planejamento e Coordenação do SCEx SSeç Planejamento Orçamentário Seção de Patrimônio e Projetos Culturais SSeç Patrimônio Cultural SSeç Projetos Culturais Seç Divulgação e Com Social SSeç Divulgação Cultural SSeç Com Soc Seç Apoio Admin Seç RH

5 Seção de Patrimônio e Projetos Culturais A SPPC é a Seção Técnica da DPHCEx composta por uma equipe multidisciplinar, nas áreas da História Militar, da Museologia e da Arquitetura, tendo por missão assessorar o Diretor nos assuntos relativos: ao Patrimônio Material e aos Projetos Culturais de interesse do Exército; aos convênios, protocolos de intenções e instrumentos similares de interesse da área cultural do Exército; à criação e extinção de espaços culturais no âmbito do Exército; às ligações com os órgãos do Sistema Cultural do Exército e outros da área cultural nacionais e internacionais; às visitas técnicas aos espaços culturais e à elaboração e implantação dos projetos culturais de interesse do Exército (2013 – 10 dez Visitas de Orientação Técnicas);

6 Seção de Patrimônio e Projetos Culturais Principais Procedimentos Operacionais Padrão (POP): apoio técnico às OM possuidoras de Espaços Culturais; controle técnico sobre os espaços culturais do SCEx; análise de propostas de criação e extinção de espaços culturais; apoio técnico e/ou normativo aos integrantes do SCEx referente à elaboração de projetos culturais; gerenciamento de projetos culturais de interesse do EB a serem inseridos no Programa MECENAS; assessoramento na Legislação Cultural (Esp Cult, Proj Cult, MEM de Valor Histórico) análise de trabalhos de natureza cultural realizados por militares da ativa.

7 Seção de Patrimônio e Projetos Culturais Principais ações, programas e projetos em andamento: 04 Projetos Culturais de interesse do Exército com Portaria Cultural do Chefe do DECEx (Fortaleza Itaipu/SP, Forte Monte Serrat/BA, Museu Militar CMS/RS e Espaço Cultural Mello e Cáceres/MS); 04 Projetos inseridos no Instituto Rio Patrimônio da Humanidade/IPHAN: Forte da Lage, Forte São Luiz/Pico, Forte Duque de Caxias e Fortaleza de Santa Cruz; 147 Espaços Culturais cadastrados na DPHCEx; confecção de 05 (cinco) folders culturais; atualização da legislação cultural (antigas IG e IR 20-18); criação de legislação de apoio à ANVFEB;

8 Seção de Patrimônio e Projetos Culturais Juntamente com as demais seções,realizar o encontro anual dos representantes do SCEx (2014 / VI Encontro / Rio de Janeiro, RJ); participação e apoio no Projeto da COPPE/UFRJ: “Circuitos Turísticos em Fortes e Fortalezas da Baía de Guanabara” ; representação no encontro anual de história das Operações Bélicas da Guerra da Tríplice Aliança (2014 / Assunção, Paraguai); representação do Exército no Comitê Gestor do Sítio Rio de Janeiro – Paisagens Cariocas entre a Montanha e o Mar – Rio de Janeiro: “Patrimônio Mundial na Categoria Paisagem Cultural”.

9 RIO PATRIMÔNIO MUNDIAL DA HUMANIDADE

10 CRONOLOGIA Setembro de 2009 – entrega à UNESCO do dossiê da candidatura. Janeiro de o Centro do Patrimônio Mundial da UNESCO decide pela inclusão da candidatura do Rio. Ainda em o Ministério da Cultura, através do INSTITUTO DO PATRIMÔNIO HISTÓRICO E ARTÍSTICO NACIONAL, pela PORTARIA Nº 464, DE 29 DE DEZEMBRO DE 2011, instituiu o Comitê Gestor do sítio delimitado como Patrimônio Mundial: Rio de Janeiro - Paisagens Cariocas entre a Montanha e o Mar.

11 CRONOLOGIA Julho de Reconhecido pela UNESCO em sua 36ª seção do Conselho do Patrimônio Mundial em São Petersburgo, Rússia, sendo incluído na lista de Patrimônio Mundial como Paisagem Cultural Criação de um Plano de Gestão do Sítio – Rio de Janeiro: paisagens cariocas entre a montanha e o mar, para ser apresentado e avaliado pelo Conselho do Patrimônio Mundial.

12 COMPONENTES DO SÍTIO 1.PARQUE NACIONAL DA TIJUCA – Floresta da Tijuca, Pretos Forros e Covanca. 2.PARQUE NACIONAL DA TIJUCA – Pedra Bonita e Pedra da Gávea. 3.Parque Nacional da Tijuca e Jardim Botânico. 4.Entrada da Baía de Guanabara, bordas d’água desenhadas, Parque do Flamengo, Fortes Históricos do Rio de Janeiro e Niterói e monumentos naturais do Pão de Açúcar e orla de Copacabana.

13 MAPA DO SÍTIO Fonte: Dossiê Rio Patrimônio Mundial

14 PLANOS DE MANEJO Os planos de manejo dos componentes do Sítio Rio Patrimônio Mundial, de fundamental importância para sua gestão, já estão elaborados e em pleno funcionamento ou estão em fase de preparação. Neste contexto, o Exército se insere com o plano de revitalização e uso turístico-cultural das fortificações históricas na entrada da Baía de Guanabara.

15 O EXÉRCITO DENTRO DO CONTEXTO DO SÍTIO Forte de Copacabana. Fortaleza de Santa Cruz. Forte Duque de Caxias (Leme). Fortaleza da Lage. Monumento Nacional aos Mortos da II GM.

16 O EXÉRCITO DENTRO DO CONTEXTO DO SÍTIO Plano de revitalização e uso turístico-cultural das fortificações históricas na entrada da Baía de Guanabara - Preparado pelo EB/DPHCEx – supervisão do IPHAN. - Quatro programas: - Programa de preservação patrimonial - Programa histórico cultural - Programa de uso turístico e social - Programa de educação ambiental

17 O EXÉRCITO DENTRO DO CONTEXTO DO SÍTIO DEMANDAS Restauração do patrimônio histórico – projetos de restauração. Adequação dos espaços às necessidades de acessibilidade. Capacitação de pessoal. Criação do Circuito Turístico-Cultural dos Fortes.

18 O EXÉRCITO DENTRO DO CONTEXTO DO SÍTIO A nomeação do Rio de Janeiro como Paisagem Cultural dependeu em grande parte das fortificações, de suas relações com a cidade e das propostas de gestão do patrimônio encaminhadas pelo Exército por meio de sua Diretoria de Patrimônio Histórico e Cultural. Não restam dúvidas de que as fortificações foram pontos de ancoragem nessa eleição, principalmente as de Niterói, com destaque para a Fortaleza de Santa Cruz da Barra, que preserva as características da arquitetura militar luso-brasileira e os fortes do Rio Branco – Pico e São Luiz – que preservam trechos de Mata Atlântica e animais nativos, como preguiças e sagüis. Fonte: Roteiro dos Fortes – COPPE - UERJ

19 “As verdadeiras conquistas, as únicas de que nunca nos arrependemos, são aquelas que fazemos contra a ignorância.”As verdadeiras conquistas, as únicas de que nunca nos arrependemos, são aquelas que fazemos contra a ignorância. Napoleão Bonaparte


Carregar ppt "SESSÃO TEMÁTICA 6 GESTÃO DO PATRIMÔNIO CULTURAL MILITAR COMITÊ GESTOR RIO PATRIMÔNIO MUNDIAL TC COSTA ABRIL - 2014."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google