A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Nome do Grupo: Bruno Segala –04 Isabelly Rocha – 13 Marina Vizinhani – 26 Mateus Hipólito – 18 Theo Luthieri – 25 Matheus Santos – 19 7ªA.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Nome do Grupo: Bruno Segala –04 Isabelly Rocha – 13 Marina Vizinhani – 26 Mateus Hipólito – 18 Theo Luthieri – 25 Matheus Santos – 19 7ªA."— Transcrição da apresentação:

1 Nome do Grupo: Bruno Segala –04 Isabelly Rocha – 13 Marina Vizinhani – 26 Mateus Hipólito – 18 Theo Luthieri – 25 Matheus Santos – 19 7ªA

2 Iremos falar neste trabalho sobre a região Nordeste.Falaremos sobre as principais características desta região e mais um pouco. Esperamos que todos vocês gostem desta aula.

3 Indice O nordeste Economia da região nordeste A hidrografia A vegetação Mapa da região nordeste O relevo As sub-regiões do Nordeste Religiosidade Vídeos de práticas religiosas A seca no Nordeste e suas consequências

4 O Nordeste A Região Nordeste do território brasileiro é composta por nove estados: Alagoas, Bahia, Ceará, Maranhão, Paraíba, Pernambuco, Piauí, Rio Grande do Norte e Sergipe. Sua extensão territorial é de ,0 quilômetros quadrados, sendo o terceiro maior complexo regional do Brasil, ocupando 18,2% da área do país. O território nordestino limita-se com as regiões Norte, Centro-Oeste, Sudoeste, além de ser banhado pelo oceano Atlântico.

5 A cana-de-açúcar é o principal produto agrícola da região, produzido principalmente por Alagoas, Pernambuco e Paraíba. Também é importante destacar os plantios de soja (Bahia, Maranhão e Piauí), algodão (Bahia, Ceará, Paraíb a e Rio Grande do Norte), tabaco (Alagoas e Bahia) e caju (Piauí, Paraíba e Ceará), além de uvas finas, manga, melão, acerola e outros frutos para consumo interno e exportação (Pernambuco, Bahia e Rio Grande do Norte). Destacam-se ainda os plantios de Cacau em Ilhéus e Itabuna e de feijão em Irecê, no estado da Bahia.

6 Suas cidades mais importantes dispõem de adequada estrutura aeroportuária, sendo os aeroportos de Recife, Salvador e Fortaleza os maiores. Os principais aeroportos do Nordeste recebem milhões de turistas anualmente e mantêm vôos regulares para as principais cidades da Europa e Estados Unidos, sendo que o de Salvador - Deputado Luís Eduardo Magalhães - é o mais movimentado aeroporto de todo Norte, Nordeste e Sul brasileiro e o quinto do país, embora o Aeroporto Internacional dos Guararapes - Gilberto Freyre, no Recife, seja maior em capacidade e área construída.

7 A seca do Nordeste Industria

8 Hidrografia

9 As bacias hidrográficas do Nordeste são: Bacia do São Francisco : é a principal da região, formada pelos rios São Francisco e seus afluentes. São praticadas atividades de pesca, navegação e produção de energia elétrica pelas hidrelétricas de Três Marias, Sobradinho, Paulo Afonso e Xingó, delimita as divisas naturais de Bahia com Pernambuco e também de Sergipe e Alagoas, que é onde está localizada sua foz. é a segunda mais importante, ocupando uma área de cerca de km² (3,9% do território nacional) e drena quase todo o estado do Piauí, parte do Maranhão e Ceará. O rio Parnaíba é um dos poucos no mundo a possuir um delta em mar aberto, com uma área de manguezal de, aproximadamente, km².

10 Bacia do Atlântico Nordeste Oriental: ocupa uma área de km², que abrange os estados do Ceará, Paraíba, Rio Grande do Norte, Pernambuco e Alagoas. Os rios principais são o Jaguaribe, Piranhas-Açú, Capibaribe, Acaraú, Curimataú, Mundaú, Paraíba, Itapecuru, Mearim e Una, (esses três últimos no estado do Maranhão). é a segunda mais importante, ocupando uma área de cerca de km² (3,9% do território nacional) e drena quase todo o estado do Piauí, parte do Maranhão e Ceará. O rio Parnaíba é um dos poucos no mundo a possuir um delta em mar aberto, com uma área de manguezal de, aproximadamente, km². Bacia do Atlântico Nordeste Oriental : ocupa uma área de km², que abrange os estados do Ceará, Paraíba, Rio Grande do Norte, Pernambuco e Alagoas. Os rios principais são o Jaguaribe, Piranhas-Açú, Capibaribe, Acaraú, Curimataú, Mundaú, Paraíba, Itapecuru, Mearim e Una, (esses três últimos no estado do Maranhão).

11

12 A vegetação nordestina é bastante pobre e diversificada, vai desde a Mata Atlântica no litoral à Mata dos Cocais no Meio-Norte, ecossistemas como os manguezais, a caatinga, o cerrado, as restingas, dentre outros, possuem fauna e flora exuberantes, diversas espécies endêmicas, uma boa parte da vida no planeta e animais ameaçados de extinção. Mata Atlântica : Também chamada de Floresta tropical úmida de encosta, a mata atlântica estendia-se originalmente do Rio Grande do Norte até o Rio Grande do Sul, em consequência dos desmatamentos -- que no Nordeste ocorreram em função, principalmente, da indústria açúcareira -- hoje só resta cerca de 5% da vegetação original, dispersas em "ilhas". Foi na mata atlântica nordestina que começou o processo de extração do pau-brasil. Mata dos Cocais : Formação vegetal de transição entre os climas semi- árido, equatorial e tropical. As espécies principais são o babaçu e acarnaúba, os estados abrangidos por esse tipo de vegetação são o Maranhão, o Piauí parte do Ceará e o Tocantins na Região Norte. Representa menos de 3% da área do Brasil.

13 Cerrado : Ocupa 25% do território brasileiro, mas no Nordeste só abrange o sul do estado do Maranhão e o oeste da Bahia. Apresenta árvores de baixo porte, com galhos retorcidos, no chão é coberto por gramíneas, uma espécie de grama e apresenta um solo de alta acidez. Caatinga : Vegetação típica do sertão, suas principais espécies são o pereiro, a aroeira, o aveloz e as cactáceas. É uma formação de vegetais xerófitos (vegetais de regiões secas), mas é muito rica ecologicamente. Vegetação Litorânea e Matas Ciliares : Por último, mas não menos importante. Na categoria de vegetação litorânea podemos incluir os mangues, que é um riquíssimo ecossistema, local de moradia e reprodução dos caranguejos e importante para a preservação de rios, lagoas; também podemos incluir as restingas e as dunas que são cenários bem conhecidos do Nordeste; Já as matas ciliares ou matas-galerias são comuns em regiões de cerrados, mas também podem ser vistas na Zona da Mata, são pequenas florestas que acompanham as margens dos rios, onde existe maior concentração de materiais orgânicos no solo, funcionam como uma proteção para os rios e mares.

14 Mapa De Clima Da Região Nordeste

15 O clima é quente na maior parte do ano, atingindo facilmente mais de 30ºC no verão. O clima semiárido domina todo o sertão nordestino, caracterizado pelas poucas chuvas e baixa umidade. O clima tropical também é muito difundido, encontrado na região litorânea da região com chuvas bem definidas. O clima equatorial úmido é encontrado esparsamente em algumas partes do Maranhão, lugar onde costuma ter alta pluviosidade.

16 O Relevo Uma das características do relevo nordestino é a existência de dois antigos e extensos planaltos, o Borborema e a bacia do rio Parnaíba e de algumas áreas altas e planas que formam as chamadas chapadas, como a Diamantina, onde se localiza o ponto mais elevado da região, o Pico do Barbado com metros de altitude, na Bahia, e a do Araripe, nas divisas entre os Estados do Ceará, Piauí, Pernambuco e a Paraíba. Entre essas regiões ficam algumas depressões, nas quais está localizado o sertão, região de clima semi-árido. Segundo o professor Jurandyr Ross, que com sua equipe compilou informações do Projeto Radam (Radar da Amazônia) e mostrou uma divisão do relevo brasileiro mais rica e subdivida em 28 unidades, no Nordeste ficam localizados os já citados planalto da Borborema e planaltos e chapadas da bacia do rio Parnaíba, a depressão Sertaneja-São Francisco e parte dos planaltos e serras do leste-sudeste, além das planícies e tabuleiros litorâneos.

17 A região nordeste é ainda subdividida em quatro regiões de acordo com características climáticas e de urbanização: Zona da Mata : é a região mais populosa e urbanizada. Compreende a faixa litorânea (mais ou menos 200 km de largura) que vai do Estado do Rio Grande do Norte à Bahia (litoral leste da região nordeste) e é caracterizada pelo clima tropical úmido, grande aporte de turistas, presença de mata atlântica (que assim como na região sudeste, já foi bastante devastada para cultivo de culturas como a cana-de-açúcar), pluviosidade bastante regular, principalmente na região sul da Bahia, e solo bastante fértil. Agreste : é a região de transição entre a Zona da Mata, bastante úmida, e o Semi-árido, região bastante seca, acompanhando a faixa da Zona da Mata do Rio Grande do Norte ao sul da Bahia. No agreste, predominam os minifúndios dedicados a produção de subsistência e a pecuária leiteira, sendo o excedente comercializado na região da Zona da Mata. As sub-regiões do Nordeste

18 Sertão : região de clima semi-árido que compreende o centro da região nordeste em uma extensão que vai desde o litoral do Ceará e Rio Grande do Norte (neste último, até próximo a cidade de Natal), até a região sudoeste da Bahia. As chuvas são escassas e, por isso a pecuária e agricultura são atividades bastante difíceis na região. O único rio perene do sertão é o São Francisco do qual é desviada água para irrigação em alguns locais e que também é fonte de energia através de hidrelétricas como a de Sobradinho (BA). A vegetação típica dessa sub-região é a caatinga. a região do meio-norte já apresenta uma pluviosidade maior conforme se afasta para oeste, em direção aos Estados do Norte e compreende o Estado do Maranhão e grande parte do Piauí. Nesta região é comum a presença das “matas de cocais” que fornecem bastante insumo para a atividade de extrativismo vegetal. Outras atividades praticadas nesta região são a criação de gado, o cultivo de algodão e arroz.

19 Turismo na região Nordeste O imenso litoral da região Nordeste do Brasil é o principal fator que contribui no turismo local. Com praias belíssimas, muitas intocadas, que são comparadas apenas as do Caribe, e colocam o Nordeste entre as grandes rotas de turismo mundial. Milhões de turistas desembarcam nos modernos aeroportos nordestinos todos os anos. Há alguns anos os estados vêm investindo intensamente na melhoria da infraestrutura, criação de novos pólos turísticos, e alguns no desenvolvimento do ecoturismo. Segundo a pesquisa "Hábitos de Consumo do Turismo Brasileiro 2009", realizada pelo Vox Populi em novembro de 2009, a Bahia é o destino turístico preferido dos brasileiros, já que 21,4% dos turistas optaram pelo estado. Pernambuco, com 11,9%, e São Paulo, com 10,9%, estão, respectivamente, em segundo e terceiro lugares nas categorias pesquisadas.

20 Principais atrativos Fernando de Noronha, Pernambuco, um dos maiores pólos turísticos do país. A Praia de Canoa Quebrada, no Ceará, é um dos destinos mais procurados pelos turistas.

21 Os açudes são muros de pedra que servem para reter, elevar e desviar a água dos rios e para a conduzir, através da levada ao moinho. Por isso o açude está sempre a um nível mais elevado que o moinho, para que a água ganhe a energia necessária para movimentar o rodízio. Além do açude, os antigos moleiros alteraram o curso do rio e fixaram-no, construindo muros de suporte ao longo das suas margens. Açudes

22 Em toda a região nordeste, o sentimento de religiosidade é muito presente, a fé é uma característica do povo nordestino. Na 1ª semana de agosto as pessoas ocupam a cidade de Pirapora às margens do Rio São Francisco para a festa do Bom Jesus da Lapa. As comemorações acontecem em uma gruta, que é uma igreja natural, onde está o túmulo de Francisco Mendonça. Mas, que foi o fundador, a quem o povo atribui milagres. Há crença popular no Padre Cícero Romão Batista, o “Padim Cíço”, para o povo ele é santo e sua estátua está em Juazeiro do Norte é uma das maiores do Brasil. paubrasilrevista.blogspot.com.br/2009/11/religiosi dade-do-nordeste-em-toda.html Religiosidade rchive.html

23 O candomblé, religião de raízes africanas, é bastante difundido, principalmente na Bahia. Há detalhes importantes nos rituais de candomblé, os “santos” ou orixás são reverenciados um por um nos terreiros, cada qual tem um toque especial de atabaque, um ritmo, roupas próprias, coreografia, saudações próprias e até comidas especiais. Segundo a crença popular, cada pessoa tem um orixá que rege sua cabeça, que deve ser reverenciado nos rituais e alguns até recebem- nos em seu corpo. A lavagem do Senhor do Bom-fim é um ritual famoso em Salvador, onde as pessoas se reúnem para fazer a lavagem das escadarias da igreja do Bom-fim.

24 O Candomblé Série Ritos Sagrados

25 A seca não atinge toda região nordeste. Ela se concentra numa área conhecida como Polígono das Secas. Esta área envolve parte de oito estados nordestinos (Alagoas, Bahia, Ceará, Paraíba, Pernambuco, Piauí, Rio Grande do Norte e Sergipe) e parte do norte de Minas Gerais. A seca, além de ser um problema climático, é uma situação que gera dificuldades sociais para as pessoas que habitam a região.

26 Com a falta de água, torna-se difícil o desenvolvimento da agricultura e a criação de animais. Desta forma, a seca provoca a falta de recursos econômicos, gerando fome e miséria no sertão nordestino. Muitas vezes, as pessoas precisam andar durante horas, sob Sol e calor forte, para pegar água, possivelmente suja e contaminada. Com uma alimentação precária e consumo de água de péssima qualidade, os habitantes do sertão nordestino acabam vítimas de muitas doenças

27

28 A ocupação do território A região Nordeste foi ocupada e explorada economicamente desde a chegada dos primeiros colonizadores europeus. Do século XV até a segunda metade do século XVII, região foi o principal centro econômico da colônia portuguesa na América. O cultivo da cana-de-açúcar desempenhou importante papel no desenvolvimento regional. A economia açucareira influenciou a formação e a organização do espaço territorial do Nordeste. Com a descoberta de ouro e diamantes em Minas Gerais, Goiás e Mato Grosso, a região Nordeste começou a entrar em decadência econômica. E o desenvolvimento as indústrias na Região Sudeste, no século XX, fez a crise da economia nordestina se agravar ainda mais.

29 A longa crise na economia foi um dos motivos que levaram milhares de nordestinos a migrarem para outras regiões em busca de melhores condições de vida, especialmente a partir dos anos Desde os anos 1990, muitas empresas do Sul e do Sudeste instalaram –se no Nordeste. Essas empresas foram atraídas, principalmente, pelo menor custo da mão de obra e por vantagens oferecidas pelos governos de alguns estados e municípios nordestinos, como a redução e até a isenção de impostos. A irrigação tem favorecido o desenvolvimento e o crescimento da produção agrícola em áreas antes consideradas inadequadas para as plantações devido á escassez de água. Destaca-se a produção de cebola, tomate, soja e frutas (melão,manga,maracujá, uva). Apesar de ainda apresentar problemas, como a concentração de terras e de renda, elevado desemprego e carência de serviços públicos como água encanada, coleta de esgoto, atendimento médico e educação de qualidade, o crescimento econômico tem atraído mão de obra de todos os lugares. Muitos nordestinos que deixaram a região durante a crise econômica, por exemplo, estão voltando para casa.

30 Danças Frevo Essa dança pode ser encontrada em muitos estados do nordeste; porém, é mais significante em Pernambuco. O frevo surgiu da união de vários estilos brasileiros como a quadrilha, o maxixe e o galope. Ele pode ser executado por qualquer pessoa de idades distintas. As coreografias são variadas e exigem que o dançarino execute passinhos, rodopios, malabarismos e gingados. As mais executadas são: tesoura, dobradiça, pernada, carrossel, parafuso, dentre outras. O frevo é considerado Patrimônio Nacional Imaterial.

31 Comidas Típicas A culinária nordestina é uma culinária forte, influenciada pelas condições geográficas e econômicas, e também pelas comidas africanas. São pratos com muitos vegetais, carne bovina e caprina, peixes e frutos do mar. Pratos típicos do Nordeste: Tapioca; Acarajé; Vatapá; Carne-de-sol; Cuscuz de milho; Sagu ingredientes Creme 1 xícara (chá) de sagu 1 lata de leite condensado 1 vidro de leite de coco Frutas 2 kiwis picados 1 manga pequena picada 2 goiabas vermelhas picadas 1 maçã Morangos

32 Bibliografia eta.C3.A7.C3.A3o l/Vegeta%C3%A7%C3%A3o paubrasilrevista.blogspot.com.br/2009/11/religiosidade-do- nordeste-em-toda.html paubrasilrevista.blogspot.com.br/2009/11/religiosidade-do- nordeste-em-toda.html devastator-drought-northeast-brazil-alarming/ nordeste/ Livro Jornadas.geo Autor:Marcelo Moraes Paula e Angela Rama Livro Homem & espaço Autor:Elian Alabi Lucci e Anselmo Lazaro


Carregar ppt "Nome do Grupo: Bruno Segala –04 Isabelly Rocha – 13 Marina Vizinhani – 26 Mateus Hipólito – 18 Theo Luthieri – 25 Matheus Santos – 19 7ªA."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google