A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

DEFINIÇÃO: Figuras de linguagem são certos recursos não- convencionais que o falante ou escritor cria para dar maior expressividade à sua mensagem. Segundo.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "DEFINIÇÃO: Figuras de linguagem são certos recursos não- convencionais que o falante ou escritor cria para dar maior expressividade à sua mensagem. Segundo."— Transcrição da apresentação:

1 DEFINIÇÃO: Figuras de linguagem são certos recursos não- convencionais que o falante ou escritor cria para dar maior expressividade à sua mensagem. Segundo Mauro Ferreira, a importância em reconhecer figuras de linguagem está no fato de que tal conhecimento, além de auxiliar a compreender melhor os textos literários, deixa-nos mais sensíveis à beleza da linguagem e ao significado simbólico das palavras e dos textos.

2 1. METÁFORA: COMPARAÇÃO IMPLÍCITA; CONSISTE NO EMPREGO DE UMA PALAVRA FORA DE SEU SENTIDO NORMAL (REAL), EM RAZÃO DE UMA SEMELHANÇA. A noite é um pulmão ofegante. Amor é fogo que arde sem se ver. Oh, minha amada Que os olhos teus São cais noturnos Cheios de adeus São docas mansas Trilhando luzes Que brilham longe Longe nos breus Vocabulário: Doca: Construção em porto marítimo que serve para o abrigo, conserto, carregamento e descarregamento dos navios.

3 A ROSA DE HIROSHIMA Pensem nas crianças Mudas telepáticas Pensem nas meninas Cegas inexatas Pensem nas mulheres Rotas alteradas Pensem nas feridas Como rosas cálidas Mas oh não se esqueçam Da rosa da rosa Da rosa de Hiroshima A rosa hereditária A rosa radioativa Estúpida e inválida A rosa com cirrose A antirrosa atômica Sem cor sem perfume Sem rosa sem nada (Vinícius de Moraes)

4 2. CATACRESE: EXPRESSÃO METAFÓRICA COM CARÁTER COLOQUIAL. Acordei com o pé esquerdo Calcei meu pé de pato Chutei o pé da cama Botei o pé na estrada Dei um pé de vento Caiu um pé d'água Enfiei o pé na lama Perdi o pé de apoio Agarrei num pé de planta Despenquei com pé descaço Tomei pé da situação Tava tudo em pé de guerra Tudo em pé de guerra Outros exemplos: manga da camisa, dente de alho, asa da xícara.

5 COMPARAÇÃO OU SÍMILE : ELEMENTOS DE UNIVERSOS DIFERENTES SÃO APROXIMADOS POR UM CONECTOR COMPARATIVO. Amar é como mudar a alma de casa. A esperança é tal qual um urubu pintado de verde. A mentira é semelhante a uma verdade que se esqueceu de acontecer.

6 4. METONÍMIA: UMA PALAVRA É EMPREGADA NO LUGAR DE OUTRA. TRATA- SE, PORTANTO, DE UMA SUBSTITUIÇÃO EM QUE HÁ PROXIMIDADE DE SENTIDOS. MANIFESTA-SE DE VÁRIAS FORMAS: Parte pelo todo: ele tem duzentas cabeças de gado. Autor pela obra: Leio Vinícius de Moraes. Continente pelo conteúdo: Ele tomou oito taças de vinho. Marca pelo produto: omo (sabão em pó); maisena (amido de milho); chicletes (goma de mascar); cotonete (haste de algodão), etc.

7 5. SINÉDOQUE : É UM TIPO PARTICULAR DE METONÍMIA, EM QUE HÁ SUBSTITUIÇÃO DO TODO PELA PARTE. Ao cair da tarde, o bronze soa triste. ( o sino ) A mão que toca o violão se for preciso vai à guerra. (Marcos e Paulo Sérgio Vale) ( o próprio indivíduo ) Derrubaram todas as árvores. Não sobrou uma folha sequer. ( as árvores ) As velas do Mucuripe saíram para pescar. ( barcos )

8 6. ANTONOMÁSIA : IDENTIFICAÇÃO DE UMA PESSOA OU ANIMAL, NÃO POR SEU NOME MAS POR UM ATRIBUTO QUE DISTINGUE DOS DEMAIS. Castro Alves: Poeta dos Escravos Gregório de Matos: Boca do Inferno Leão: Rei da selva Pelé: Rei do futebol Vinícius de Moraes: Poetinha

9 SINESTESIA: AGRUPAMENTO DE SENSAÇÕES ORIGINÁRIAS DE DIFERENTES ÓRGÃOS DOS SENTIDO (OLFATO, VISÃO, AUDIÇÃO, GUSTAÇÃO E TATO). "Vozes veladas, veludosas vozes, Volúpia dos vilões, vozes veladas, Vagam nos velhos vórtices velozes Dos ventos, vivas, vãs, vulcanizadas" (Cruz e Sousa)

10 MENEZES, Philadelpho. Poesia concreta e visual.São Paulo: Ática, R ESPONDA : 1. A palavra Chiclets é marca de uma goma de mascar. Com o tempo, chiclets passou a designar qualquer goma de mascar, processo que ocorreu também com a marca Bom Bril. Esse recurso de alteração de sentido denomina-se: a) metáfora; b) metonímia; c) antítese; d) eufemismo; e) ironia.

11 A ROSA DE HIROSHIMA Pensem nas crianças Mudas telepáticas Pensem nas meninas Cegas inexatas Pensem nas mulheres Rotas alteradas Pensem nas feridas Como rosas cálidas Mas oh não se esqueçam Da rosa da rosa Da rosa de Hiroshima A rosa hereditária A rosa radioativa Estúpida e inválida A rosa com cirrose A antirrosa atômica Sem cor sem perfume Sem rosa sem nada (Vinícius de Moraes)

12 2. O poeta refere-se à bomba atômica jogada pelos EUA sobre Hiroshima como a rosa. Esse termo substitui o original porque há entre eles uma relação de semelhança, resultante da subjetividade de quem o criou. Quando esse processo ocorre, tem-se uma metáfora. Essa figura encontra-se também no seguinte trecho de Vinícius de Moraes: a) As muito feias que me perdoem Mas beleza é fundamental. É preciso Que haja qualquer coisa de flor em tudo isso. b) Amo-te como um bicho, simplesmente, De um amor sem mistério e sem virtude Com um desejo maciço e permanente.

13 c) Me acordam numa carícia... O que foi que aconteceu? Rodrigo telefonou: MÁRIO DE ANDRADE MORREU. d) Era uma casa Muito engraçada Não tinha teto Não tinha nada Ninguém podia Entrar nela não Porque na casa Não tinha chão e) De repente, não mais que de repente Fez-se de triste o que se fez amante

14 Poética De manhã escureço De dia tardo De tarde anoiteço De noite ardo A oeste a morte Contra quem vivo Do sul cativo O este é meu norte. [...] (Vinícius de Moraes) 4. Nesse poema, observa-se uma figura de linguagem que é uma das marcas representativas da estética barroca. Qual o nome dessa figura? a) sinestesia b) metáfora c) metonímia d) prosopopeia e) antítese.

15 3. Q UAL A FIGURA DE LINGUAGEM ?

16

17

18

19

20

21


Carregar ppt "DEFINIÇÃO: Figuras de linguagem são certos recursos não- convencionais que o falante ou escritor cria para dar maior expressividade à sua mensagem. Segundo."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google