A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Reuso de Água na Fundação RIOZOO Secretaria de Meio Ambiente Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro Março 2008.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Reuso de Água na Fundação RIOZOO Secretaria de Meio Ambiente Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro Março 2008."— Transcrição da apresentação:

1 Reuso de Água na Fundação RIOZOO Secretaria de Meio Ambiente Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro Março 2008

2 Reuso - Objetivo Permitir a utilização do esgoto tratado proveniente de uma ETE. A “água para reuso” pode ser consumida nas seguintes atividades:  Irrigação de parques e jardins;  Descarga de vaso sanitário;  Lavagem de pisos;  Lavagem de veículos;  Resfriamento de equipamentos.

3 Reuso - Benefícios REDUZIR  O consumo de um recurso natural;  O custo, pelo menor consumo de água potável;  O lançamento de esgoto tratado no corpo receptor. ASSEGURAR  O abastecimento de água potável.

4 PRELIMINAR Remoção de sólidos sedimentáveis em caixas de areia, peneiras ou grades. PRIMÁRIO Remoção de sólidos por sedimentação ou flotação (coagulação). SECUNDÁRIO Remoção matéria orgânica dissolvida ou coloidal. TERCIÁRIO – obtenção da água de reuso Melhoria da qualidade dos efluentes tratados pela da remoção de cor, turbidez e desinfecção. Tratamento Convencional Níveis do Tratamento

5  Matéria orgânica dissolvida: DBO não reduzida.  Turbidez: Colóides que geram depósitos;  Sólidos em suspensão: Matéria orgânica e inorgânica que geram depósitos;  Microorganismos: Contaminação dos usuários. Algumas Características dos Esgotos Sanitários após o Tratamento Secundário

6  Processos físicos: Membranas – microfiltração, ultrafiltração, nanofiltração e osmose reversa.  Processos Físico-químicos: Clarificação.  Processos Químicos: Ozonização. Tecnologias Aplicadas ao Reuso de Água

7 D : Dalton, medida de peso molecular, onde um D corresponde ao peso de um átomo de hidrogênio µm:10 -6 m Porosidade Material Retido Microfiltração0,1 - 0,2 µm Protozoários, Bactérias, Vírus (maioria), Partículas Ultrafiltração DColóides, Totalidade de Vírus Nanofiltração D Íons Divalentes e Trivalentes, Moléculas Orgânicas grandes Osmose Reversa<200 DÍons, Toda Matéria Orgânica Membranas

8 Permeado ou filtrado Alimentação Membrana Esquema das Membranas

9 PERMEADO ESPAÇADOR DE ALIMENTAÇÃO ESPAÇADOR DE PERMEADO TUBO COLETOR DE PERMEADO FLUXO DE PERMEADO PERMEADO ESPAÇADOR DE PERMEADO MEMBRANA FOTO MEMBRANA Membrana Espiral de Ultrafiltração

10 - Jardim Zoológico - Produção de Água para Reuso Características do Projeto  Tratamento de 600 m³/dia, a nível secundário.  Produção de 400 m³/dia de água de Reuso.

11 - Jardim Zoológico - Recintos atendidos Recintos dos animais Volumes dos tanques (m³) Freqüência de descarte (d) Grandes Primatas354,0015 Jacaré/Tartaruga da Amazônia 314,00Irregular Cerrado78,507 Reptário84,007 Jabuti193,007 Sucuri97,007 Jibóia272,007 Elefante264,007 Hipopótamo fêmea/macho 782,007 Anta81,507 Quati216,007 Macaco Aranha326,0015 Urso de Óculos549,0015 Lontra108,007 Urso Himalaio195,0015

12 Após passar pelo tratamento biológico, o esgoto tratado foi submetido a filtração para retenção dos materiais em suspensão ainda presentes. O efluente da filtração foi então direcionado ao processo de separação por membranas de ultrafiltração. Tecnologias Aplicadas ao Reuso de Água

13 Fluxograma para Reuso de Água Fonte: TECMA ETE FILTRO EFLUENTE TRATADO ELEV. LODO SISTEMA DE REUSO ULTRAFILTRAÇÃO VAI PARA O RESEVATÓRIO DE ÁGUA

14 Elementos do Sistema de Reuso Parâmetros (RE 1778, 1778A e 1778B/2006) Pontos de Coleta Limites Água Reuso Limites NT-202 R10 DZ-215 R10 Efluente Bruto Tanque de Aeração Efluente do Decantador Água de Reuso Alumínio, mg/L Al---0,41<0,2- Cloretos, mg/L Cl---39<250- Cor, mg Pt/L---7,5<15- DBO, mg O 2 /L40-36<3<8Rem 90% DQO, mg O 2 /L <20250 Detergentes (MBAS), mg/L--<0,2 -- Dureza Total, mg/L de Ca CO <1000- Materiais Sedimentáveis, mL/L--<0,5 -<1,0 Óleos e Graxas Minerais, mL/L--<5,0<1,0-- pH7,697,017,096,996,5 a 7,55,0 a 9,0 Resíduo Não Filtrável Total, mg/L Resíduo Não Filtrável Volátil, mg/L Sulfato, mg/L SO <250- Temperatura, ºC20,019,419,920,0<40 Turbidez, uT---1,6<2,0- Coliformes Totais (NMP/100mL)---<2 Ausente - Resultado das análises realizadas em 02/08/06 na ETRA

15 Elementos do Sistema de Reuso DataParâmetroEfluente Bruto Efluente do Decantador Água de Reuso Eficiência Total (%) 09/03/06 DQO, mg O 2 /L113-<1190,3 DBO, mg O 2 /L8644<396,5 05/04/06 DQO, mg O 2 /L449108<1596,7 DBO, mg O 2 /L32498<399,1 02/05/06 DQO, mg O 2 /L400120<1596,3 DBO, mg O 2 /L16119<398,1 05/06/06 DQO, mg O 2 /L ,7 DBO, mg O 2 /L ,0 04/07/06 DQO, mg O 2 /L ,5 DBO, mg O 2 /L18729<398,4 02/08/06 DQO, mg O 2 /L ,7 DBO, mg O 2 /L4036<392,5 Eficiência em relação a remoção de DBO e DQO no processo de tratamento

16

17

18

19

20

21

22

23

24

25

26

27 Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro Secretaria de Meio Ambiente Vera Lucia Garcia de Oliveira Gerência de Monitoramento Ambiental Coordenadoria de Planejamento e Monitoramento Ambiental


Carregar ppt "Reuso de Água na Fundação RIOZOO Secretaria de Meio Ambiente Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro Março 2008."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google