A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Universidade Federal do Vale do São Francisco - UNIVASF Colegiado de Engenharia da Computação – CECOMP PIC16F877A - Parte II Jadsonlee da Silva Sá

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Universidade Federal do Vale do São Francisco - UNIVASF Colegiado de Engenharia da Computação – CECOMP PIC16F877A - Parte II Jadsonlee da Silva Sá"— Transcrição da apresentação:

1 Universidade Federal do Vale do São Francisco - UNIVASF Colegiado de Engenharia da Computação – CECOMP PIC16F877A - Parte II Jadsonlee da Silva Sá

2 Universidade Federal do Vale do São Francisco - UNIVASF Colegiado de Engenharia da Computação – CECOMP Organização da Memória Memória de dados (SRAM). –Capacidade – 368 bytes. –Dividida em quatro bancos. –Contém os registradores GPRs (Registradores de Propósito Geral) e SFRs (Registradores de Função Especial).

3 Universidade Federal do Vale do São Francisco - UNIVASF Colegiado de Engenharia da Computação – CECOMP Organização da Memória Memória de dados (SRAM). –GPRs Armazenamento de dados e operações scratch pad (área de acesso rápido para acesso temporário.). Tamanho de 368 bytes. Existe uma área comum nos bancos. Não são inicializados no power-on reset e são inalterados em todos os outros resets. –SFRs Controla a operação do dispositivo. Classificados em dois conjuntos de registradores: core e periféricos. Alguns SFRs são inicializados no power-on reset e em outros resets – Outros SFRs não são afetados.

4 Universidade Federal do Vale do São Francisco - UNIVASF Colegiado de Engenharia da Computação – CECOMP Memória de dados SRAM Alguns SFRs de alto uso do banco 0 são espelhados nos outros bancos para reduzir o código e ter um rápido acesso. Os últimos 16 bytes são mapeados para reduzir o overhead no contexto de chaveamento.

5 Universidade Federal do Vale do São Francisco - UNIVASF Colegiado de Engenharia da Computação – CECOMP Organização da Memória Memória de dados (SRAM). –Endereçamento. SRAM Existem quatro bancos. Existe duas formas de endereçamento: direto e indireto. –IRP (Apontador de registrador indireto), RP0 e RP1 são bits do registrador STATUS.

6 Universidade Federal do Vale do São Francisco - UNIVASF Colegiado de Engenharia da Computação – CECOMP Organização da Memória Memória de dados (SRAM). –Endereçamento direto.

7 Universidade Federal do Vale do São Francisco - UNIVASF Colegiado de Engenharia da Computação – CECOMP Organização da Memória Memória de dados (SRAM). –Endereçamento indireto. Contém um endereço da SRAM.

8 Universidade Federal do Vale do São Francisco - UNIVASF Colegiado de Engenharia da Computação – CECOMP Organização da Memória Memória de dados (SRAM). –Endereçamentos. Endereçamento direto Endereçamento indireto Toda instrução usando INDF acessa o registrador apontado por FSR. Contém um endereço da SRAM.

9 Universidade Federal do Vale do São Francisco - UNIVASF Colegiado de Engenharia da Computação – CECOMP Organização da Memória Memória de dados (SRAM). –Para mover valores de um registrador para outro registrador, o valor deverá passar pelo registrador W. Então, toda transferência entre registradores dura dois ciclos de instrução.

10 Universidade Federal do Vale do São Francisco - UNIVASF Colegiado de Engenharia da Computação – CECOMP Registrador STATUS Contém o estado aritmético da ULA, de um reset e os bits para selecionar os bancos da SRAM.

11 Universidade Federal do Vale do São Francisco - UNIVASF Colegiado de Engenharia da Computação – CECOMP Registrador STATUS

12 Universidade Federal do Vale do São Francisco - UNIVASF Colegiado de Engenharia da Computação – CECOMP Exemplo Endereçamento indireto da SRAM. –Zera as posições de 20 a 2Fh. Zera o bit IRP de STATUS. Carrego W com 0x20. Carrego FSR com o conteúdo de W. Zera a posição de memória apontada por FSR. Incrementa FSR. Se bit 4 de FSR for 1, salta a próxima instrução. Vai para NEXT.

13 Universidade Federal do Vale do São Francisco - UNIVASF Colegiado de Engenharia da Computação – CECOMP Características Especiais da CPU Seleção do oscilador. Reset. –Power-on reset (POR); –Power-up Timer (PWRT); –Oscillator start-up timer (OST); –Brown-out reset (BOR). Interrupções. Watchdog timer (WDT).

14 Universidade Federal do Vale do São Francisco - UNIVASF Colegiado de Engenharia da Computação – CECOMP Características Especiais da CPU SLEEP. Proteção de código. Posições de memória para identificação (ID). Programação serial e serial em baixa tensão in-circuit. Depurador in-circuit.

15 Universidade Federal do Vale do São Francisco - UNIVASF Colegiado de Engenharia da Computação – CECOMP Características Especiais da CPU Registrador – Configuration Word. –Utilizado para selecionar várias configurações do dispositivo. –Mapeado na memória de programa no endereço 2007h. –Acessível apenas durante a programação.

16 Universidade Federal do Vale do São Francisco - UNIVASF Colegiado de Engenharia da Computação – CECOMP Características Especiais da CPU Registrador – Configuration Word.

17 Universidade Federal do Vale do São Francisco - UNIVASF Colegiado de Engenharia da Computação – CECOMP Características Especiais da CPU Registrador – Configuration Word.

18 Universidade Federal do Vale do São Francisco - UNIVASF Colegiado de Engenharia da Computação – CECOMP Oscilador Utilizado para gerar o clock do μC (Tosc). –Quatro períodos de clock do μC geram um ciclo de instrução (Tcy). O PIC16F877A pode operar em quatro diferentes modos de oscilador: –LP Cristal Low Power; –XT Cristal/Ressonador; –HS Cristal High Speed/Ressonador; –RC Resistor-Capacitor. Os bits FOSC1 e FOSC2 são utilizados para selecionar um dos quatro modos.

19 Universidade Federal do Vale do São Francisco - UNIVASF Colegiado de Engenharia da Computação – CECOMP Oscilador Nos modos LP, XT e HS, um cristal ou ressonador é conectado nos pinos OSC1 e OSC2 para estabelecer a oscilação.

20 Universidade Federal do Vale do São Francisco - UNIVASF Colegiado de Engenharia da Computação – CECOMP Oscilador Clock externo – LP, XT e HS.

21 Universidade Federal do Vale do São Francisco - UNIVASF Colegiado de Engenharia da Computação – CECOMP Oscilador Oscilador RC. –Utilizado em aplicações onde as temporizaçães são insensíveis.

22 Universidade Federal do Vale do São Francisco - UNIVASF Colegiado de Engenharia da Computação – CECOMP Reset Existem vários tipos de reset: –Power-on Reset (POR); –Reset /MCLR – Durante a operação normal; –Reset /MCLR – Durante SLEEP; –Reset WDT – Durante operação normal; –Wake-up WDT – Durante SLEEP; –Brown-out reset (BOR).

23 Universidade Federal do Vale do São Francisco - UNIVASF Colegiado de Engenharia da Computação – CECOMP Reset /MCLR. –Existe um filtro na entrada do pino /MCLR para detectar e ignorar pequenos pulsos.

24 Universidade Federal do Vale do São Francisco - UNIVASF Colegiado de Engenharia da Computação – CECOMP Reset Power-on Reset (POR). –É gerado on-chip quando um aumento de tensão no pino V DD é detectado (faixa de 1,2 – 1,7 V). Power-up Timer (PWRT). –Temporizador com oscilador RC interno ao chip. –Fornece um timeout nominal de 72 ms no power-up a partir do POR – O chip é mantido em reset nesse período. –Esse atraso permite que V DD alcance um nível de tensão aceitável. –Habilitado via software – Configuration word.

25 Universidade Federal do Vale do São Francisco - UNIVASF Colegiado de Engenharia da Computação – CECOMP Reset Oscillator Start-up Timer (OST). –Fornece um atraso de 1024 ciclos do oscilador após o atraso PWRT (se PWRT estiver habilitado). –Utilizado para garantir a estabilização do oscilador. –Time-out utilizado apenas para os modos XT, LS e HS, e no power-on reset ou wake-up a partir do sleep.

26 Universidade Federal do Vale do São Francisco - UNIVASF Colegiado de Engenharia da Computação – CECOMP Reset Brown-out Reset (BOR). –Habilitado via software – Configuration word. –Se V DD T BOR = 100 μs, o μC será resetado. –O reset será mantido até que V DD > V BOR. –Quando V DD > V BOR for satisfeito, o power-up timer mantém o μC em reset por T PWRT (72 ms). –Caso V DD < V BOR durante T PWRT,.um reset BOR ocorrerá novamente. –Obs.: PWRT é sempre habilitado se BOR estiver, independente do bit PWRT em Configuration word.

27 Universidade Federal do Vale do São Francisco - UNIVASF Colegiado de Engenharia da Computação – CECOMP Reset Valor de alguns registradores especiais.

28 Universidade Federal do Vale do São Francisco - UNIVASF Colegiado de Engenharia da Computação – CECOMP Reset Valor de todos registradores.

29 Universidade Federal do Vale do São Francisco - UNIVASF Colegiado de Engenharia da Computação – CECOMP Reset Valor de todos registradores.

30 Universidade Federal do Vale do São Francisco - UNIVASF Colegiado de Engenharia da Computação – CECOMP Reset Valor de todos registradores.

31 Universidade Federal do Vale do São Francisco - UNIVASF Colegiado de Engenharia da Computação – CECOMP Registrador PCON


Carregar ppt "Universidade Federal do Vale do São Francisco - UNIVASF Colegiado de Engenharia da Computação – CECOMP PIC16F877A - Parte II Jadsonlee da Silva Sá"

Apresentações semelhantes


Anúncios Google