A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS ESCOLA DE CIÊNCIA DA INFORMAÇÃO Especialização: Gestão Estratégica da Informação Disciplina: Produtos e Serviços de.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS ESCOLA DE CIÊNCIA DA INFORMAÇÃO Especialização: Gestão Estratégica da Informação Disciplina: Produtos e Serviços de."— Transcrição da apresentação:

1 UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS ESCOLA DE CIÊNCIA DA INFORMAÇÃO Especialização: Gestão Estratégica da Informação Disciplina: Produtos e Serviços de Informação Professora: Terezinha de Fátima Carvalho de Souza 2º. Semestre de

2 Registro Transmissão de conhecimento Armazenamento Processamento Análise Organização Recuperação da informação registrada 2 INFORMAÇÃO E DOCUMENTO Dentro do âmbito disciplinar da documentação, a informação inclui:

3 3 Dados - processamento Informação - análise Conhecimento – síntese (interpretação) Inteligência (sabedoria) (URDANETA, 1992) INFORMAÇÃO E DOCUMENTO Níveis hierárquicos da informação:

4 ...nosso estado (ou nossos estados) de conhecimento sobre determinado assunto, em determinado momento, é representado por uma estrutura de conceitos ligados por suas relações: nossa imagem do mundo. Quando constatamos uma deficiência ou uma anomalia desse (s) estado (s) de conhecimento, encontramo-nos em um estado anômalo de conhecimento. Tentamos obter uma informação ou informações que corrigirão essa anomalia. Disso resultará um novo estado de conhecimento. (LE COADIC (1994) apud ROBREDO (2003) 4 INFORMAÇÃO

5 Informação é tudo aquilo capaz de modificar a estrutura de conhecimento de um indivíduo. Informação é aquilo capaz de reduzir a incerteza. A informação precisa ser organizada e gerida e para isso é utilizado o processo de gestão da informação. 5 INFORMAÇÃO

6 A atividade de gestão pode ser considerada um conjunto de processos que englobam atividades de planejamento, organização, direção, distribuição, e controle de recursos de qualquer natureza, visando à racionalização e à efetividade de determinado sistema, produto ou serviço. (Manual de Gestão de Serviços de Informação, 1997) 6 INFORMAÇÃO

7 Administração de Empresas: gestão da informação visa incrementar a competitividade empresarial e os processos de modernização organizacional, capacitando profissionais na administração de TI em sintonia com os objetivos empresariais. Tecnologia: gestão da informação é vista (ainda que dentro de um contexto organizacional, como um recurso a ser otimizado via diferentes arquiteturas de hardware, software e de redes de telecomunicações adequadas aos diferentes sistemas de informação, em especial aos empresariais. 7 GESTÃO DA INFORMAÇÃO

8 Na Ciência da Informação que em sua essência se ocupa do estudo da informação em si, isto é, a teoria e a prática que envolvem sua criação, identificação, coleta, validação, representação, recuperação e uso, tendo como princípio o fato de que existe um produtor/ consumidor de informação que busca, nesta, um sentido e uma finalidade. (MARCHIORI, 2002) 8 GESTÃO DA INFORMAÇÃO

9 Identificação das necessidades informacionais, Definição das fontes de informação e obtenção dos dados nelas disponíveis; Organização e armazenamento de informação; Desenvolvimento de serviços e produtos informacionais e distribuição e uso da informação 9 GESTÃO DA INFORMAÇÃO A gestão da informação é considerada como um conjunto de processos distintos e inter-relacionados, que são:

10 Estudos de usuários Década de 1950 – abordagem tradicional direcionada pela ótica do Sistema de Informação informação é algo externo, objetivo, que existe fora do indivíduo e poderá ser definida, medida e utilizada por diferentes usuários da mesma forma, bastando apenas ser descoberta através dos sistemas de informação. Emissormensagem receptor (informação) 10 GESTÃO DA INFORMAÇÃO As necessidades de informação

11 Estudos de usuários Década de 1980 – abordagem centrada no usuário ou abordagem alternativa. A necessidade de informação é subjetiva e única, definida no plano pessoal. O uso da informação deve ser dado e determinado pelo indivíduo que está em constante construção de seu sentido. 11 GESTÃO DA INFORMAÇÃO As necessidades de informação

12 Quatro níveis: visceral consciente formalizado adaptado (TAYLOR apud CHOO, 2003) 12 GESTÃO DA INFORMAÇÃO As necessidades de informação

13 Considerada a função crítica da gestão da informação: grande necessidade de informação grande diversidade de interesses capacidade cognitiva do homem é limitada 13 DEFINIÇÃO DAS FONTES DE INFORMAÇÃO E OBTENÇÃO DOS DADOS NELAS DISPONÍVEIS

14 As informações são fisicamente organizadas em arquivos, bancos de dados computadorizados e outros sistemas de informação para facilitar seu compartilhamento e recuperação. 14 GESTÃO DA INFORMAÇÃO Organização e armazenamento da informação

15 Cabe a gestão da informação atuar de tal forma que as necessidades de informação sejam atendidas com uma mistura equilibrada de produtos e serviços. Para darem resultado os produtos e serviços de informação precisam abranger não apenas a área do problema, mas também as circunstâncias específicas que afetam a resolução de cada problema ou de cada tipo de problema. 15 GESTÃO DA INFORMAÇÃO Desenvolvimento de serviços e produtos informacionais e distribuição e uso da informação

16 Processo pelo qual as informações se disseminam pela organização, de maneira que a informação correta atinja a pessoa certa no momento, no lugar e no formato adequados. - O seu objetivo é promover e facilitar o compartilhamento das informações, que é fundamental para a criação de significado, a construção do conhecimento e a tomada de decisões. 16 GESTÃO DA INFORMAÇÃO Distribuição da informação

17 O uso da informação é um processo social dinâmico de pesquisa e construção que resulta na criação de significado, na construção do conhecimento e na seleção de padrões de ação. 17 GESTÃO DA INFORMAÇÃO Uso da informação

18 18 MODELO DE ADMINISTRAÇÃO DA INFORMAÇÃO Fonte: Information Management for the Intelligent Organization: The Art of Scanning the Environment, 1995, p. 24. Reproduzido com a permissão da Information Today, Inc, Medford, NJ.

19 PROVENIÊNCIA E NATUREZA DA INFORMAÇÃO NO ORGANISMO

20 São recursos capazes de atender a uma demanda de informação. 20 FONTES DE INFORMAÇÃO

21 PESSOAS E LUGARES 21 FONTES DE INFORMAÇÃO

22 Científicas e acadêmicas Comerciais Industriais Classistas 22 FONTES DE INFORMAÇÃO Organizações

23 LIVROS PERIÓDICOS MANUAIS ANAIS DE ENCONTROS CIENTÍFICOS CATÁLOGOS NORMAS TÉCNICAS 23 FONTES DE INFORMAÇÃO Literatura

24 24 Produtos: boletins informativos, manuais técnicos, promoção de cursos e eventos Serviços: consulta rápida, resposta técnica, prospecção e extensão tecnológica FONTES DE INFORMAÇÃO Produtos e Serviços de Informação

25 Pessoas Organizações Literatura Produtos e serviços de informação 25 AS FONTES DE INFORMAÇÃO REPRESENTAM UM MIX DE

26 26 UNIVERSO ACADÊMICO X UNIVERSO PROFISSIONAL

27 Registro de Informações durante a pesquisa Conversas informais Reuniões científicas Apresentação em eventos Publicação em canais formais Consulta por outros pesquisadores Uso em outras pesquisas Citação em outras publicações O FLUXO DA INFORMAÇÃO CIENTÍFICA

28 28 Fontes primárias – contêm novas informações ou novas interpretações de idéias e/ou fatos acontecidos. É a fonte mais próxima do produtor da informação. Exemplos: congressos, conferências, normas técnicas, patentes, periódicos, relatórios técnicos, teses e dissertações. CATEGORIAS DE FONTES

29 29 Fontes secundárias – contêm informações sobre fontes primárias – servem de guia para o leitor. Exemplos: bases de dados referenciais, bibliografias, catálogos, dicionários e enciclopédias. CATEGORIAS DE FONTES

30 30 Fontes terciárias – são instrumentos para ajudar na localização de fontes primárias e secundárias. Exemplos: bibliografias de bibliografias, diretórios, guias. CATEGORIAS DE FONTES

31 Reduzir a ansiedade de informação 31 PORQUE CONHECER AS FONTES DE INFORMAÇÃO?

32 32 Você sofre de ansiedade de informação? Veja as perguntas a seguir:

33 Fala compulsivamente que não consegue se manter atualizado com o que ocorre a seu redor? Balança a cabeça afirmativamente quando alguém menciona um livro, um artista ou uma notícia de que você, na verdade, nunca ouviu falar? Descobre que é incapaz de explicar algo que pensava ter entendido? Recusa-se a comprar um novo eletrodoméstico ou equipamento apenas por medo de não conseguir operá-lo? Qualifica um livro de genial mesmo sem ter entendido sua resenha, que foi tudo que você leu? Consulta seu relógio para registrar a hora exata no livro de entradas e saídas de um prédio de escritórios, mesmo sabendo que na verdade ninguém liga para isso? 33 RESPONDA SIM OU NÃO

34 34 Se respondeu sim a maioria das perguntas... cuidado.... Você está sofrendo de ansiedade de informação!

35 Relaxar é preciso. Diante de tal variedade de ofertas, optar pelo que proporciona mais prazer. Ir fundo. Eleger um assunto, um tema, e nele fixar a atenção, como se isso fosse o que de mais novo, interessante e único houvesse no mundo. 35 COMO SURFAR NESSE MAR AGITADO DE INFORMAÇÕES?

36 Ter coragem de não ler, não ver, eliminar, jogar fora. E, de vez em quando, ou mais que de vez em quando, não ler nada nem assistir a nada. Simplesmente sair por aí a andar, olhar, observar, viver. 36 COMO SURFAR NESSE MAR AGITADO DE INFORMAÇÕES?

37 37 Porque nos livros, na televisão, nos jornais, nas revistas e nos relatórios estão as visões que outras pessoas têm da vida. Quando você sai e anda, vê a vida do seu jeito. E se acha. (Jornalista Fátima Ali)

38 Autores citados ALI, Fátima. Sem medo de não saber. In: WURMAN, R.S. Ansiedade de informação. São Paulo, Cultura Editores Associados, BURKER, Peter. Uma história social do conhecimento. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, CAMPELLO, B. (org.) Fontes de informação para pesquisadores e profissionais. Belo Horizonte: Editora UFMG, CHOO, C.W. A organização do conhecimento. São Paulo: SENAC Editora, CUNHA, Murilo Bastos da. Para saber mais: fontes de informação em ciência e tecnologia. Brasília: Briquet de Lemos,

39 Autores citados URDANETA, I. P. Gestión de la inteligencia, aprendizaje tecnológico y modernización del trabajo informacional: retos y oportunidades. Caracas: Universidad Simón Bolivar, 1992 MARCHIORI, P. Z. A ciência e a gestão da informação: compatibilidade no espaço profissional. Ciência da Informação, v.31, n.2, p.72-79, maio/ago MATTELART, A. História da sociedade da informação. São Paulo: Loyola, ROBREDO, Jaime. Da ciência da informação revisitada aos sistemas humanos de informação. Brasília: Thesaurus, ROUSSEAU, J.; COUTURE, C. Os fundamentos da disciplina arquivística. Lisboa: Don Quixote,

40 Autores citados URDANETA, I. P. Gestión de la inteligencia, aprendizaje tecnológico y modernización del trabajo informacional: retos y oportunidades. Caracas: Universidad Simón Bolivar, 1992 WURMAN, R.S. Ansiedade de informação. São Paulo, Cultura Editores Associados,


Carregar ppt "UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS ESCOLA DE CIÊNCIA DA INFORMAÇÃO Especialização: Gestão Estratégica da Informação Disciplina: Produtos e Serviços de."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google