A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Conversíveis e Warrants Amanda Barros Modesto – 13744 Camila Silva Marton – 13370 Denis Guilherme Augusto – 13752 Nikolas Seiji Ariyoshi – 13764 Weslley.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Conversíveis e Warrants Amanda Barros Modesto – 13744 Camila Silva Marton – 13370 Denis Guilherme Augusto – 13752 Nikolas Seiji Ariyoshi – 13764 Weslley."— Transcrição da apresentação:

1 Conversíveis e Warrants Amanda Barros Modesto – Camila Silva Marton – Denis Guilherme Augusto – Nikolas Seiji Ariyoshi – Weslley Vilas Boas Costa – 13392

2 Warrant Conversíveis Estudo de Caso – ACESITA Comparação Referências Sumário

3 Na aula de hoje veremos como funcionam os warranties e conversíveis, por que realizar a compra deles, suas diferenças além de fornecer ferramentas que auxiliam na tomada de decisão de venda de cada um. Introdução

4 É um título que dá o direito de comprar ou vender um ativo financeiro, a um preço preestabelecido e por um prazo determinado. É um título que representa uma opção de compra não- padronizada. O que é um Warrant?

5 Cada emissão de Warrant refere-se à opção de compra de um ativo subjacente e pode ter condições específicas. Necessário um documento para cada emissão de Warrant. –Contrato de Emissão de Opções Não-Padronizadas (Contrato de Emissão de Warrants). O que é um Warrant?

6 Uma Warrant pressupõe a existência de duas figuras básicas: o emissor e o agente da Warrant. Warrant Emissor Instituição que detém em sua carteira uma quantidade de papéis e deseja lançar Warrants. A companhia emissora dos papéis referentes à Warrant seja também a emissora da mesma. Agente Pode ser qualquer instituição integrante do sistema de distribuição de títulos e valores mobiliários e ficará responsável pela qualidade da Warrant. É escolhido e contratado pelo emissor da Warrant e tem por dever acompanhar todas as obrigações que a envolvem.

7 Amplia a gama de ativos que podem ser adquiridos em bolsa por meio de operações de opções de longo prazo. Como cada emissão tem um único emissor, a Warrant permite aos investidores escolherem, ao mesmo tempo, o emissor e o ativo subjacente que desejam adquirir. Características de longo prazo –Permite a postergação da decisão de compra de ativos com liquidez reduzida e o alargamento do prazo de exposição desse ativo ao mercado. Por que comprar e vender Warrants?

8 O preço de exercício das Warrants é estabelecido pelo emissor das mesmas, considerando: –Valor unitário do ativo-objeto; –Taxa de juros de mercado; –Prazo da Warrant; –Volatilidade do papel; –Remuneração prevista para o ativo-objeto. O preço de exercício da Warrant pode ser fixo ou variável. Ambas as situações (preço fixo ou variável) devem estar previstas no Contrato de Emissão de Warrants. Como é estabelecido o preço de exercício das Warrants de compra?

9 As cotações obtidas pelas Warrants, por meio de sua negociação no mercado a vista da BOVESPA, são normalmente divulgadas no Boletim Diário de Informações - BDI, na Internet, em jornais de grande circulação etc. Como são divulgadas as negociações de Warrants?

10 Títulos de dívida de longo prazo ou ações preferenciais emitidos por S/A Podem ser trocadas por ações da companhia emissora Possui cláusula de conversibilidade em ações, em uma certa época a um determinado preço O que são Conversíveis?

11 As condições de conversibilidade, bem como as de permutabilidade, devem estar descritas na escritura de emissão. Ao contrário das warrants, essa conversão não traz capital, mas sim substitui a dívida ou ação preferencial por uma ação ordinária no balanço patrimonial. O que são Conversíveis?

12 Caso sejam convertidos baseados em valores flutuantes, são gerados alguns riscos: –Preço menor de conversão, número maior de ações emitidas; –Risco de diluição da empresa na mão dos acionistas aumenta e o ganho por ação diminui; –Provável queda no preço da ação –Consequente dificuldade na obtenção de novos investimentos. Conversíveis

13 Cláusula que define, por opção dos debenturistas, como, quando e de que forma dar-se-á a conversão do investimento em ações da empresa emitente Fator que definirá a aceitação pelo mercado da emissão É a opção de compra que pode ser avaliada financeiramente à época da decisão do investimento, complementando, assim, a taxa de juros oferecida Para o investidor, essa cláusula é uma call option Para a empresa, a cláusula de chamada permite a possibilidade de emissão de ações em determinado momento no futuro Cláusula de Conversibilidade

14 Identifica o número de ações que podem ser trocadas. Uma vez que o I.C. é determinado, o preço de conversão também é e vice versa. O preço de conversão varia entre 20% e 30% acima do mercado na maioria das vezes. Índice de Conversão Índice de conversão = valor nominal do título de dívida preço de conversão

15 Características: –Debêntures conversíveis com vencimento para 2012 –Juros de 10% –par value de $1000 –preço de conversão de $35,50. Empresa pode manter os juros do debêntures ou converter em 28,169 ações. Exemplo de Utilização

16 Valor total das ações ordinárias que podem ser trocadas: Valor de Conversion Conversion value = CR* X MV** *CR = Conversion ratio **MV = Market value per share of common stock

17 É determinado no momento da emissão; Pode ter um prazo máximo ou ser eterno; O momento de conversão pode ser escolhido pelo investidor ou pela empresa; Geralmente é o investidor quem escolhe. Período de Conversão

18 Os juros independem do nível de risco da empresa; Empresas normalmente preferem formas convencionais. Conversíveis podem ser por razões específicas; Venda da dívida por taxas mais baixas e chance de o investidor participar do sucesso da empresa; Venda de ações ordinárias por valor maior que o preço atual; (O preço de conversão varia entre 20% a 30% acima do preço de mercado da ação) Razões para a emissão de Conversíveis

19 Depende de dois fatores: –O valor do debênture ou da ação preferencial –O valor do título se convertido em ações ordinárias Muitas vezes investidores aceitam pagar um prêmio pela proteção da conversibilidade. Avaliação de Conversíveis

20 Caso o preço da ação ordinária suba pode ser que a dívida simples tivesse sido mais vantajosa; Se ocorrer a conversão a empresa perde a oportunidade de uma taxa de juros cupom baixa; Caso o preço da ação não suba, a empresa pode não conseguir levantar capital patrimonial já que estará cheia de dívidas.. Problemas

21 A operação consistiu da emissão de debêntures conversíveis em ações preferenciais com warrants lastreados em ações preferenciais classe B da CST –Data de Realização: 01/07/1996 –Prazo para Liquidação: 01/07/1999 –Volume da Emissão: R$ ,00 Equivalente a debêntures com valor nominal unitário de R$1400,00 A proporção de conversibilidade era de ações preferenciais por debênture, com preço de conversão de R$3,50 por mil ações preferenciais e a remuneração feita pela taxa ANBID +1% a.a. Estudo de Caso Companhia Aços Especiais Itabira - ACESITA

22 MODELO DE INGERSOLL Apresenta soluções analíticas para as debêntures conversíveis com a utilização da equação de Black & Scholes. MODELO DE MARGRABE O modelo de avaliação de Margrabe estuda o valor da opção de trocar um ativo por outro, tendo como ponto de apoio o trabalho de Black & Scholes (1973) e as conclusões de Merton (1973). Companhia Aços Especiais Itabira - ACESITA

23 No Brasil, as emissões não têm o costume de incluir a opção de recompra pelo emissor, na forma como é feito para o caso americano. Estudo de Caso Companhia Aços Especiais Itabira - ACESITA

24 Quando o preço da ação no mercado está baixo, a opção de permutar a debênture pela ação não valerá quase nada. Como as debêntures conversíveis são títulos complexos, a análise desenvolvida sobre o valor destas debêntures, considerando os valores de conversão e a opção embutida no título, evidenciaram a influência das variáveis de mercado sobre o preço do título em questão. Estudo de Caso Companhia Aços Especiais Itabira - ACESITA

25 Comparação Diferenças ConversíveisWarrants Elimina-se a dívida e são reduzidas as taxas financeiras As taxas financeiras não são reduzidas Não há fluxo de caixa para a empresa Por ser uma opção de compra, há fluxo de caixa Pode-se refinanciar a dívida ou forçar a conversão por serem flexíveis Inflexíveis, não resgatável deve-se esperar o vencimento Vencimentos mais longosVencimentos mais curtos

26 Para decidir a compra do warranty ou do conversível deve-se levar em consideração o prazo em que você espera o retorno, o valor das ações, o risco que pretende tomar entre outras decisões Existem modelos financeiros que auxiliam no cálculo e decisão de quando é um bom momento para se vender os warranties e conversíveis Conclusão

27 RIGHAM, Eugene F; GAPENSKI, Louis C; EHRHARDT, Michael C. Administração financeira: teoria e prática. 1a ed. 6a reimp. São Paulo: Atlas, p. Referências


Carregar ppt "Conversíveis e Warrants Amanda Barros Modesto – 13744 Camila Silva Marton – 13370 Denis Guilherme Augusto – 13752 Nikolas Seiji Ariyoshi – 13764 Weslley."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google