A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Sistema de Parques Tecnológicos de São Paulo SCTDE- FAPESP São Paulo, 21 de Agosto de 2006 Dr. João E. Steiner

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Sistema de Parques Tecnológicos de São Paulo SCTDE- FAPESP São Paulo, 21 de Agosto de 2006 Dr. João E. Steiner"— Transcrição da apresentação:

1 Sistema de Parques Tecnológicos de São Paulo SCTDE- FAPESP São Paulo, 21 de Agosto de 2006 Dr. João E. Steiner

2 Assimetria do Sistema de Inovação Sistema Paulista de Parques Tecnológicos descompasso entre setor acadêmico e setor industrial: o Brasil já aparece como produtor de ciência de qualidade no cenário mundial, mas não aparece enquanto produtor de tecnologia

3 Brasil e São Paulo no mundo Sistema Paulista de Parques Tecnológicos São Paulo: Mais publicações do que participação na população e no PIB mundial Mas pequena participação em patentes Brasil São Paulo População 3,0% 0,7% PIB 1,9% 0,7% Papers 1,7% 0,9% Patentes 0,2% 0,1% São Paulo

4 Distribuição de Cientistas Sistema Paulista de Parques Tecnológicos

5 Sistema Paulista de Inovação Sistema Paulista de Parques Tecnológicos Formação Anual de Doutores

6 São Paulo e Brasil: Inovação Sistema Paulista de Parques Tecnológicos PRESENÇA DE FIRMAS QUE INOVAM E DIFERENCIAM PRODUTOS NO SETOR INDUSTRIAL -2000

7 Sistema Paulista de Parques Tecnológicos Interação Ciência - Indústria Políticas Públicas Marco institucional (inovação) Apoio à pesquisa Interação universidade-empresa Incentivos para P&D empresarial Parque Tecnológicos; Parques Científicos; Incubadoras, etc. Laboratorios Conjuntos Spin-Offs Licenciamento Contratos de Pesquisa Mobilidade de Pesquisa Reuniões Cientificas Contatos Informais Absorção de Graduação Benchmarking Industry-Science Relationships OECD, 2002

8 Sistema Paulista de Parques Tecnológicos Parques Tecológicos (Dec. Est.) Parques Tecnológicos (Dec. Est.)...empreendimentos criados e geridos com o objetivo permanente de promover pesquisa e inovação tecnológica, estimular a cooperação entre instituições de pesquisa, universidades e empresas e dar suporte ao desenvolvimento de atividades empresariais intensivas em conhecimento, implantadas na forma de projetos urbanos e imobiliários que delimitam áreas especificas para localização de empresas, instituições de pesquisa e serviços de apoio.

9 Sistema Paulista de Parques Tecnológicos Possuir um Master Plan Atividades de P&D, empresas de tecnologia e serviços de apoio Relação formal com instituições de pesquisa P&D por meio de parcerias com empresas Transferência de tecnologia entre universidade e indústria Promover desenvolvimento econômico ancorado na tecnologia Parques Tecnológicos (AURP) principais características

10 Sistema Paulista de Parques Tecnológicos Parques no Mundo (IASP) Parques Tecnológicos no Mundo (IASP) PaísN° China64 Espanha(+50)25 EUA65 Finlândia23 Israel27 Portugal13 Reino Unido63 Taiwan2

11 Sistema Paulista de Parques Tecnológicos Sophia Antipolis França Situado na Riviera Francesa – Côte dAzur – entre Cannes e Nice, em área de mais de hectares. Abriga cerca de empresas, que empregam pessoas de mais de 70 nacionalidades. Fonte:

12 Sistema Paulista de Parques Tecnológicos Hsinchu Science Park Taiwan Criado em 1980, o Hsinchu Science Park conta com mais 400 empresas de alta tecnologia em atividade e emprega mais de pessoas. Desde sua criação o governo já investiu cerca de US$ 1.6 bilhões. Ocupa uma área de aproximadamente 700 hectares. Fonte:

13 Sistema Paulista de Parques Tecnológicos Indução e fomento à implantação de Parques Caracterização conceitual e suporte às equipes locais: Definição do perfil dos parques (oportunidades) Modelo de negócio e modelo jurídico-institucional Elaboração de Master Plan Apoio à implantação (instituições e empresas âncoras) Atração de investimentos Decreto do Sistema de Parques (06/02/2006) Convênio SCTDE-FAPESP

14 Sistema Paulista de Parques Tecnológicos SSP- Conceito Política Estadual Apoiar equipe local Articulação e coordenação Atração de Investimentos Visão Local Implantação Desenvolvimento Coordenação Local Parques

15 Sistema Paulista de Parques Tecnológicos Parques Tecnológicos de SP Universidades e Institutos Empresas ampliar a cooperação entre atores reforçar sistema de inovação paulista criar ambientes para inovação

16 Sistema Paulista de Parques Tecnológicos CONCENTRAÇÃO INDUSTRIAL MUNICIPAL Mauro Borges Lemos et al Ribeirão Preto São Carlos Campinas S.J. dos Campos São Paulo

17 Sistema Paulista de Parques Tecnológicos Programa Inovação Tecnlógica em pequenas empresas Sistema Paulista de Parques Tecnológicos MUNICÍPIOS Nº DE EMPRESASPhD/Ano (2003) SÃO PAULO CAMPINAS76771 SÃO CARLOS56310 SJ DOS CAMPOS3160 RIBEIRÃO PRETO10211 GUARULHOS5–– INDAIATUBA50 PIRACICABA5148 BOTUCATU4161 CAJOBI4–– COTIA4–– HOLAMBRA4–– LIMEIRA4–– PAULÍNIA4–– BARUERI3–– SANTOS1–– SJ DO RIO PRETO132 SOROCABA1–– TOTAL PIPE/FAPESP REGIÕES METROPOLITANAS Nº DE EMPRESAS SÃO PAULO145 CAMPINAS94 SÃO CARLOS57 SJC31 RIBEIRÃO PRETO13 OUTROS70 TOTAL340

18 Sistema Paulista de Parques Tecnológicos Parques Tecnológicos de S.J. dos Campos Área Selecionada - 6,6 milhões de m² Aquisição do Núcleo Central (30 mil m²) Apoio do SPPT Convênio p/adequação do Núcleo do Parque Contratação de Gestor e Master Plan Contratação do PUB e Perfil do Parque FATEC-SP (mar/2006 e ampliação em 2007) Elaboração de Master Plan: Fase I – Planejamento Atração de investimentos (nacionais e internacionais) Comprometimento da EMBRAER e do INPE Perfil: Aeronáutica e Defesa

19 Sistema Paulista de Parques Tecnológicos S.J. dos Campos : Área selecionada

20 Sistema Paulista de Parques Tecnológicos S.J. dos Campos Núcleo do Parque

21 Sistema Paulista de Parques Tecnológicos Projeto Básico do Núcleo do Parque de S.J. dos Campos Lab de Metálicos Eventos Lab de Compósitos Núcleo Serviços Fornecedores do INPE TIC Fatec Autoclave (Preparação, Pré-Forma, Caracterização, Sala Branca, Consolidação e Autoclave) (Ensaios, Simulação, Plantas Pilotos e Caracterização dos Processos)

22 Sistema Paulista de Parques Tecnológicos Parque S.J. dos Campos - Investimentos EMBRAER - Centro de Desenvolvimento da Tecnologia Aeronáutica, IPT/ITA (programa tecnológico da Embraer - U$ 100 milhões em 4 anos): Programa de Engenharia (ITA/EMBRAER), out/2006, 250 engenheiros e professores; Lab de Integração Software e Realidade Virtual, nov/2006 (ITA/EMBRAER); Lab Materiais e Compósitos mai/2007 (IPT/ITA). INPE - Centro de Desenvolvimento de Tecnologia Aeroespacial: parceria com empresas do programa espacial - Orbital, Fibraforte, Ominsy, Optoeletronica, Equatorial, Neuron, Nectron e outras PME; parceria com empresas de geoprocessamento - Funcarte, Uisplan, Hipack e Terraleb do INPE Centro de Desenvolvimento de Tecnologia da Informação e Comunicação (em formação): parcerias com empresas de TI – BBKO, ONSET, EMAX-Embratel, telefonia IP e sistemas colaborativos; Centro de Desenvolvimento de Tecnologia Biomédico - UNIFIESP/UNESP/ITA/CTA/LNCC: Laboratório de Imagens Médica Assistida por computadores; Laboratório de Desenvolvimento e Certificação de Materiais e Produtos Biomédicos, Farmacêuticos e Odontológicos; Laboratório de Bioinformática Outros parceiros em negociações: Johnson& Johnson, Natura, Aracruz Celulose, Anvisa.

23 Sistema Paulista de Parques Tecnológicos Parque Tecnológico de São Carlos Competências em ótica, materiais e Instrumentação (UFSCAR, USP, UNESP e duas unidades da Embrapa).

24 Sistema Paulista de Parques Tecnológicos Parque de S. Carlos Situacão Atual Chamamento p/ interessados - dois grupos credenciados: Grupo Encalso Damha – parque tecnológico de 1,2 milhão de m² (empreendimento associado de 14 milhões de m²) ParqTec Science Park - empreendimento de porte médio (área de 164 mil m²) Encerrada etapa de esclarecimentos Etapa atual de elaboração de projetos pelos grupos credenciados Definição de contrapartida estadual e municipal

25 Sistema Paulista de Parques Tecnológicos São Carlos: áreas potenciais

26 Sistema Paulista de Parques Tecnológicos Parque de S. Carlos - Simulação Modelagem inicial do Grupo Encalso Damha investimentos diretos de R$ 70 milhões em 10 anos investimentos totais de R$ 1,1 bilhões em 10 anos estrutura profissional de gestão: SA - gestão imobiliária do empreendimento Fundação s/fins lucrativos - parceiros institucionais - gestão estratégica e promoção. Instituto de Inovação s/fins lucrativos - central de inteligência Parceiros: Centro de Cerâmica do Brasil, Centro de Ótica e Fotônica, CMDC, Centro de Biomoléculas, EMBRAPA, etc. Empresas (em negociação): Dow, EMS – Sigma Farma, Friboi, Votorantin, Cutrale, CSN, White Martins, Cosan, Gradiente, etc.

27 Sistema Paulista de Parques Tecnológicos Parque S. Carlos – Simulação de Investimentos – R$ 1,1 bilhões 10 anos

28 Sistema Paulista de Parques Tecnológicos Parque Tecnológico de Campinas Grande relevância acadêmica e industrial Área adjacente à Unicamp e PUCCAMP definida no Plano Diretor 8 milhões m² Centros de pesquisas e empresas já instaladas (CPqD, Sincroton, Nortel, etc.) Natura – implantação de novo centro de P&D em terreno de 300 mil m² Perfil: TICs, biotech, etc.

29 Sistema Paulista de Parques Tecnológicos Parque Tecnológico de Campinas Pré-viabilidade concluída (2002) diversos proprietários – modelo de negócio complexo Vetor de maior dinamismo Prefeitura de Campinas Revisão do plano diretor CIATEC – empresa municipal

30 Sistema Paulista de Parques Tecnológicos Campinas: Ocupação Atual

31 Sistema Paulista de Parques Tecnológicos Campinas - Prédios Existentes e Concepção Futura Concepção Existentes

32 Sistema Paulista de Parques Tecnológicos Parque Tecnológico de Ribeirão Preto Destaque para produção científica e industrial em Saúde – USP Envolvimento da Secretaria de Saúde e do Butantã ABDI: proposta de mecanismos de financiamento Centro Tecnológico (viabilidade)

33 Sistema Paulista de Parques Tecnológicos Parque de Ribeirão Preto Fase Atual Conclusão dos levantamentos Revisão do Plano Diretor Chamamento de Interessados (maio/2006) Propostas apresentadas (14 milhões m²): Fazenda Conquista Fazenda Pau dAlho Instituído um Grupo de Análise Contratação do Master Plan

34 Sistema Paulista de Parques Tecnológicos Parque Tecnológico de São Paulo Estudos iniciais financiados pela FAPESP (temático) Oportunidade de reurbanização do entorno da USP Próximo à maior universidade da América Latina Grande apelo ao mercado imobiliário local; Áreas atualmente degradadas; mudança do perfil econômico desativação de indústrias queda do nível e da qualidade do emprego. Oportunidade de incentivar empreendimentos que renovem a região

35 Sistema Paulista de Parques Tecnológicos Parque Tecnológico de São Paulo Participação da Prefeitura Municipal de São Paulo e Secretarias; Revisão do Plano Diretor – Setembro/2006 Protocolo de Intenções Contratar Pré Viabilidade em 2006

36 Sistema Paulista de Parques Tecnológicos Parque Tecnológico de São Paulo Protocolo de Intenções – assinatura imediata Contratar Master Plan em 2006

37 Sistema Paulista de Parques Tecnológicos Novos arranjos institucionais e modelos de financiamento para parcerias entre entidades públicas e privadas Lei Paulista de Inovação Estímulo à comercialização e licenciamento de tecnologias Novas estruturas de financiamento da inovação Atração de investimentos Institucionalização do Sistema Paulista de Parques Tecnológicos Instituição formal do Sistema Instalação da Secretaria Técnica Investimentos públicos (contrapartida a investimentos privados) - Orçamento 2007 SPPT - ações necessárias


Carregar ppt "Sistema de Parques Tecnológicos de São Paulo SCTDE- FAPESP São Paulo, 21 de Agosto de 2006 Dr. João E. Steiner"

Apresentações semelhantes


Anúncios Google