A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

INTRODUÇÃO À MICROBIOLOGIA Renato Varges. Porque estudar Microbiologia?

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "INTRODUÇÃO À MICROBIOLOGIA Renato Varges. Porque estudar Microbiologia?"— Transcrição da apresentação:

1 INTRODUÇÃO À MICROBIOLOGIA Renato Varges

2 Porque estudar Microbiologia?

3 Cerca de metade da biomassa do planeta é constituída por microrganismos, sendo os 50% restantes distribuídos entre plantas (35%) e animais (15%). - Importante para sobrevivência dos seres humanos, plantas e animais - Infecções primárias e secundárias - Reciclagem de resíduos - Produção de antibióticos, vitaminas, outras substâncias - Industria de alimentos e combustíveis -Engenharia genética, etc...

4 Microbiologia: Mikros (= pequeno) + Bio (= vida) + logos (= ciência) A Microbiologia é classicamente definida como a área da ciência que dedica-se ao estudo de organismos que somente podem ser visualizados ao microscópio. Assim, a microbiologia envolve o estudo de organismos procarióticos (bactérias, archaeas), eucarióticos (algas, protozoários, fungos) e também seres acelulares (vírus).

5 O que se estuda na Microbiologia? Classificação Estrutura Reprodução Hereditariedade Atividades bioquímicas Nutrição Atividades e relações entre si e com outros seres vivos Habilidade em causar mudanças físicas e químicas no ambiente

6 História da Microbiologia Maldição divina Teoria dos miasmas (vapores ou venenos) Mau odores O ar como meio de transmissão Antes do século XVIII, a que se atribuía as doenças?

7 As primeiras observações: A descoberta dos microrganismos Lentes 200 a 300 X Antoni Van Leeuwenhoek ( )

8 Leeuwenhoek - Fundador da microbiologia Observações relatadas a Sociedade Real de Londres Observou e descreveu os microrganismos ("animáliculos) O MUNDO INVISÍVEL

9 Louis Pasteur ( ) Teoria germinal das enfermidades infecciosas

10 Teoria microbiana das doenças Robert Koch ( ): Descobriu a etiologia do Antraz. Fez o primeiro isolamento bacteriano Descobriu e isolou o bacilo causador da tuberculose Desenvolveu o primeiro tratamento contra a tuberculose Revolucionou a medicina para diagnóstico e tratamento de doenças e aumentou a expectativa de vida em décadas.

11 Teoria microbiana das doenças POSTULADOS DE KOCH Os microorganismos devem estar presentes em todos os casos de doenças Os microorganismos devem ser isolados em cultura pura no laboratório Os mesmos sintomas devem surgir se o microorganismo for inoculado em um hospedeiro saudável e susceptível O mesmo microorganismo deve ser re-isolado do hospedeiro inoculado

12 DIVERSIDADE DOS MICRORGANISMOS BACTÉRIAS FUNGOS VÍRUS PROTOZOÁRIOS ALGAS

13 Taxonomia Sistemas de classificação dos seres vivos Linnaeus (séc. XVIII): Reinos Animal e Vegetal Haeckel (1866): Inclusão do reino Protista: "animais" e "vegetais unicelulares Whittaker (1969): Cinco reinos - características morfólogicas e fisiológicas: Monera: Procariotos Protista: Eucariotos unicelulares Fungi: Eucariotos aclorofilados Plantae: Vegetais Animalia: Animais

14 Carl Woese (1990) - O DNA poderia ser considerado um fóssil molecular. Classificação baseada em aspectos evolutivos (filogenéticos) Comparação das sequências de genes que codificavam o rRNA Esta nova proposta de classificação subdivide os seres vivos em 3 domínios: Archaea: Composto por procariotos – Ancestrais das bactérias Bacteria: Composto por procariotos – Bactérias em geral Eukarya: Composto por eucariotos – Animais, vegetais, algas, protozoários e fungos Taxonomia

15 A sistemática é a ciência dedicada a inventariar e descrever a biodiversidade e compreender as relações filogenéticas entre os organismos. Taxonomia: do grego tassein = "para classificar" e nomos = lei. È a ciência de administrar a descoberta, descrição e classificação das espécies e grupo de espécies, com suas normas e princípios Filogenia: relações evolutivas entre os organismos Classificação definitiva: métodos fenotípicos e genotípicos

16 Métodos fenotípicos 1.Morfologia Coco : De forma esférica ou subesférica (do gênero Staphylococcus) Bacilo ou Bastonete : Em forma de bastonete (do gênero Bacillus) Vibrião : Em forma de vírgula (do gênero Vibrio) Espiroqueta : Em forma de espiral (do gênero Treponema e Leptospira) Bacilos ou Bastonetes Cocos VibriosEspiroqueta

17 2. Propriedades tintoriais Gram-positivas Gram-negativas Bacilos álcool ácido resistentes - BAAR Não se coram pelo Gram Gram-positivas Gram-negativas BAAR

18 3. Exigências nutricionais Autotróficas x Heterotróficas A maioria das espécies bacterianas de interesse médico apresentam nutrição heterotrófica, ou seja, tanto a fonte de energia quanto a de átomos são moléculas orgânicas que a bactéria ingere como alimento.

19 4. Tipagem enzimática: enzimas do metabolismo Enzimas respiratórias Pesquisa da Catalase Metabolismo glicídico A maioria das bactérias utiliza os hidratos de carbono hidrolizando-os até à formação de ácidos com consequente alteração do pH do meio. Em alguns casos essa hidrólise conduz à formação de gases.

20 Pesquisa de coagulase : a presença desta enzima indica patogenicidade; na presença de plasma, os produtores de coagulase (como o Staphylococcus aureus) vão desencadear os mecanismos da coagulação. Pesquisa de enzimas hidrolíticas: esta prova tem a sua principal aplicação na caracterização de espécies do género Streptococcus, alguns dos quais elaboram enzimas hemolíticas 5. Enzimas extracelulares e toxinas

21 6. Sorotipagem Microrganismos inertes às provas bioquímicas Microrganismos de cultivo difícil Fins epidemiológicos

22 Métodos genotípicos 1.Tamanho do DNA 2.Índice Crioscópico 3.Índice Citosina-Guanina (C+G) 4.Hibridização de DNA 5.Sondas moleculares: pb 6.Sequenciamento de DNA 7.Ribotipagem: RNAr 16S 8.Análise plasmidial

23 Nomenclatura binomial Atribuição de nomes científicos às espécies. Formado por duas palavras – o nome do gênero e o restritivo específico (adjetivo que qualifica o gênero) Ex: Escherichia coli ou Escherichia coli nome homenageia Theodor Escherich, coli: lembra que habita o cólon humano ou intestino grosso. Staphylococcus aureus ou Staphylococcus aureus Staphylo (tipo de agrupamento) + coccus (forma esférica) aureus (cor de ouro). Staphylococcus sp. X Staphylococcus spp.


Carregar ppt "INTRODUÇÃO À MICROBIOLOGIA Renato Varges. Porque estudar Microbiologia?"

Apresentações semelhantes


Anúncios Google