A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Sistema Nacional de Ciência e Tecnologia Tema 1: As políticas de Ciência e Tecnologia e o Sistema de Investigação 11 de Outubro de 2002 Trabalho realizado.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Sistema Nacional de Ciência e Tecnologia Tema 1: As políticas de Ciência e Tecnologia e o Sistema de Investigação 11 de Outubro de 2002 Trabalho realizado."— Transcrição da apresentação:

1 Sistema Nacional de Ciência e Tecnologia Tema 1: As políticas de Ciência e Tecnologia e o Sistema de Investigação 11 de Outubro de 2002 Trabalho realizado por: Hugo Horta (Centro de Estudos em Inovação, Tecnologia e Políticas de Desenvolvimento: IN+) Políticas de ciência e Tecnologia, Out.-Dez. 2002

2 Até 1967 Um sistema disperso e incipiente Os planos de Fomento 1º plano de Fomento (1953-58) Melhoria do nível de vida através da aposta em sectores como: agricultura, energia eléctrica, indústrias de base (ex.Refinarias, adubos) 2º plano de fomento (1959-64) Desenvolvimento económico delimitado para a investigação orientada para fins imediatos (por falta de cientistas) – investigação fundamental e aplicada em estreita coordenação mas enquadrada numa política geral Ruivo,B. (1995), As Políticas de Ciência e Tecnologia e o Sistema de Investigação

3 Políticas de ciência e Tecnologia, Out.-Dez. 2002 1967 - 1971 O início do planeamento científico JNICT – Junta Nacional de Investigação Científica e Tecnológica 1º período (1967-1971) Linear: Science Push: ênfase na investigação fundamental 2º período (1972- 1974) Linear: Science Push: ênfase na investigação aplicada 3º período (1978-1985) Linear: Market Demand: Linhas de orientação do programa de investigação sob contrato 4º período (1986-1989) Modelo complexo de mudança tecnológica – A acção relativamente ao apoio à inovação combina a oferta científica (science push) e a procura pelo mercado (market demand) Ruivo,B. (1995), As Políticas de Ciência e Tecnologia e o Sistema de Investigação 3º plano de Fomento (1968-1973): Promoção da investigação aplicada e fundamental – Prioridades: Aumentar o número e qualidade de investigadores, coordenação da investigação nacional e na vertente da cooperação internacional, Promover a criação de novos centros de investigação

4 Políticas de ciência e Tecnologia, Out.-Dez. 2002 1986 - 1995 O acordar tardio da base científica nacional A necessidade das Instituições de Interface Chain-Linked Model Linear Model Kline, J. and Rosenberg, N (1986), An Overview of Innovation

5 Políticas de ciência e Tecnologia, Out.-Dez. 2002 1995 – 2001 Crescer para a Convergência Europeia MCT – Ministério da Ciência e Tecnologia Formação Avançada de Recursos Humanos Avaliação das Unidades de I&D Financiamento OCT (2002), Ciência e Tecnologia – Principais Indicadores Estatísticos

6 Políticas de ciência e Tecnologia, Out.-Dez. 2002 Até 1967 1985 1986 1995 2001 Um sistema disperso e incipiente O início do planeamento científico O acordar tardio da base científica nacional Crescer para a convergência europeia Eventos Chave Períodos Plano de Fomento JNICT Instituições de Interface MCT: avaliação e financiamento Mas...e internacionalmente ? 1º período (1967-1971) 2º período (1972-1974) 3º período (1978-1985) 4º período (1986-1989) Despesa I&D - % PIB Períodos segundo Beatriz Ruivo: 0.77% 0.45% Entre 0.2% e 0.3% 0.2% OCT (2002), Ciência e Tecnologia – Principais Indicadores Estatísticos Caraça, J. (2001), Ciência e Investigação em Portugal no Século XX

7 Políticas de ciência e Tecnologia, Out.-Dez. 2002 Geralmente(...) as novas nações crescem mais rapidamente e as antigas mais devagar. Tipicamente, quando um novo país começa a sério a expansão científica e atinge um ponto de arranque actua como se estivesse a expandir-se para o vazio, enquanto um país que começa mais tarde é sujeito a maior pressão da ciência mundial, parecendo que a ciência se desenvolve mais depressa. Price, D. (1965:134) Ponto de arranque Fase da Infância Fase Adolescência Maturidade ou estado estacionário (Ziman) Senilidade Ponto de partida para a expansão científica Ciência cresce a uma taxa exponencial Crescimento da ciência linear, mas no resto do mundo exponencial Estado de saturação e estagnação do modelo Declínio e necessidade urgente de mudança Ciclo de vida do sistema científico - Price Price,D. S. (1965), The scientific foundations of science policy

8 Políticas de ciência e Tecnologia, Out.-Dez. 2002 CronologiaInternacionalPortugal 1945 – Fim da Segunda Guerra Mundial Tecnologia de aplicação militar directa e imediata Até 1967: Um sistema disperso Guerra Fria Corrida ao Espaço (a partir de 1950) Criação de Indústrias de Alta Intensidade Tecnológica A partir de 1960Surgimento de organismos internacionais coordenadores e fomentadores de ciência e tecnologia (ex. OECD, 1961) Financiamento estatal (EUA), Multinacionais, Universidades de I&D, diversificação alta intensidade tecnológica 1967-1986: O início do planeamento científico De 1970 a 2001Formação regional de clusters formados por empresas inovadoras e empreendedoras ligadas ás tecnologias da informação 1986-1995: O acordar tardio da base científica nacional 1995-2001: Crescer para a convergência europeia


Carregar ppt "Sistema Nacional de Ciência e Tecnologia Tema 1: As políticas de Ciência e Tecnologia e o Sistema de Investigação 11 de Outubro de 2002 Trabalho realizado."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google