A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Pontifícia Universidade Católica de Goiás Departamento de Engenharia Curso: Engenharia de Produção Disciplina: Processos de Fabricação I Prof. Jorge Marques.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Pontifícia Universidade Católica de Goiás Departamento de Engenharia Curso: Engenharia de Produção Disciplina: Processos de Fabricação I Prof. Jorge Marques."— Transcrição da apresentação:

1 Pontifícia Universidade Católica de Goiás Departamento de Engenharia Curso: Engenharia de Produção Disciplina: Processos de Fabricação I Prof. Jorge Marques dos Anjos Aula 21 Fresadoras e Fresagens – CNC Slides gentilmente cedidos pelo prof. Vitor, com adaptações minhas.

2 Fresadora CNC Os movimentos demais funções da fresadora são comandados por computador. Por exemplo, por meio de um programa, a unidade computadorizada executa a ordem de acionar a rotação de um motor e esta rotação faz com que um parafuso de movimento promova o deslocamento da mesa da máquina.

3

4 Sistema de Coordenada da Fresadora CNC Z = eixo árvore Y = eixo transversal X = eixo longitudinal

5 Sistema de Coordenada da Fresadora CNC Além dos três eixos, há máquinas com eixos rotacionais, A, B e C. estes eixos fazem as funções dos aparelhos e mesas divisoras das máquinas tradicionais. Isso com muito mais precisão e versatilidade.

6

7 Entendendo a programação Vamos supor que você deseja usinar o acabamento lateral da peça representada no desenho. Use fresa de topo de 8 mm de diâmetro, avanço de 250mm/min e rotação do eixo árvore de 2400 RPM.

8 Entendendo a programação 1° precisa determinar o ZERO PEÇA. Para melhor compreensão, vamos identificar cada vértice (os pontos do perfil a ser fresado) com uma letra.

9 Entendendo a programação As coordenadas do perfil a ser fresado são as mostradas na tabela Ponto coordenada X coordenada Y A100 B500 C 10 D5515 E7015 F7040 G6050 H0 I010

10 Entendendo a programação Monte o programa em Blocos. A letra N determina um bloco. Exemplo: N01 O 0050 Bloco 01 Programa 0050 (O é a função que indica o número do programa)

11 Funções do Sistema ISO de Programação CNC Funções G – Preparatórias. Funções M – Auxiliares. F = Velocidade de avanço. S = Velocidade do eixo árvore. T = N° da ferramenta. D = Corretor Cotas de movimento são especificadas pelas ordenadas. Exemplo: X20 significa posição X=20.

12 Principais Funções G G00 = posicionamento rápido (não obedece o avanço programado). G01 = interpolação linear (linha reta no avanço F programado). G02 = Interpolação circular no sentido horário (F programado) G03 = Interpolação circula anti-horário (F programado) G40 = Cancela correção da ferramenta G41 = Compensação da ferramenta a esquerda G42 = Compensação da ferramenta a direita G50 = limitação da rotação do eixo árvore. G55 = Deslocamento de origem G70 = programação em polegadas G71 = programação em milímetros G90 = Sistemas de coordenadas absolutas G91 = Sistemas de coordenadas incremental G94 = avanço em mm/min G95 = avanço em mm/volta G96 = programação em velocidade constante G99 = a unidade do avanço é mm/rotação.

13 Principais Funções M M0 = parada de programa M3 = rotação do eixo árvore no sentido horário M4 = rotação anti-horária do eixo árvore M5 = desliga o eixo árvore M8 = aciona a bomba de fluido de corte M9 = desliga o fluido de corte M30 = fim do programa.

14 Outras funções N – Numeração das linhas do programa (Blocos) O – Número do programa até 4 dígitos S – Rotação do fuso (eixo árvore). E – Ponto Zero Peça T - determina a ferramenta (n° após o T). F – Velocidade de avanço em mm/volta

15 Retornando à programação da fresagem da peça ProgramaInterpretação N01 O 1020Programa n° 1020 N05 G55Operador deve informar à máquina o ZERO PEÇA. N10 G71 G90 G 94Medidas em mm. Coordenadas absolutas. Avanço em mm/min N15 G96 S2400 T04Rotação constante de 2400 RPM. Seleciona a ferramenta 04, previamente cadastrada e alojada no magazine 04. N20 G00 X-10 Y-10 Z50Aproximação rápida da ferramenta ao ponto próximo do início da usinagem. Z50 para evitar choque com elementos de fixação N25 G00 Z-10 M8Posição inferior de usinagem. Liga Fluido de corte.

16 Continuando o programa ProgramaInterpretação N30 G42Faz compensação do raio da ferramenta N35 M3Aciona o eixo árvore no sentido horário N40 G1 X10 Y0 F250Desloca (usinando) para o ponta A com avanço de 250 mm/min. Eixo Z permanecerá em -10 até o fim. N45 G1 X50 Y0 F250Desloca para o ponto B N50 G1 X50 Y10 F250Desloca para o ponto C N55 G2 X55 Y15 R5 F250 Desloca para o ponto D, descrevendo um arco anti-horário com raio de 5 mm.

17 Continuando o programa ProgramaInterpretação N60 G1 X70 Y15 F250Desloca para o ponto E N65 G1 X70 Y40 F 250Desloca para o ponto F N70 G3 X60 Y50 F250Desloca para o ponto G, descrevendo um arco horário de raio 10 mm. N75 G1 X0 Y50 F250Desloca para o ponto H N80 G1 X0 Y10 F250Desloca para o ponto I N85 G1 X10 Y0 F250Desloca para o ponto A N90 G0 X-20Y-10 M9Saída da ferramenta do contato com a peça. Desliga fluido de corte. N95 G0 Z200 M5Recolhimento da ferramenta e desligamento do eixo árvore N96 M30Fim do programa.


Carregar ppt "Pontifícia Universidade Católica de Goiás Departamento de Engenharia Curso: Engenharia de Produção Disciplina: Processos de Fabricação I Prof. Jorge Marques."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google