A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Independência da América Espanhola. Nossa América No início do século XIX a América hispânica, inspirada nas idéias liberais do Iluminismo, travou sua.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Independência da América Espanhola. Nossa América No início do século XIX a América hispânica, inspirada nas idéias liberais do Iluminismo, travou sua."— Transcrição da apresentação:

1 Independência da América Espanhola

2

3 Nossa América No início do século XIX a América hispânica, inspirada nas idéias liberais do Iluminismo, travou sua guerra de independência vitoriosa contra o colonialismo espanhol para, em seguida, fragmentar-se em um grande número de jovens repúblicas oprimidas por caudilhos militares, exploradas por oligarquias rurais e acorrentadas a uma nova dependência econômica imposta pelo capitalismo industrial inglês No início do século XIX a América hispânica, inspirada nas idéias liberais do Iluminismo, travou sua guerra de independência vitoriosa contra o colonialismo espanhol para, em seguida, fragmentar-se em um grande número de jovens repúblicas oprimidas por caudilhos militares, exploradas por oligarquias rurais e acorrentadas a uma nova dependência econômica imposta pelo capitalismo industrial inglês.

4 Países constituintes da América Hispânica.

5 Entre o final do século XV e o inicio do século XVI, a Espanha constituiu na América um imenso império colonial, riquíssimo em metais preciosos e que, até o final do século XVIII, foi a principal fonte de sustento da Coroa espanhola. A Coroa dividiu a administração em quatro vice-reinos; Nova Granada, Nova Espanha, Rio do Prata e Peru. Junto foram criadas quatro capitanias com função de defesa: Guatemala, Chile, Cuba e Venezuela. Entre o final do século XV e o inicio do século XVI, a Espanha constituiu na América um imenso império colonial, riquíssimo em metais preciosos e que, até o final do século XVIII, foi a principal fonte de sustento da Coroa espanhola. A Coroa dividiu a administração em quatro vice-reinos; Nova Granada, Nova Espanha, Rio do Prata e Peru. Junto foram criadas quatro capitanias com função de defesa: Guatemala, Chile, Cuba e Venezuela.

6 A CRISE DO SISTEMA COLONIAL O fim do Antigo Regime nas últimas décadas do século XVIII foi conseqüência das transformações ideológicas, econômicas e políticas produzidas pelo Iluminismo, pela Revolução Industrial, pela independência dos Estados Unidos e pela Revolução Francesa. Estes acontecimentos, que se condicionaram e se influenciaram reciprocamente, desempenharam um papel decisivo no processo de independência da América espanhola. O fim do Antigo Regime nas últimas décadas do século XVIII foi conseqüência das transformações ideológicas, econômicas e políticas produzidas pelo Iluminismo, pela Revolução Industrial, pela independência dos Estados Unidos e pela Revolução Francesa. Estes acontecimentos, que se condicionaram e se influenciaram reciprocamente, desempenharam um papel decisivo no processo de independência da América espanhola.

7 As idéias do século A independência da América espanhola está relacionada às transformações que ocorreram no século XVIII na Europa e que levaram à ruína o Absolutismo.

8 Dois projetos de independência Criollos X Classes populares Criollos X Classes populares Queriam manter a grande propriedade de terra e as diferenças sociais. Queriam um país em que a lei favorecesse aos mais pobres e as terras fossem distribuídas para as famílias camponesas.

9 As rebeliões populares As camadas populares da América espanhola, representada em sua maioria por mestiços e indígenas, não se curvou voluntariamente ao domínio espanhol. Eles reagiram ao vil colonizador de diversas maneiras, e em algumas, com extrema violência. As camadas populares da América espanhola, representada em sua maioria por mestiços e indígenas, não se curvou voluntariamente ao domínio espanhol. Eles reagiram ao vil colonizador de diversas maneiras, e em algumas, com extrema violência.

10 Túpac Amaru O cacique peruano conhecido como Túpac Amaru, liderou a maior rebelião indígena da história das Américas dos tempos coloniais. O cacique peruano conhecido como Túpac Amaru, liderou a maior rebelião indígena da história das Américas dos tempos coloniais. A sua insurreição contra o domínio espanhol colocou o seu nome entre os que tentaram, ao exemplo bem sucedido dos colonos norte- americanos, libertar as Américas da metrópole européia. A sua insurreição contra o domínio espanhol colocou o seu nome entre os que tentaram, ao exemplo bem sucedido dos colonos norte- americanos, libertar as Américas da metrópole européia.

11 Padre Hidalgo A figura central e principal instigador da independência do México foi Miguel Hidalgo y Costilla, padre na pequena paróquia de Dolores Hidalgo, Guanajuato. Logo após a sua ordenação como sacerdote, Hidalgo começou a promover o levantamento popular de índios e mestiços contra os espanhóis abastados, os fazendeiros e os aristocratas. A figura central e principal instigador da independência do México foi Miguel Hidalgo y Costilla, padre na pequena paróquia de Dolores Hidalgo, Guanajuato. Logo após a sua ordenação como sacerdote, Hidalgo começou a promover o levantamento popular de índios e mestiços contra os espanhóis abastados, os fazendeiros e os aristocratas.

12 Criollos e Peninsulares A elite colonial na América espanhola era composta de Criollos e Peninsulares A elite colonial na América espanhola era composta de Criollos e Peninsulares Grupos brancos ricos e poderosos nascidos na América. Grupos brancos ricos e poderosos nascidos na Espanha.

13 Rebelião escrava no Haiti Liderada por Toussaint- L'Ouverture, o "Espártaco Negro", houve, na colônia francesa que viria a se transformar no Haiti, uma rebelião de escravos que, iniciada no fim no século XVIII e inspirada na revolução francesa, resultou na expulsão da pequena elite branca de donos de terra e, em 1804, na independência do país, conquistada no enfrentamento com os exércitos de ninguém menos do que Napoleão Bonaparte. Liderada por Toussaint- L'Ouverture, o "Espártaco Negro", houve, na colônia francesa que viria a se transformar no Haiti, uma rebelião de escravos que, iniciada no fim no século XVIII e inspirada na revolução francesa, resultou na expulsão da pequena elite branca de donos de terra e, em 1804, na independência do país, conquistada no enfrentamento com os exércitos de ninguém menos do que Napoleão Bonaparte.

14 Napoleão e a América espanhola A ascensão de Napoleão Bonaparte, a imposição da supremacia francesa à Europa e o estabelecimento do Bloqueio Continental contra a Inglaterra desferiram um golpe de morte no decadente sistema colonial ibero- americano. A ocupação da Espanha por Napoleão e a imposição de José Bonaparte como rei do país desencadearam as lutas de independência nas colônias da América espanhola. A ascensão de Napoleão Bonaparte, a imposição da supremacia francesa à Europa e o estabelecimento do Bloqueio Continental contra a Inglaterra desferiram um golpe de morte no decadente sistema colonial ibero- americano. A ocupação da Espanha por Napoleão e a imposição de José Bonaparte como rei do país desencadearam as lutas de independência nas colônias da América espanhola.

15 Símon Bolivar, o Libertador Símon Bolívar é freqüentemente chamado de o George Washington da América Latina. Ele é considerado o responsável pela libertação de cinco países sul-americanos do domínio espanhol: Venezuela, Colômbia, Bolívia, Peru e Equador. Símon Bolívar é freqüentemente chamado de o George Washington da América Latina. Ele é considerado o responsável pela libertação de cinco países sul-americanos do domínio espanhol: Venezuela, Colômbia, Bolívia, Peru e Equador.

16 A fragmentação política O sonho de Símon Bolívar era de unificar a América espanhola numa única e grande nação. Entretanto, com a independência, surgiram inúmeros países. O sonho de Símon Bolívar era de unificar a América espanhola numa única e grande nação. Entretanto, com a independência, surgiram inúmeros países.

17 Motivos para que não ocorresse a unificação política da América espanhola Motivos para que não ocorresse a unificação política da América espanhola Não existia uma capital única para toda a América espanhola Não existia uma capital única para toda a América espanhola Havia inúmeros centros administrativos autônomos Havia inúmeros centros administrativos autônomos Rivalidade entre os líderes criollos Rivalidade entre os líderes criollos Interesse da Inglaterra em fragmentar a América espanhola para torná-la fraca e incapaz de bloquear os interesses britânicos. Interesse da Inglaterra em fragmentar a América espanhola para torná-la fraca e incapaz de bloquear os interesses britânicos.

18 Sobre o quadro do início... É uma obra carregada de simbolismo que representa o Libertador acompanhado por Manuelita Sáenz, jovem patriota equatoriana, que participou das lutas pela independência na América do Sul e foi companheira de Simon Bolívar, cavalgando com uma pomba branca à mão esquerda que, além disso, representa a paz, em sua asa pode se apreciar as constituições das novas repúblicas que clamam pela mudança na grande pátria que é a nossa América. É uma obra carregada de simbolismo que representa o Libertador acompanhado por Manuelita Sáenz, jovem patriota equatoriana, que participou das lutas pela independência na América do Sul e foi companheira de Simon Bolívar, cavalgando com uma pomba branca à mão esquerda que, além disso, representa a paz, em sua asa pode se apreciar as constituições das novas repúblicas que clamam pela mudança na grande pátria que é a nossa América.

19


Carregar ppt "Independência da América Espanhola. Nossa América No início do século XIX a América hispânica, inspirada nas idéias liberais do Iluminismo, travou sua."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google